História Digimon Destiny - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Digimon
Tags Aventura, Comedia, Digimon, Gay, Hetero, Luta, Mistério, Romance
Exibições 25
Palavras 3.493
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Ficção, Luta, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ola povinho! E mais um capitulo está aí e o que posso dizer é que é um capitulo que inicia uma nova faze da fic, então se preparem kkkkkkkkk

Capítulo 17 - Continente


Digimundo – Cemitério – Noite

                O grupo, dentro do bonde já, se afastava do cemitério continuando seu caminho em direção a Cidade Arquivo. Aquino na frente controlando o bonde enquanto Oliver conta o que aconteceu enquanto seus amigos estavam sequestrados pelos Bakemons. Gabriel fala que enquanto eles checavam a frente do bonde os Bakemons entraram voando e levaram todos rapidamente e quando eles perceberam já estavam dentro da mansão.

                - Mas então Oliver conseguiu sua arma – Gabriel fala com seu sorriso sarcástico de sempre – ou melhor, armas.

                - Sim – Oliver fala passando a mão em seu cinto – Apocalipse. E junto com elas minhas memórias voltaram também. E por falar nisso, Aquino?

                - Sim? – Aquino responde da frente do bonde.

                - Por que tu carrega a Eclipse assim? – Oliver pergunta – Não é mais fácil deixar ela no modo de anel?

                - Pois é – Ana fala com a mesma duvida de Oliver – Sempre quis perguntar isso, mas não é como se me importasse muito.

                - Bem é... – Aquino fala meio constrangido.

                - Vocês se esqueceram? – Witchmon interrompe seu parceiro – O Lucas adorava essa espada, tanto que os digimons fizeram uma bainha pra ele carregar ela por aí.

                - É verdade – Oliver olha com um sorriso por se lembrar disso.

                - Tá eu confesso – Aquino fala ainda constrangido – Carregar a espada me trouxe muita lembranças, mas realmente carregar ela no cinto não é fácil.

                Ele retira a espada do cinto e ela brilha e um anel nas cores da espada aparece no dedo anelar de Aquino, nele estavam esculpidas uma lua e uma espada na mesma forma da Eclipse.

                - Estão felizes agora? – Aquino fala debochadamente e volta para os controles.

                O bonde segue o caminho pela noite e os Destinados vão caindo no sono aos poucos, Witchmon percebe que Aquino mal consegue manter seus olhos abertos no controle do bonde.

                - Lucas – Ela fala calmamente para seu parceiro – Vai dormir, eu comando esse negócio.

                - Não precisa eu tô bem – Aquino boceja forte – Talvez eu deva dar um cochilo rápido.

                Ele sai da frente dos controles e Witchmon assume. Aquino se senta num banco do bonde e rapidamente cai no sono. Wizardmon se aproxima de Witchmon.

                - Por que ainda tá acordado? – Ela pergunta.

                - Eu quis te fazer companhia – Wizardmon reponde olhando para o horizonte.

                - Então – a digimon pergunta – Vai ficar nessa forma agora?

                - Sim – Wizardmon responde tranquilamente – por mais que eu goste de ser Impmon e zoar com o Kelvi e o Aquino, nessa forma é melhor de ficar perto de você.

                - Wizardmon, Wizardmon – Ela fala desconfiada – Não começa, sabe que não rola nada entre a gente.

                - Mas não vai me impedir de tentar – Ele fala e olha nos olhos dela.

                Ela retribui o olhar mas devia rindo de lado. Eles continuam ali durante o resto da noite sem conversar, apenas apreciando a companhia um do outro. Witchmon acorda sentindo a luz do sol em seu rosto e percebe que acabou caindo no sono escorada em Wizardmon. Ela acorda constrangida enquanto ele comanda o veículo.

                - A quanto tempo eu estou dormindo? – Ela pergunta meio constrangida.

                - A algumas horas – Wizardmon ri levemente – mas olha, acho que você acordou na hora certa.

                Ele aponta para frente e ela pode ver uma pequena cidade se aproximando, eles estavam chegando.

                - Pessoal acordem! – Witchmon fala acordando o resto do grupo que dormia – Chegamos na Cidade Arquivo.

                O bonde para numa pequena estação e eles descem. Logo acima de uma leve colina havia um grande arco com os dizeres: “Cidade Arquivo”. Eles caminham e passam pelo arco e pode ver melhor a cidade. Era pequena, tendo apenas duas ruas que se cruzavam, mas haviam vários prédios aglomerados uns aos lados dos outros. Bem na entrada havia uma casa em estilo japonês e uma placa em cima escrita: Casa do Jijimon. Antes que eles pudessem se aproximar mais da casa a porta se abre e de lá sai um pequeno digimon com a aparência de um velho, ele segurava um cajado com uma pata de gato na ponta. Gabriel checa seu digivice.

                Digidex

                Jijimon – Mega – Digimon do tipo antigo. Digimon que dizem ser mais antigo do que a criação do próprio Digimundo, é um digimon sábio e que sabe muito sobre o Digimundo. Técnica especial: Cat Cane.

                Jijimon olha na direção deles e se aproxima lentamente.

                - Os Destinados – Ele fala como se já esperasse vê-los ali – A muito tempo eu previ sua chegada na cidade arquivo. Venham temos muito a conversar.

                O velho digimon empurra os Destinados para dentro de sua casa. Eles se acomodam em sua pequena sala que parecia bem menor com todos eles ali. O digimon se coloca na frente deles ele respira e anda de um lado para o outro pensando em como começar, mas não fala nada.

                - Ok – Aquino se cansa do digimon caminhando de um lado para o outro – Pode por favor nos dizer o que sabe.

                - Ah sim! Claro! – Jijimon fala embaraçado – O que querem saber?

                - Esse bicho ta muito gagá mesmo – Gabriel fala irritado.

                - Er... – Leona fala – Por que estamos aqui?

                - Ah sim! – Jijimon fala se lembrando – Pelo mesmo motivo da outra vez. YggDrasil trouxe vocês.

                - Pode por favor nos dizer o que sabe sobre tudo? – Aquino pede ao Digimon levemente irritado.

                - Ah! Sim! Claro! – Jijimon pigarreia – Na última vez que vocês estiveram aqui YggDrasil os chamou por causa da Tríade. Um trio de digimons muito mal. Vocês vieram e os derrotaram. E para garantir a paz no Digimundo YggDrasil deixou os 3 Arcanjos no comando. E a paz reinou no Digimundo brevemente. O que aconteceu foi que algo destruiu YggDrasil. O plano do que causou todo esse caos no Digimundo era destruir YggDrasil para impedir que vocês voltassem, e assim ele pode destruir os arcanjos e o resto dos digimons Destinados. Mas o que esse ser misterioso não sabia é que não é tão fácil assim destruir YggDrasil. Nosso Deus perdeu a maior parte de seus poderes e usou o que tinha para preservar as memórias dos Digimons Destinados e chamar os Humanos de volta para cá. Para isso YggDrasil tomou sua forma humana, conhecida como Mikihara Norn, que para vocês é uma garota humana de olhos azuis.

                - Quer dizer que a garotinha que empurrou a gente no abismo era YggDrasil? – Oliver pergunta chocado.

                - Sim – Jijimon responde – Ela não tinha forças o suficiente para os trazer imediatamente, então ela foi os chamando e os alcançando quanto mais próximos os tempos dos mundos estivessem. No momento em que ela os trouxe foi quando os mundos se sincronizaram em relação ao tempo.

                - E quem foi o causador de tudo isso? – Gabe pergunta confuso.

                - Não sei – Jijimon fala entristecido – nenhum digimon sabe, assim como as suas memórias foram apagadas, as memórias de todos no Digimundo também foram. Não sabemos quem ou o que causou tudo isso.

                - E o que devemos fazer agora? – Guto pergunta aflito.

                - Vocês devem ir atrás das armas destinadas - Jijimon fala – Elas são armas sagradas que preservaram as memorias de quem vocês foram a primeira vez que vieram, e serão necessárias na batalha contra quem quer que esteja por trás de tudo isso.

                - E onde estão as outras armas? – Kelvi pergunta – Pela Ilha Arquivo?

                - Não – Jijimon fala pensativo, como se tentasse mentalizar algo – Existe apenas uma outra arma na Ilha Arquivo. Após recuperá-la vocês devem ir para o continente.

                - E como faremos isso? – Paula pergunta.

                - A arma se encontra na Estação dos Trailmons – Jijimon fala – lá era nosso único contato com o continente. Mas a muito tempo os Trailmons pararam misteriosamente. Eles não saíram mais da estação. Assim que vocês encontrarem a arma vocês devem reativar a estação e usar os Trailmons para irem até o continente.

                - Como sabermos onde localizar as armas no continente? – Ana pergunta.

                - Eu tive visões que podem auxilia-los, eu vi uma planta feroz na floresta tropical no sul do continente. Eu vi ventos tenebrosos no canyon na área central do continente. E eu vi caos e panes elétricas na grande cidade no norte do continente.

                - Então teremos que nos separar? – Ana questiona – Não é melhor ficarmos juntos e irmos atrás de uma de cada vez?

                - O inimigo provavelmente está no continente – Jijimon fala – Assim que vocês chegarem lá estarão em perigo, grande perigo. Sua melhor chance é se separarem e procurarem por todas as armas o mais rápido possível. Quanto mais rápido conseguirem elas, mais fortes vocês serão.

                - Então já sabemos o que fazer! – Aquino fala confiante – Vamos pegar a última arma e rumar para o continente.

                - Mas descansem primeiro – Jijimon fala tentando acalmar o clima – Aproveitem do que a Cidade Arquivo pode lhes oferecer. O restaurante está com um cardápio divino. E eu ganho um desconto se indico muitas pessoas. Hehe!

                Depois de algumas horas de descanso e preparação os Destinados se dirigem para a Estação dos Trailmons. Eles voltam para o bonde e seguem. A estação ficava a apenas uma hora de distância da Cidade Arquivo. O passeio foi nervoso, o clima estava pesado. Eles sabiam que após a batalha que se aproximava eles teriam que se separar e ir para o continente. O continente era muito maior que a Ilha Arquivo e definitivamente mais perigoso e isso estava preocupando o grupo.

                - Olha só – Aquino fala – Sim, vamos ter que nos separar. Mas não tem o que se preocupar, nós chegamos nesse mundo separados. Nos unimos aos poucos e sobrevivemos. E nós já conseguimos defender esse mundo quando éramos crianças, agora vai ser mais fácil ainda. Não digo que vai ser fácil, mas nós temos experiência e força que não tínhamos quando crianças. Seja quem for nosso inimigo ele vai se arrepender de ter mexido com a gente.

                As palavras de Aquino motivam o grupo e o clima melhora, eles agora estavam determinados a seguir em frente. Eles chegam na estação e o local era enorme, grandes trilhos saiam do lugar em várias direções diferentes. Grandes digimons que pareciam trens estavam lá parados como se estivessem sem energia.

                - Esse lugar é enorme – Cauê fala irritado.

                - Vamos se separar – Aquino fala – Se virem qualquer coisa gritem.

                Todos se separam e caminham em direções diferentes, eles procuram pela arma e ficam atentos a qualquer sinal de perigo. Guilmon anda com o nariz para cima farejando o ar.

                - Conseguiu achar alguma coisa Guil? – Gabriel pergunta olhando para todos os lados.

                - Não – Guilmon continua farejando.

                De repente Gabriel e Guilmon ouve um alto grito que se aproxima na direção deles eles se preparam, mas percebem que é Kelvi correndo desesperado com Plotmon em seu colo na direção deles.

                - O que foi? Por que tá correndo? – Gabriel fala no seu tom debochado – Viu alguma barata foi?

                - Aaaaaaaaaaaaaaaaaaah! – Kelvi só grita desesperado.

                Gabriel vê então uma multidão de pequenos digimons atrás dele, eles eram verdes e tinham os olhos saltados e uma grande boca, lembravam lesmas e eram asquerosos. Gabriel checa seu digivice.

                Digidex

                Numemon – Champion – Digimon do tipo molusco. Digimon asqueroso que não tem nem potência de ataque nem inteligência. Técnica especial: Nume Sludge.

                Kelvi passa correndo gritando por Gabriel e Guilmon e eles decidem não ficar ali e correm juntos de Kelvi dos Numemons.

                - Por que eles tão te perseguindo? – Gabriel pergunta correndo ao lado de Kelvi.

                - Eu não sei! – Kelvi grita desesperado – Faz eles pararem!

                - Guilmon! – Gabriel grita para seu parceiro com o punho brilhando.

                - Carregar Digisoul! Evolução!

                Guilmon Digivolve para >>> Growlmon

                Growlmon encara o bando de Numemons que assim que veem o monstro param e correm na direção oposta.

                - Valeu pessoal – Kelvi agradece ofegante – ai que nojo! Aqueles bichos eram horrendos!

                - Calma Kelvi – Plotmon fala dos braços de seu parceiro – Já acabou.

                - É mas aqueles digimons atacaram por algum motivo – Gabriel fala pensativo – Vamos atrás deles e ver pra onde eles foram.

                Gabriel e Growlmon correm na direção que os Numemons fugiram.

                - Ei! Não me deixem aqui! – Kelvi fala manhosamente – Eles podem voltar a qualquer momento.

                Kelvi contrariamente ao que queria segue Gabriel e Growlmon. Eles chegam até o que parecia a área central, onde haviam telas com imagens do lugar inteiro e controles que pareciam fornecer energia para os trens.  Atrás dos controles havia um grande digimon que parecia um urso de pelúcia gigante, mas ele era negro e remendado e aparentava ser mau. Kelvi checa seu digivice.

                Digidex

                WaruMonzaemon – Ultimate – Digimon do tipo marionete. Digimon maligno e desprezível. Não se conhece suas reais motivações. Técnica Especial: Heart Break Attack.

                Os Numemons andavam em volta dele, limpando e servindo bebidas para ele. O grande digimon claramente escravizava os pequenos. Ele olhava para as telas e ria.

                - Hahahahaha! Esses destinados acham que podem simplesmente chegar aqui e dominar meu território – WaruMonzaemon ria – Meus Numemons vão derrotar eles facilmente.

                Nas telas apareciam as imagens do resto do grupo sendo perseguido por Numemons e tentando derrota-los, alguns tentavam desgrudar Numemons que seguravam neles.

                - E tudo isso por causa disso daqui – WaruMonzaemon segura em suas mãos uma pulseira de couro vermelha que tinha um pingente que lembrava um machado – Eles nunca colocaram as mãos nisso.

                - Pyro Blaster! – Growlmon lança uma rajada de fogo que acerta WaruMonzaemon em cheio o fazendo lançar longe a pulseira.

                Os Numemons fogem do fogo e se escondem. WaruMonzaemon se recompõe e percebe Gabriel correndo na direção da pulseira. Ele intercepta Gabriel usando as costas de sua garra lançando o garoto que é segurado por Growlmon.

                - Esse idiota vai precisar de ajuda – Kelvi fala olhando para Plotmon que acena com a cabeça.

                - Carregar Digisoul! Evolução!

                Plotmon Digivolve para >>> Tailmon

                Tailmon corre de onde ela e Kelvi estavam escondidos e acerta um soco em WaruMonzaemon o fazendo recuar. Kelvi corre até Growlmon e Gabriel.

                - Então qual é o plano? – Kelvi pergunta olhando para os lados pra ver se não tem nenhum Numemon por perto.

                - O plano é pegar aquela pulseira! – Gabriel fala determinado.

                Growlmon corre na direção do inimigo que rapidamente ataca com sua garra. Growlmon usa as suas e defende o ataque, mas é empurrado para trás com a força do oponente. Tailmon pula e acerta uma sequência de socos no rosto de WaruMonzaemon, mas não surte efeito, o monstro ataca com sua outra mão lançando Tailmon contra um vagão vazio a fazendo cair fortemente no chão.

                - Tailmon! – Kelvi grita e corre até sua parceira caída.

                Gabriel se aproxima da pulseira, mas um Numemon rapidamente a pega e sai correndo.

                - Ei! Me dá isso aí! – Gabriel fala irritado correndo atrás do Numemon.

                O monstrinho corre com a pulseira nas mãos, Gabriel quase o alcança, mas ele é cercado por vários Numemons que pulam nele e começam a segura-lo preso no chão. Gabriel tenta lutar, mas não consegue, os Numemons o prendem forte. Um Numemon sobe no peito dele e de baixo de seu corpo ele tira uma enorme bosta. Ele ri e ameaça acertar a bosta em Gabriel. De repente o Numemon recebe um tiro certeiro entre os olhos e explode em dados. Um a um os Numemons que prendiam Gabriel também são acertados. Gabriel livre finalmente olha para trás e lá está Oliver com suas pistolas em mão. O garoto assopra o cano das duas seguidamente e sorri para Gabriel. Oliver vai até ele e o ajuda a levantar.

                - Eu achei que os monstrinhos estavam segurando vocês – Gabriel fala levantando.

                - Acha mesmo que esse monte de bosta pode segurar a gente por muito tempo? – Oliver fala sorrindo.

                Gabriel se vira procurando o Numemon ladrão e o avista.

                - Volta aqui sua lesma assaltante! – Ele corre irritado atrás do digimon.

                O Numemon foge apavorado e outros Numemons tentam parar Gabriel, mas recebem tiros de Oliver que corria atrás do garoto. O Numemon acaba chegando num beco sem saída e Gabriel se aproxima mais dele irritado. Sem que nenhum dos dois percebesse sua presença Ana pula de cima do contêiner que trancava a passagem e com a Besta esmaga e destrói o Numemon deixando Gabriel e Oliver de boca aberta, surpresos pela aparição dela. Ana pega a pulseira do chão e estende para Gabriel olhando sedutoramente para o garoto.

                - Ta aqui gatinho – Ana fala sorrindo para Gabriel.

                Gabriel olha meio desconfiado mas estende a mão até a pulseira, ele ouve a voz de YggDrasil.

                - Me ajude! Me salve! Se salve! Se lembre!

                Gabriel pegou a pulseira na mão e ela sozinha se colocou no pulso dele. Ele se lembrou de tudo e olhou sorrindo na direção de WaruMonzaemon, que a essa altura lutava com Growlmon, Wizardmon e Gaogamon.

                - Agora o bicho vai pegar! – Gabriel fala sorrindo malignamente.

                A pulseira dele brilha e desparece e em suas mãos um grande machado prata com detalhes em vermelho surge.

                - Furia! – Ele olha alegre para seu machado – Papai sentiu sua falta!

                Ele caminha na direção de WaruMonzaemon arrastando o machado no chão, o inimigo se vira e percebe que Gabriel ativou a arma.

                - Seu Maldito! – O monstro fala irritado para Gabriel – Não era pra você ativar a arma.

                - Que peninha não? – Gabriel fala com seu sorriso sarcástico e corre na direção do monstro ainda arrastando a Furia.

                Ele levanta o machado com toda a força centímetros de distância do corpo de WaruMonzaemon, mas junto com o machado uma chama sobe do chão queimando as costas do monstro. O monstro grita de dor. Gabriel pula e acerta dois golpes seguidos criando um enorme xis nas costas de WaruMonzaemon.

                - Maldito! – WaruMonzaemon urra de dor.

                - E ai gente! – Aquino fala chegando a seus amigos seguido pelo resto do grupo – Eu ia perguntar se vocês precisam de ajuda, mas vejo que não.

                - Ora Aquino sempre tem espaço pra mais um – Gabriel fala alegremente – Ei! Pensando bem essa é nossa última luta juntos por um tempo. Que tal se todos nos uníssemos como uma bela família e destruíssemos juntos esse monstro?

                - Ótima ideia! – Aquino fala alegremente.

                Aquino corre e Gabriel corre a seu lado, eles atacam o monstro juntos com suas armas. Ana corre e com a Besta acerta o queixo do monstro o levantando no ar. Oliver acerta WaruMonzaemon com vários tiros de pistola antes que ele voltasse ao chão. Tailmon, Turuiemon e Chrysalimon avançam no oponente.

                - Lightning Claw! – Tailmon acerta WaruMonzaemon com sua garra.

                - Gauntlet Claw! – Turuiemon ataca com suas manoplas.

                - Data Crusher! – Chrysalimon ataca com seus tentáculos.

                Os outros digimons cercam o monstro e atacam.

                - Aquary Pressure!

                - Pyro Blaster!

                - Brezza Petalo!

                - Electro Squall!

                - Needle Spray!

                - Hand of Fate!

                - Spiral Blow!

                Os ataques acertam WaruMonzaemon em cheio destruindo o digimon. Os Destinados comemoram sua vitória. Aquino vai até os controles e puxa uma alavanca que causa um grande barulho. Um digimon em forma de trem se aproxima deles pelos trilhos.

                - O que aconteceu? – O Trailmon pergunta – Parece que eu estou dormindo a séculos.

                - Mas agora já está acordado e pronto pra ir até o continente? – Aquino pergunta.

                - Com certeza! – O grande Trailmon solta um apito animado – Preparem-se passageiros o Trailmon para o sul do continente sai em cinco minutos.

                - Então é isso – Aquino se vira para seus amigos – Chegou a hora da gente se separar, momentaneamente, mas por um motivo maior.

                - Então como vai ser a separação? – Leona pergunta meio triste por ter que se separar de alguns de seus amigos.

                - Bom pelo que Jijimon falou a arma do Gabe está no sul, a da Leona no centro e a da Paula no norte. Eu acho que pelo menos um Destinado com sua arma sagrada deve acompanhar cada grupo. Então Gabriel vai com a Leona, Ana vai com a Paula, eu vou com o Gabe.

                - Tá e o resto de nós? – Cauê pergunta – fica aqui bem bonitos esperando vocês voltarem?

                - Não – Aquino fala revirando os olhos – Guto vem com a gente, porque eu não quero separar o casal imperial.

                - O Kelvi vem com a gente – Gabriel fala abraçando Kelvi de lado – Vai ser divertido.

                - O Cauê vem com a gente então – Ana fala meio desinteressada.

                - Oliver tu vem com a gente então – Aquino fala – eu também não quero separar o casal Wizard e Witch.

                Witchmon dá um tapa na cabeça de Aquino.

                - Nós não somos um casal! – Ela fala irritada.

                - Ai! Ta bom! – Aquino olha para seus amigos e suspira – A gente vai se ver logo. Qualquer coisa, chamem pelo digivice.

                Eles se despedem uns dos outros e embarcam em diferentes Trailmons. Cada um seguindo em uma direção diferente no continente. Depois de pouco tempo juntos os Destinados são obrigados a se separar. Que perigos os aguardam no continente? E quem será o causador de tudo o que acontece no Digimundo? O destino deles está cada vez mais próximo de se concretizar.


Notas Finais


E as aventuras na Ilha Arquivo acabaram por agora kkkkk
Agora eles rumam ao continente atrás das outras armas destinadas, mas será que vai ser tão simples assim?
Eu já digo que não vai ser kkkkkkkkk
E as coisas começam a se desenrolar na fic.
Então preparem-se, porque o destino deles está só começando.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...