História Digimon Kizuna - Capítulo 55


Escrita por: ~

Postado
Categorias Digimon
Exibições 5
Palavras 2.014
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Fantasia, Magia, Universo Alternativo

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 55 - Verdadeira força


Fanfic / Fanfiction Digimon Kizuna - Capítulo 55 - Verdadeira força

Hana: E então? O que me diz?

 

Aos poucos, Hana estava acalmando o coração de Mizuki. Disposta a acabar com o sofrimento da garota, ela não mediria esforços. E na melhor hora, Hana pede para ser sua amiga.

 

Mizuki: E-Eu... Bem...

Hana: Vem comigo!

 

Hana estende sua mão e deixa Mizuki num dilema. Aceitar ou não aceitar? Seria mesmo certo, trocar de repente de lado?

 

Cerberumon: Você é muito cara de pau, hein?

 

Antes que pudesse responder, alguém a interrompe. Cerberumon estava furioso.

 

Hana: Ei, que negócio é esse? Não vê que está atrapalhando o nosso momento?

Cerberumon: Você não tem coração, Mizuki? Como pode se aproveitar de tamanha bondade dessa garota?

Mizuki: Não, eu não penso assim!

 

Cerberumon estava tentando manipular a situação. Ele queria que Hana perdesse a confiança nela.

 

Cerberumon: Acha mesmo que pode nos abandonar e sair como se nada tivesse acontecido?

Mizuki: M-Mas...

Hana: Deixe-a em paz! Está deixando-a a assustada.

 

Tentando não partir para violência, Cerberumon tentava fazer um jogo mental com as duas.

 

Cerberumon: Vou lhe dizer uma coisa. Está vendo essa garota? Tão meiga e com carinha fofa, não é? Só que não.

Mizuki: Não conte, por favor!

Hana: Contar o quê, gente? Tô entendendo nada.

 

Dando um sorriso escancarado, Cerberumon continuou.

 

Cerberumon: Mizuki foi a primeira dentre os digiescolhidos a chegar neste lugar. Ela descobriu toda a história e ficou por dentro da atual batalha. Porém, ela rejeitou sua missão e aliou-se ao Leviamon.

Hana: Tá, mas eu já sabia de boa parte disso.

Cerberumon: Isso não é tudo. Quando se tornou serva de Leviamon, ela se tornou a ''tirana'' do Mundo Digital.

 

Hana, que não estava dando bola, passou a prestar mais atenção.

 

Cerberumon: Somente para proteger nosso mestre, Mizuki lutou contra diversos digimons. Isso para poder formar um pequeno exército.

Hana: Uau, isso é demais! Que legal, Mizuki. Isso é que é ter presença por onde passa.

 

Porém, Mizuki não estava feliz e nem olhando nos olhos dela. Ainda faltava algo a saber.

 

Cerberumon: Dentre os digimons com quem lutou, alguns foram nomeados para ser integrantes do exército. Já os outros...

Hana: O que tem eles?

Cerberumon: Bem, aqueles que considerava fracos, Mizuki simplesmente os matava.

 

Uma grande revelação sobre Mizuki! Qual seria a reação de Hana?

 

Cerberumon: Vários deles, centenas de digimons... Foram mortos a sangue frio pelas mãos de Mizuki Ono.

Tyilinmon: Cerberumon, seu maldito!

Cerberumon: Calado!

 

Cerberumon estava ansioso para ver como Hana iria reagir. Porém, teve uma surpresa.

 

Hana: Tá, mas e daí?

Cerberumon: Quê??!

 

Inesperadamente, Hana reagiu sem nenhuma surpresa.

 

Hana: Tá, gente, eu já entendi. Exército, matar digimons... Foi vacilo dela mesmo. Mas... Não há erro que não possa ser consertado.

Mizuki: Você...

 

Hana olhou contente para Mizuki.

 

Hana: Se ela errou no passado, ela tem a chance de consertar no presente. E eu estarei aqui para o que ela precisar!

Mizuki: Hana...

 

Os planos de Cerberumon estavam indo por água abaixo. Aquilo só a deixou mais íntimas ainda.

 

Cerberumon: Sua vadia!

Hana: Ei, olha essa língua!

 

Cerberumon estava prestes a explodir. Isso porque seus métodos não funcionavam.

 

Cerberumon: Mizuki, você nos traiu! Você... Não vai ficar impune!

Tyilinmon: Eu quero ver tentar!

 

Tyilinmon colocou-se na frente das duas. Seria ele quem as protegeria, já que Witchmon não tinha condições.

 

Cerberumon: Vai se arrepender.

Tyilinmon: Jamais.

 

Correndo em alta velocidade, Tyilinmon tetava confundi-lo. A ultra-velocidade criava vários clones seus.

 

Cerberumon: Cansei de assistir isso...

Tyilinmon: Muito lento! SOARING SWORD!

 

Deixando a camuflagem, Tyilinmon investe tudo num ataque frontal, usando seu chifre.

 

Cerberumon: HELL FIRE!

Mizuki: Não!

 

Já familiarizado com aquela técnica, Cerberumon previu o ataque de Tyilinmon, contra-atacando prontamente.

 

Kudamon: Argh!

Mizuki: Kudamon, você está bem?

 

O ataque acertou em cheio. As chamas infernais enfraqueceram bastante Kudamon, que era um digimon sagrado. Por isso, sofreu danos sérios.

 

Mizuki: Kudamon, acorde! Kudamon!

Hana: Ei! Vocês não eram amigos?

Cerberumon: Amigos? Quanta bobagem.

 

Hana viu o desespero de Mizuki. Kudamon não estava nada bem.

 

Mizuki: Você não pode me deixar! Eu não quero ficar sozinha!

Hana: Sozinha?

 

FlashBack – 5 anos atrás

 

Hana: Mais forte, mais forte, papai!

Pai de Hana: Ah, pode deixar!

Hana: Eba!

 

Nas tardes ensolaradas, Hana costumava brincar com seu pai no parque. Os dois se divertiam muito.

 

Hana: Papai, eu te amo!

Pai: Também amo você, querida.

 

Para Hana, seu pai era o maior herói que ela conhecia. A menina o adorava, e não sabia viver sem ele por perto.

 

Hana: Mamãe, já cheguei!

 

Era um dia como outro qualquer. A doméstica da casa pegou Hana na escola e a trouxe de volta.

 

Mãe: Bem vinda, querida. Como foi a aula?

Hana: Foi legal. Mas... que mala é essa? Você vai viajar?

 

Hana ficou intrigada com algumas malas que estavam no meio da sala.

 

Mãe: Elas são do seu pai.

Hana: Do papai?

Pai: Pronto, agora eu já peguei tudo o que...

 

O pai de Hana surpreende-se ao ver a filha.

 

Hana: O senhor vai viajar, papai?

Pai: Hana...

 

Minutos depois, o pai de Hana e ela estavam no alpendre. Ali que eles se despediriam.

 

Mãe: Faça o favor de não demorar.

Pai: Está tudo bem.

 

Hana não entendia o que estava acontecendo. Seu pai estava de saída, e ela não fazia ideia para onde. A menina estava triste ao ver seu pai indo embora.

 

Hana: O senhor... vai voltar logo?

Pai: Um dia. Talvez, um dia.

Hana: Não! Onde o senhor está indo? Eu quero saber! Por favoe, papai!

 

A menina começava a chorar e seu pai a abraça.

 

Hana: Eu não quero ficar sem você. Não quero ficar sozinha!

Pai: Está tudo bem. Eu sempre vou estar aqui.

 

Tocando em seu coração, o pai de Hana sorri. Mas a menina não estava sabendo lidar com a partida.

 

Hana: Não vá embora. Não!

 

E assim, ele foi. Era uma noite chuvosa. O pai de Hana deixava a casa para nunca mais voltar. Após saber da traição do marido, sua mulher o expulsa. Mesmo pedindo perdão e uma segunda chance, sua sentença é a mesma. Porém, Hana era muito pequena para entender isso. A única coisa que ela sabia era que seu herói estava indo embora, sem mais nem menos.

 

Fim do Flashback

 

Mizuki: Kudamon!

 

Hana sabia o quão doloroso era ficar sozinha. Mas ela nunca deixou que aquilo a afetasse. Sempre com um sorriso no rosto, Hana aprendeu a ser forte. E agora, ela deveria usar essa força para poder ajudar Mizuki.

 

???: Você é a Hana-san, não é?

Hana: O quê?!

 

Misteriosamente, uma garota apareceu. Ninguém jamais havia a visto antes.

 

Hana: Quem é você?

Eri: Nada menos que o centro do universo. Eri Karan!

 

Chegou a vez de Hana receber a visita especial. Mas o modo como ela tinha chegado ali era um mistério.

 

Cerberumon: Isso é impossível! Como foi que entrou aqui?

Eri: Isso não vem ao caso. Eu vim por ela.

Hana: Hã? Por mim?

 

Hana estava encantada com a presença de Eri. Uma ídolo pop veio vê-la!

 

Eri: Já sabe o que deve fazer, não é?

Hana: Sim, eu já sei.

Eri: Aquela garota precisa de você. Dê um super soco no coração dela, para trazê-la de volta!

 

Mizuki ainda estava triste pelo estado de Kudamon. Hana já sabia o que devia fazer.

 

Eri: Bem, meu trabalho já está resolvido. Bye bye!

Hana: Muito obrigado!

 

E com seu appli drive, Eri desapareceu do Inferno de Cerberumon.

 

Hana: Droga! Nem peguei seu autógrafo.

Witchmon: Ha-Hana...

 

Recuperando a consciência, Witchmon chamava pela parceira.

 

Cerberumon: Preciso acabar logo com isso.

Hana: Witchmon, você está bem?

Witchmon: S-Sim, obrigado.

 

Cerberumon olhava para Mizuki, e mal se aguentava. Seu desejo era de pôr suas presas nela.

 

Hana: Não vou deixar você levar minha amiga. Ela não vai voltar!

Cerberumon: O quê?!

 

Mizuki observava emocionada. Hana já a chamava de amiga. Isso a deixou contente.

 

Mizuki: Não vou abandoná-la. Ela jamais ficará sozinha!

 

E dizendo isso, seu digivice começa a brilhar. Finalmente é chegada a hora!

 

Witchmon: WITCHMON CHOU SHINKAAAAA MISTYMON!

 

A determinação de Hana faz Plotmon atingir o nível perfeito. Mistymon, o guerreiro mágico.

 

Cerberumon: Não adianta. Você não é páreo para mim.

Hana: É o que nós vamos ver.

 

Mizuki presenciava aquilo emocionada. Hana estava lutando por ela.

 

Cerberumon: HELL FIRE!

Mizuki: Cuidado!

 

Mistymon não esboçou nenhuma reação. A única coisa que fez, foi estender a espada na frente de seu corpo.

 

Cerberumon: Não pode ser!

 

A espada de Mistymon absorveu todas chamas. Todos ficaram impressionados.

 

Mizuki: Incrível.

Kudamon: Mizuki...

Mizuki: Kudamon!

 

O parceiro da garota finalmente desperta. Mizuki se enche de alegria.

 

Hana: Não é legal ficar com as coisas dos outros. Mistymon, devolva.

Mistymon: Entendido.

 

E apontando a espada para Cerberumon, Mistymon devolve as chamas, com uma carga ainda maior.

 

Mistymon: BLAST FIRE!

Cerberumon: Não!

 

O impacto gera uma explosão. Cerberumon é finalmente derrotado.

 

Kudamon: Eles conseguiram...

Hana: Beleza!

 

Comemorando a vitória, Hana fica eufórica. Ela mostrou sua verdadeira força de batalha.

 

Mistymon: Vocês estão bem?

Mizuki: Sim, obrigada.

 

Hana chega mais perto de Mizuki e dá um sorriso.

 

Hana: Deu tudo certo, não é?

Mizuki: Acho que sim...

 

Mizuki estava muito envergonhada. Ela ainda tinha que dar a resposta para Hana.

 

Mizuki: Sabe aquela pergunta que você fez? Eu já sei a minha resposta.

Hana: Que bom! E qual é...

 

Mizuki não se contém e a abraça.

 

Mizuki: Eu quero sim! Quero muito ser sua amiga! Obrigada.

Hana: Imagina. Amigo é pra essas coisas.

 

De repente, o Inferno de Cerberumon começa a desaparecer. As duas retornam para o templo do céu.

 

Hana: Meninos, voltamos!

 

Olhando ao redor, as duas não conseguiam vê-los.

 

Hana: Vamos dar uma olhada.

Mizuki: Sim!

 

Correndo o mais rápido que podiam, Hana e Mizuki acabaram os encontrados. Mas a cena que viram, era assustadora.

 

Hana: Pessoal!

 

Hana assustou-se ao ver o que havia acontecido. Agumon e Hackmon derrotados. Akira e Kenichi também estavam feridos. O templo encontrava-se em ruínas.

 

Akira: Maeda!

 

Chegando mais perto, as dus foram tentar ajudá-los.

 

Mizuki: O que houve por aqui?

Kenichi: HolyAngemon... Era forte demais.

Akira: Nós não conseguimos fazer nada. Que merda!

 

Chorando de raiva, Akira se lamentava por não ter sido capaz de salvar o amigo.

 

Hana: Onde ele está?

HolyAngemon: Bem aqui.

 

Surpreendidas, Hana e Mizuki se deparam com HolyAngemon. Aparecendo pelas costas, o anjo as atacou.

 

Mistymon: Argh!

 

Golpeado pela espada, Mistymon voltou a ser Plotmon.

 

Hana: Maldito!

 

Mizuki e Hana são chutadas por ele. HolyAngemon parecia não ter fraquezas.

 

HolyAngemon: Está na hora de eliminá-los para sempre.

 

Voando para cima, HolyAngemon desenha um círculo no céu.

 

Akira: O que ele está fazendo?

 

O círculo se torna um portal. E de repente, ele se abre.

 

HolyAngemon: HEAVEN´S GATE!

Kenichi: O quê?!

 

Surge uma ventania forte. O portal começava a sugar tudo para dentro dele.

 

Mizuki: Se formos sugados para dentro do portal, ficaremos presos para sempre em outra dimensão.

Hana: Segurem-se em algo!

 

Pedaços do templo, estátuas e vários objetos estavam sendo sugados. O lugar inteiro estava sendo destruído. Parecia não haver esperança alguma para eles.

 

Kenichi: O que nós vamos fazer?

Hana: Desse jeito, o Mundo Digital...

Mizuki: Não terá salvação.

 

Akira via tudo aquilo e sentia raiva de si mesmo. Ele não sabia mesmo o que deveria fazer.

 

Akira: Que merda!

 

Repleto de frustrações, Akira gritava com todas as forças. Mas quem poderia escutá-lo?

 

???: Z'D HOU!

 

De repente, um tiro de energia é disparado contra o portal de HolyAngemon. O mesmo é destruído.

 

HolyAngemon: Maldito seja! Quem foi o responsável?

 

Todos olharam para o céu. E Akira mal pôde acreditar no que vira. O mesmo lobo metálico que já vira antes.

 

Akira: É ele...

 

Por que esse lobo vivia na sombra de Akira? Era um grande mistério. Seja o que for, foi graças e ele que conseguiram sobreviver.

 

Hana: Pessoal, vejam!

Kenichi: Tem alguém montado nele.

 

Porém, ele estava muito no alto. Mal conseguia-se enxergar.

 

???: Você me parece abatido, Akira.

Akira: Não pode ser...

 

Saltando de cima do lobo, ele cai com estilo até o chão.

 

Akira: Ryota!

 

O retorno do badboy! Ryota reaparece, e pela primeira vez, os cinco digiescolhidos se reúnem!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...