História Diga que eu, sou seu! - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Brigas, Escola, Jovens, Romance
Exibições 58
Palavras 1.428
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 5 - Nós somos iguais


Fanfic / Fanfiction Diga que eu, sou seu! - Capítulo 5 - Nós somos iguais

  Ele me olhava fixamente como sempre, e eu não sabia reagir a aquilo.

_ Como disse?

_ Venha, sente aqui. - Ele passou a mão delicadamente pela cama, era sexy demais para mim, não me levantei, estava com medo.

_ Perdão, Harry. Não estou entendendo você...

Abaixei a cabeça, ele se levantou e sentou ao meu lado calmamente, pôs o dedo em meu queixo e levantou minha cabeça novamente.

_ Você dança muito bem sabia...

Eu sorri para ele, e fiquei roxo de vergonha.

Estava cara a cara com aquele garoto lindo, eu podia ver cada movimento daquela boca maravilhosa na minha frente, e ele mordia os lábios de vez enquando.

Senti um movimento estranho debaixo da minha toalha, alguem estava acordando ali. Rapidamente coloquei a mão por cima para tampar.

_ Ei, Vinícius... Sera que você ainda não se tocou?

_ Quê? Tocar? Não!

_ Nós, estamos sozinhos aqui, nós somos iguais... fica a vontade.

_ Olha Harry, me desculpa, sei la... você está perto demais...

_ Eu estou onde eu queria estar, você não tem culpa de estar assim... - Ele passou a mão encima da minha mão que estava sobre meu membro ereto, se eu não estivesse com a garganta travada agora, iria soltar um grito tão alto que minha mãe escutaria de onde estivesse. _ Isso é algo natural Vini...

_ E-É?

_ Eu também fiquei assim...

Eu olhei dentro de seus olhos, e ele se levantou, ficando em pé na minha frente. Olhei aquele corpo de cima à baixo.

Ele tirou seu celular e colocou uma música tocar, era um eletrônico bem sugestivo à uma transa selvagem.

_ Garoto o que está fazendo?

Ele me olhou e disse sorrindo.

_ Vamos, pode me tocar.

Eu engoli seco, " O que foi que ele disse? Isso esta mesmo acontecendo? ".

_ Como é que é!?

_ Você nunca fez isso?

_ Olha... Se você esta fazendo alguma brincadeira de mal gosto, eu não tenho medo! - Mentira estava me " cagando ".

Harry continuava parado, rindo. - Era perigoso, mais perder a chance de passar a mão em seu corpo? -.

Fui impulsivo, levantei minha mão e toquei no braço dele. Foi quando ele levantou a blusa.

"Meu deus! Eu poderia estar em qualquer lugar do mundo agora, mais não... estava ali, no meu quarto, com o menino mais chato da minha sala, e ele simplesmente pede pra que eu o toque, e levanta a blusa."

Ele tinha um corpo todo branquinho, e sua barriga era bem malhadinha, tinha uma cintura linda e seu peitoral...

_ Vamos pode pegar, isso não acontece todos os dias...

_ Mais não acontece MESMO! - Respondi rindo atoa.

Levei minha mão de leve, sentindo a macies de sua pele, ele estava rindo, e eu me mijando de vergonha.

Sentia cada gominho do seu tanquinho, não resisti em perguntar...

_ Você malha?

_ Só em casa mesmo, nunca fui a academia.

_ Pra ser sincero, nem precisa muito... - Fui atrevido.

Ele se sentou ao meu lado de novo, a essas alturas já nem estava me importando com meu membro se mexendo na toalha.

_ Você já ficou mesmo com outros caras?

_ Harry, a cidade inteira sabe que eu sou gay...

_ Eu sei mais você nem quis me tocar direito...

_ Como assim? Eu to com vergonha...

_ Você me conta? Quer dizer, como é?

Eu não resisti e dei outra risada.

_ Desculpa, mais sim. Já fiquei com um menino apenas, foi os melhores meses da minha vida, mais ele se mudou da cidade...

_ Vocês eram tipo namorados?

_ Não, não. Ele era mais velho, e morava com umas primas, dai eu ia para a casa dele, apenas ficar com ele, eu era novo demais para ama - lo, e ele tinha uma vida bem complicada...

_ Entendo. Mais era bom? - Eu o olhei firmamente, como se questionando ele do porque dessa curiosidade.

_ Bom, pra mim que sou gay... É ótimo! Algo que me deixou livre, feliz, e todas as vezes em que ele me tocava, eu esquecia do mundo. O sexo gay não é algo tão estranho quanto a sociedade prega, é intenso, como se nós gays, buscasse - mos o prazer infinito.

_ Mais você tipo... " dava" pra ele?

_ Vish! Você quer saber demais cara, porque está me perguntando isso?

Ele pegou em minha mão, e foi levando com ele, eu segui minha mão com os olhos...

_ Harry, não faz isso! - Gritei quando ele já estava quase encostando minha mão em cima de onde seu pênis estava.

_ Eu só quero te mostrar uma coisa...

Ele tornou a morder os lábios, e eu me lembrei das aulas da professora. Fechei os olhos, esperando ele reagir, senti a promiscuidade fluindo em meu sangue.

_ Você está tenso demais, eu disse para relaxar.

Quando abri os olhos ele estava parado em minha frente, novamente em pé, mais agora com a calça abaixada, e aquela cueca box branca na minha cara praticamente.

Não tirei os olhos daquele volume dentro da cueca, pulsava sem parar, e tinha um cheiro bom.

_ O que você quer, cara!? - Olhei pra ele, que mordia os lábios tanto quanto eu.

_ Vamos, pode chupar.

Ele arrancou de uma vez aquele membro duro e todo babado de líquido pré - gozo.

Fiquei um pouco pasmado com a coisa, mas nessas horas a gente não pensa muito.

Peguei aquele pênis, todo branquinho e bem depilado, e comecei a chupar. Chupei ele todo, colocava e tirava de minha boca, e era doce, ainda sentia o gosto do chocolate em minha boca.

Ele soltou uma gemida alta, e segurou em minha cabeça. Afundou seu pal todo em minha garganta e segurou, eu tinha pelo menos uns 17 cm de membro atolado em minha boca, fiquei louco só de imaginar.

_ Você chupa muito gostoso sabia!? - Disse ele tirando o membro de dentro da minha garganta, e pegando com sua mão para se alto - masturbar.

_ Você é louco cara!

Ele deu uma lambida nos lábios, e junto com o toque frenético daquela música se abaixou e me puxou em um beijo de língua.

Na minha mente só se passava uma única coisa " NADA ", não tinha mais o que fazer, eu sabia que aquilo era de verdade e não um sonho, ele estava me beijando de língua, e eu massageando seu membro.

Ele me soltou e novamente se sentou ao meu lado com um sorriso de canto a canto.

_ Qual a graça? - Perguntei a ele.

_ Cara, que loucura! Eu acabei de beijar um homem...

_ Ué, eu não te entendo, porque ta fazendo isso?

_ Não sei, me deu vontade. Sei la, sempre quis fazer isso, mais nunca deu certo, tinha que ser com alguém como você.

_ Como assim? Você fica com meninos?

_ Ham... Isso acontece direto. Mas você Vinícius é bonito, engraçado, e principalmente, discreto. Eu sei que não vai espalhar para ninguém isso...

Eu senti um tom de ameaça.

_ Claro que não. Pode confiar em mim.

Ele pôs a mão em minha perna.

_ Já está se sentindo menos travado?

_ Bom, agora estou neh! - Ri abobado, estava me perguntando seriamente se já tinha acordado mesmo.

_ Deixa eu ver...

Ele pôs a mão em meu membro agora, e foi puxando a toalha bem devagar.

_ Nossa! É enorme! - Disse ele surpreso com o que encontrou.

_ Nem é... só 19 cm.

_ Só? ainda diz só? - Ele ficou encarando por um tempo, olhava membro e meu corpo, como se estivesse analisando. _ Posso te pedir uma coisa?

_ Claro Harry. O que quiser...

_ Me deixa sentir como é...

Eu fiquei vermelho com o pedido, mas depois de um minuto, fiquei em pé bem devagar, deixando a timidez e me pus em frente a ele.

Ele pegou bem devagar meu membro, parece que estava com medo, então eu passei a mão no rosto dele tentando acalma - lo. E parece que funcionou.

Levou com calma sua boca ate minha barriga, e depositou um beijo nela, logo depois beijou a ponta de meu membro. Não demorou e já estava engolindo meu pênis.

Eu gemia, era muito gostoso aquela boquinha, toda macia e delicada.

Quando ele parou, foi minha vez de descer e dar um beijo bem quente na boca dele, que me recebeu muito bem...

   A essa altura eu já não estava raciocinando nada, somente sentia aquele garoto desejável se entregando aos meus beijos.


Notas Finais


Sim. O Harry é um pervertido! Mas discreto. Kkkkkk Fiquem de olho nas situações constrangedoras que esses mocinhos vão se meter!
Ate logo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...