História Diga que eu, sou seu! - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Brigas, Escola, Jovens, Romance
Exibições 150
Palavras 1.469
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Eu sei! Estou postando muito rápido.
Mas é a ansiedade, sou Ariano vcs me entendem... Kkkkkk
Leiam, e sintam - se em casa! 😚💚

Capítulo 4 - Fique a vontade!


Fanfic / Fanfiction Diga que eu, sou seu! - Capítulo 4 - Fique a vontade!

 Já era quase meia - noite, e eu não conseguia dormir. A imagem de Harry sentado ao meu lado me perturbava muito, eu sei que era em vão... 

Mas ele havia sido tão carinhoso comigo, eu sinceramente não esperava tal comportamento. Mais alguns minutos depois e eu consegui pegar no sono, e sonhava com um estaleiro vazio onde eu dançava uma música da Lady Gaga " G.U.Y " que eu tanto amava. E como dizem sonhos são sem logica mesmo. 

 Acordei na hora certa no outro dia, fiz o café, me arrumei e parti para a escola, minha rotina de sempre... 

 Ao chegar na sala, ninguém se importou comigo, sinal de que não havia comentários maldosos correndo por ai. Olhei para trás e Harry não estava la, mais foi o prazo de virar para frente e ele chegou dentro de sala, com o olho inchado de sono, estava bem óbvio.

 " O que sera que aconteceu? " - Me preocupei como sempre.

 Ele se sentou calmamente, e desde então não pronunciou um 'A' dentro de sala, nem mesmo para mexer com as meninas, chamando - as de gostosas, ou " cabelo ruim ", como sempre fazia. 

 Tive a boa notícia hoje, de que fiquei de recuperação de três matérias apenas; Matemática (óbvio), História, e Educação física. Eu detestava jogar futebol, que era o único esporte praticado nas aulas. Um jogo tão violento e sem lógica, realmente não espera menos. 

 A minha sorte é que a professora de E. Física era a Pãh, e ela sempre me passava de ano por causa da dança mesmo. 

 Pâmela era uma mulher jovem, estudou em uma escola clássica de dança antes de fazer faculdade de Educação física, e ela apesar de meio rígida com a postura nas horas de ensaio, era super divertida, na verdade não tinha ninguém na aula de dança que não era feliz, ate mesmo Matheus o anti - social ( eu me espelhava nele ), sabia ser bem extrovertido, isso sem falar nas meninas que eu amava. Apesar de não manter contato com eles fora das aulas. 

 O sinal tocou e eu sai sem entregar a atividade de Química, fui direto para a mesa que Brenda, Júlia e eu sempre sentava - mos. 

_ E ai, como foi o estudo ontem? - Brenda já logo perguntou. 

 _ Foi... bom.

 _ Mais só bom? Não rolou nada mais? 

 _ Ai Brenda! Você também... O Menino é um galinha, pega as meninas da escola inteira, sem chance! 

 _ Sem chance de que? - Disse Júlia rindo com deboche. 

 _ Nada... - Fui simpático.

 _ Brenda me contou o jeito que vocês se olharam la... 

 _ Amigas eu juro! Fiquei morrendo de medo de ele me machucar como os outros meninos, mais ate que ele foi um doce... 

 Elas começaram irritantemente fazer coraçãozinhos com as mãos e dizer " Awnn ". 

_ Tudo bem sr. Docinho, pode continuar. - Disse Julia rindo.

 _ Gente, nós lemos a tarde inteira o capítulo, umas 20 vezes, ele somente fazia piadas com os nomes das pessoas, e rimos bastante... hoje ele iria voltar la...

 _ Iria? Não vai mais? 

 _ Sim Brenda, porque eu marquei com ele, mais minha mãe vai consultar, e o burro aqui esqueceu desse detalhe, vou ter que desmarcar... 

 Elas me olharam como se eu estivesse matando alguem... talvez eu mesmo... 

 _ Vinícius, não é possível que você seja tão burro assim!?

 _ Porquê Julia? 

 _ É a chance de você tentar algo com o "docinho", aproveita!!! - Senti um tom meio sarcástico na voz dela, não entendi o porque. 

Eu nem quis responder a aquela idiotice... o sinal tocou. Me despedi delas e apenas disse que " ia pensar no assunto ". 

 Ao entrar na sala, abaixei a cabeça e me perdi nos pensamentos... ate que a aula instantaneamente acabou, - Porque isso não acontecia sempre!? -. Peguei minha mochila me virei para trás, e quando ia caminhar ate Harry, ele se levantou e veio em minha direção. 

 _ Cara, eu não sei se vai dar pra estudar hoje. - Disse ele com uma voz apática.

 _ Tudo bem. Minha mãe não vai estar em casa hoje, dai fica meio complicado também...

 Jurei ter visto um brilho no olhar dele.

 _ Sério isso? Que chato...

 Eu fiquei uns 3 segundos parado no tempo admirando a boca rosada dele, a pele clara e obviamente macia... mas me retomei. 

_ Bom, vou pra minha aula de dança agora, ate amanhã...

 Eu me virei e sai andando, estava mordendo meus lábios todos de raiva, " Porque ele não diz que quer ir comigo!? ".

 _ Ei, Vinícius... posso ir com você?

 Eu parei bem na porta, e comecei a dar uma gargalhada bem alta, era muita coincidência. Apenas chamei ele com a mão, que abriu um sorriso e veio atrás de mim.

 " Meu deus! O Harry Smidtch está andando atrás de mim ..." 

 Depois que me troquei no vestiário, entrei morrendo de vergonha no salão, ele estava sentado em um canto perto do espelho da sala, olhava todo mundo, como se fossemos habitantes de um planeta desconhecido. 

 Pãh chegou e já foi pedindo o alongamento, enquanto ela colocava o CD. 

 _ Trouxe um amigo Vini?

 _ Sim Pãh, ele vai fazer trabalho comigo... 

 _ Tudo bem, " bora " começar. Em suas posições! 

 Ela soltou a música, eu me agarrei à Júlia, ela me olhou com um olhar estranho. 

 _ O que está fazendo, Vini? - Sussurrou. 

_ Não sei, sentindo a música talvez... 

 Ela riu, sabia que eu estava na verdade querendo bancar o " machão " na dança para o visitante. Pãh me observava toda hora, e ria para mim. 

 _ Nossa Vinícius! O que houve? está tão solto, finalmente pegou todos os passos, esta com atitude. - Observou ela ao passarmos a coreografia pela 3° vez.

 _ Ele está com uma inspiração nova hoje professora. - Brincou Julia olhando para Harry. 

 Todos na sala riram disfarçados, Harry se mantinha tranquilo com aquele olhar de surpresa. Passamos hoje todos os passes da coreografia já completa, por umas 15 vezes, eu estava morto... 

 _ Tudo bem pessoal, por hoje é só, estou ouvindo o suor de vocês gritando por descanso. 

 Ouviu se vários "aleluia!". 

 ... 

 Depois de vestir meu uniforme novamente chamei Harry para irmos embora, Júlia nem quis chegar perto de mim, não entendi o motivo, essas crises existências dela já estavam me irritando. 

 Conversamos tanto no caminho, ele parou em uma sorveteria e comprou um sorvete para mim, e um para ele. Riu quando eu sem perceber deixei sujar meu nariz de chocolate, fiquei todo vermelho. Ele começou a me chamar de " sorvetinho ", e eu não me importei com o apelido, era carinhoso eu adorava ouvir ele conversando... 

" Não espera! Acorda pra vida Vinícius, para de pensar besteiras, é só pelo trabalho de recuperação... " 

 Foi a caminhada mais longa ate minha casa que eu já fiz, não pelo tráfego ate la, mais porque perdi a noção de tempo enquanto conversava com ele. 

 _ Posso entrar? Ele me perguntou com o olhar mais fofo que eu já vi ate hoje.

 _ Fique a vontade! A casa é sua... 

Entramos e eu pedi um tempo para ele, que estava sentado no sofá. 

 _ Vou tomar um banho rápido, porque suei todo com o treino. 

 Ele assentiu com a cabeça e eu fui tomar meu banho. Entrei para o banheiro me tremendo de medo, não sabia o que dizer para ele, " se bem que ele fala o tempo todo " - Pensei. 

 Ao sair do banheiro entrei direito para meu quarto, e me assustei quando vi Harry sentado em minha cama. 

 _ Ai meu deus! Desculpa não sabia que estava aqui... - Ele riu.

 _ Vou me vestir no quarto da minha mãe.

 _ Ei! Vinícius, relaxa. Estamos sozinhos aqui, pode ficar de boa.

 Eu estranhei a gentileza, mais entrei no quarto de novo e me sentei meio perto dele na cama. 

 _ Você é muito estranho sabia!? - Disse ele à mim.

 _ Mais porque? - Perguntei apenas para continuar o assunto.

 _ Sei la... tem umas manias bem loucas. Tipo, você as vezes para me olhando, parece que vai me atacar...

 _ Ei! Você que me olha assim, sabia!?

 _ Olha só!  -  Nos dois entramos em uma crise de risos. 

 _ Cara porque você faz aula de dança? 

 _ Bom. É algo maravilhoso, eu não gostava, mais quando comecei a fazer fui aprendendo a lidar com minha timidez, e ...

 _ Não está funcionando bem... - Me interrompeu ele.

 _ Como assim? 

 _ Sua timidez... ainda é grande. 

 Eu tentei relacionar os assuntos mais realmente não havia lógica. 

 _ Eu estou boiando. 

 _ Vinícius, chegue mais perto de mim. Meu coração pulou pela boca.   


Notas Finais


Perder o próximo cap? Jamais se você gosta de um lemon de leve heheh

Ps: vocês que estão lendo e curtindo a história. Comentem os capítulos, favoritem se poderem. Me dê motivos para continuar postando... Obg


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...