História Diga que me ama : Mesmo no Perigo - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 24
Palavras 3.364
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Saga
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 4 - QUATRO


Anya

Já passou por um momento bem louco e pensou "Será que eu estou sonhando?, mas ai você se toca de que na verdade Você não está. 

Que tudo é Real até demais. 

Estou vivendo isso nesse momento. 

Quando Lesley apareceu no meu apartamento com aquela roupa de couro e preta parecendo ter saído naquele momento de uma revista masculina proibida pra menores de dezoito anos. 

Eu realmente não sabia o que fazer. 

No campus ela me disse pra me vestir “sexy", bem, o meu Guarda roupa não sabe muito bem o sinônimo disso. Lesley reclamou quando me viu com uma calça jeans e uma regata. Mas  o que eu posso fazer?  

Obviamente ela prometeu que ainda essa semana iremos ao shopping gastar muito dinheiro da poupança dela com roupas novas para mim. 

Não sei se isso é  realmente uma boa ideia. 

Nesse momento estamos  chegando em um tipo de boate,  Lesley está tão animada que daqui a pouco tem um ataque cardíaco. 

Sorrio enquanto ela comemora de uma forma engraçada. 

Assim que chegamos na boate me surpreendo. Sempre imaginei que uma boate de uma forma que agora tenho certeza que é  dez vezes mais louca. 

Apesar de o meu irmão trabalhar como sócio na boate de Pérola,  Eu nunca tinha entrado em uma... Até hoje. 

- Isso aqui está maravilhoso! - Lesley diz animada e abro um sorriso simples. Não sei o que dizer, nunca estive em uma boate antes. 

Ela me arrasta  até o bar e logo flerta com o barman,  chega até a ser meio engraçado a forma como ele fica caindo nela 

-Bebe isso aqui,  você vai ficar animada rapidinho-Ela me passa um copo com um líquido Branco. Sinto o cheiro e  é  meio forte 

-O que é isso? - Pergunto olhando para o copo 

Lesley me olha completamente chocada

-Você nunca tomou  vodca?  - Ela pergunta chocada 

No fundo eu quero dizer que sim. Afinal,  não vai fazer tão mal assim se eu mentir. 

Mas eu sei que é  melhor  Eu falar a verdade. 

- Não - Escolho os ombros. 

Espero que ela me zoe ou diga que sou antiquada. 

Lesley rir e aponta para o copo 

- Então acho melhor você beber logo essa dose. Porque hoje a noite você vai sair daqui profissional em álcool. - 

***

Scote

-Ahhh!!  Isso!! - A garota  geme  arranjando minhas costas enquanto  envio forte contra ela. 

Seguro sua perna acima do meu ombro para poder foder mais fundo nessa gostosa. 

Ela morde o lábio com seus olhos fechados claramente delirando em prazer,  estico com força e apoio minhas mãos na pia do banheiro enquanto ela está sentada na mesma. 

-Hum... - Ela geme jogando sua cabeça para trás a encostando no espelho do banheiro enquanto eu estoco com força. Minha outra mão se mantem em sua cintura para mantê-la parada. 

Odeio quando são muito escandalosas,  Mas dessa vê eu deixo Passar. 

Nesse momento o que eu mais preciso desesperadamente  é  de sexo. Duro e quente. 

Esquecer todos os meus problemas e principalmente  aquela porra de sonho. 

Só  em mencionar o sonho em meus pensamentos  fazem meus movimentos  se tornarem mais rudes ainda do que estavam, estoco com força e sinto meu prazer se formar,  a garota a minha frente geme alto e aperta suas unhas em meu ombro.  Eu poderia reclamar da dor mas nesse momento eu  só quero  gozar,  e além do  mais,  eu não sou um viadinho que não aguenta uma unhada durante o sexo. 

Finalmente o prazer me atingi gozo dentro da camisinha,  Sinto meu corpo se aliviar e por um momento uma paz atingi meu corpo . 

Alguns minutos depois disso eu já estou fechando minha calça e jogando a camisinha no lixo. 

-Liga pra mim gato- A garota diz sorrindo feliz da vida. 

Reviro meus olhos enquanto  olho pro meu próprio reflexo. 

Detestável. 

Ela deixa o seu número de telefone no balcão da pia e sai rebolando aquela bunda maravilhosa dela. 

Não sei exatamente o que essas garotas  tem no lugar do bom senso,  Eu faço de tudo para ficar o mais estranho o possível. 

Tatuagens cobrem todo o meu corpo,  piercings no lábio,  na língua,  na sobrancelha e na bochecha. Alargador,  meu cabelo que eu não deixo crescer de propósito e ainda tem o meu humor nada simpático. 

Se eu fosse uma garota,  o que eu mais faria seria manter distancia o mais possível de mim. 

Eu não sou saudável a ninguém. 

Olho para mim mesmo no espelho. 

Não sou saudável nem a mim. 

Pego  o papel e o amasso o jogando no lixo,  saio do banheiro masculino e volto pra boate. 

***

Anya

Eu gostaria de dizer que sou o tipo de pessoa que com um copo de vodca ja estou bebada. 

Porém aparentemente a bebida não é  mesmo pra mim, depois de uma dose de vodca, Whisky  e uma Skol Beats. Estou eu aqui. Normal. 

Um pouco cansada mas Max fora do normal. 

Enquanto isso Lesley está dançando em cima de uma mesa... Exatamente isso. 

Esta tocando Still Into You  do Paramore. E eu amo essa música,  por um lado acho que a bebida me ajudou. Eu estou mais leve,  não me sinto bêbada. Mas me sinto um pouco mais... Feliz. 

É  como a toda aquela carga de tristeza tivesse simplesmente desaparecido. 

Eu sou uma garota normal,  feliz. Meus pais não morreram,  Eu ainda moro no Brooklin  com eles e tudo está bem. 

Sim,  tudo está maravilhosamente bem. 

-Huulllll! - Lesley grita quando pula da mesa nos braços de um cara. Ele é  bem músculo e tem um cabelo meio punk,  os dois meio que começam a se beijar. 

Eu deveria achar isso bem assustador, mas nesse momento eu estou feliz demais. 

E afinal de contas,  Lesley sabe o que faz da vida dela. 

 O Barman que me serviu descobri que se chamar James, me dá mais uma dose de Bebida. Dessa vez eu acho que já estou tomando Whisky  demais. 

Mas e daí? 

Amanhã eu não tenho aula mesmo. E afinal,  Amanha eu ja vou ficar muito depressiva mesmo. 

Posso curtir minha vida hoje. 

Como se eu não houvesse amanhã! 

Acho que aquela bebida toda esta começado a fazer efeito. 

-Ei gatinha- Escuto um homem dizer e me viro vendo um cara bonito. 

Não tão bonito como o Ethan

Mas é  bonito. 

Seu cabelo é  loiro cortado com alguns fios arrepiados por gel reprovavelmente,  seus olhos azuis estão bem nebulosos o que significa que ele está muito mais que bêbado. O cara é  do tipo que deve ir duas vezes na semana a academia.  Não tem músculos super definidos como o cara que beijou a Lesley, mas tem um corpo bem pegavel. 

Pegavel?  Desde quando eu penso assim. 

Ah,  claro. 

Todo aquele álcool  me libertou 

-Oi- Sorrio antes de dar mais um gole no meu Whisky

O cara sorrir e se aproxima 

Tem momento que você senti um tipo de mecanismo de defesa. Pode ser intuição ou simplesmente poder de se defender da sua sensatez. Mas no final das contas você sempre  ira sentir aquela coisa estranha quando tem alguém "perigoso " perto de você. 

E bem,  Eu estou sentindo isso agora. 

-Qual o seu nome gata? - Ele pergunta se aproximando mais. Estou quase presa entre ele e o balcão

-Any - Respondo. Porque eu definitivamente  Não vou dizer meu nome verdadeiro. Obviamente é melhor dar o apelido.

Seu sorriso aumenta ainda mais e ele se aproxima 

-Meu nome é Drew, Que tal se a gente se conhecer melhor? - 

Momento que o meu mecanismo de defesa está apitando igual louco. No entanto o Whisky  Tem o poder de conseguir fazer minha audição ficar péssima. 

-Hum... claro- Respondo e ele sorrir  de forma quase... Maldosa? 

-Então vem comigo. Vou te mostrar um lugar ótimo- Ele diz com aquele sorriso de dar uns arrepios 

Olho pra ele desconfiada  E ele sorri 

-Vamos gata. Você vai adorar-Ele diz lentamente a última parte

Olho para a pista de dança e vejo Lesley ainda agarrada ao musculoso de cabelo punk. Eu sei que ela me trouxe para que eu pudesse me divertir mais,  com toda certeza ela vai me matar amanhã se souber que fiquei a noite inteira no BA sentada e bebendo igual uma deprimida. 

Se for pra ficar deprimida eu fico em casa. 

-Okay - falo em levantando. 

O homem sorrir e anda em direção a Saída de emergência da boate comigo. 

Assim que estamos do lado de fora vejo somente o estacionamento e tudo está escuro. 

Estou quais pergunto o que ele queria tanto me mostrar quando sinto uma mão apertar forte meu braço e logo minhas costas batem contra a parede. Solto um grito que é  abafado por uma mão,  logo sinto algo molhado em meu pescoço e quando vejo r o homem da boate. Ele está lambendo meu pescoço. 

Sinto repulsa subir por meu corpo e tento gritar,  me soltar mas não funciona. 

Ele é  bem mais forte que eu. 

Infelizmente. 

Sinto minhas lágrimas começarem a se forma em meus olhos e minha garganta se fechar e arder. 

-Hum.... sua putinha,  Vou te comer tão duro como um animal! - Ele fala com a voz grossa em meu ouvido e sinto todo o meu corpo tremer 

O desespero sobe por meu corpo e a junta ao pânico me fazendo entrar em um estado de choque. 

Sinto suas mãos começarem a subir pela bainha da minha blusa e quando suas mãos tocam em minha pele... Eu sei que ali é o fim. 

***

Scote

O som da música é  alto. 

Está tocando algum tipo de pop louco. Pérola e Chlóe dançam loucamente na pista de dança enquanto Will e Max discutem sobre alguma partida de beisebol  que entre os times deles. 

E os dois não são do mesmo time. 

Michael e Eve foram embora faz uns quinze minutos,  já que aquele dois transam mais que coelhos. 

Max está quase vencendo a discussão  quando sinto me celular vibrar. 

Saio rapidamente da boate e atendo 

- Alô? - Aproveito pra ascender um cigarro. 

É,  Eu ainda não parei de fumar. 

Mas vou arrumar isso segunda com a Abigail. 

-Scote?  Cara dá  um pulo aqui no Son's, a sua irmã está tipo. Quase tirando a roupa e transando com um cara. -Escuto a voz de James. Ele é  Barman  lá,  mas também é  meu amigo. 

Hoje mais cedo quando Lesley comentou que iria ao Son's  Eu pedi pra ele ficar de olho na minha irmã. Ela ia com uma amiga,  o que claro me deixou feliz,  minha irmã estar fazendo amizade me deixa profundamente contente mas ao mesmo tempo sei que vou ter grandes problemas. Minha irmã é uma bomba que  está para explodir a qualquer momento. 

E essa amiga com toda  certeza não deve ser  uma Santa. 

***

Na verdade não me surpreendeu em nada quando vi Lesley em cima do balcão do bar rebolando igual uma louca enquanto tocava Chandelier da Sia.  

Depois de convencer minha querida louca quer dizer irmã,  a desce do maldito balcão eu agora estou saindo com ela da boate. 

E por Deus,  ano que vem Ela irá morar com Shane em NJ. 

-Eii  seu filho da puta!  - Lesley grita do nada me assustando. 

Ela começa a correr igual uma louca em direção ao lado oposto de onde está o meu carro. 

Viro-me para mandá-la entrar na porra do quarto. 

Já estou perdendo toda a porra da minha paciência. Eu definitivamente  odeio cuidar de gente bêbada. 

Mas quando me viro meu olhar só  se foca em duas pessoas,  ou melhor,  em uma pessoa. 

Um cara imbecil está claramente quase estuprando uma garota. 

Sinto meu sangue ferver quase evaporando. Meu corpo entra em estado de ebulição e só  enxergo  vermelho a minha frente.  Sinto-me um animal selvagem e aquele imbecil é a minha presa. 

Não consigo ver quem é  a garota mas claramente ela está assustada,  daqui vejo lágrimas brilharem no escuro do seu rosto e escuto os soluços dela. 

De alguma forma aquilo acorda um tipo de monstro em mim. E quando eu percebo ja estou andando em passo firmes em direção àquele imbecil. 

E nesse momento, tenho certeza que vou bater a cabeça dele na porra daquela parede até não sobrar mais nada. 

***

Anya

Não consigo mais respira, pois todo o oxigênio não entra mais em meus pulmões. Minhas lágrimas descem já sabendo o seu rumo e meus soluços se tornam súplicas em meio a escuridão e ao silêncio da noite. 

Todo o meu corpo está em alerta,  Ele quer fugir mas eu sei... Sei que não tem como. 

Eu estou presa, esse homem está na minha frente me mantendo presa a ele. Até ele enfim conseguir me usar. 

Quero chorar mais, Quero vomitar e limpar meu corpo de tanto nojo que eu sinto de mim mesma. 

Mas como eu poderia?  

Estou aqui. Presa. 

Sinto sua mão descer para entrar por dentro da Minh jeans e sinto meu corpo inteiro tremer,  Eu não sei o que seria pior. Se eu me mantivesse acordada ou se eu desmaiasse. 

Estou quase a esse ponto de desespero,  fecho meus olhos rezando a Deus para que se realmente existir alguém no céu que tenha pelo menos o mínimo de compaixão por mim. Que me ajude. 

Meu coração está acelerado quase saindo do meu peito,  Sinto que tudo está perdido. 

Até que.. Do nada o homem grita como se tivesse assustado e sinto seu corpo se distanciar de mim. 

Abro meus olhos e vejo-o. 

O homem mais lindo que eu já vi em toda a minha vida. Não,  é verdade. 

Até mais que o Maicon. 

Seu cabelo é  bem curto quase raspado. Ele tem tatuagens pelo corpo e alguns piercing no rosto,  o homem usa uma camisa preta que marca bem seus músculos e uma calça jeans. 

Má logo o momento de deslumbre passa quando a realidade me atinge. 

Ele realmente me salvou de quase ser estuprada! 

Sinto que posso finalmente respirar e como se toda a avalanche do mundo refletisse em mim de uma vez,  Sinto minhas pernas fracas e Caio literalmente ao chão. Sento-me com minhas pernas próxima ao meu corpo,  abraço minhas pernas e sinto que posso ter um ataque de pânico a Qualquer momento. 

Meu pulmão não está conseguindo filtrar o oxigênio. 

- Anya amiga! - Escuto a voz desesperada  e bêbada de Lesley. Levanto meu olhar vendo sua mão expressão preocupada,  ela abre um sorriso de desculpas e se ajoelha a minha frente -Me desculpa amiga,  isso foi culpa minha,  Seu eu não tivesse sido tão tonta isso não..... Teria acontecido - Ela diz com lágrimas nos olhos 

Respiro fundo tentando controlar as minhas 

- Não - nego devagar - Isso  Não é  culpa de ninguém. - falo devagar tentando mostrar confiança a ela.  Mesmo que por dentro eu esteja me rasgando. 

- Você sabe que eu sempre vou estar aqui,  Não  é? - Ela pergunta com aquela expressão preocupada que eu definitivamente irei sentir falta no futuro.... Quando  ela parar de andar comigo. 

E de ser minha única amiga. 

Suspiro secando meu rosto de lágrimas que já estavam a secar. 

-Sim. - Digo baixo 

Escutamos os passos do homem tatuado se aproximando. Ele saiu com o... Homem.... Que estava aqui antes... Comigo. 

E agora volto sozinho 

Lesley me ajuda a levantar e andamos até o carro do homem tatuado. 

Ele é  lindo, forte e não parece nada nada comum. E não estou falando do carro. 

-Anya esse idiota que veio nos buscar é  o meu querido irmão Scote- Ela apresenta enquanto estica as pernas no banco de trás. 

Sim,  eu tive qur me sentar  na frente. A pouco de distância do tal Scote. 

O homem nem se esforça a me olhar,  nem que seja de canto. Ele simplesmente aperta a mandíbula e sua boca fica em uma linha reta,  Seu olhos negros completamente focados na estrada e suas mãos apertadas em volta do volante. Seu corpo está reto e ereto sem nenhuma falha de disciplina. 

Ele parece. 

Frio. 

Inalcançável. 

Imponente. 

-Hum... Oi-Falo baixo,  Não por medo dele. Apesar de ele ser assustador ao mesmo tempo ele também é  atraente. Muito, Muito atraente. 

Mas tem algo que me faz ficar sem graça perto dele. Fico com vergonha.  Sinto um tipo de constrangimento que não consigo entender nada. 

 O homem quer... dizer o tal Scote me deixa no vácuo. Ele nem me olha por um segundo. 

Suspiro e volto minha atenção para minhas unhas. É  melhor que tentar puxar assunto com um homem de coração frio. 

Enquanto isso Lesley dorme tranquilamente no banco de trás. 

-Onde você mora? - Ele pergunta de forma rude como se o simples fato de falar comigo estivesse lhe dando nojo 

Sou tão ruim assim?  

Sinto minha garganta arder e me esforço para dizer mas quando as palavras já estão quase saindo Scote me interrompe 

-Esquece - Ele diz com uma raiva tão primitiva que sinto como se eu fosse Realmente a origem desse mal humor  - Você vai dormir na casa da Lesley. - Ele diz com um tom que mostra não existe nenhum tipo de contestação. 

Abro minha boca pra responder, mas logo a fecho. 

Ele já está com um mau humor péssimo,  é  melhor eu continuar  quietinha do jeito que eu estou. 

Vai que ele cisma comigo. 

Mas uma coisa eu tenho certeza, Scote é  o homem mais lindo que eu ja vi na minha vida. 

***

Depois de muitos esforços Scote consegue colocar o corpo bêbado e dormente de Lesley jogado na cama dela. 

Estou completamente nervosa,  não porque eu não costumo ficar sozinha com um homem. Ou porque Scote causa sensações que eu nunca senti antes, Ou porque ele simplesmente te faz se sentir inferior. Estou nervosa porque eu sei que ele não gostou nenhum pouco de mim,  e  mais ainda,  porque eu sei que terei que ficar aqui no apartamento de Lesley sem ela saber direito,  já que a mesma está bêbada e dormindo. Pois eu sei  muito bem que Scote não irá me levar mesmo ao meu apartamento. 

Falando nele. 

Scote sai pelo corredor que leva ao quarto de Lesley,  ele me olha por alguns segundos e suspiro sabendo muito bem o que pode estar passando pela cabeça dele. 

A última coisa que eu quero ser é  um fardo pra alguém. 

- Você vai dormir aqui? - Ele pergunta de forma rude 

Levanto o meu olhar para ele e vejo o mesmo encostado a porta me olhando como se eu fosse uma retardada 

-Hum... Provavelmente - Respondo baixo 

Eu quero lhe pedir para me levar pra casa má algo em mim me impedi. 

Seguro minha vontade de soltar o ar e morder o lábio. Faço muito isso quando estou nervosa. 

-Okay. - Ele responde sem nem olhar na minha direção. Ele se vira para andar pelo corredor e me sento novamente no sofá. 

Sinto meu peito doer e tenho vontade de me jogar na minha cama com uma enorme xícara de chá. 

Infelizmente  aqui não tem o meu chá,  nem a minha cama,  porque aqui não é  o meu apartamento. 

Suspiro. 

- Aliás,  pensa melhor para os lugares onde você vai-se Escuto a voz de Scote e tomo um susto. 

Pensei que ele já tinha saído 

-E com qual roupa você vai - Ele me olha com raiva explícita e sai logo em seguida. 

Dessa vez me sinto suja. 

Muito, muito suja. 

Nesse momento todas as palavras que Lesley me disse sobre a roupa  não ser muito legal pra festa. Sobre eu precisar estar mais sexy pra boate,  evaporam da minha mente. 

Nesse momento eu só me sinto culpada e suja. 

Deito no sofá e fecho meus olhos, sentindo meu peito doer e aquela bola em minha garganta na qual eu ja me acostumei. 

Logo o mundo dos sonhos me recebe, quando meu rosto já esta a secando das lágrimas e minha mente já está longe do mundo real. 

Naquela noite, porém foi diferente. Pela primeira vez em meses,  Eu não sonhei com a morte dos meus pais ou com minhas noite macabras no hospital. 

Naquela noite pela primeira vez eu sonhei com Scote. 

Ali seria minha perdição e ao mesmo tempo minha salvação. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


OIOI gente bonita!!! Aqui estou novamente. Depois de uma semana terrível de provas :") AFINAL HOJE É SEXTA FEIRA!!! AEEEEE

E já começamos o final de semana com tretas básicas, por que o que seria de nós sem elas?? 😂😂

Bjos amores. Quem está acompanhando e ainda não favoritou da essa força. E de a opinião de vocês nos comentários, amoooo saber o que estão achando, tanto pra bem quanto pra ruim.

Bjks; até a próxima. :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...