História Diferente - Imagine Jimin - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin
Tags Bts, Jimin, Personagens Originais, Sayke, Sexo
Visualizações 347
Palavras 873
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Pipipipipi cheguei

Primeiramente... OBRIGADO AOS COMENTARIOS, SÉRIO MERMO :')

Segundamente...BOA LEITURA ♡´・ᴗ・`♡

Capítulo 2 - "Noona" - II


Fanfic / Fanfiction Diferente - Imagine Jimin - Capítulo 2 - "Noona" - II

Seus dedos desciam lentamente sob meu colo, logo chegando perto de minha intimidade.

Sua boca aproximou-se de meu ouvido e então ele sussurrou:

— Não grite alto, pois poderam escutar. — Mordeu o lóbulo de minha orelha, tirando de mim um suspiro e um arrepio.

Suas mãos apertaram minhas coxas com firmeza, logo as separando.

— Park… — Gemi baixo quando o maior acariciou minha intimidade.

— Shh, eu estou no comando, Noona. — As palavras iam se tornando cada vez mais eróticas, causando-me espasmos e pensamentos sujos.

Mordi o lábio com força tentando deter o maldito gemido. Minha calcinha foi tirada de meu corpo sem sutileza alguma. Seu olhar faminto, o lábio preso entre os dentes e o volume em sua calça, estavam me levando a beira da loucura.

Puxou-me para frente, fazendo-me deslizar sob mesa com sutileza, nossos íntimos chocaram-se arrancando um baixo resmungo até mesmo do maior. Nosso contato era apenas cortado por um fútil tecido – sua calça.

Enfiei minha mão dentro desta e agarrei seu membro grosso e com uma pequena quantia de pré-gozo saindo da glande.

— Está sem cueca, Park? — Brinquei apertando seu pau e ouvindo urro baixo.

— Digamos que já vinha planejando a tal conversa. — Sorriu, mostrando seus dentinhos.

— Você é tão… Diferente. Mas é um diferente bom, Park. — Falei abaixando sua calça. Seu membro teso pulou e eu o peguei, esfregando a cabecinha com um de meus dígitos.

— Por quê, huh? — Pegou em minhas madeixas as entrelaçando em seus dedos, puxou-me para mais perto de seu pau e eu sorri.

— Você é fofo… Fofo e tão perverso. — Falei passando a língua em sua base, subindo e abocanhando somente a glande, deixando uma sucção e um beijinho ali.

— Eu não sou fofo! — Olhei-o nos olhos e vi um biquinho fofo em seus lábios. — Agora me mame, ou prefere levar umas palmadas nessa bunda gostosa?

Senti um tapa fraco em meu bumbum e sorri maliciosa.

Olhei-o mais uma vez, mas agora abocanhando todo seu comprimento. Ouvi um gemido baixo e sorri. Sinceramente, dar prazer é melhor que receber.

Meus movimentos aceleraram-se por conta de uma mão em meus cabelos, me empurrando contra seu pênis. Engasguei diversas vezes, apenas vendo a expressão deleitosa de Jimin.

— Noona, sua boca é tão gostosa. — Comentou e senti um líquido quentinho e viscoso em minha boca. O Park tirou seu pênis de minha boca, e continuou uma masturbação agora derramando leitinho em meu rosto.

— Tão grande. — Soltei uma risadinha e beijei o topo de seu pau. Senti um tapa em meu bumbum. — Está fissurado por meu bumbum? — Balbuciei fazendo biquinho mas logo uma risadinha maliciosa escapou por meus lábios.

— Quero fodê-lo. — Comentou mordendo o lábio.

— Quem sabe… Um dia, não é mesmo? — Sorri maldosa ao ver seu revirar de olhos. — Agora me dê atenção, estou necessitada, pequeno.

— Está necessitada, Noona? Onde? — Indagou pegando seu pau, o passando entre meus lábios vaginais.

— Aqui! — Esfreguei seu pênis rapidamente sob meu botãozinho inchado. Contorci-me com a sensação gostosa.

— Irei te chupar, Noona, quero te chupar até você me dar seu melzinho. — Sorriu passando a língua lentamente sobre meu clitóris necessitado.

Gemi alto quando senti dois dedos em meu interior, Park estocava fundo seus dedos em mim, enquanto se deliciava com meu íntimo.

A sensação era tão gostosa, sentia o orgasmo se aproximando cada vez mais. Seus dígitos iam fundo.

— Quero enfiar meu pau em você, Noona. Está doendo tanto! Oh. — Parou de falar assim que meu interior apertou seus dedos e jatos quentinhos voaram em seu rosto e peitoral.

— Ah, Park Jimin! — Urrei alto ao sentir a sensação mais que gostosa que um orgasmo pode me oferecer.

— S/N, eu quero entrar em você! — Balbuciou se pondo de pé, entre minhas pernas, passou seu prepúcio lentamente sob minha intimidade.

Seu olhar corria sobre minha pele, como se estivesse querendo guardar cada pedaço meu, em sua mente.

Enfiou-se em mim, e eu gemi alto sentindo sua espessura em meu interior.

Seus movimentos se tornavam cada vez mais precisos, quatro, quatorze, vinte e quatro estocadas. E lá se foram quase uma hora de transa. A melhor transa.

O Park gozou e eu logo depois.

Suados e com a respiração descompassada, era assim que nós nos encontrávamos.

— Noona, não se arrependa por isso. — Pediu baixo aninhando-se ao meu peito. Fiz carinho nele, e ele em mim.

— Não irei, pequeno. Não irei.


° ° °


Algumas semanas depois.


Já se passaram alguns dias, semanas talvez da nossa maravilhosa transa, eu não me arrependi. Sinceramente, preciso lhe fazer outro convite, tipo “oi, tudo bem? Preciso de outra foda”

Não estou com o Park apenas por diversão, eu estou alimentando aquele sentimento, que no começo eu o julgava completamente errado.

Durante as aulas trocavamos olhares, ou até mesmo mensagens carinhosas por mensagem.

E todo final de aula eu encontrava um bilhetinho debaixo de minha mesa, eram sempre “eu lhe amo, Noona” “você está tão bonita hoje, Noona” “quero lhe beijar”.

E hoje provavelmente não será diferente, o sinal bateu e Jimin não saiu da sala, ficou de sua carteira me olhando sorrindo enquanto todos os outros iam embora.

Peguei o bilhetinho e abri.


“- Noona, aceita namorar comigo?”


Park Jimin realmente me surpreende a cada dia. O mesmo caminhou até mim e beijou minha testa.

— Eu aceito. — Sussurrei.


Notas Finais


O que acharam? Espero que tenham gostado.

Fico bem triste em twoshot, no último cap, ninguém comenta caramba! Isso vai machucando aos poucos o escritor!

Enfim... Até a próxima.

Perfil: @Sayke


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...