História Diferente de suas expectativas - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Inuyasha
Exibições 96
Palavras 1.133
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Famí­lia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


... cap novo...
... desculpem os erros e boa leitura...

Capítulo 29 - Capitulo 29- Nada é como antes.


Capitulo 29- Nada é como antes.

Era surpreendente, mas nada em sua volta tinha interesse. Homens, mulheres, tudo estava igual, nada chamava atenção aos seus olhos. Sesshoumaru só pensava em Rin.

Sentado na poltrona do avião, a caminho dos Estados Unidos, Sesshoumaru ainda estava com as palavras engasgadas em sua garganta. Como ele queria ter falado tudo que estava sentindo, mas aquele não era ele, nunca foi, mas Rin foi a única que despertou aquele seu lado.

Mas agora não tinha mais volta. Sesshoumaru acreditava que ela já era de outro, alguém que combinasse mais com ela. talvez Sesshoumaru não a merece, talvez ele nunca seria um homem confiável a quem se pudesse dedicar uma vida.

Talvez tudo aquilo fosse verdade. Mas por que ele estava se sentindo tão vazio naquele momento? Por que nada mais era como antes?

Aeromoças lindas, passando de um lado para o outro, lhe dando “certo” mole, mas Sesshoumaru não estava interessado. Dispensou uma transa no banheiro do avião com um ruiva exuberante, porque em seus pensamentos só tinha uma morena baixinha.

#-#

Com os pés já nos Estados Unidos, Sesshoumaru não tinha outra opção a não ser ir para o apartamento de Naraku, afinal, ainda tinha suas coisas para pegar.

Abriu a porta com a sua chave, e já de cara viu Naraku, sentado no sofá, com uma visita.

Sesshoumaru – boa noite! Eu só vim arrumar as minhas coisas.

Naraku – suas coisas já estão arrumadas no quarto de hospedes, ver se eu não me esqueci de nada – estava frio – ah, você se lembra do Kouga?

Kouga – tudo bem Sesshoumaru? como foi a viagem?

Sesshoumaru – um pouco cansativa, mas não vou atrapalhar vocês dois, vou pegar as minhas coisas – foi em direção ao quarto de hospedes.

Kouga – é impressão minha, ou ele está um pouco abatido?

Naraku – por mim tanto faz, nada que vem do Sesshoumaru me interessa.

#-#

Nem mesmo ele sabia o que estava fazendo ali, sua vontade era de correr para os braços de Rin. Mas aquele seu maldito orgulho e sua falta de credibilidade no amor lhe impediam de fazer. E tudo que ele queria era que Rin fosse feliz.

Ele adorava aquele jeitinho marrento que ela tinha e ao mesmo tempo um olhar doce. Adorava seu cheiro, sua boca, a maciez de sua pele, adorava tudo em Rin, mas ele tinha a plena convicção de que Rin não era para ele.

Ela não sabia como se comprometer com alguém, não tinha a menor noção de como ser um homem leal. E definitivamente, ele não queria fazer com Rin o que fez com Naraku.

Naraku – está tudo bem? – entrou no quarto para conversar com o ex.

Sesshoumaru – sim – terminava de arrumar suas coisas – está tudo aqui.

Naraku – você vai para onde?

Sesshoumaru – para a pensão onde morava quando cheguei no Estados Unidos.

Naraku – você sabe que tudo poderia ser diferente? Nós dois como uma família.

Sesshoumaru – não começa Naraku, eu nunca quis uma família.

Naraku – você vai acabar morrendo sozinho.

Sesshoumaru – não se preocupe comigo, eu vou ficar bem. Amanhã eu vou está cedo de volta ao trabalho.

Naraku – ah, era sobre isso que eu queria falar com você.

Sesshoumaru – não me diga que você me despediu?

Naraku – não... claro que não – sorriu debochado – não teria graça. Você apenas vai mudar de função.

Sesshoumaru – mudar de função?

Naraku – sim... ao invés de ficar só cuidando dos animas, agora você vai receber o publico.

Sesshoumaru – você só pode está brincando...  eu? Atendo o publico? Prefiro ser demitido.

Naraku – se quiser pode pedir demissão, você que escolhe. E só mais uma coisa, saia o mais rápido possível, quero ter privacidade com Kouga – saiu do quarto deixando ele sozinho.

Sesshoumaru – ótimo... tudo perfeito... – irônico.

1 mês depois...

Realmente, sua vida não havia voltado ao normal. Sesshoumaru chegava na pensão onde morava depois de um dia cheio no trabalho.

Era temporada de férias, havia muitos visitantes no parque aquático, crianças irritantes que faziam perguntas estúpidas, e pais desnaturados que não cuidavam de seus filhos direito.

Se jogou na cama com um pacote que havia recebido. Era de Inuyasha, e Sesshoumaru não estava muito animado para abrir e ver o que era, então largou em qualquer canto e foi tomar um banho. Minutos depois tropeçou no bendito pacote.

Sesshoumaru – INFERNOS... – esbravejou... – que merda será essa? – resolveu por fim abrir o pacote que seu irmão havia lhe mandado, e tamanha foi sua surpresa quando viu o que era – o álbum de casamento... – era um grande álbum com as fotos do dia do casamento de Inuyasha e Kagome, e Sesshoumaru então se interessou nas fotos.

Passava as fotos ate que viu uma em que ele estava na igreja com Rin. Como ele se arrependeu de ver aquela foto, como ele se arrependeu de lembrar dela, não que um dia ele a tivesse esquecido, mas tentava ao Maximo não pensar em Rin.

Porque era difícil... muito difícil, Sesshoumaru não se sentia o mesmo, já não era o mesmo. Mas o que diabos Rin havia mudado nele? Sesshoumaru já não saia para as festas, já fazia um tempo que não saia com ninguém. Alias, Rin foi sua ultimo encontro amoroso. E ele ainda pensava nela, ainda se lembrava do cheiro dela, do sabor, dos lábios, do sexo...

As outras fotos não tinha importância, só aquela em que ele estava com a Rin. Tirou a foto do álbum e ficou olhando, admirando como ela estava linda naquele dia, linda como sempre.

Mas ele a perdeu, ou melhor, nunca a teve. Nunca foi de ninguém, nunca teve ninguém. Era difícil admitir isso, mas estava sozinho, se sentindo sozinho, como nunca se sentiu na vida. E talvez a única pessoa que ele queria ao seu lado fosse Rin, mas ele estava tão distante, tão distante dele.

Sesshoumaru pegou o celular e resolveu ligar para o seu irmão, queria pelo menos ouvir a voz de alguem que ele gostasse.

Inuyasha – alo?

Sesshoumaru – Inu?

Inuyasha – fala Sesshoumaru. e ai, tudo bem?

Sesshoumaru – sim, e com vocês? E o papai?

Inuyasha – ah, vive reclamando de que você não liga para ele.

Sesshoumaru – ando um pouco ocupado ultimamente.

Inuyasha – então, muito sexo por ai?

Sesshoumaru – hum... ta tudo numa boa.

Inuyasha – não senti empolgação. O que está havendo?

Sesshoumaru – nada... eu, eu queria... como está a Rin?

Inuyasha – hum, entendi. Bem, não sei muito dela. A Kagome que sua confidente. Mas está bem.

Sesshoumaru – ela e o Kohaku ainda estão juntos?

Inuyasha – eu acho que eles estão saindo, ou alguma coisa assim.

Sesshoumaru – eu tenho que desligar Inu, tchau – encerrou a ligação sem dá a chance para o irmão se despedir.

Talvez a grande chave do amor não fosse somente está com a pessoa que ama, mas sim deseja que ela fosse feliz, mesmo que não seja com você.

Continua... 


Notas Finais


eu sei que esperavam por mais, porem ainda estou um pouco desanimada por ter tido que postar tudo de novo, mas prometo melhorar de agora em diante...
nos proximo será como a Rin se sente nesse tempo longe de Sesshoumaru.
bjs.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...