História Diferente de suas expectativas - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Inuyasha
Exibições 34
Palavras 1.355
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Famí­lia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


...

Capítulo 19 - Capitulo 19- Eu te provoco, tu me rejeitas.


Capitulo 19- Eu te provoco, tu me rejeitas.

Sesshoumaru – que horas isso vai acabar? – sussurrou para a garota.

Rin – tudo tem que sair perfeito, será o dia mais felizes na vida deles.

Sesshoumaru – pura besteira – olhou para aquela igreja e imaginou algo – Será que eu vou para o inferno por imaginar está transando contigo no confessionário dessa igreja?

E Rin não se controlou, ficou extremante corada com o que o homem dizia. A raiva subiu a cabeça, e sem pensar duas vezes, deu um tapa em Sesshoumaru. Um estalo tão grande que todos olharam para os dois.

E na mesma hora a garota se encheu de vergonha, todos olhavam para os dois sem entender o que havia acontecido. Rin queria um buraco para se enterrar.

Já Sesshoumaru tinha a face vermelha, não por vergonha ou timidez, mas sim pelo tapa que havia recebido da garota.

Naraku – Sesshoumaru? – levantou-se para ver o que havia acontecido.

Kagome – o que foi Rin?

Rin – é... eu... é que... – ficou envergonhada de dizer o que Sesshoumaru havia lhe falado.

Sesshoumaru – a culpa foi minha... – e era verdade – é que isso tudo é muito tedioso para mim... – também era verdade – então pedi para a moça me acordar caso eu dormisse. E acho que acabei cochilando.

Izayoi – que jeito mais violento de ser acordado.

Sesshoumaru – eu gostei... Naraku sabe o quanto eu sou selvagem.

Taisho – por favor Sesshoumaru, sem detalhes – não queria nem imaginar tal cena.

Inuyasha – vamos voltar para o ensaio? – cortou o assunto.

E então o ensaio para o casamento continuou, e Sesshoumaru permaneceu calado, para evitar um novo incidente, já Rin nem olhava para o homem, ate o ensaio acabar. Logo depois todos foram para um belo restaurante, a ultima reunião antes do casamento.

Taisho – um brinde aos noivos!!! – feliz com a chegada da esperada data.

Kagome – eu não acredito que em poucos dias estaremos casados – Sesshoumaru revirou os olhos, era tanta “melação”, que achou que vomitaria.

Inuyasha – eu já não aguentava esperar meu amor – os noivos se beijaram.

Sra Higurashi – esperar o que? vocês não esperaram nada. Bem me lembro da Kagome fugindo pela janela durante a noite – o noivo engasgou como o comentário da futura sogra.

Vovô Higurashi – no meu tempo não tinha essas coisas.

Souta – que coisas vovô?

Kagome – é melhor esquecer esse assunto né? – sem graça – Sango, Rin, vamos ao banheiro enquanto os pratos não chegam.

Rin – vamos sim.

Sango – eu preciso retocar a maquiagem – as três se levantaram e foram para o banheiro juntas.

Miroku – por que mulheres vão ao banheiro em grupo?

Inuyasha – é um grande mistério da vida.

#-#

Sango – conta Kagome... – passava o batom se olhando no espelho – o irmão do Inu é mesmo gay?

Kagome – eu quase cair para trás quando Iza me contou. Mas Sesshoumaru é mesmo gay.

Rin – ele é gay? Não pode ser.

Sango – gostou dele Rin?

Rin – claro que não. Só não imaginei que ele fosse gay.

Kagome – bom, ninguém sabia ate ele aparecer com o namorado.

Rin – aquele Naraku é o namorado do Sesshoumaru?

Sango – que desperdício, dois homens lindos, mas não gostam de mulheres.

Rin – ah... bem que estranhei os dois morando sozinhos.

Kagome – você já os conheciam?

Rin – são meus vizinhos.

Sango – que coincidência.

Rin – pois é... – a garota ficou intrigada. Se Sesshoumaru era gay e ate tinha um namorado, então porque ele ficava lhe assediando? O que ele queria com ela?

As três então voltaram para a mesa, e Rin teve a “sorte” de se sentar ao lado de Sesshoumaru. E ela estava ainda mais encabulada com aquela situação, agora que descobriu que o homem era gay, e ainda assim ficava lhe assediando.

O jantar seguiu, todos conversavam animadamente, mas em determinado momento Rin sentiu a perna de Sesshoumaru encostar na sua, e de leve ele ficava rosando – Como aquele homem era abusado, o namorado bem ao lado e ele ficava esse tipo de coisa – e ela então recolheu a ainda mais a perna, para se afastar do homem.

Já Sesshoumaru deu um sorriso discreto, estava adorando aquele “joguinho”, provocar Rin era muito mais divertido do que uma simples transa. E ate que estava gostando da rejeição da garota, as coisas ficariam mais interessantes desse jeito.

E logo o jantar terminou, já estava tarde da noite. Todos começaram ir embora para as suas casas.

Rin – Sango, Miroku, vocês podem me dar uma carona?

Miroku – claro Rin.

Sesshoumaru – por que não vem com a gente? Vamos para o mesmo lugar.

Sango – é verdade Rin, você pode ir com Sesshoumaru e Naraku.

Rin – tudo bem... – suspirou, pelo menos não iria sozinha com Sesshoumaru.

Todos se despediram. Rin foi para o carro com os dois, e sentou no banco de trás. Naraku dirigia, e Sesshoumaru ao seu lado. Os dois conversavam, ou melhor, Naraku falava enquanto o outro apenas respondia com frases curtas.

E de vez em quando Naraku fazia alguns carinhos no namorado, mas Rin percebeu que Sesshoumaru não gostava. Ele sempre tirava a mão do outro, e ficava irritado quando mesmo assim Naraku insistia em lhe acariciar.

Não demorou muito e chegaram no prédio. Os três entraram juntos no elevador e Rin estava constrangida, Sesshoumaru não tirava os olhos de cima dela, sempre com aquele olhar penetrante. E ela não tinha como negar, aquelas olhos eram lindos.

Rin – boa noite e obrigada pela carona – saindo do elevador.

Naraku – boa noite – os dois também saíram.

Sesshoumaru – boa noite Rin... – piscou para ela.

#-#

Era um novo dia, Sessshoumaru aproveitava as férias para dormir ate mais tarde, mas Naraku havia acordado cedo, e estava se arrumando para sair.

Naraku – Sesshy? Sesshy... – tentava acordar o homem – Sesshoumaru!!!

Sesshoumaru – hum?! – resmungou na cama.

Naraku – eu vou sair.

Sesshoumaru – vai pela sombra – nem abriu os olhos.

Naraku – você nem se importa né? – mas o outro já havia voltado a dormi – ok... tchau – deu um tapa na bunda do outro e saiu.

Quando ouviu a porta se fechar, Sesshoumaru abriu os olhos, olhou a hora no relógio e teve uma ideia. Se levantou da cama e foi para o banho. E depois que se arrumou, saiu também.

#-#

E Rin estava em casa naquela manhã, era seu dia folga e aproveitou para se organizar um pouco. Era tão atrapalhada que se perdia na própria bagunça. Então começou a fazer uma faxina no seu apartamento.

Vestia um short curto e uma camiseta larga. Os cabelos presos e uma vasoura nas mãos, e logo começou a afastar os moveis, a varrer o chão. E no meio da faxina, a campanhinha tocou. E ela correu para abrir a porta.

Rin – mas o que? – ficou surpresa com o que viu – Sesshoumaru?! – ele estava na sua porta com um buque enorme de rosas.

Sesshoumaru – a vendedora disse que mulheres gostam de rosas vermelhas.

Rin – são para mim? – ela pegou o buque.

Sesshoumaru – mora mais alguém com você ? – um pouco irônico – pensei em ser um pouco mais tradicional, quem sabe funcione com você.

Rin – o que você quer comigo Sesshoumaru?

Sesshoumaru – primeiro eu quero entrar, por que ficar aqui do lado de fora não me agrada muito.

Rin – está uma bagunça.

Sesshoumaru – eu não me importo... – entrou no apartamento – dividia o quarto com Inuyasha, e ele não era dos mais organizados – sentou-se no sofá – fazendo faxina?

Rin – que bela percepção – usou a mesma ironia dele – me responda Sesshoumaru, o que você quer comigo?

Sesshoumaru – te foder todinha... ouvir você gemer meu nome... meter tão fundo em você que eu possa sentir seu útero na cabeça do meu pau – a garota engoliu a seco.

Rin – mas você não é gay? – ele revirou os olhos.

Sesshoumaru – para que usar esses rótulos? Uma pessoa não pode gostar de varias coisas ao mesmo tempo?

Rin – então fazer tudo isso longe de mim. Pegue suas flores e sai... – jogou o buque em cima do homem – eu não estou interessada.

Sesshoumaru – não está interessada em uma noite maravilhosa de prazer? – se levantou e se aproximou da garota.

Rin – você só pensa em sexo?

Sesshoumaru – ultimamente eu tenho pensando muito em você... – se aproximava cada vez mais dela – em fazer sexo com você – a agarrou pela cintura e a beijou.

Continua...


Notas Finais


...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...