História Diferente de qualquer lugar... - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Adolescente, Amizade, Amor, Bullyng, Drama, Escola, Romance
Visualizações 6
Palavras 1.267
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Escolar, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Suicídio
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 7 - Passado


  Acordei bem cedo, às seis horas, já que era o primeiro dia de aula. Elaine e Vanessa já estavam acordada, arrumando algumas coisas. Esfreguei os olhos, bocejei e levantei da cama.

 Peguei uma blusa azul sem estampa nenhuma, uma calça jeans simples, um tênis preto cano longo e fui para o banheiro. Me olhei no espelho, minha cara estava inchada de sono, toda remelenta, horrível. Tomei um banho bem rápido, me vesti e saí do banheiro.

  -Bom dia!- Disse Danyele, espreguiçando-se. -Vamos agilizar, gente, a aula começa às sete e meia!

   -Vish!- Pronunciou-se Elaine. -A minha só começa às oito, hoje!

  -Ah, esqueci que as aulas começam em horários diferentes!- Foi a vez de Vanessa falar.- Hoje só entro às nove, nem sei porque levantei!- E se jogou na cama.

  -Ah, eu entro às sete e meia, também, Dany!- Falei, suspirando.

 -Eh! Pelo menos, vamos até a sala juntas!!- Danyele bateu palmas de felicidade.

   -Meninas, já estão prontas?- Perguntou Elaine. -Vamos tomar café?

  -Vamos!- Respondemos todas, menos Vanessa que estava dormindo.

  Chegando no refeitório, encontrei Luca sentado, sozinho, em uma mesa bem no canto. Me despedi das meninas, e fui até ele.

 -Adivinha quem é?- Perguntei, colocando minhas mãos sobre seus olhos.

 -Ah...- Ele fingiu pensar. -Humm, deixa eu ver... Elly?

 -Ah! Acertou! Posso sentar com você?

 -Pode.- Disse, voltando a ser tímido, como no dia anterior.

 Me sentei na frente dele e comecei a comer. Depois de uns minutos, Luca me olhou, curioso, enquanto eu comia.

  -Por que está me olhando?- Perguntei, levantando os olhos.

  -Ah...- Disse, envergonhado. -É que você é bonita...

  -Ai, que fofo!- Apertei as bochechas dele. -Você também é bonito!

  -Obrigado...- Então ele voltou sua atenção para a comida.

  Quando acabamos de comer, eram sete horas, então fui passear pela escola com Luca, e, no caminho, encontramos Júlio e Danyele.

  -Oi, Elly.- Disse Júlio, com olheiras enormes e uma voz arrastada, como se tivesse virado a noite.

  -Nossa, parece um cadáver, menino!- Falei dando tapas de leve em seu rosto. -O que houve?

  -Mais tarde te conto.

  -Elly!- Disse Dany, vindo detrás do Luca, que se assustou com a aparição da menina. -É você, o tal Luca?- Perguntou ao Luca.

  -S-sou.- Respondeu, envergonhado e assustado com a garota.

  -Oi, Dany! Esse é o Júlio, já se conhecem?- Perguntei, andando até o Luca.

  -Claro que sim, todo mundo conhece ele!- Dany apertou as bochechas do Júlio, fazendo-o recuar.

  -Vamos logo, Luca, já está na hora de irmos para a sala de aula!- Agarrei o pulso dele, e levei-o até a sala. Quando chegamos, eram sete e dez, então ainda não tinha ninguém lá. Sentei na última carteira da primeira fileira, e Luca sentou na minha frente. Ficamos quietos por uns cinco minutos, até que ele resolveu falar.

  -Elly?- Ele chamou

  -Sim?

  -Por que você fala comigo?- Eu não tinha parado para penasr em porque, mas ele era legal, eu gostava dele.

  -Ah, você é legal, interessante, bom, é bonito,- Ele corou quando falei isso.- E eu gosto de você, do seu jeito tímido, é engraçado. Por que quer saber?

 -Ah, é que ninguém falou comigo, você foi a única, eu queria saber o motivo.

  -Nossa, bonito do jeito que você é, não sei porque ninguém falou com você, achei que você já tinha até peguetes.- Falei como se fosse a coisa mais óbvia do mundo, mas ele era realmente bonito.

  -Ah, eu tenho namorada, não pego ninguém.- Ele falou, envergonhado. Não sei porque, mas quando ele disse isso, pareceu que alguém tinha me esfaqueado,eu queria chorar, e perguntar: "Quem é a vadia?", mas me segurei, coloquei um sorriso falso na cara e perguntei:

  -Nossa, a sortuda estuda aqui?

 -É, ela estuda, mas só tem um fato que dificulta nossa relação...- Respondeu, pensativo.

  -Ah, é? Que fato?- Perguntei, tentando esconder minha cara de choro.

 -É que voc...- Ele parou no meio da frase, não sei porque, e reformulou-a. -É que ela ainda não sabe que namoramos.

  Só, então, percebi que se tratava de uma paixão platônica. Virei a cara, peguei meus horarios, e vi que a primeira aula era de Gramática, peguei meu caderno e livro, e fiquei olhando-os, enquanto Luca me observava.

  [...] Quando o sinal do intervalo bateu, todos sairam, quase que instantaneamente, exceto eu e Luca. Peguei meu celular e meu fone, logo em seguida, saindo da sala. 

  Ao sair, senti alguém segurar meu braço, me virei, e deparei-me com Lucas, parecendo confuso.

  -O que foi?- Perguntou, como se sentisse que eu estava triste.

  -Só enxaqueca, estou bem.- Forcei um sorriso.

 -Tem certeza? Quer que eu te leve a enfermaria?- Fez um tom preocupado ao falar.

  -Tenho.- Respondi, seca.

 -Tem alguma coisa haver com aquele papo de namorada, hoje cedo, esse seu mau-humor?- Indagou, um pouco inseguro.

  -Ah, é que...- Fiquei envergonhada. -Eu queria saber quem é...

 -Só isso?- Suspirou, aliviado. -Você não precisa saber, uma hora vai descobrir.

  -Nossa, não adiantou nada, continuo perturbada.- Tomei coragem para falar. -Sabe, quando te conheci ontem, você era só um menino que me levou pro banheiro e me abraçou dentro de uma cabine...

  -Essa frase poderia se encaixar em outro contexto...- Resmungou, sorrindo diferente do normal.

  -Enfm, mas hoje, você é um amigo, muito querido, e olha que eu nem convivi vinte e quatro horas com você, de qualquer forma, eu gosto muito de você, mas, sabe, você é ingênuo, eu tenho um pouco de receio de alguma garota usar você, ou sei lá. E agora eu me sinto muito idiota, dizendo isso para uma pessoa que eu conheci há menos de vinte e quatro horas.- Disse a última frase, após ele rir fracamente.

  -Não, não é isso, é que, desde que te conheci, você foi muito impulsiva, louca e agora, está sendo muito fofa...- Ele suspirou. -Você fica linda quando fica corada.

 Abracei Luca, fazendo-o recuar, assustado, mas logo em seguida, retribuir o abraço. Fomos em direção ao refeitório, em silêncio, eu avisei a ele que procuraria minhas amigas, enquanto o mesmo ia buscar comida. Localizei as meninas em uma mesa próxima à parede, cheia de gente.

  -Oi, menina!- Gritei animada.

  -Nossa!, que felicidade!- Disse Vanessa, surpresa.

  -E aí, Elly?- Perguntou Elaine, com seu jeito Swag.

  -Elly! Tudo bem?- Perguntou Dany, muito feliz, como sempre.

 -Tudo! Estou ótima!- Respondi, feliz. -Quem são esses?- Preguntei, apontando para duas garotas e um garoto, sentados na mesa.

  -Ah, são meus amigos,- Respondeu Vanessa. -Fábio,- Apontou para o menino baixinho, de cabelos verdes, enrolados que iam até as costas, pele branca, olhos verdes e um aparelho dentário.- Clara, -Apontou para uma garota alta, cabelos rosas, estilo Joãozinho, olhos azuis, pele morena e óculos. -E Júlia.- Apontou para Júlia, já a conhecia.

  Alguns minutos depois, Luca chegou na mesa, com a comida, sentou ao meu lado, conversou e conheceu as meninas e Fábio.

  Quando o sinal bateu, fui direto para a quadra, já que a quarta aula era de Ed. Física. Eu e Luca chegamos lá, sentamos na arquibancada, e esperamos o resto dos alunos, e o professor. Conversamos sobre nossas vidas, ele me contou uma coisa que me deixou meio ressentida.

  -Há dois anos, -Ele contava.- meu irmão mais velho, Guilherme, se suicidou, por motivos que nunca entendi. Então, minha mãe entrou em depressão, meu pai se afundou em trabalho, e eu meio que fiquei de lado. Eu me revoltei, fiquei com raiva do mundo, porque meu irmão estava morto, então culpei meus pais.- Ele suspirou, tentando não chorar.

  -Sabe,- Segurei sua mão.- Se não quiser, não precisa terminar.- Ele me abraçou, escondendo o rosto no meu pescoço. Ficamos assim até o final da quarta aula.


  


Notas Finais


Gente, estou tentando postar caps maiores, mas está um pouco difícil!
Beijinhos de algodão doce, amoras!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...