História Diferente de suas expectativas - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Inuyasha
Exibições 36
Palavras 1.112
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Famí­lia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


...

Capítulo 11 - Capitulo 11- Doce vingança


Capitulo 11- Doce vingança

 Naquele dia Sesshoumaru foi visitar seu irmão no hospital. o garoto estava machucado, deitado na cama.

Izayoi – que bom que veio Sesshoumaru – a mulher acompanhava o filho.

Sesshoumaru – como está Inuyasha?

Inuyasha – bem Sesshy.

Izayoi – Sesshy?!

Sesshoumaru – odeio esse apelido – revirou os olhos – poço falar a só com Inu?

Izayoi – claro, irei aproveitar para comer alguma coisa – deu um beijo na testa do filho – quer alguma coisa?

Inuyasha – não mãe.

Izayoi – ok, eu já volto – a mulher então saiu do quarto.

Sesshoumaru – Inu... – se aproximou da cama do irmão e sentou ao lado dele – eu quero te pedir uma coisa.

Inuyasha – o que Sesshoumaru?

Sesshoumaru – quando você tiver alta, o nosso pai vai lhe levar na delegacia para dar seu depoimento. E eu quero que você diga que não se lembra do que aconteceu ou que não sabem quem foi que nos agrediram.

Inuyasha – por que? aquele cara tem que pagar pelo que fez.

Sesshoumaru – você quer que nosso pai descubra o que nos dois estávamos fazendo?

Inuyasha – não... eu não quero.

Sesshoumaru – então, é melhor deixar isso fora da policia. Eu mesmo irei me resolver com Takeda.

Inuyasha – tudo bem, eu confio em você.

Sesshoumaru – e tem mais uma coisa... tem uma garota que está bastante preocupada com você – o outro sorriu animado – acho que é uma tal de Kagome.

Inuyasha – Kagome?! Serio ?

Sesshoumaru – sim, ela ligou lá para casa querendo saber se você estava bem.

Inuyasha – iríamos sair, mas nem sei quando vou ficar bom.

Sesshoumaru – não se preocupe com isso, você tem todo tempo do mundo.

Inuyasha – eu gosto muito da Kagome, fico um pouco ansioso quando estou perto dela.

Sesshoumaru – se tem uma coisa que não entendo é sobre está apaixonado.

Inuyasha – você nunca se apaixonou?

Sesshoumaru – não, e nem pretendo.

Inuyasha – mas um dia isso ainda vai acontecer com você.

Sesshoumaru – espero que não. Nada é melhor do que ser livre, pode fazer o que quiser, sentir o que quiser.

Inuyasha – é uma vida bem divertida.

Sesshoumaru – sim, é mesmo, mas também tem muitos perigos. Porem, já tenho tudo planejado. Hoje Takeda terá aquilo que merece.

Inuyasha – o que vai fazer?

Sesshoumaru – isso é segredo, agora eu tenho que ir – se levantou.

Inuyasha – mas já?

Sesshoumaru – amanhã eu volto – selou um suave beijos nos lábios do irmão – se cuida.

Inuyasha – tchau Sesshoumaru.

#-#

No estacionamento da faculdade, Sesshoumaru esperada. O local não tinha uma grande movimentação de pessoas. Ele já havia resolvido tudo sobre a documentação. Logo iria embora, sua transferência já estava pronta.

Mas ele tinha a ultima coisa para resolver ali. E logo viu quem esperava se aproximar. Era Takeda, que caminhava ate seu carro. e distraído abriu a porta para entrar, nem percebeu que o outro também entrou no carro, no banco do passageiro.

Takeda – mas que porra é essa? – surpreso – sai do meu carro Sesshoumaru.

Sesshoumaru – cala a boca e dirigi – colocou na cintura do homem uma faca.

Takeda – eu não tenho medo de você – e violentamente teve a cabeça batida contra o volante – tudo bem, calma – então começou a conduzir o carro.

 Sesshoumaru obrigou a Takeda a dirigir ate o apartamento onde o homem morava, em um condomínio de alta classe. Takeda gostava de ostentar luxo e bancar a fama de “pegador”.  Era o típico “machão”, e Sesshoumaru sabia muito bem como se vingar, a melhor maneira seria ferir o ego do homem.

Takeda teve que levar o que lhe ameaçava ate o seu apartamento. Ele morava sozinho, e quando não estava acompanhado de seus amigos, não se garantia em enfrentar Sesshoumaru sozinho.

Takeda – o que você quer Sesshoumaru? – entravam no apartamento – o que vai fazer comigo? Vai me matar?

Sesshoumaru – te matar? – trancou a porta – não, não será tão fácil assim – desferiu um golpe contra o outro, que não conseguiu se defender.

Socos e chutes, Sesshoumaru espancava o outro. O batia, queria que ele sentisse o mesmo que Sesshoumaru e o irmão, Inuyasha, sentiram ao serem espancados. E quando se cansou, arrastou Takeda pelos cabelos ate o quarto e o jogou na cama. Depois o amarrou de bruços e retirou a roupa dele.

takeda – o que vai fazer? – estava com o rosto todo machucado e o corpo dolorido – vai me estuprar? – solto um riso sarcástico – você é mesmo uma bicha de merda.

Sesshoumaru – eu poderia fazer isso... – subiu em cima do homem – mas felizmente não achei meu pau no lixo para meter em alguém tão medíocre quanto você – se retirou de cima do homem e saiu do quarto, quando voltou, trouxe alguns objetos consigo – encontrei algumas coisas bem interessantes.

Takeda – você vai se arrepender Sesshoumaru.

Sesshoumaru – que tal um cabo de vassoura? – mostrando para o outro o que tinha em suas mãos.

Takeda – não Sesshoumaru, por favor... – já estava desesperado com o que ia acontecer – não faz isso – implorando.

Sesshoumaru – hum... tem razão. É grande, mas é muito fina. Tem que ser uma coisa mais grossa – ele era o tipo que não mexia com ninguém, mas sabia dar o troco muito bem – já sei, um pepino – era um pepino grande e bem grosso – vai ser perfeito.

Takeda – Sesshoumaru, por favor... – foi amordaçado, Sesshoumaru não queria que ele gritasse.

E Takeda estava completamente apavorado. E em seu rosto logo veio a expressão de dor, estava sendo violentado, estuprado. A dor era insuportável. Sentia que estava sendo rasgado, e ele gemia muito, chorava, e gruía com a boca amordaçada.

E ficou assim durante algumas horas, ate Sesshoumaru se cansar daquela brincadeira. Takeda não tinha mais forças, apenas gemia baixo. E suspirou aliviado quando finalmente percebeu que havia terminado.

Sesshoumaru – ah Takeda, eu já comi cu virgens que choraram menos que você – tirou a mordaça do outro – você é um fraco – riu.

Takeda – eu...eu juro que vou te matar...Sesshoumaru.

Sesshoumaru – você não está na condição de me ameaçar Takeda. Afinal, há muitas coisas aqui que eu ainda posso usar.

Takeda – não Sesshoumaru... eu lhe imploro. Eu nunca mais vou “mexer” com você ou com Jakotsu, eu com qualquer outra pessoa. Eu prometo.

Sesshoumaru – ótimo, ta ficando uma puta esperta. Já sabe, se eu souber que você anda aprontando, irei voltar e fazer muito pior.

Takeda – tudo bem Sesshoumaru, eu prometo que nunca mais irei fazer nada.

Foi divertido, e Sesshoumaru sabia que não era uma simples brincadeira, mas tinha certeza que Takeda ficaria calado. Nenhum homem como ele teria a coragem de revelar que foi violentado daquela forma.

E claro que já estava de saco cheio das constantes provocações que sofria. E o fato do seu irmão mais novo ter sido machucado, foi a gota d’água. Sempre teve aquele implicância de irmãos, mas ninguém machucava Inuyasha, alem dele.

Continua... 


Notas Finais


...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...