História Digimon - Era da evolução (Interativa) - Capítulo 2


Escrita por: ~

Exibições 55
Palavras 3.075
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Ficção Científica, Luta, Magia, Mecha, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Super Power, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Mutilação, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Demorou mais saiu, eu queria agradecer pelas fichas enviadas no geral elas ficaram ótimas estão todos de parabéns.
O grupo vai começar com seis pessoas e a história vai continuar um pouco confusa por enquanto mas nada de outro mundo ... Bom na verdade é de outro mundo, mas não é,enfim agora é com vocês divirtam-se.

Capítulo 2 - Nouva


Takuro estava caminhando sem rumo pela proximidades da estação de trem, chutando uma pelo caminho o garoto não para de pensar em como essa cidade era calma, calma até demais, ele sentia que algo estava fora de lugar mas, sem uma resposta concreta do que é que está errado ele só consegue imaginar uma coisa, ele mesmo.

 

Os sonhos com os digimons e o tal Takato só o faziam se sentir mais estranho, afinal que diabos estava acontecendo com ele ? No ápice de seus pensamentos Takuro chutou a pedra forte demais a fazendo rolar pra uma direção oposta a dele, quando o rapaz volta sua atenção a pedra ele se depara com um digimon vermelho.

 

- N-Não é possível ... Guilmon !? - Takuro falou pasmo diante o digimon vermelho.

- Então você está aí. - Um rapaz de cabelos azulados e jaqueta verde-escura aparece atrás de Guilmon.

- Guilmon não vai voltar com você Lee ! - Guilmon se coloca em posição de ataque.

- Lutar não vai adiantar nada. - Um digimon orelhudo pousa no ombro de Lee.

- T-Terriermon e Guilmon !? O que está acontecendo aqui.

- Takato Guilmon, vai lutar ! Use o cartão ! - Guilmon foi pra cima de Lee e Terriermon.

- Use o cartão ? Só o Takato pode fazer isso idiota. - Terriermon salta do ombro de Lee a vai voando com suas orelhas pra cima de Guilmon.

- Use o cartão ? -  Confuso, Takuro pega seu contador de pontos. - Essa parada tá cada vez mais bizarra. - O contador se transforma em um D-arc vermelho.

- Desista você não pode nem usar uma evo, vai morrer logo se continuar lutando. - Lee pegou um cartão verde e preto. - Digimudança ! - Ao passar o cartão em seu D-arc uma casulo de luz verde envolveu seu digimon. - Evolução !

Terriermon digivolve para ... Gargomon !

- Gargomon !? - No susto com a evolução Takuro encontra o mesmo cartão que Lee usou em seu bolso. - Esse cartão não é um de evolução normal.

 

Os dois digimons se enfrentavam com raiva no olhar, Gargomon levava a melhor mesmo sem seus ataques especiais, Guilmon tentava derrubar o digimon de Lee de todas as formas porém a diferença de poderes entre os digimons era enorme.

 

- Seja o que os deuses quiserem.  - Takuro usou o cartão em seu D-arc. - Digimudança ! - O garoto apontou o aparelho para o digimon e um casulo de luz vermelha envolveu Guilmon.- Evolução ! 

Guilmon digivolve para ... 

 

- Isso é impossível ! Guilmon evoluindo com o D-arc desse cara. - Lee ficou incrédulo.

Growmon ! - O grande digimon vermelho saiu da casulo encarando Gargomon com mais fúria do que antes.

 

 

 

Manchester, Inglaterra

 

- Eu não sei porque sempre eu tenho que fazer essas coisas, não que eu esteja reclamando mas, poxa não custava nada ele ter usado o correio. - Um garoto de jaqueta de capuz azul e óculos na cabeça caminhava pelas ruas da cidade.

- Claro, você não está reclamando. - Um rapaz loiro acompanhava o garoto de óculos.

- Apenas vamos entregar logo esse pacote e cair fora, eu quero ver o jogo e já estamos atrasados.

- Faltam duas horas e estamos há quinze minutos do estádio, relaxa.

- Como eu vou relaxar, são os diabos vermelhos sabe quais as minhas chances de verem eles em campo de novo ?

- É ali ! - O loiro ignora seu amigo e atravessa a rua.

 

Os dois rapazes entram em uma biblioteca e perguntam aos atendentes por um garoto chamado Denyel Everfree.

 

- I-Isso é alguma piada ? Ele é meu filho e está desaparecido há duas semanas. - Uma mulher fala com um olhar triste olhando para o chão.

- Duas semanas ... - O loiro começa a pensar.

- Foi quando a Ana sumiu também. - Disse o garoto de óculos.

- Essa não ! - Os dois falaram juntos e saíram correndo da biblioteca.

- Não se preocupe senhora vamos achar seu filho ! - O jovem de óculos volta pra biblioteca e sorri para a mãe de Denyel. - Eu acho. - Ele volta a correr.

 

 

???

 

- Que lugar maluco é esse ? Alguma ideia Impmon ? - Um jovem de cabelos longos e castanhos falava com um digimon roxo de lenço vermelho.

- Sei tanto daqui quanto você Art, no começo eu achei que era meu mundo mas, aqui é muito diferente. - Impmon olhava para o cenário a sua volta.

- Quem nos mandou o convite da festa esqueceu de avisar o endereço. - Falou um rapaz forte de cabelos cobrindo um dos olhos.

- Juan talvez ele queira que a gente descubra sozinho. - Um digimon de pedras, Gotsumon, falava com seu parceiro.

- Não temos outra escolha além de descobrirmos sozinhos gênio. - Impmon falou cruzando os braços.

- Não faz sentido colocar a gente aqui, será que estamos em algum tipo de prisão ou sonho coletivo ? - Um rapaz loiro falava com a mão no queixo.

- Porque alguém nos prenderia Shiky ? - Um digimon parecido com um dragão branco falava com seu parceiro.

- Os digimons. - Um garoto de cabelos azuis tomou a palavra. - A única coisa que temos em comum é que temos um parceiro digimon ou humano, seja lá quem nos trouxe pra cá fez isso pelo simples fato de termos digimon.

- Bem pensado Denyel. - Uma vela digimon, Candlemon, falou animado com seu parceiro.

- Gabumon você se lembra como viemos parar aqui ? - Um garoto de cabelos castanhos falava com seu digimon.

- Ah Macus, se não dormisse tanto você lembraria. - Gabumon fala desanimado.

- Eu odeio acordar cedo. 

- Eram quase onze e meia.

- Viu é cedo, nem tinha passado do meio dia.

- E agora Lalamon ? - Uma garotinha estava nervosa e um pouco afastada do grupo.

- Não tenha medo Aoki, esse garotos vão precisar de você mais cedo ou mais tarde. - A digimon falou tentando tranquilizar sua parceira.

- É disso que eu tenho medo. - Aoki olhou pro chão.

 

Uma luz azul brilhou no céu chamando a atenção do grupo. Todos decidem seguir a luz em busca de informações já que todos concordaram que se uma luz ascendeu do nada foi porque alguém resolveu a acender. Depois de correrem alguns minutos pela floresta aonde estavam os garotos chegaram no topo de uma colina enorme e avistaram de onde a luz vinha.

 

Se tratava de uma cidade com um farol, uma torre e trilhos de trem ao redor de toda a cidade, todos ficaram encantados porém desconfiados com a cidade mas, como não havia outro lugar para começarem sua busca por respostas o grupo decidiu ir até a cidade.

 

- Cuidado ! - Impmon saltou para trás e acertou um soco em uma criatura de sombras que vinha por trás do grupo.

- Mas que porra é essa ? - Art pegou um caderno e um lápis e começou a desenhar.

- Sei lá mas não é digimon, eu notei isso já no soco. - Impmon estava pronto pro combate porém mais seres de sombra surgiram.

- Isso lá é hora desenhar !? - Juan se incomodou com a postura de Art.

- Fica frio os digimons dão conta deles. - Art respondeu sem tirar os olhos de seu caderno.

- Usem seus cartões de evolução logo ! - Impmon gritou sem paciência e foi pra cima da primeira criatura.

- Não sabemos se eles querem nos machucar. - A pequena Aoki não queria ferir os seres estranhos, porém um deles veio atacar diretamente.

- Não no meu turno ! - Rapidamente Juan correu até a garota e acertou um chute no rosto da criatura. - Ai ! - Juan sentiu sua perna queimar com o contato.

- Você tá bem amigão ? - Gotsumon vai até seu perceiro.

- Não temos tempo pra isso agora ! - Shiky alerta a todo no momento em que as criaturas atacaram.

 

Todos, menos Art, pegam seus D-arcs e cartas verdes.

- Digimudança ! - Todos passam suas cartas no D-arc fazendo com que casulos de luz envolvam seus digimons. - Evolução !

 

Gabumon digivolve para ... - Um casulo de luz azul envolveu digimon que tem sua pele rasgada e seus dados desfeitos, os dados se recompõe em uma nova forma revelando um lobo de pelos brancos e azuis. - Garurumon !

- Chikaimon digivolve para ... - Um casulo de luz lilás envolveu o digimon que tem sua pele rasgada e seus dados desfeitos, os dados se recompõe em uma nova forma revelando um dragão branco de listras vermelhas. - Chikaramon !

- Lalamon digivolve para ...  - Um casulo de luz rosa envolveu a digimon que tem sua pele rasgada e seus dados desfeitos, os dados se recompõe em uma nova forma revelando uma digimon com rosto de flor e asas de folhas. - Sunflowmon !

- Gotsumon digivolve para ... - Um casulo de luz vermelha envolveu o digimon que tem sua pele rasgada e seus dados desfeitos, os dados se recompõe em uma nova forma revelando um rinoceronte cinzento de armadura negra. - Monochromon !

- Candlemon digivolve para ... - Um casulo de luz roxa envolveu o digimon que tem sua pele rasgada e seus dados desfeitos, os dados se recompõe em uma nova forma revelando um mago digimon. - Wizardmon !

 

Esmague eles Monochormon ! - Juan falava confiante ainda com a perna doendo.

- Não vai evoluir seu digimon ? - Shiky falou ao lado de Art que ainda desenhava.

- Pra que melhorar o que já é perfeito. - Novamente Art falou sem se desligar do caderno.

- Wizardmon proteja o Impmon ! - Art e Impmon se espantaram com o pedido de Denyel.

 

 

Todos os digimon se juntaram para cercar seus parceiros, diferente do que aconteceu com Juan os digimons não se queimavam ao tocar as criaturas, na verdade elas só foram causar algum dano quando começaram a disparar espera de energia escura.

 

Névoa do dragão ! - Chikaramon criou um campo de força ao redor de quase todos os digimons.

Navalhas de luz ! - Sunflowmon voou e golpeou todos de cima com folhas de luz.

Rajada uivante !  - Garurumon disparou uma rajada de chamas azuis.

Bomba de calor ! - Monochormon disparou uma esfera de fogo laranja parecida com um pequeno sol.

 

Todos as seis criaturas foram atingidas porém continuavam de pé, apesar de demonstrarem ferimentos. Impomon saiu da barreira do dragão e foi pra cima das criaturas sozinho.

 

Nuvem trovão ! - Wizardmon disparou uma descarga elétrica de seu cajado.

Sopro do dragão ! - Chikaramon disparou uma poderosa rajada de vento em redemoinho.

 

Os dois golpes se uniram em uma tempestade que mandou todas as criaturas para longe além de feri-las mais. Todos os seis seres retornaram e estavam com suas chamas em mãos.

 

- Esse truque eu também sei ! - Impmon cria uma esfera de fogo vermelha. - Feitiço flamejante ! - O digimon lança seu fogo.

 

As chamas de Impmon conseguem fazer uma das criaturas cair incinerada no chão porém, ela logo se levanta como se nada tivesse acontecido. Todas as seis criaturas estavam prontas para o ataque quando um ser metálico apareceu e destruiu todos, antes que as crianças tivessem qualquer reação o ser se transformou em metal líquido e escorreu para longe em alta velocidade.

 

- Isso foi incrível ! Não imaginei que existiriam domadores de digimons de verdade. - Uma garota parece para o grupo.

- Finalmente uma humana. - Shiky falou aliviado.

- Finalmente uma garota. - Aoki falou também alíviada.

- Quem é você ? - Denyel tomou a palavra desconfiado.

- Meu nome é Kira, não me levem a mal mas podemos conversar enquanto vamos para a cidade, esse bosque fica cheio dessas criaturas quando anoitece.

 

O grupo decide seguir Kira já que iam pra cidade mesmo.

 

- Como conseguiram seus digimons ? - Kira perguntou curiosa.

- Nós que fazemos as perguntas aqui ! - Juan falou firme mas não alto. - E a primeira é, tem namorado ?

- Hahaha, tenho. - Kira ria mas piscou para Juan.

- Agora eu não entendi nada. - Juan ficou confuso.

-Não procure entender as mulheres, mulheres entendem mulheres e elas se odeiam. - Art passou do lado de Juan ainda desenhando. - Aoki vira pra mim um pouquinho.

- Claro !  - A garotinha virou sorridente. - Está me desenhando ?

- Sim ! - Art falou sorrindo.

- Posso ver ?

- Quando ficar pronto eu te deixo.

- Ei Kira que lugar é esse ? - Shiky perguntou analisando a cidade distante.

- Distrito Oeste, bosque da cidade Calisto. 

- Distrito Oeste ? - Monochormon falou confuso.

- Em que país fica esse distrito ? - Chikaramon perguntou curioso.

- Em que mundo fica esse distrito você quis dizer. - Wizarmon falou ao lado do companheiro.

- Nisso ele está certo, nem ferrando que ainda estamos na terra. - Art tomou a fala.

- Terra ? - Kira perguntou confusa.

- Sim, é o lugar de onde viemos, ou quase já que cada um veio de um país ou cidade diferentes. - Aoki explicou com calma que a cidade ficava dentro do país que ficava dentro do planeta que se chamava terra.

- Entendi ! Então no caso de Calisto é a cidade, Distrito Oeste o país e Nouva o planeta. - Explicou Kira.

- Já é um começo. - Marcus falou aliviado. - Só falta a gente descobrir como veio parar aqui e como voltar pra casa.

- Ou seja continuamos na estaca zero. - Juan falou cabisbaixo.

- Claro que não, sabemos que não podemos ficar nessa floresta durante a noite, ou seja estamos presos nessa cidade até dar um jeito de chegar em outro lugar seguro antes de anoitecer. - Disse Denyel.

- Por falar na floresta o que eram aquelas criaturas ? - Aoki perguntou curiosa.

- Eles são os vazios, criaturas das trevas que habitam a noite, no passado eles quase dominaram nosso mundo porém os nossos deuses conseguiram os afugentar e trancar a origem das sombras, isso é claro segundo as lendas antigas. Atualmente eles só aparecem em áreas desabitadas do crepúsculo até a o amanhecer. - Explicou Kira.

- Do crepúsculo ao amanhecer ? Esses caras tem um péssimo gosto, seja pra livros ou filmes. - Art falou impaciente.

- Ela não tá falando dos vampiros. - Marcus falou num tom sereno.

- Não brinca. - Art e Impmon falaram juntos com ironia.

 

 

Os digimons retrocederam de suas evoluções no momento em que o grupo chega na cidade de Calisto.

 

 

- Kira, ates de você apracer um bicho de metal acabou com os vazios ... - Antes que Denyel terminasse sua fala Kira já tinha a resposta.

- São monitores, foram criados pelo pessoal da capital do distrito Alpha para caçarem os vazios. 

- Que tecnologia incrível, esse distrito Alpha deve ser bem desenvolvido. - Shiky falou impressionado.

- Sim, ele criaram grandes coisas para toda Nouva, os monitores, fontes de energia, sistemas de computadores, digimon card game, jogos online, redes de comunicação e mais uma caralhada de coisa.

- Digimon card game !? - Todos os garotos e digimons se espantaram.

- Sim, por isso achei tão legal ver digimons de verdade. - Kira falou animada mas logo percebeu a preocupação de todos.

- Não pode ser. - Todos pegaram uma carta diferente do jogo e mostraram para Kira.

- Me diz que não é o mesmo jogo. - Art perguntou tenso.

- S-Sim, não sei como mas esse jogo existe nos dois mundos. - Kira falou assustada. - Mesmo sistema de cartas níveis bronze, prata e ouro, cartas de personagem, cartas de ação, cartas de equipamento, cartas de aprimoramento e cartas de evolução.

 

Um longo silêncio se formou, todos estavam incrédulos, como o mesmo jogo poderia existir em duas realidades totalmente diferentes.

 

- Bom isso nos dá um rumo. - Disse Danyel.

- Vamos procurar o criador do jogo. - Disse Shiky.

- Se um jogo inteiro pode atravessar dimensões nós também podemos. - Disse Juan.

- Então assim que pudermos vamos partir pro distrito Alpha. - Disse Art.

- Vamos fazer esse miserável nos explicar todo o que está acontecendo. - Dissse Marcus

- Onde vamos dormir ? - Perguntou Aoki.

 

A fala da pequena deixou a todos sem resposta e em um silêncio desconcertante, logo Kira estava cercada de olhares de cão sem dono.

 

- Minha casa é pequena pra todo mundo, mas podem dormir na estação de trem se quiserem, hoje ela fecha cedo porque é feriado mas com a ajuda dos digimons vocês podem pular o muro e se abrigarem em alguns quartos que ficam na torre da estação. - Kira tranquilizou a todos. - Venham comigo que eu levo vocês lá, mas eles vão ter vir escondidos, sabe como é nem todos estão acostumados a verem digimons.

 

O grupo caminhava para a estação por um caminho mais longo porém muito mais deserto o que era ótimo para os digimons, apesar de conviverem com os vazios e os monitores digimons eram novidade e todos sabiam a confusão que essa novidade iria gerar. Quando todos estavam na rampa final o céu se tornou escuro anunciando a noite, os portões da cidade se fecharam e um muro de luz se formou ao seu redor.

 

- Quero ver os vazios entrarem agora. - Juan falou sorridente.

- Não, você não quer. - Kira falou sério. - Amanhã eu venho cedo ver vocês, ou se quiserem posso dormir aqui também só tenho que ir em casa avisar que vou dormir fora.

- Claro, você é mais do que bem-vinda. - Disse Aoki sorridente.

- Assim não temos que acordar cedo. - Marcus sorriu.

- Idiota só temos o dia pra poder andar por aí de boas. - Disse Art

 - Temos que acordar junto com o sol parar aproveitar o máximo do tempo. - Disse Impmon sério.

 

 

O grupo foi dormir em colchões improvisados montados com cobertas que Kira trouxe de casa, todos dormiam tranquilamente e ninguém notou que uma mancha negra surgiu no tornozelo de Juan.

 

 


Notas Finais


Bem galerinha do mal por enquanto é isso, me digam o que acharam na sinceridade, se eu tiver errado no seu personagem essa é a hora de avisar, corrigir isso no começo vai ficar mais fácil do que lá na frente.
Espero que estejam gostando, to indo nessa rapaziada paz no coração.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...