História Digimon Kizuna - Capítulo 44


Escrita por: ~

Postado
Categorias Digimon
Exibições 8
Palavras 1.749
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Fantasia, Magia, Universo Alternativo

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 44 - Mal pressentimento


Fanfic / Fanfiction Digimon Kizuna - Capítulo 44 - Mal pressentimento

Há um dia navegando, os digiescolhidos não viam a hora de chegar em terra firme. Mas até lá, faltavam alguns desafios a superar.

 

Ryota: Quer tirar esse sorriso da cara?

Akira: Ei, qual foi?

Ryota: Tá estampado na sua cara, que está ansioso por mais um batalha. Parece uma criança.

Akira: Cale-se! I-Isso não é verdade! (envergonhado)

 

Claro que era verdade. Akira sentia uma forte atração por batalhas, e a próxima seria contra o Segundo Kanzentai Elementar. Porém, Kenichi também se sentia assim, e estava disposto a não perder para ele.

 

Kenichi: Quanto antes chegarmos, melhor. Você está pronto, Hackmon?

Hackmon: Você já sabe minha resposta. Não há necessidade de responder novamente.

Akira: Hahahaha! Que pena, não é, Kenichi? Talvez o seu parceiro não esteja no mesmo pique do meu. Né, Agu...

 

Para a surpresa de Akira, Agumon estava dormindo.

 

Akira: Mas que folga! Acorda aí!

Agumon: Ai! A gente já chegou?

Hana: Garotos...

Plotmon: Nunca vamos entendê-los.

 

Enquanto os meninos brigavam, Hana pensava em Mizuki. Já fazia um bom tempo em que eles não a viam. A menina se perguntava o que havia acontecido com ela.

 

Plotmon: Algum problema, Hana?

Hana: Hum? Nada não. Estou ótima. Talvez seja o Plesiomon que esteja cansado de ter que nos levar.

Plesiomon: Não se preocupem. Estou bem. Falta pouco para chegarmos.

Kenichi: Jura?

Akira: Mesmo mesmo?

Plesiomon: Haha, sim. Mas, tenham cuidado.

Dorumon: Cuidado com o quê?

Plesiomon: O tempo está fechando, as nuvens estão carregadas. Certamente teremos que enfrentar uma tempestade.

 

Momento de tensão. A notícia deixou todos, um pouco assustados. Tudo indicava que a tempestade estava próxima. E sobreviver a ela, não seria tão fácil.

 

Akira: Fiquem calmos! Haja o que houver, não entrem em pânico.

Kenichi: Como não iremos entrar em pânico? Por que não para de tentar bancar o maneiro?

Ryota: Ele tem razão.

Hana: Meninos, já chega! Ken-kun, por favor!

Akira: Eu só estou tentando ajudar!

Kenichi: Que nobre da sua parte!

 

Akira parou de falar, e foi andando calmamente até Kenichi.

 

Kenichi: O que foi?

 

Akira deu-lhe um soco.

 

Hana: Yamada-kun!

Akira: Idiota. Meus amigos são mais importantes do que qualquer coisa.

Ryota: Humpf!

 

Kenichi escutou aquilo tudo, segurando a mão na nariz. Logo depois, sentiu culpa de si mesmo.

 

Agumon: Tá chovendo!

Dorumon: Essa não...

 

As primeiras gotas de chuva começavam a cair. E o mar começava a ficar agitado.

 

Plesiomon: Aguentem firme, pessoal!

 

Trovões ecoaram à distância. As correntes marítimas avançam furiosamente. A chuva torna-se abundante, e o tempo escuro dificulta a visibilidade. Inicia-se a tempestade.

 

Plesiomon: Não desistam digiescolhidos!

Akira: Não se preocupe! Chegamos longe demais apara desistir!

 

Kenichi observava Akira, e percebia que seu posto de líder não era em vão. Ele tinha mesmo o jeito da coisa. Suas ações e palavras refletiam como as de herói. No fundo, Kenichi só estava com um pouco de inveja do amigo. Já fazia algum tempo que Akira havia o incentivado a seguir seu próprio caminho. Kenichi parecia ter voltado ao mesmo dilema. Só que acabou se esquecendo disso.

 

Dorumon: Isso não é bom.

Ryota: O que foi, Dorumon?

Dorumon: Sinto uma presença maligna. Está bem perto de nós.

 

Mais uma notícia ruim. A natureza já estava contra eles, e agora havia um novo inimigo. E naquela situação, defender-se de um ataque era quase impossível.

 

Plotmon: Eu também sinto. Ele está perto.

Agumon: Seja qual for, acabarei com ele.

 

Hackmon também estava atento aos arredores. Todos os digimons estavam suando frio, pois não conseguiam identificar sua localização exata.

 

Dorumon: Ali está!

 

Vindos do céu, alguns raios o iluminaram. O inimigo foi descoberto. Ele era o...

 

Hackmon: WaruSeadramon, um digimon perfeito.

Hana: Que droga! Será que só vamos encontrar digimons perfeitos daqui para a frente?

WaruSeadramon: ROAR!

 

Dando um rugido estridente, WaruSeadramon indicava sua hostilidade contra eles. Plesiomon, que carregava os garotos nas costas, não poderia atacá-lo.

 

Agumon: Amigão, vamos nessa!

Akira: Certo!

 

Kenichi sentiu inveja dos dois. Por que eles conseguiram o Kanzentai, e ele ainda não?

 

Akira: É agora!

???: BLOWBACK BREATH!

 

Um jato de energia veio do nada, e atingiu WaruSeadramon em cheio. O mesmo foi destruído instantaneamente.

 

Plotmon: Isso foi demais, Agumon!

Agumon: Não seja burra, isso não foi eu!

 

Ao olhar para o céu, Akira mal pôde acreditar. O mesmo digimon que havia encontrado na ilha, estava bem acima dele.

 

Akira: É-É ele!

Ryota: Do que está falando?

Akira: Eu encontrei aquele digimon na ilha onde estávamos. Foi ele que me deu um baita susto!

 

O lobo misterioso continuou ali, parado. Akira continuou observando, e percebeu algo. Ele não parecia mais assustador. Era como se fosse um aliado importante.

 

Akira: Ei, você!

 

Ignorando Akira, e os outros, o lobo misterioso foi embora.

 

Akira: E-Ei, volta aqui!

Hana: Ele já está muito longe. Nem adianta gritar.

Akira: Eu queria conhecê-lo melhor...

 

Como um passe de mágica, a tempestade foi se dissipando. O sol foi aparecendo, e o mar voltou a ser calmo. Os digiescolhidos sobrevivem ilesos.

 

Plotmon: Que bom, a tempestade acabou.

Agumon: Eu nem aguento esperar. Vamos logo acabar com uns caras maus, e...

Dorumon: Cale-se!

 

Enquanto todos sorriam felizes, Kenichi permanecia cabisbaixo. Sua tristeza, e dor eram irreparáveis. Tudo levava para um novo cenário, onde Akira salva o dia mais uma vez.

 

Hackmon: Nós vamos conseguir.

Kenichi: O quê?! Do que está falando?

Hackmon: Acha mesmo que eu não percebi? Está incomodado, porque ainda não fui capaz de evoluir para o Kanzentai.

Kenichi: Não é isso. Não tem nada a ver, não...

 

Zangado, Hackmon lhe arranha com as garras. Kenichi se controla para não chorar.

 

Kenichi: Ai!

Hackmon: Já disse que você não consegue esconder nada de mim.

Kenichi; Tá, tá bom, eu admito. Estou um pouco chateado. Por que desse jeito pareço estar um passo atrás de...

Akira: Mim?

 

Kenichi engole a seco. Akira estava o escutando.

 

Kenichi: Não devia ficar ouvindo a conversa dos outros.

Akira: Desculpe. Não deu para evitar. Você ainda está na mesma daquela vez? Achei que suas dúvidas já tiham ido embora.

Kenichi: Eu sei, mas... Mas tem você, Ryota-san, Mizuki-san... Todos atingiram o Kanzentai de seus parceiros. E eu, que me considerava fã número 1 de monstros digitais, não consegui.

Hana: Ei, eu ainda não...

Kenichi: A questão é que... Já pude ver que todos aqui são dotados de grandes habilidades e poder. Como vou poder superá-los? E como posso ser útil sendo que nossos inimigos estão ficando cada vez mais fortes?

 

Todos ficaram quietos. Akira sorriu.

 

Akira: Lembra da nossa primeira luta? IceDevimon quase fez picadinho da gente.

Kenichi: Haha, como não lembrar. Aquele dia foi... Demais.

Akita: Nenhum de nós estava preparado. Mas no final, tudo deu certo.

 

Kenichi passou a prestar mais atenção.

 

Akira: Sem dúvida alguma, só venci porque vocês estavam lá. Era por isso que Agumon pôde evoluir.

Agumon: É verdade!

Kenichi: Akira-san...

Akira: Evoluimos quando precisamos. Enão quando queremos.

 

O sol brilhou na frente de Akira mais uma vez. Kenichi encheu-se de esperança.

 

Akira: Pois é, né? Isso é algo bem lógico. Assisti todos os animes da franquia, e isso sempre acontece. Me admira você, ainda não saber disso.

Kenichi: Ei!

 

Mesmo daquele jeito torto, Akira acalmou o espírito de Kenichi.

 

Plesiomon: Pessoal, estamos quase lá!

Hana: Uau! Eu já consigo ver!

 

A ilha do Pesadelo Profundo. Um território vasto, cercado por muita névoa, e neblina.

 

Dorumon: Nós vamos lutar, Ryota?

Ryota: Infelizmente.

Akira: Ora, seu folgado...

 

Plesiomon desembarcou os digiescolhidos na ilha, e preparava-se para ir embora.

 

Akira: Obrigado, Plesiomon.

Plesiomon: Foi um prazer. Agora, contamos com vocês para que salvem o mundo.

Kenichi: Pode deixar com a gente!

 

Kenichi deu um sorriso, e tentou parecer legal. Todos se seguraram para rir, mas conseguiram disfarçar. Plesiomon voltou para o fundo do oceano.

 

Hana: Então, é nesse lugar assustador que vamos encontrar nosso inimigo?

Akira: Para de reclamar. Poderia ser bem pior, sabia?

 

Mesmo assim, a ilha era de arrepiar. Era um local sombrio. Sons estranhos escutavam-se aos arredores. A névoa dificultava a visibilidade. Era difícil para caminhar, e enxergar.

 

Hackmon: Não tenha medo, Kenichi.

Kenichi: E-Eu não tô com medo! Que ideia!

Akira: Acalmem-se todos! E fiquem juntos. Desse jeito podemos nos perder fácil.

 

Minutos de caminhada depois, tudo indicava que eles não estavam chegando a lugar algum.

 

Akira: Pela amor de Yggdrasil, onde nós...

Plotmon: AHHH!

Agumon: Credo, o que aconteceu?

Plotmon: A Hana...

Akira: Calma, Plotmon. O que houve com Maeda?

Plotmon: Ela sumiu!

Akira: De novo?

Dorumon: Não! Ryota também não está aqui!

Kenichi: O quê?!

 

Suspense. O medo toma conta do local. Hana, e Ryota estão desaparecidos. E não há qualquer pista de seus sumiços.

 

Akira: Calma, pessoa! Fiquem calmos! Ken, faça alguma coisa!

Kenichi: Eu? Mas você que é o líder!

Hackmon: A Plotmon desapareceu!

Akira: Agumon, cadê você?!

 

Todos estavam desaparecendo na névoa. Kenichi era quem estava mais nervoso. Não era possível ver, nem sentir coisa alguma.

 

Hackmon: Dorumon e Akira também se foram. Parece que somos só nós dois, Kenichi.

Kenichi: O que nós vamos fazer? E-Eu não quero ficar sozinho!

 

De repente, a névoa começou a se dissipar.A visão foi tornando-se mais clara.

 

Kenichi: Ei, eu consigo ver!

Hackmon: Mais importante, onde estamos?

Akira: Ei, seus cabeçudos!

 

Akira e todos os outros estavam alguns metros atrás deles.

 

Todos se reuniram novamente. Mas o mais importante, todos haviam sido teletransportados da ilha. Aquele era um lugar totalmente estranho. Nem parecia mais ser o Digimundo.

 

Akira: Daria tudo para saber que lugar é esse.

Hana: Nunca vi igual.

Ryota: É como se uma fosse uma realidade totalmente diferente.

 

Kenichi fechou os olhos, e pôs se a pensar.

 

Kenichi: Não pode ser. Aqui não pode ser o...

???: ROOOAAARRR!

 

Uma nova criatura estava oculta nas sombras. Mas estava um pouco mais distante. Sobre o mar.

 

Kenichi: Aquele farol, essa ausência de luz, essa neblina. Não tenho dúvidas.

Akira: Desembucha, cara!

Kenichi: Este é o mar de Dagomon.

 

Do Mundo Digital, os digiescolhidos acabam indo parar no mar negro. E o Segundo Kanzentai Elementar é Dagomon! Que surpresas emocionantes virão a seguir?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...