História Diga que eu, sou seu! - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Brigas, Escola, Jovens, Romance
Exibições 85
Palavras 1.437
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 7 - 2° Guerra Mundial


Fanfic / Fanfiction Diga que eu, sou seu! - Capítulo 7 - 2° Guerra Mundial

Acordei tão alegre no outro dia, parecia que iria explodir, abri as cortinas da casa - menos a do quarto de minha mãe obvio -, quis parar um pouco para apreciar os pássaros cantando, também as buzinas dos carros, e o céu, que coisa linda.

Fui flutuando para a sala de aula, alguns meninos me jogaram água e me xingaram de uma coisa qualquer quando passei pelo bebedouro, eu me senti dançando na chuva. Era realmente o meu dia.

Passei perto da sala de Julia e Brenda, mandei um beijo bem " gay " para elas, e sai correndo antes que alguem me atirasse uma cadeira na cabeça.

Adorava aquele tom de Verde musgo da escola, verde não é minha cor preferida, mais hoje tinha um brilho diferente naquele lodo borrado nas paredes.

" Preciso me controlar ao entrar pra sala.. "

Pronto, entrei na ponta do pé, estilo bailarina.

" Viado, baitola, gay!"

" Sou mesmo amor, e se achar ruim ainda sou miss gay Brasil!. - Meu deus! Eu disse isso alto. "

Nem dei atenção, a professora foi distribuir as provas já corrigidas de Física, eu me ofereci para entregar, e fui pelos corredores da sala, performando "Uptown funk" em minha mente, fazendo acrobacias com as provas.

_ Vinícius, o que houve com você hoje garoto? - Perguntou a professora quando me sentei.

_ Nada não. Só estou a fim de ser... Eu.

Os meninos riram e me zoaram como sempre, as meninas riram quase que me aplaudindo.

" O sonho de toda garota; ter um amigo gay, super divertido. "

Na hora do recreio me sentei com Júlia, Brenda, e mais outras duas meninas que nem sabia o nome. Elas eram até simpáticas.

_ Você está diferente...

_ Acho que estou mesmo Brenda, é o que todos estão dizendo...

_ Eu acho que sei o motivo... - Disse Júlia se referindo ao Harry.

_ Ele não é motivo principal, Julia. Eu só to feliz comigo mesmo, sabe... Cansei de abaixar a cabeça sempre e os outros só me pisarem. Aliás eu sou uma diva. - Brinquei.

Falamos sobre muita coisa, uma delas foi exatamente Harry, contei quase tudo que andou acontecendo, cortando alguns detalhes impróprios, e mantendo o nome dele em segredo por causa das duas meninas curiosas que estavam ali conosco.

_ Só posso dizer uma coisa amigo... Estou adorando essa sua alto estima. - Disse Júlia, e o sinal tocou, voltamos para nossas salas.

Hoje, Pâmela passou na sala para me avisar que não haveria ensaio, porque o pessoal da limpeza ia dar uma geral la. Eu não me importei, já tinha pegado todos os passos mesmo.

O professor de Matemática me lembrou do trabalho avaliativo para segunda feira mesmo, eu era o único que havia ficado de recuperação, me sinti um "burro".

Quando a aula acabou, fui forçado a ir ate a carteira de Harry para perguntar se ele iria mesmo ficar em minha casa.

Ele respondeu rápido que " sim. "

Eu sai e fui para casa, pensei que ele fosse comigo, mais entrou no carro que sempre buscava ele, e foi embora...

Quando entrei em casa minha mãe estava terminando de secar o chão, um cheiro de eucalipto subia no ar.

_ Limpando casa dona Bete!? - Dei um beijo nela e segui para meu quarto.

_ Só estou dando uma passadinha de pano aqui, cadê seu " amigo "? - Ela fez aspas com os dedos, eu revirei os olhos.

_ Sei la mãe... ele disse que viria, mais entrou no carro e foi pra casa dele, não o entendi...

Escutamos uma buzina alta, vinda de frente a nossa casa. Corri ate a janela.

Harry descia de uma Hilux preta, último modelo, pelo brilho diria que era recém tirada da concessionária . Estava com uma pequena mala prateada de rodinhas.

_ Eu disse que ele era filho de riquinhos... - Disse minha mãe saindo da sala e entrando para o seu quarto.

Ele subiu até a porta e bateu.

Eu pensei um pouco antes de abrir, precisava respirar...

_ Ola, seja bem vindo de novo. - O recebi todo alegre.

_ Obrigado, bom espero não encomodar neh!?

_ Claro que não, venha pra dentro, vou guardar sua mala no meu quarto...

Ele entrou com um certo cuidado, parece que estava ate com medo de algo, e a julgar eu diria que fosse a inofensiva dona Bete.

Vislumbrava os cantos da casa, ate que perguntou quando voltei do quarto.

_ E sua mãe? Esta?

Ela pulou na sala do nada, quase matou Harry e eu de susto.

_ Estou aqui!

Nos caimos na gargalhada, minha mãe literalmente não batia bem das idéias.

_ Nossa, me assustei! Como vai a senhora? - Ele foi ate ela e lhe deu um abraço.

_ Estamos bem, vivendo um dia após o outro...

_ Estamos bem sim Harry. - Disse cortando ela.

_ Gente me desculpa, mais eu tenho que ir aqui do lado, fazer as unhas...

_ Mãe! A senhora trate de me contar agora, o motivo dessa sua alegria repentina... Quero nome endereço, e fixa criminal...

_ Ai Vini, me deixa... Estou apenas paquerando, um dia você vai conhecer ...

_ Ah Ha! Confessou, dona Bete me diz quem é! - Gritei ela que já ia la na rua.

Voltei para dentro e vi aquele garotinho ali parado, me encarando como fazia sempre dentro de sala.

Só que aqui, eu podia me aproximar, sem medo de levar um soco...

_ Porque me olha sempre?

_ Desculpa... Tenho uma mania chata de ficar encarando coisas bonitas.

Eu fiquei sem jeito, e peguei na mão dele.

_ Só queria saber, ate quando você vai levar isso tudo...

_ Do jeito que está ... A vida inteira.

Eu arregalei meus olhos novamente, ele e seu dom de me surpreender.

" Vinícius, preciso te contar uma coisa... Você vai ser o primeiro a saber, porque confio mesmo em você. "

_ Oh meu bem, - Engoli seco aquele " meu bem". _ pode dizer, confie em mim.

_ Eu sou gay.

" Ah fala serio! Já ta ficando chato essas surpresas dele de minuto em minuto."

_ Como assim? Ta falando serio? - Abri a boca surpreso, e ele me olhou estranho, deve ter visto algum pedaço do almoço no dente...

_ Sim. Quer dizer, eu não sabia disso, ate eu te conhecer...

_ Ai meu deus! Vamos nos sentar.

Nos sentamos juntos no sofá, e eu liguei a TV.

_ Você deve estar só confuso cara...

_ Não é confusão, eu já tinha minhas curiosidades antes de te conhecer... Eu fiquei com duas meninas ate hoje, e não senti nada...

_ Pera ai! Duas? Só duas? Mais você é um dos maiores galinhas da sala.

_ Ta louco! Eu brinco mesmo de passar a mão nas meninas para irritar mesmo, e mexo com elas para, sei la... talvez eu não quisesse aceitar isso em mim.

Ele abaixou a cabeça, e eu peguei em seu queixo o levantando, como ele fez comigo da primeira vez...

_ Sempre tive medo de você, aliás... eu tenho medo de todos, me protejo ate da minha sombra. - Disse a ele.

" Eu demorei para me aceitar como sou, lutei com todas as forças que tinha para não ser assim... Mais parece que quanto mais você luta... Mais dói."

_ Essa é a nossa, " Segunda guerra Mundial ". A guerra que acontece dentro de nós mesmos, a pior delas...

Eu abracei ele bem forte, minha mania de cuidar dos outros pediu por isso, mais eu também precisava muito de um abraço.

_ Só não quero ser responsável por isso...

_ Isso o que?

_ Ah! É que você fica nessa de que é gay, mas se alguém descobrir, eu me ferro todo...

_ Vinícius, eu sei é confuso. Mas eu sempre achei que não era igual a os outros meninos... Já fiz muita coisa, achava normal esse sentimento, mas depois de um tempo percebi que era só eu que sentia...

_ O que você fazia?

_ Não interessa. - Disse ele me desconcertando.

_ Vamos pro meu quarto, eu preciso de um banho.

_ Vinícius, sua mãe não ligou mesmo de eu ficar aqui? Tipo, é obvio que eu vou te agarrar de novo.

_ E quem disse, que vai me agarrar? Sai fora! - Ele pulou em minhas costas e eu corri o jogando - o em minha cama.

_ Gatinho vou tomar banho, fica a vontade!

   Entrei para o banheiro e me lavei como nunca antes. Algo me dizia que a noite ser bem quente.


Notas Finais


Aguardem os próximos capítulos, com novas surpresas. 😈
Não se esqueça de deixar um comentário, ou crítica... 👀
Obrigado a todos. 💚🙏


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...