História Different - Jeon JungKook - Capítulo 90


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens BamBam, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bangtan Sonyeondan, Bts, Jeon Jungkook, Jimin, Jin, Jungkook, Kim Taehyung, Kook, Park Jimin, Seokjin, Suga
Visualizações 337
Palavras 2.613
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Ficção, Romance e Novela, Universo Alternativo, Visual Novel
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olar

Capítulo 90 - Reencounter


Fanfic / Fanfiction Different - Jeon JungKook - Capítulo 90 - Reencounter

Lágrimas.


Sorrisos.


Olhares.


Sentimentos.


Compaixão.


Assim estavam todos ao meu redor. Apreensivos para o meu grande reencontro com o meu pequeno Leozinho que outrora foi tomado de mim.


Aqueles pesinhos que pularam do carro se moveram, e quando meu amigo deu mais uma passo para lhe dar passagem… vi sei rostinho lindo e sorridente por me ver.


E chorei sorrindo mais um vez.


O tenho novamente.


Kee – Papaaaai… - sorriu e correu de braços abertos em minha direção, alí, ajoelhado ao chão.


Usava um casaco do Jungkook que batia nos seus pés de tão grande e ele segurava pra não cair, tão fofinho meu bebê


Tae – Amor de minha vida…


O melhor abraço do mundo acontecera ali quando ele se jogou confiante em mim a procura de aconchego


O tinha novamente em meus braços.


O envolvi forte, aquele corpinho frágil que mantinha sei coraçãozinho acelerando estava junto a mim, lhe olhei beijando sua face inúmeras vezes, sem parar e limpava meu rosto das lágrimas, ele sorria ao me ver sorrir, acabou, isso acabou.


Tae – Nunca mais vou deixar que nada aconteça com você filhinho… você está bem?! Diz que sim?


Kee – Eu tava com medo papai – fez uma carinha triste – mas titio coelho me disse que foi me buscar porque o papai tava acabando com os monstros pra plotege o Kee e a mamãe – sorri e olhei Jungkook que nos olhava sorrindo.


Tae – Papai acabou com todos tá?! – Beijei sua bochecha - não existe mais nenhum


Kee – Você beteu neles papai?! – olhou minha camisa com gotas de sangue do pai de Jungkook e isso gelou meu peito.


Tae – Bati… mas deixa pra lá tá?? O importante é que você voltou pro papai e agora voltará pra quem? Huh?


Kee – Mamãe?? – sorriu


Tae – Exatamente ela meu amor – agarrei ele de novo – Eu te amo Kee 


Kee – Eu te amo papai – beijou minha bochecha e me Coloquei de pé com ele ao colo.


Tae – obrigado mano, sério, muito obrigado


Kook – Fiz o que deveria ser feito, salvar o membro mais precioso de nossa grande família linda


Kee – Papai… eu andei no carro da pulicia – rimos – Né tio coelhinho?


Kook – Kee precisamos ter uma conversa sobre essa obsessão sobre carros – ri


Kee – Obi obi.. que isso? Tioooo eu não sou isso  - fez um biquinho


Kook - É sim... Obcecado - se divertia com a cara de confusão do meu bebê


Tae – Outra hora conversamos, outra hora… - rimos - vocês precisam de cuidados


Fomos até a Combe e a ambulância chegou para cuidar dos dois, Jungkook só tinha arranhões e sentia frio, Kee estava bem. Kee que ama aventura não tirava os olhos das sirenes rodando mesmo com sono, mas depois de um tempinho meu bebê adormeceu em meu colo, podia o por na maçã pra dormir? Podia, mas não quero me separar dele por tão cedo


O delegado me pediu pra falar logo com Jungkook sobre seu Appa e já que Kee dormia em meu colo resolvi falar Quando entramos na ambulância para irmos ao hospital.


Kook – desnecessário ir de ambulância – rio com uma máscara de oxigênio que lhe obrigaram a usar assim como Kee usava. – ave, isso aqui também não né?? Eu tou bem


Tae – Usa porra - ele estava puto


Kook – Eu só preciso de um banho e roupas limpas, não desss tanto de frescura – ri baixo e olhei Kee embrulhado em meu colo em um sono pesado


Tae – amigo… temos algo sério para conversar, preciso que seja forte – nesse instante Jungkook travou me olhando e prevendo algo ruim – mas antes preciso do seu perdão





Kook Povs




Me pedi perdão nessa confusão pode significar uma única coisa, uma coisa que eu poderia acreditar que aconteceu facilmente, mas não vou me precipitar, apenas ouvir, meu estado de negação já estava ativado prevendo o pior.


Kook – O que foi agora Tae? – disse sofrego


Tae – vou ser direto: Seu pai… ele veio pra essa direção quando fugia, tentou passar por cima dos policiais, recebeu um tiro e caiu no chão… assim que começou rastejar a procura da fuga eu surgi nervoso e dei uma surra de chutes nele – Me olhava tenso – perdão, mas bati muito em seu Appa quase perdeu todo o ar por isso...


Kook – É isso? Não me importo, ele mereceu, onde ele tá?! - sorri aliviado, eu meio que quero e ao mesmo tempo não quero sua morte


Tae – esse é o ponto amigo… em um momento eu me descontrolei e quase o matei sufocado, os policiais tentaram me imobilizar com um tiro que pegou em um metal… eu tomei um susto e caí… seu pai tomou um susto e rolou ponte a baixo… - um frio tomou conta de mim - Sinto muito Jungkook, mas seu pai faleceu


Socorro


Me ajudem


Não consegui pensar, o olhei sem piscar, preso nas suas última palavras


Meu Appa faleceu???


Ele morreu?


Um filme de coisas boas e ruins que vivi com ele passou em minha mente, um mix de sorrisos e lágrimas do passado. Um canalha? É, um dos piores! Mas é meu Appa…


Chorei


Era impossível controlar


Doia


E muito, como um tiro no meu peito.


Não sei se chorava de tristeza por o perder de vez, ou de ódio por eu estar triste, não posso ficar triste, ele quase me matou duas vezes, e o Kee, e tentou estuprar minha amada, e tantas outras atrocidades.


Maldito, eu te tive como Appa ao nascer, te perdi quando se afastava de mim, te ganhava quando fingia ser um Appa presente, te perdi quando cometeu tamanhos crimes, te perdi de novo quando sequestrou no Kee e agora te perdi de verdade?! Mas o de verdade dói muito


Tae – Amigo me perdoa – falava preocupado e eu chorava de dor alto – me perdoa, por favor eu estava fora de mim... Era meu Kee


Kook – não peça perdão… me deixa chorar, só isso… - disse a soluços - preciso


Tae – queria te abraçar, mas o Kee está em meu colo… - chorei mais pois eu queria um abraço dele ou de alguém que amo, mas principalmente dele


Kook – vai passar amigo, relaxe, mas eu… eu odeio aquele velho idiota… - batia socos em minha coxa com força 


O percurso naquela ambulância foi tenso, depois que parei de chorar ficamos em silêncio olhando Kee, nenhuma palavra era dita, as vezes nos olhavamos, mas só isso Tae estava triste por mim era nítido, é isso piorava mais ainda minha dor, ele não tem culpa.


Tae não tem culpa do que fez, eu no seu lugar capaz de ter o matado de verdade, com filho não se brinca e ele, o Kee é tão fofo, um anjinho que merecia uma vingança sim, meu Appa merecia ser destroçado, não se faz nada a um ser tão angélical.


Kee – tia Momooo não belisca o tio açúcar – disse dormindo sonâmbulo e enfim nós dois rimos, enfim, até dormindo ele nos faz bem


Kook – Porque tão precioso?


Tae – queria saber também… - beijo sua testinha


A ambulância parou, acredito que chagamos. Eram cerca de 3 dá manhã já, eu estava morto mas precisava ve-la.


Subimos o elevador até o andar do hospital. Quando chegamos na sala alguns de nossos amigos estavam lá e se levantaram surpresos e sorrindo


Momo – sigam reto, quarto 65, RETOOOO – Disse impedindo que fiacassemos ali, era pras duas nos verem primeiro e rimos – Ainnn meu Kee, vai logo que quero morrer ele quando Ray solta-lo.... Aaaaaaaahhhhh


Bambam – Coelho tu é foda, meu herói


Hobi – Tae parabéns, Melhor Appa do mundo


Só ouvíamos frases felizes e de incentivo enquanto andávamos um ao lado do outro empolgados e batemos na porta quando Jimin abriu pois não podiam todos que estavam lá fora entrar, vi S/N na cama dormindo e Ray na poltrona também.


Jimin – MEU DEUS DO CÉU VOCÊS VOLTARAM, Kees????? – isso foi o bastante pra ambas dispersarem  assustadas


Ray – o que tá acontecendo… - Olheu a nós dois e viu Kee a dormir no colo do Appa dele é sorriu – Meu bebê tá bem!!! – comeceu chorar se pondo de pé e Tae o colocou em seus braços com cuidado sorrindo e  ela beijou seu rostinho todo chorando de alegria. O coitadinho tava tão cansado que nem acordava.


Tae – tá sim amor… ele tá bem, tá ótimo - lhe olhou e lhe deu um beijo - te amo esposa, nada nos separa mais, nós três juntos pra sempre


Ray – Obrigada amor, nada mesmo, pra sempre juntos, obrigada por tudo… obrigada Jungkook, vocês dois são meus heróis… - assenti


Sorri e olhei entre os dois e minha princesa sorria tão linda e abriu os braços me chamando pra eles e fui, obviamente eu fui.


S/N – Bom trabalho meu amor - me encaixei em seu abraço, o abraço que realmente precisa e… chorei


Chorei muito, muito mais


Nunca havia chorado tanto como nesse intervalo de tempo.


Kook – meu Appa… ele… morreu… ele tentou matar o eu e o Kee a pouco… e morreu – chorava como um bebê sentindo ela me fazer carinho e beijar minha cabeça


S/N – sinto muito amor, sinto muito. – ouvi que Kee acordou, Ray lhe beijava e fazia carinho enquanto eu ignorava a alegria deles chorando nos braços de minha amada, mas ele com seu jeitinho insuperavel quis concertar tudo, sempre, ele é meu herói, sempre foi


Kee – Tio não chora – falou fraquinho com voz de solo, o olhei no colo de sua Omma que sorria satisfeita por ter seu bebê novamente ele sorriu pra mim, só isso foi necessário, saí do colo de S/N e fui até ele lhe beijar de novo com o rosto banhado de lágrimas


Kook – eu te amo, muito tá?! Te amo pequeno – sorri


Kee - Te amo titio - o que seria de mim sem ele?


S/N – Ray, deixa eu dar um beijinho nele?!


Ray e eu voltamos a nos aproximar de S/N que pegou Kee no colo e o apertou forte


S/N – Eu fiquei tão preocupada quando te vi naquele carro amor


Kee – Eu tou bem titia e o papai é folte, não vai deixar mais nada acontecer. - rimos


S/N – Foltão, vem cá… - Deu Kee a Ray que o abraçava como um urso de pelúcia e Tae foi a minha mulher que lhe deu um beijo na bochecha - me orgulho de você tanto, mais tantoooo… - ele beijou sua testa


Tae – Se orgulho mais dele tá?! Um herói de verdade – sorriram pra mim que enfim pude ter meu abraço quando ele me puxou pra ele - te amo irmão


Kook - Eu te amo mais, vocês não estarão apenas os três juntos tá?! - tem uma turminha lá fora que vai ficar com vocês pra sempre também, assim como nós - voltei a chorar e lhe abracei - Eu tou muito chorão ave 


Tae - Chora mesmo coelhinho, você passou por muita coisa


S/N - Jiminie? Vocês tá chorando? Não choraaaaa, eu morro com vocês chorando - rimos de desdém por minha princesa puxar sempre o saco dele


Jimin - difícil não chorar assistindo de camarote o reencontro mais lindo do mundo - ele ficou o tempo todo em silêncio na poltrona pra não atrapalhar mesmo sabendo que não atrapalharia pelo amor que sentimos a ele e enfim se levantou e nos abraçou.



S/N Povs


Dito e feito, meu biscoito tá acababado internamente, seu Appa mordeu, cabe a mim lhe apoiar no todo.


Eles saíram do quarto para que todos os vissem, do quarto eu ouvia os gritos de Momo, Keila e Nay enquanto Harumi e Seun pediam silêncio por ser um hospital.


Me vesti, só estava em repouso, estou bem já, o nutricionista me passou uma dieta que evitaria enjôos, percebi que os doces serão meu ponto fraco nesses meses, pois só em pensar quero vomitar.


Depois de um tempinho Jungkook foi tomar um banho onde eu fiz questão de ir mesmo no hospital e naquele banheiro pequeno, ele faz assim quando estou triste, iria dar espaço pra ele chorar mas perguntei se queria e ele aceitou.


Lhe ajudei a se despir, liguei o chuveiro e ele entrou no box apertadinho que era quase a conta de seu corpo forte. Desligou a água e iria começar a se ensaboar, mas tomei sua esponja quando o seu olhar ficou mais triste e mesmo molhado ele me abraçou e o acolhi chorando.


O olhei depois de minutos assim pois havia parado de chorar e lhe Beijei, um beijo triste, queria através do beijo tirar um pouco dá sua dor, uma transferência.


Kook - obrigado... Eu te amo - coloquei o dedo em sua boca indicando que ele deveria ficar quietinho, nada de agradecer é minha obrigação como sua companheira e beijei novamente seus lábios.


Após humideci a esponja e comecei lhe ensaboar devagar com ele me olhando sério, parecia me apreciar, sempre voltava e lhe dava um beijinho sorrindo.


Mal sabe ele a surpresa que lhe aguarda, vou fazer ele o homem mais feliz do mundo, perdeu o Appa, mas será um Appa, e o melhor do mundo, eu sei, esse bebê que está se formando aqui vai ter um lar alegre.




****



Após um tempinho saímos do banheiro rindo por eu ter me molhado toda. E jin estava sentado sorrindo na cama a meu aguardo.


Jin - já que teve alta vamos? - ele sorri pois pedi pra ele me ajudar na minha supresinha.


Kook - Seun?


S/N - não amor... Eu me atrevi, pedi ao Jin pra colocar nossa cama lá no apartamento novo e vazio. Eu quero privacidade, quero te fazer carinho, vamos começar essa nova fase sem problemas dá melhor forma, na nossa casa nova e vazia.


Kook - Melhor ideia do mundo, serio, dormir naquela cama e receber seu carinho é a melhor coisa. Se precisarmos de comida...


S/N - Vamos na padaria


Kook - não, vamos assaltar a geladeira do nosso vizinho de cima.


Jin - Olha aqui, eu estarei ocupado com Aka a noite, cuidado quando forem - rimos


S/N - vamos meu herói?  - lhe beijei


Tae e Ray foram pra cara dos pais do Tae, não queriam ir pro apartamento novo e cancelaram claro a lua de mel, aliás o prédio do Jin virou clube, pois eles também morariam alí, Nay e Jimin que não, ela depois de casar morará com ele no seu apartamento. E meus amigos já que sai dá cada dá Seun iam dormir lá Harumi e Bambam e Keila?? Na casa dos sogros ( se lascou)


Chegamos no prédio jin piscou pra mim quando o elevador nos deixou no nosso andar e ele subiu com Aka pró próximo.


Kook - Vai estar tão vazio, nem decoramos e nem compramos nada - rio


S/N - O principal tá aí certo?? acho que só temos que mudar de lugar, mas o importante é que está aí


Kook - o importante tá do meu lado, isso sim - me beijou depois de abrir a porta 


S/N - Lindo... Vem! Vamos procurar onde o Jin colocou  - entramos no lugar todo branco e vazio com eco, e o puxava até a porta do quarto que estava tudo lá -  aqui, entramos, jin pegou o que mais importava mesmo 


Jungkook entrou e olhava confuso pro quarto que só possuíam dois móveis importantes deles que pegou na mansão ele queria sorrir mas acho que estava com medo de se precipitar e me olhou


Kook - amor? O que isso significa?? - sorri - esse berço é o meu?? Que minha Omma sempre guardou no porão? É né?! - encostou nele e eu ria - eu conheço bem ele


S/N - É sim... - disse simples - pedi pra ele trazer as coisas mais importantes, o que vamos usar aqui muito, até demais, os dois... - uma poça de lágrima formava nos olhos dele que sorria me olhando e eu não parava de sorrir mas uma lágrima verteu de minha face.


Kook - Amor? Eu vou??... Você tá?!... - devagar desci minha mão a minha barriga sorrindo e a alisando


S/N - Amor de minha vida... Aceita ser Appa desse bebê que está se formando aqui dentro em silêncio?



Notas Finais


YAAAAAAAH


Gente... Hoje é aniversário do amor de minha vida Park Jimin: EU FIZ UM ONE SHOT PRA ELE, espero que leiam e que gostem claro...


https://spiritfanfics.com/historia/the-hostel--park-jimin-one-shot-hot-10614255


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...