História Diferente de suas expectativas - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Inuyasha
Exibições 29
Palavras 1.300
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Famí­lia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


...

Capítulo 15 - Capitulo 15- O encontro de irmãos


Capitulo 15- O encontro de irmãos

Sesshoumaru – esse é... Naraku.

Taisho – seu chefe? – cumprimentou o homem.

Naraku – também, mas estou aqui como namorado de Sesshoumaru.

A madrasta ficou de boca aberta, o pai não sabia o que dizer, ficou em choque com aquela noticia surpreendente. E Sesshoumaru se pudesse queria matar Naraku, talvez aquele não fosse o melhor de jeito de contar uma coisa como essa.

Sesshoumaru – onde está Inuyasha? – mudou de assunto.

Taisho – Inu...Inu... – ainda extasiado com o que tinha ouvido – Inuyasha vou ver com  noiva o apartamento onde irão morar.

Izayoi – foi nosso presente de casamento.

Taisho – Sesshoumaru, vamos ate a cozinha pegar um suco talvez? – na verdade queria conversar a sós com o filho – Izayoi faz companhia para Naraku – saiu levando o filho para a cozinha.

Sesshoumaru – eu já sei o que você vau falar... – já começando a dizer para o pai quando se encontraram sozinhos – mas não é nada do que está pensando.

Taisho – eu não estou pensando nada, só fiquei um pouco surpreso.

Sesshoumaru – não é nada serio.

Taisho – não é esse o caso Sesshoumaru. Eu só quero saber por que não me disse antes? Não ficaria com essa cara de pasmo na frente desse sujeito.

Sesshoumaru – sabe que não gosto de falar da minha vida, e nem ouvir a opinião de ninguém sobre o que faço ou deixo de fazer.

Taisho – meu filho, eu nunca iria recrimina-lo, você estando feliz é o que importa, mas era bom me comunicar para não tomar um choque desses assim.

Sesshoumaru – eu não quero falar sobre isso pai.

Taisho – tudo bem meu filho. Fico feliz que você tenha vindo para o casamento de seu irmão.

Sesshoumaru – não tive escolha não é mesmo?

Taisho – não fale assim – abraçou o filho – eu estava com saudades.

Sesshoumaru – eu também meu pai.

Taisho – certo, pegue os copos que irei pegar o suco – o homem foi ate a geladeira e pegou uma jarra de suco de laranja.

Sesshoumaru – quando o senhor vai me dar um apartamento de presente? – pegava os copos no armário.

Taisho – quando você se casar.

Sesshoumaru – eu prefiro trabalhar e comprar com o meu dinheiro – sorriu pensando no assunto, tinha certeza que nunca se casaria.

Taisho – quando você amar alguém de verdade a primeira coisa que irá querer fazer é passar o resto da sua vida ao lado dessa pessoa – os dois voltaram para a sala – aqui está o suco.

Naraku – obrigado – pegou um dos copos.

Sesshoumaru – como anda as coisas por aqui? – sentou ao lado de Naraku no sofá.

Izayoi – tudo tranquilo. Inuyasha e Kagome namoram a muito tempo e resolveram casar agora que estão terminando a faculdade.

Taisho – Inuyasha sempre sua influencia é muito ajuizado, nunca nos deu trabalho.

Sesshoumaru – eu nunca lhe dei trabalho – claro, tudo que fazia era muito bem feito, sem problemas, mantendo suas aventuras em total discrição.

Taisho – mas já estava começando a levar o irmão para as baladas. Me lembro o quanto preocupado fiquei quando soube que vocês dois estavam no hospital feridos.

Naraku – Sesshoumaru gosta muito da noite, não perde uma boa festa, mas ainda assim é bem responsável. No outro dia está cedo no trabalho.

Taisho – nisso eu nunca tive reclamações de Sesshoumaru, eu sabia que quanto estivesse formado e trabalhando naquilo que gosta ele seria muito competente – alguém chegava na casa – é Inuyasha chegando.

Inuyasha – mãe, pai... o apartamento ta incrível... – ficou surpreso ao ver o irmão ali – Sesshoumaru?

Sesshoumaru – Inu... – ficou em pé de frente para o mais novo – já ta crescido meu maninho.

Inuyasha – o que está fazendo aqui?

Taisho – Sesshoumaru veio para o seu casamento Inuyasha.

Inuyasha – fico honrando pelo o trabalho que se deu em vim ate aqui – irônico – já que não teve a mesma consideração em se despedir.

Izayoi – Inuyasha, isso não é jeito de falar com o seu irmão.

Taisho – não aja como um menino mimado Inuyasha, ainda mais na frente de visitas. Esse é o Naraku, o... – não sabia como dizer – o... namo... companheiro... namorado de Sesshoumaru.

Inuyasha – Namorado?! – encarou o irmão com um sorriso irônico nos lábios – com licença, irei para o meu quarto – subiu as escadas para o seu quarto.

Izayoi – mas o que deu nesse menino?

Sesshoumaru – eu vou falar com ele – e resolver ir de uma vez por todas acertar as coisas com o irmão mais novo. O mais velho foi para o quarto que anos atrás divida com o caçula – Inu... – bateu na porta e entrou – precisamos conversar Inuyasha – fechou a porta atrás de si.

Inuyasha – eu não tenho nada para conversar com você – estava serio.

Sesshoumaru – eu sei que eu devia ter me despedido, que eu devia ter falado que iria embora. Mas eu não consegui.

Inuyasha – eu só queria um “ate logo”, “ tchau irmão”, alguma coisa assim. Mas não teve nada, você simplesmente virou as costas e foi embora. Não pensou se eu ficaria magoado, se eu sentiria a sua falta.

Sesshoumaru – sentiu minha falta?

Inuyasha – isso não importa mais, eu cresci e não precisei dos seus conselhos, das suas dicas, me virei sozinho.

Sesshoumaru – eu senti falta do meu irmão caçula... – se aproximou do irmão – de irrita-lo, implicar com ele e de leva-lo para o mau caminho – estavam tão próximos, que um beijo foi inevitável.

Os dois se beijaram, um beijo de tirar o fôlego. Quente e intenso. Caloroso em um sentimento incestuoso e secreto. Um desejo nunca revelado de irmãos, reprimindo em seus medos.

Inuyasha – não Sesshoumaru... – separou-se do mais velho – você não vai me deixar confuso, logo será o meu casamento. Eu amo a Kagome e você não atrapalhar a minha cabeça.

Sesshoumaru –Inu, eu vim para o seu casamento e vou embora logo depois disso. Eu só queria fazer as pazes com você.

Inuyasha – nosso pai quer que você seja um dos padrinhos.

Sesshoumaru – e você quer isso? Se não eu vou entender.

Inuyasha – na verdade eu tive muito vontade de te ligar todo esse tempo, mas a raiva nunca deixava. E acho que você está certo, já está na hora de esquecer as coisas do passado. Eu vou ficar feliz se você for meu padrinho.

Sesshoumaru – está decido, isso será o mais perto que chegarei de um casamento.

Inuyasha – você e esse tal de Naraku?

Sesshoumaru – não é nada serio – alguém batia na porta do quarto e entrava.

Taisho – vocês dois não estão se matando se não é mesmo?

Sesshoumaru – ainda não – riu.

Inuyasha – não posso matar um dos meus padrinhos.

Taisho – que alivio, finalmente meus filhos estão se entendo.

Sesshoumaru – agora eu tenho que ir.

Inuyasha – não vai ficar aqui?

Sesshoumaru – não, vou ficar no apartamento com Naraku.

Taisho – teremos muito tempo para matar as saudades. Sesshoumaru você está intimado para todos os eventos de família antes do casamento.

Sesshoumaru – eu não seria louco de desobedecê-lo.

#-#                   

E Sesshoumaru ficou mais aliviado, parecia que agora tudo ia ficar resolvido entre ele e o irmão. E quando voltou para o apartamento ficou pensando no beijo, nem ele mesmo entendeu o porquê daquele beijo ter acontecido. Mas sabia que não poderia se repetir.Em nenhum momento sua intenção era estragar o casamento de Inuyasha.

Naraku – eu vou sair, encontrar alguns amigos do tempo de faculdade – já era começo de noite – não quer ir comigo?

Sesshoumaru – não, ainda estou um pouco cansado da viagem.

Naraku – tudo bem então... – deu um beijo no outro e saiu.

Sesshoumaru ficou sozinho, vendo televisão e com um pouco de tédio. Talvez sair e encontrar velhos companheiros do passado fosse a solução para o seu tédio, mas seus planos foram mudados quando alguém toca a campanhinha do apartamento. Ele então foi ver quem era. E para sua surpresa era a garota do elevador de mais cedo.

Rin – por favor, me ajuda... – ela estava molhada, com espuma no cabelo e apenas enrolada em uma curta toalha de banho.

Continua... 


Notas Finais


...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...