História Diferente de suas expectativas - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Inuyasha
Exibições 54
Palavras 1.356
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Famí­lia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


...

Capítulo 17 - Capitulo 17- A recaída de Inuyasha


Capitulo 17- A recaída de Inuyasha

Sesshoumaru ficou encantado com Rin. Aquela garota parecia diferente de todas que já conheceu. Diferente de tudo que já experimentou. Ficou a admirando por um bom tempo.

E nem percebeu por quanto tempo ficou ali a olhando, ou quantas ligações de Naraku deixou de atender. Perdeu as contas de quantos pensamentos eróticos teve com aquela garota, só ficou ali, decorando cada detalhe de Rin.

 – Sesshoumaru! ? – ouviu alguém lhe chamar, e ficou surpreso com quem era.

Sesshoumaru – Miroku! ? – o amigo idiota do seu irmão caçula.

Miroku – Inuyasha me contou que você voltou – o cumprimentou.

Sesshoumaru – eu só vim para o casamento.

Miroku – o que faz aqui? Por um acaso quer ter aulas de danças?

Sesshoumaru – o que você faz aqui? – jogou a mesma pergunta para o outro.

Miroku – vim buscar minhas filhas. Elas fazem aulas de balé. Ali estão elas – apontou para duas meninas que tinham aulas com Rin – não são lindas?

Sesshoumaru – gêmeas?

Miroku – sou certeiro na tacada. Tenho mais um menino, meu caçula.

Sesshoumaru – é muita coragem – para quê tanto filho? Ele não queria saber de uma criança, quanto mais três.

Miroku – mas você não me disse o que estavam fazendo aqui.

Sesshoumaru – não é da sua conta – saiu deixando o outro para trás.

Miroku – ate mais...

#-#

E por um momento resolveu tirar aquela garota da sua cabeça, já que estava pensando muito nela. Nunca foi de ficar bolado com um fora, não seria agora. Então foi visitar um velho amigo de noitadas.

Jakotsu – ai meu Deus!!! – pulou no pescoço do outro – eu não sabia que estava de volta.

Sesshoumaru – estou só de passagem – foi ate o apartamento que conhecia muito bem, ali teve muitas aventuras sexuais.

Jakotsu – entra... – deu passagem para ele entrar – veio sozinho?

Sesshoumaru – Naraku está no apartamento dele.

Jakotsu – quando fiquei sabendo de vocês dois quase cair para trás. Você nunca assumiu um relacionamento.

Sesshoumaru – e nem pretendia fazer isso, mas aconteceu.

Jakotsu – pelo que vejo não está muito animado.

Sesshoumaru – você me conhece, sabe que não gosto de me prender a ninguém.

Jakotsu – então por que ainda continua com isso?

Sesshoumaru – eu já decidi que assim que voltamos para os Estados Unidos, irei terminar tudo com Naraku.

Jakotsu – boa sorte, pelo o que conhece dele não será fácil. Naraku não gosta de ser contrariado.

Sesshoumaru – e essa vida de casalzinho não é para mim. Mas esquecendo disso, me conta as novidades.

Jakotsu – tenho vários babados pra te contar – e ficaram ali conversando por horas.

#-#

Já era noite quando Sesshoumaru voltava para o apartamento, havia passado o dia inteiro fora e sem ao menos dizer para Naraku para aonde ia.

Naraku – onde você esteve? – foi questionado assim que colocou os pés para dentro do apartamento.

Sesshoumaru – primeiramente, boa noite – odiava cobranças – e apenas fui dar uma volta.

Naraku – não acha que eu mereço mais explicações?

Sesshoumaru – não, não acho. Agora me der licença que irei tomar um banho e dormir porque estou cansado.

Naraku – espere... – segurou o outro pela camisa – esteve com alguém? Estava transado com alguém?

Sesshoumaru – me solta Naraku, se eu estivesse transando com alguém isso é problema meu – recebeu um empurrão.

Naraku – sabe que eu não suporto traição.

Sesshoumaru – está ficando louco Naraku? – devolveu o empurrão, jogando o outro no chão – eu não tenho paciência para os seus ataques desnecessários de ciúmes.

Naraku – aonde você vai Sesshoumaru? – via o outro sair pela porta.

Sesshoumaru – irei para casa de meu pai ate você se acalmar – bateu a porta.

E Sesshoumaru que aquilo não renderia muito. Seu “ namoro” com Naraku estava com os dias contados. Só era o tempo daquele casamento passar, eles voltarem para os Estados Unidos e Sesshoumaru arrumaria as suas coisas para sair da casa de Naraku. Já não suportava aquela marcação cerrada.

E assim que saiu do apartamento, viu Rin chegando, eles se cruzaram no corredor. Se cumprimentaram com um “boa noite” e logo Sesshoumaru entrou no elevador. Antes de voltar para os EUA, ele ainda “pegaria” aquela garota, Sesshoumaru tinha certeza disso, seria seu objetivo nesta viagem.

#-#

Izayoi – olha quem apareceu para jantar conosco!

Taisho – Sesshoumaru, meu filho que bom que apareceu. Sente-se – a família estava em volta da mesa para o jantar.

Sesshoumaru – ansioso para o casamento Inuyasha? – sentou-se ao lado do irmão.

Inuyasha – um pouco.

Taisho – sabe que era você para se casar primeiro Sesshoumaru, é o mais velho.

Sesshoumaru – esse dia o senhor nunca vai ver.

Izayoi – Naraku não pensa em se casar? – terminava de colocar a mesa.

Sesshoumaru – ele seria a ultima pessoa com quem me casaria – falou baixo.

Taisho – vamos esquecer esse assunto e vamos jantar – mudou de assunto, ainda não era muito confortável para o homem ter um filho “gay”.

E a família reunida para o jantar colocou o papo em dia. Queria saber tudo de Sesshoumaru, como estava a vida dele nos EUA, o trabalho. E quando terminou o jantar, Sesshoumaru surpreendeu a Inuyasha.

Sesshoumaru – então, eu vou passar a noite aqui.

Taisho – algum problema com o... o... Naraku?

Sesshoumaru – não, só senti falta da minha casa, de dividir o quarto com o meu maninho como os velhos tempo – piscou para Inuyasah que torcia nervoso – isso se não houver nenhum problema para Inuyasha?

Taisho – claro que não há problemas não é Inuyasha? É tão bom ver meus filhos se dando bem.

Inuyasha – é meu pai, não há nenhum problema.

Mas havia sim um problema, um grande problema. A atração que existia entre os dois. Era difícil de negar isso. Inuyasha sentia uma forte atração pelo irmão mais velho. E era uma coisa complicada de se entender.

Fora a Sesshoumaru, Inuyasha nunca teve outra experiência homossexual. Ele gostava de mulher, amava a sua Kagome, mas quando Sesshoumaru estava envolvido, seus desejos sexuais afloravam.

E já no quarto, Inuyasha arrumava um colchão no chão para o seu irmão dormir, enquanto ele tomava um banho.

Sesshoumaru – você vai dormir no colchão não é? – saia do banheiro apenas enrolado em uma toalha.

Inuyasha – o quê?!

Sesshoumaru – eu sou o mais velho, eu fico com cama.

Inuyasha – nem vem Sesshoumaru, eu já arrumei aqui o colchão para você. Esse quarto é só meu agora.

Sesshoumaru – por isso mesmo, sou visita tenho que ser tratado muito bem – se deitou na cama.

Inuyasha – pode sair Sesshoumaru – tentou empurra o irmão para fora da cama.

Sesshoumaru – então vem dormir comigo?

Ele estava provocando o caçula, o fato é que Sesshoumaru era pervertido demais, tarado demais, e nunca dispensava uma oportunidade de sexo.

Inuyasha – eu vou me casar Sesshoumaru, isso não é certo.

Sesshoumaru – trata de uma despedida. A ultima loucura antes do casamento.

E sim, era errado, imoral. Mas Sesshoumaru estava certo, uma ultima loucura antes do casamento. Perder a cabeça antes do dia que mudaria sua vida, antes de assumir outras responsabilidades.

Inuyasha não resistiu a isso. A primeira coisa que fez foi trancar a porta do quarto, era lógico que ninguém poderia descobri o que estavam fazendo. Logo em seguida retirou sua roupa. Naquela noite, deixaria a atração falar mais alto.

E não demorou muito para que beijos ardentes fossem trocados, em um trocar de línguas tão selvagem. Puxões de cabelo e apertões pelo corpo de deixar a marca roxa. O desejo aflorando e os corpos se tocando.

Sesshoumaru logo abocanhou o membro do irmão, chupando com vontade, o colocando inteiro na boca. Inuyasha gemia baixo, se controlando para não gozar rapidamente, mas estava tão bom, uma sensação tão maravilhoso, que derramou todo o seu prazer na boca do mais velho.

E Sesshoumaru não perdeu tempo, ficou por cima de Inuyasha o penetrado, sem o auxílio de nenhum lubrificante. O mais novo gritou de dor, mas teve a boca tapada pelo mais velho, que esperou ate ele se acostumar para começar a se movimentar.

E depois de começar o vai e vem, dos corpos suados, gemendo juntos, e longos minutos transando, Sesshoumaru gozou e depois se retirou de dentro do irmão.

Inuyasha – agora é minha vez – o outro riu.

Sesshoumaru – está ficando abusado.

Inuyasha – não sou mais aquele moleque.

Sesshoumaru – está certo – mais beijos quentes para aquela noite que seria longa.

Continua... 


Notas Finais


...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...