História Diferente de suas expectativas - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Inuyasha
Exibições 29
Palavras 1.152
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Famí­lia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


...

Capítulo 23 - Capitulo 23- Sem consideração.


Capitulo 23- Sem consideração.

Para Rin, aquela musica parecia a mais longa do mundo, não acabava nunca. E Sesshoumaru ficava ali, com seu corpo próximo ao seu, tentando lhe seduzir. Rin tinha que ser forte, não poderia ceder, ela não queria ceder.

Mas tinha que confessar, aquele homem era muito bonito, incrivelmente irresistível. Rin já se pegava imaginando beijando aquela boca. Não, Rin, não queria se envolver com alguém como Sesshoumaru.

Rin – pronto, a musica acabou... – tentou se afastar, mas ele a segurou próximo ao seu corpo – me solta, eu disse que seria apenas uma dança.

Sesshoumaru – você é linda sabia?

Rin – não estou interessada nas suas cantadas baratas.

Sesshoumaru – Rin, eu posso te garantir que você não perderia nada passando uma noite comigo, pelo contrario, só ganharia. Ganharia um intenso prazer que homem nenhum lhe proporcionou.

Rin – você é estúpido. Só está interessado em si mesmo.

Sesshoumaru – não é verdade. Estou sendo sincero com você. Quero apenas uma noite de sexo maravilhoso com você e nada a mais. É só se permitir para novas sensações.

Rin – como você pode ser tão sem vergonha? Seu namorado está presente.

Sesshoumaru – não se preocupe com ele. O assunto é só nos dois, ou se voce quiser podemos fazer a três também.

Rin – você é impressionante Sesshoumaru, age como se fosse o ultimo homem no mundo, e que todas as mulheres se jogariam aos seus pés.

Sesshoumaru – quer apostar?

Rin – como assim?

Sesshoumaru – aponte para qualquer mulher nessa boate, eu te provo que não será muito difícil conseguir ficar com ela.

Rin – você só pode está de brincadeira? Eu não vou entrar nesse seu joguinho.

Sesshoumaru – vamos, vai ser divertido... – olhou em volta – aquela ali... – apontou para uma mulher, em um canto mais afastado.

Rin – você está louco? – essa mesma mulher beijava um homem – ela está acompanhada.

Sesshoumaru – assim fica mais interessante.

Rin – tomara que ele lhe der uma surra.

Sesshoumaru – olha, o homem se afastou – notou que a mulher havia ficado sozinha – eu vou ate lá – deixou Rin e começou a se aproximar da outra mulher.

E Rin ficou olhando aquilo perplexa, como Sesshoumaru poderia fazia aquilo? Paquerar uma mulher acompanhada e ele ainda por cima também estando com alguém na balada. E de longe ela ficou observando Sesshoumaru puxar conversa com a mulher, e não demorou muito para os dois já estarem se beijando.

O queixo de Rin caiu na mesma hora. Aquilo só poderia ser brincadeira? Não era possível que Sesshoumaru conseguisse ficar com alguém, que nem conhecia, assim tão rápido.

Naraku – Rin?! – ela se assustou – onde está Sesshoumaru?

Pronto! Ferrou! Rin não sabia o que dizer. Ficou calada, tentando pensar em algo, mas ela mentiria para ajudar Sesshoumaru? aquele homem, que era lindo, mais irritante.

Naraku – ele não estava aqui com você ainda agora?

Inuyasha -  iai gente, o que estão fazendo parados no meio da pista de dança?

Kagome – vamos voltar para o nosso lugar e brindar.

Naraku – estou procurando o Sesshoumaru.

Inuyasha – onde ele está?

Miroku – eu vi ele indo naquela direção – apontou o caminho.

O ambiente escuro, cheio de pessoas, dificultava a visão, mas der repente, o caminho foi se abrindo, as pessoas saindo da frente, e já era possível ver Sesshoumaru agarrado a uma mulher.

Kagome – meu pai amado...

Sango – mas ele não é... ?!

Miroku – ele só está fazendo respiração boca à boca.

Com certeza o ambiente havia ficado tenso. Naraku não falou nado, apenas começou a andar em direção a Sesshoumaru.

Kagome – é melhor você fazer alguma coisa, Inuyasha.

Inuyasha – eu! ?

Rin – aquele doido é seu irmão.

Inuyasha – tudo bem... – revirou os olhos – eu vou ate lá – e ele seguiu o mesmo caminho.

O grupo ficou se entreolhando. Iam embora? Ficavam ali esperando? Mas a curiosidade foi grande, todos resolveram e ver de perto o que acontecia.

Porem, antes mesmo de Naraku chegar em Sesshoumaru, uma confusão já havia se iniciado. O tal homem, que antes acompanhava a mulher que agora estava com Sesshoumaru, voltou.

 – mais o que está acontecendo aqui? – o homem jogou o copo de bebida, que estava em suas mãos, no chão.

 – amor?! – a mulher se espantou – eu posso explicar.

 – eu saiu por um segundo e você já está se agarrando com outro? – o casal começou a discutir.

Sesshoumaru – então, estava tudo muito bom, mas agora eu vou deixar vocês dois se resolverem – estava na hora de se mandar dali.

 – espera! – o homem disse – você “pega” minha mulher e saiu assim? – deu um soco em Sesshoumaru – agora nos dois vamos nos acertar na mão.

E antes que Sesshoumaru pudesse revidar, o homem foi acertado por outra pessoa. Era Naraku, que não estava com a melhor das caras. E Sesshoumaru sabia que agora ele teria que se resolver com outra pessoa.

Inuyasha – você está bem Sesshoumaru?

Sesshoumaru – eu não preciso de segurança, eu mesmo ia acabar com esse cara.

O homem estava caído no chão, com o nariz sangrando, enquanto sua mulher tentava lhe ajudar.

Inuyasha – é, mas parece que Naraku já resolveu a “parada’.

Os dois se encararam, Sesshoumaru não era do tipo que pedia perdão, nem sequer admitiria ter errado. Talvez ele não quisesse ser dessa forma, mas já não tinha mais jeito, aquela relação, havia atingido seu ponto final, e não podia ser mais adiado.

Sesshoumaru – Naraku... eu... – não terminou de falar, pois levou outro soco, agora de Naraku, que depois deu as costas e foi embora.

Miroku – caraca meu, me lembra de nunca falar mal desse Naraku.

Sango – não é hora para gracinhas, Miroku.

Rin – você não vai atrás dele?

Sesshoumaru – não! – limpava o sangue da boca.

Rin – você devia ter ao menos um pingo de consideração pelas pessoas.

Sesshoumaru – eu não preciso dos seus conselhos.

Inuyasha – eu acho melhor a gente ir embora, chega de festa por hoje.

Eles começaram a ir embora, e Sesshoumaru ficou sozinho. Talvez esse fosse o destino de Sesshoumaru se continuasse daquela maneira, ficar sozinho. Todos mudariam, formariam suas famílias, teriam outros objetivos para as suas vidas, enquanto Sesshoumaru continuaria sozinho.

#-#

 

Kohaku – Nossa, que confusão heim... – já do lado de fora da boate – eu não entendi foi nada.

Rin – Sesshoumaru é um pouco confuso.

Kohaku – quer que eu te acompanhe ate em casa?

Rin – não precisa Kohaku, eu prefiro ir sozinha. Vá com Sango.

Kohaku – podemos sair mais vezes?

Rin – pode ser... – porem não se mostrou tão animada.

Kohaku – boa noite! – ele se despediu com dois beijos no rosto da garota.

Rin – boa noite! – e todos foram embora, restando apenas ela. Que não demorou a ver Sesshoumaru sair da boate também – Sesshoumaru! – correu atrás dele.

Sesshoumaru – o que foi? Vai me dar mais lição de moral?

Rin – você poderia ter um pouco de respeito pelos sentimentos das pessoas, já que você não tem nenhum.

Sesshoumaru – então, quer passar a noite comigo hoje?

Rin – o que?

Sesshoumaru – agora não há nada que te impeça – a puxou pela cintura e a beijou?

Continua..


Notas Finais


...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...