História Diferente de suas expectativas - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Inuyasha
Exibições 50
Palavras 1.155
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Famí­lia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


...

Capítulo 24 - Capitulo 24- Uma noite ruim.


Capitulo 24- Uma noite ruim.

Sesshoumaru – então, quer passar a noite comigo hoje?

Rin – o que?

Sesshoumaru – agora não há nada que te impeça – a puxou pela cintura e a beijou?

Era impressionante a falta de vergonha na cara de Sesshoumaru. Rin não poderia acreditar na proposta dele. depois de tudo que havia acontecido naquela noite, ele ainda tinha cabeça para pensar em sexo.

Rin – por que você não vai atrás da mulher com quem estava se agarrando? – tentava se livrar dos braços do homem, mas ele lhe segurava forte.

Sesshoumaru – aquela mulher? Não estava interessado nela. Eu queria mesmo era você. Seus beijos são mais gostosos... – roubavas beijos de Rin – imagino ela fazendo outras coisas...

Rin – me solta Sesshoumaru... – finalmente conseguiu se livrar dele – eu já falei que não quero nada com você – o deixou e começou a andar sozinha.

Sesshoumaru – espera Rin, eu vou com você – a seguiu.

Rin – eu prefiro ir sozinha, Sesshoumaru. me deixa em paz, eu então chamo a policia.

Sesshoumaru – tudo bem... – ele parou – então vá sozinha – e a deixou caminha sozinha na rua.

Porem já era tarde, a rua estava pouco movimentada. Rin seguiu ate uma parada de ônibus, e lá ficou esperando seu ônibus passar. Mas nada, não passava nenhum ônibus. O lugar estava vazio. Rin já estava ficando preocupada e nem percebeu que dois homens se aproximavam.

Só os notou quando eles chegaram na parada. Ela os olhou, os dois pareciam suspeitos, e Rin ficou com medo. Os dois homens estavam parados, cochichando alguma coisa. A jovem estava ficando nervosa, e ficou mais ainda quando eles ficaram perto dela, um de cada lado.

 – iai moça, tudo bem? – um deles disse.

Rin – sim, eu estou bem... – ela tentou se afastar, mas eles não deixaram.

 – calma moça, fica mais um pouco com a gente.

Rin – por favor, me deixem ir – já estava começando a ficar desesperada.

 – você é bem bonitinha – eles começaram a passar a mão no cabelo da garota, ate apalpar o corpo dela.

Rin – não por favor, parem...

 – você vem com a agente... – um deles tinha uma faca.

Um tapou a boca de Rin com a mão, e eles a levaram ate um beco escuro. Rin chorava, já imagina o que poderia acontecer. Estava com medo. Der repente seu corpo foi jogado contra a parede.

 – vamos, tira a roupa.

Rin – não... por favor... – chorava.

 – se não tirar, vamos rasgar... – sua blusa foi arrancada de seu corpo, logo em seguida o seu sutiã também foi tirado.

Rin – NÃO... – um já caiu de boca nos seios da garota.

Ela estava apavorada. Iria ser estuprada, e temia a morte. Chorava muito. E já não tinha esperança de se livrar dessa, apenas fechou os olhos e rezou para tudo aquilo terminasse o mais rápido possível.

Mas para a sua surpresa, outro homem apareceu para lhe salvar. abriu os olhos e viu Sesshoumaru, lutando com os dois estupradores.

Rin – AHHHH!!! SOCORRO... –  começou a gritar, para ver se mais alguém lhe ajudava.

Sesshoumaru conseguiu desarmar um dos homens, e lutou contra eles. Vários socos e chutes. Um deles deixou o amigo para trás e fugiu. O homem que ficou, vendo que ficou sozinho, também desistiu e saiu correndo.

Sesshoumaru – você está bem? – seu nariz sangrava. 

Rin – o que está fazendo aqui? – cobria os seis com os braços.

Sesshoumaru – fiquei preocupado com você, fui te seguindo de longe – tirou sua própria camisa e entregou para que ela se cobrisse – vista, eu vou te levar para casa.

Rin – não... – pegou a camisa e vestiu – eu não quero você perto de mim – ainda estava muito assustada – você é um pervertido tarado igual a eles.

Sesshoumaru – está me comparando com estuprador? Eu acabei de te salvar.

Rin – eu não confio em voce.

Sesshoumaru – fala seio Rin, se eu quisesse te estuprar já tinha feito isso. O que eu quero é uma noite maravilhoso de intenso prazer para os dois, eu jamais a forçaria a ficar comigo, não preciso disso – ela ficou calada – quer saber? Se quer ficar sozinha, eu vou embora, deu as costa para ela e começou a andar.

Rin – Sesshoumaru! espere – ela correu ate ele – me desculpa, eu... eu to assustada. Não me deixa aqui sozinha.

Sesshoumaru – quer ir ate a policia?

Rin – não, eu só quero ir para casa, tomar um longo banho e esquecer que isso aconteceu.

Sesshoumaru – você tem lindos seios... – sorriu safado.

Rin – por favor, não faça comentários a respeito disso.

Sesshoumaru – foi só um elogio.

Rin – vamos logo embora.

Os dois caminharam juntos de volta para o prédio onde moravam. A noite estava fria, e Sesshoumaru sem camisa, já tinha os lábios roxos pelo frio.

Rin – está com frio?

Sesshoumaru – não... – mentiu, esfregando as mãos para se aquecer.

Rin – obrigada pela camisa.

Sesshoumaru – eu adoro andar sem camisa em uma noite fria como essa – ela riu.

Rin – sinto muito, mas eu não vou devolver a camisa.

Sesshoumaru – você poderia me esquentar.

Rin – você não desiste não é mesmo?

Sesshoumaru – você é bonita demais para eu desistir fácil.

Os dois finalmente chegaram ao prédio. Entraram juntos no elevador.

Rin – você está todo arrepiado – riu, os pelos de Sesshoumaru estavam arrepiados pelo frio.

Sesshoumaru – tudo que quero é uma cama quentinha, que poderia ser a sua – a porta do elevador se abriu.

Rin – Sesshoumaru... – ela saiu – resolva o seu caso com Naraku, e eu penso com mais carinho na sua proposta – ele também saiu – amanhã eu devolvo sua camisa – foi para a porta do seu apartamento.

Sesshoumaru – pode ficar com ela, assim você não se esquece de mim.

Rin – boa noite Sesshoumaru, e obrigada por ter me salvado.

Sesshoumaru – de nada – ela entrou no apartamento.

O homem suspirou, naquela noite havia sentindo tantos sentimentos estranhos, principalmente em relação a Rin. Ciúmes, preocupação, medo de algo de ruim acontecesse a ela. Sesshoumaru já não se sentia o mesmo, e não sabia o pôquer.

Ele passou aos mãos nos bolsos da calça jeans, e se lembrou, estava sem as chaves do apartamento. Bufou de raiva, agora teria que tocar a campanhinha. Tocou... e tocou... e nada, ou Naraku não estava em casa, ou ele não queria abrir a porta para Sesshoumaru.

Sesshoumaru – maravilha... – tocava a campanhinha – ele está agindo feito criança emburrada. Somos adultos, poderíamos resolver isso como adultos – bufou.

A estava tarde demais para ir para outro lugar e também cansado. Bom, isso ate que não poderia ser todo ruim. Tinha Rin ali perto, então foi pedir abrigo lá. Bateu na porta, por varias vezes... ate que ela abriu a porta.

Rin – o que voce quer Sesshoumaru? – irritada – eu estava indo tomar banho.

Sesshoumaru – eu preciso de um lugar para passar a noite.

Rin – olha Sesshoumaru, eu agradeço por ter me salvado, mas eu já te disse, primeiro voce tem que resolver seu problema com Naraku – tentou fechar a porta, mas ele não deixou.

Sesshoumaru – por favor Rin, você vai me deixar dormir na rua? – com cara de cachorro sem dono.

Continua...


Notas Finais


...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...