História Diga que eu, sou seu! - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Brigas, Escola, Jovens, Romance
Exibições 72
Palavras 2.543
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 6 - Um dia de aprendizagem


Fanfic / Fanfiction Diga que eu, sou seu! - Capítulo 6 - Um dia de aprendizagem

Harry se mostrou muito diferente do que eu imaginava, mais eu estava adorando ter aquele momento com ele. Seus beijos eram tão perfeitos quanto eu imaginava.

Eu me deitei em cima dele na cama, nú, e ele só de cueca. Eu tinha 1, 75 de altura, e ele era uns 4 centímetros menor que eu ainda.

Ambos nos masturbava - mos, nos beijando profundamente, ele estava visivelmente adorando.

Até que ele terminou, e eu me aliviei em cima da barriga dele, gozei muito e o sujei todo.

Deitei ao seu lado cansado, e ele pôs um braço em cima de mim. Era tão... fofo.

_ Cara, eu estou cheio de "porra", - Disse ele depois de um tempo em silêncio - preciso me limpar.

_ Claro! Vou te dar uma toalha, ai você toma banho...

Me levantei e fui ao quarto da minha mãe pegar uma toalha, quando olhei no relógio já dava 18:00 hrs tarde, daqui a pouco minha mãe chegaria e eu não queria nem sonhar no que ela iria pensar se visse o Harry saindo do banheiro...

Entreguei a toalha para ele, que já estava entrando para o banheiro de cueca. Vesti uma bermudinha qualquer e me joguei no sofá, orando para que minha mãe demorasse mais a chegar.

Harry foi rápido no banho, já saiu seco e vestido do banheiro, eu ate me assustei.

_ Nossa, a agua é bem quente aqui... - Disse ele se sentando no mesmo sofá que eu.

_ Pois é! É assim que minha mãe gosta, ela é igual gato. - Ambos rimos, e ficamos em silêncio olhando um para o outro.

_ Nossa que situação chata...

_ Pois é! Ate agora não entendi o que aconteceu.

_ Nós, meio que... fizemos sexo.

Ele falou numa tranquilidade, que eu não aguentei segurar o riso.

_ Cara, você é muito louco sabia!?

_ Que horas que sua mãe chega?

_ Bom, normalmente ela chega umas 19:00, 19:30 ...

_ Hmm... Então ainda tenho 35 min...

_ Para quê?

Ele veio escorregando ate perto de mim, e passou a mão por meu ombro, começou a me beijar novamente. E agora definitivamente tive certeza de que ele não era nada hetero como parecia.

Seu beijo era tao bom, e havia esfriado um pouco, então sentir aquele corpo quente colado no meu era uma delícia. Me lembrei da diferença de ter o corpo da Júlia colado ao meu, com o dele...

_ Harry, a gente ta se agarrando a tarde toda, e não fizemos nada do trabalho.

_ E você ta mesmo se importando com isso?

_ Estou neh! Pretendo passar de ano...

_ Ah, sim. Desculpa, achei que você estava curtindo... - Ele me olhou com uma carinha de cachorro que caiu da mudança, e eu não resisti...

Agarrei ele pela nuca e comecei a beija - lo com vontade.

_ Vinícius!?

_ MÃE!!!

Eu quase cai do sofá, e Harry saiu correndo e se apertou na parede assustado.

_ Vinícius, o que esta acontecendo aqui!?

_ Olha mãe, eu posso explicar tudo...

_ Não tem que explicar nada! Vocês não iam fazer um trabalho?

_ Mãe calma. - Eu sentia o nervosismo dela solido no ar. _ Aconteceu muito rápido, eu...

_ Cala a boca! - Ela gritou, e eu me calei na hora. _ Harry, acho que está na hora de você ir para casa, está ficando tarde...

Ele apenas assentiu com a cabeça, pegou sua mochila e saiu pela porta, com o rabo entre as pernas.

_ Francamente viu! Trás seu amigo pra fazer trabalho de escola, e fica se pegando na maior tranquilidade?

_ Mãe, foi sem querer... Eu não sabia que... - Estava aflito e de cueca, mas pelo menos com o susto, minha ereção havia desaparecido como mágica.

_ Fica calado! Esse garoto é de menor, eu já tenho tantos problemas...

Não entendi muito bem essa última frase, estava concentrado, em tentar dar um pulo da sala para o meu quarto, precisava vestir uma roupa.

" Você já imaginou o que acontece, se os pais desse menino descobre isso? "

_ Mãe!? A senhora não está com raiva... pela cena?

_ Tanto faz garoto! Isso eu já vejo todo dia nas novelas, porque precisa fazer aqui na sala? Acho que se eu demorasse um pouco mais ia ver vocês ...

_ Mãe!

_ Olha! Não quero discutir hoje, tive um dia maravilhoso... quem são os pais desse garoto?

_ O tio dele é dono de uma rede de lojas no centro, ele não mora com os pais, eles estão nos Estados Unidos eu acho...

Minha mãe riu, mais logo tornou a fechar a cara.

_ Vinícius, se eles descobrem isso, mandam tomar ate nossas roupas, esse povo não vale nada.

_ Não é assim... Mais também não foi culpa minha, eu chamei ele para fazer o trabalho, e quando chegamos ele já veio passando a mão em mim e...

_ Não, não e não! Não me interessa os detalhes ,você já tem 17 anos, quase 18, cadê sua força de vontade? Se aconteceu algo, foi porque você também quis...

_ Desculpa mãe.

Eu abaixei a cabeça, e ela suspirou alto.

_ Lembra meu filho, do que eu te disse ontem? - Eu olhei para ela, e ela deu continuidade. _ Você é meu maior amigo, você me ajuda tanto, já sacrificou um ano de sua vida, por causa dos meus problemas depressivos... E hoje eu estou bem Vinícius, eu acordo alegre todos os dias, eu me sinto de bem com a vida, e tudo graças à você meu filho.

" Eu amo estar com você. Você me apoiou quando eu estava mal, e agora que eu melhorei, chegou a hora de eu te apoiar um pouco também. "

Eu não consegui aguentar e chorei muito nos ombros dela, era muito gratificante ouvir aquelas palavras.

Me ergui de novo, e ela riu da minha cara molhada.

_ Da próxima vez, vai pro seu quarto, e se for de menor me avisa primeiro. Não quero polícia batendo na minha porta, ouviu!?

_ Sim mãe. Obrigado. - Me senti um devasso.

...

Eu me deitei com minha mãe depois da janta, conversamos sobre tanta coisa, que acabei adormecendo ao lado dela de novo.

Acordei no meio da noite com um barulho estranho vindo do meu quarto, então me levantei e fui ate la ver...

Quando entrei, vi apenas uma luz vindo de baixo do meu travesseiro e vibrava, encontrei um celular, diferente, e tocava um despertador.

" Harry esqueceu seu celular... bacana! ".

Coloquei na minha mochila e voltei a dormir.

Sonhando com toda a guerra mundial me destruindo por dentro, era só a pressão que eu havia passado no dia fazendo efeito.

...

Cheguei um pouco atrasado na escola hoje, nas duas primeiras aulas teve palestra sobre riscos no trânsito, e a diretora já anunciou que na semana que vem teria nossa apresentação de dança, eu fiquei nervoso quando ela citou meu nome entre os dançarinos, todo mundo já olhava com aquela carinha de " Viadinho".

Eu fui andando pelos corredores, conversando com minhas amigas ate a sala, mais na verdade buscava o tempo todo com o olhar uma pessoa em especial.

Somente quando entrei na sala vi ele, estava sentado conversando com uns meninos, assim que ele me viu se calou.

Trocava - mos olhares desconfiados, eu não sabia se ele tinha relatado o que houve ontem para alguem, e nem ele confiava em mim. Eu nunca diria a alguem sem a permissão dele.

Nas duas últimas aulas eu tive de fazer correndo as atividades de Inglês, e Português, matérias em que eu sempre tirava as notas mais altas da sala...

Quando ouvi o sinal, sai para a aula de dança sem olhar para trás, queria evitar qualquer contato suspeito. Já era sofrido para mim conviver com aquelas ofensas, não queria que o pobre garoto sofresse atoa, por culpa minha...

Entrei pro vestiário e Matheus estava la sentado já vestido, mexendo no celular.

_ Matheus, você saiu mais cedo? - Ele me olhou meio bobo.

_ Não, é que eu já passei nas matérias, ai pedi pra ser liberado mais cedo na aula de Educação física mesmo...

_ Ah sim! A Pãh que é sua professora?

_ Não. Eu tenho aula com o Carlos, bem que podia ser ela mesmo... - Ele riu.

_ Matheus... posso te fazer uma pergunta?

_ Claro. - Disse ele bloqueando o celular e olhando para mim.

_ É difícil para você? - Pensei que ele nem fosse me entender.

_ E pra quem não é? Se fosse para ser fácil demais, talvez nem teria graça...

Eu me encostei na parede do box perto dele, e dei um suspiro profundo.

" Tudo o que eles querem é nos colocar pra baixo, fazer com que nos sinta - mos desnecessários, mais é uma grande mentira. Talvez nosso objetivo aqui, seja mesmo mostrar para eles, que a diferença é que faz a mudança... "

_ Você é inteligente, pra sua idade...

_ Não Vini, eu só tenho opinião formada, não adianta lutar contra minha natureza... é como me sinto bem... é como eu escolhi lutar para viver, sem medo do que eu sou, e sem medo do que eles podem fazer comigo...

" Se isso é errado, eu vou morrer lutando por algo que eu acredito, e isso já é motivo para eu ser lembrado... Agora se for certo, eles terão que prestar contas ... "

_ Claro, as vezes eu acho que devo parar de me preocupar com os outros, e tomar cuidado com o que eu estou me tornando...

_ Você é uma pessoa boa amigo, mais se não se cuidar, vai se afundar num buraco negro, onde seus sonhos não veram luz para crescerem, como as plantas...

Bati minha mão na minha cabeça, eu estava confuso quanto ao que eu iria me tornar, passei tempo demais me preocupando com minha mãe, meus amigos, e hoje eu me senti vazio.

Segundos depois a porta se abriu, e a última pessoa que eu imaginava aparecer por aqui chegou, estava de cabeça baixa, e as mãos dento dos bolsos da calça de uniforme.

_ Eu vou ensaiar... não se preocupa, eu dou conta da Pãh e da Julia pra você... - Disse Matheus se levantando e saindo da vestiário.

Eu esperei que ele dissesse algo, não queria tomar nenhuma iniciativa no momento.

_ Olá.

_ Oi, Harry...

_ Bom. - Ele coçou cabeça. _ Eu só queria saber se... vamos poder terminar o trabalho.

Eu me sentei no mesmo lugar que Matheus estava, eram dois banquinhos, feitos de cimento e cerâmica.

_ Harry... sobre ontem, bom... minha mãe não gostou muito sabe...

_ Eu imaginei, sua mãe é uma pessoa tão simpática, não merecia ter visto aquilo, deve estar me xingando todo...

_ Não. Eu pensei que ela fosse me bater muito, mais o incrível, foi ela não dar a mínima pra cena que viu.

_ Como assim?

_ Pois é. Ela só não gostou, porque você é de menor, e pode dar problema pra ela, se alguem descobrir. - Disse quase perguntando mesmo, se ele tinha contado a alguem.

_ É claro que eu nunca contaria a ninguém. - Eu respirei fundo, e ele veio se sentar no banquinho ao meu lado. _ Ontem eu não sei o que aconteceu comigo...

_ Eu entendo, foi só uma curiosidade de jovem isso é normal... eu também tive minhas curiosidades sabe, já beijei uma menina. Foi bem estranho... - Nos dois começamos a rir.

_ Vou ser sincero com você Vinícius, foi a melhor curiosidade da minha vida.

Eu arregalei os olhos, " porque ele sempre me surpreendia? ".

_ Cara, você é muito louco, sabia!?

_ Você e suas manias...

Ele riu, aquele sorriso mais lindo, e se aproximou mais, puxando minha cabeça e me roubando um selinho.

_ Uau! - Fiquei vermelho de vergonha.

_ Você fica lindo quando está com vergonha, sabia!?

_ Ei! Eu não estou com vergonha de nada!

_ Não? Então vem aqui.

Ele me pegou pela mão e me levou para o box mais próximo, eu já fui encostando ele na parede e beijando muito aquela boquinha macia.

Ele corria com sua mão por meu corpo, eu me excitei ao sentir aquelas mãos frias em mim.

Nos beijamos por uns 5 min, então eu o soltei, e disse que tinha de ensaiar, foi uma luta para ele me deixar sair dali.

_ OK então... E o trabalho?

_ Passa na minha casa amanhã.

_ Amanhã minha tia vai viajar com meu tio, e eu vou ter de ficar na casa de uma prima bem longe da sua casa...

_ Nossa... Porque, você não dorme la em casa? - Arrisquei o convite. Ele riu, mas um sorriso feliz.

_ Mas e sua mãe? Ela não se incomoda?

_ Claro que não, ela gostou de você. É só ser - mos mais discretos dessa vez...

Rimos de novo, e ele concordou em ir.

Saímos do vestiário e todos nos olhavam curiosos, ele foi saindo, e eu me posicionei já para passar a dança.

_ Não vai me dizer nada mocinho? - Perguntou Julia.

_ Por enquanto não...

Joguei ela para trás, e continuamos os treinos...

...

Quando cheguei em casa, minha mãe estava falando no telefone, eu entrei para o meu quarto e troquei a roupa.

" Claro querida, vai ser ótimo... "

Me sentei no sofá perto dela.

" Tudo bem então, o Vini acabou de chegar da escola aqui... Sim eu mando, beijos, tchal! "

_ Com quem estava falando, dona Bete?

_ Ah, era sua tia, a Míriam...

_ O que a tia Míriam queria? Ela não liga pra você a dias...

_ Ela convidou agente para passar as férias com ela, o maridão dela vai chegar de Portugal e eles estão preparando uma festa la.

_ Ai mãe, sinceramente eu não quero ir... Nunca fui com a cara daquele cara, ele é um bruto e machista.

_ Vini você precisa sair também. Vai ficar trancado dentro de casa nas suas férias?

_ Ai mãe! A senhora pode ir, eu fico quietinho aqui como das outras vezes... Por falar nisso, amanha o Harry vai ter que dormir aqui.

Olhei desconfiado pra ela, esperando um grande " NÃO! ".

_ Motivos? Espero que sejam bons, porque não estou gostando nada de você se enfiando com esse garoto...

_ Mãe, a última aula de história já é na terça feira, e não fizemos nada ainda...

_ Fizeram sim. Só não foi o trabalho... - Ela provocou, mais eu não dei ideia.

_ Vamos fazer amanhã, porque segunda não vou a aula, tenho que ir na costureira mandar apertar minha roupa pra dançar na sexta...

_ Hm... E como ta na aula de dança?

_ Ah! Eu tô me sentindo cada dia mais solto, aquilo é uma terapia para mim maravilhosa.

_ Que bom que está te ajudando filho. Agora vai pro fogão fazer almoço porque eu passei a manhã inteira falando com sua tia e me esqueci de fazer.

   Eu gritei com ela e dei uma mordida em sua buxexa, que revidou com um tapa na minha bunda. Fui preparar dois miojos pra gente.


Notas Finais


Muito obrigado por ler!
Eu disse que iam ter situações chatas, a sorte é que dona Bete é tranquila Haha

Ps: Se tens álbum comentário, crítica, deixe aqui por favor! É muito importante saber a opinião de vocês. 🙏👏


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...