História Digimon Revolution - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Digimon
Personagens Personagens Originais
Exibições 16
Palavras 2.961
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Colegial, Comédia, Escolar, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Super Power, Universo Alternativo, Visual Novel, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Depois de muito tempo eu voltei pra essa fanfic. Essa fanfic vai ter influencia de todas as temporadas, então não estranhem se acharem algo semelhante.
A história irá acontecer nos Estados Unidos, mas precisamente em New York.
Eu que fiz a capa, espero que não esteja ruim!
Espero que gostem da Historia, que tem sinopse e personagens novos.
=)
Vamos a leitura!

Capítulo 1 - Andrew é o escolhido! Surge Agumon!


Fanfic / Fanfiction Digimon Revolution - Capítulo 1 - Andrew é o escolhido! Surge Agumon!

Na Distorção Digital 01/09

Correndo velozmente um réptil com uma coloração que lembra âmbar de cor laranja, grandes olhos verdes, possui braços achatados e grandes garras, sua cabeça e seu focinho são grandes quanto seu corpo, ele deveria ter quarenta centímetros de altura, era um Digimon uma criatura digital e seu nome era Agumon. Agumon fugia de diversos outros digimons que o perseguiam sobre as ordens dele.

-Eu tenho que sair daqui. – Agumon disse apressado.

Ele soltou pequenos bolas de fogo em seus perseguidores para distraí-los.

Foi então que Agumon viu uma pequena fenda brilhante se abrir diante dele, não pensou duas vezes ele pulou diretamente na fenda.

 

New York – Upper East Side - 01/09

Em uma grande Biblioteca sentado em uma das diversas mesas, um garoto de cabelos pretos, olhos azuis céu escondido atrás de óculos de grau preto e pele branca lia um livro de aventura. O garoto estava usando uma camisa de manga vermelha com alguns detalhes pretos, calça jeans e all star preto um pouco sujo, a cima da mesa estava sua mochila preta. Esse é Andrew Chase, tem 17 anos e está no 11° ano.

Andrew pegou o celular e viu que já faltava dez minutos para dar cinco horas, ele se levantou e colocou o livro que estava lendo dentro da mochila e andou até a mesa onde a srªMontês fica já que é a encarregada da biblioteca.

-SrªMontês eu já estou indo. – Disse Andrew sorrindo.

-Está gostando do livro Andrew? – Perguntou Srª Montês.

-Sim, ele é bem interessante e tem muitas aventuras! E o protagonista está fazendo muitas amizades. – Disse Andrew sorrindo.

-Esse protagonista me lembra um pouco de você Andrew. – Disse a Srª Montês.

-Jura? – Perguntou Andrew confuso.

O protagonista do livro era um garoto, inteligente, corajoso e com muitos amigos. A única coisa que Andrew e o protagonista tinham em comum era a inteligência, coragem era algo que Andrew não tinha muito, pois ele tinha medo até mesmo de rato e o protagonista tinha um dragão de estimação, tudo bem que é tudo ficção, mas um dragão é um dragão. E a questão de amigos, Andrew é muito tímido então tem dificuldades de fazer amizades e foca muito nos estudos, logo não vai nas festas que seus colegas de classe fazem, no total ele deve ter apenas alguns amigos.

-Sim, você tem esse tipo de aura que faz as pessoas se sentirem bem. – Disse Srª Montês.

-Obrigado, Srª Montês. – Andrew sorriu para a senhora e continuou. – Agora eu tenho que ir, acho que o Tomas já saiu do treino.

-Tudo bem. Até manhã e tenha cuidado na rua. – Disse Sra. Montês sorrindo.

Andrew desceu as escadas da biblioteca e foi em direção ao campo de treinamento do time de vôlei do colégio. Ele passou por diversos alunos, que ficaram pós as aulas, por causa de seus respectivos times. Quando chegou no campo ele avistou Tomas, seu amigo tinha os cabelos ruivos, olhos azuis, pele branca com algumas sardas, estava usando a jaqueta do time por cima de uma camisa preta, calça escura e tênis branco e tinha uma bolsa de esporte onde estava seu material e uniforme do time. Ele conversava com uma garota de longos cabelos castanhos, olhos castanhos escuros, pele bronzeada, estava usando um vestido preto e sapatilha preta era Hilary.  Quando estava no primário, Andrew já teve uma queda por Hilary, mas isso era passado.

-Hey Andrew. – Disse tomas, que só agora notou a presença de Andrew.

-Hey. – Andrew respondeu sorrindo.

Tomas e Hilary vieram em sua direção.

-Não foi ajudar sua mãe na loja hoje Hilary?  - Perguntou Andrew para a castanha.

A mãe da castanha tem uma pequena loja de livros que fica em Astoria e ela sempre vai lá para ajudar, a loja também é um local para estudos e ajuda muito em dias de provas, no momento está passando por algumas reformas, já que a mãe de Hillary pretende colocar um bistrô junto.

A menina balançou a cabeça em negação.

-Hoje eu tive que ajuda a Jade em algumas matérias que ela não tinha entendido. – Respondeu Hilary.

-Ah sim. E como foi o treino? – Perguntou Andrew para Tomas.

-Foi um pouco puxado, mas vai valer apena dessa vez, nós vamos vencer a Acer. – Disse tomas determinado.

Andrew sorriu, a Acer era um colégio que ficava na West side e os venceu na final de interestaduais do verão antes das férias, agora teria a copa de inverno.

Logo ele começou a ir para casa ao lado de Hilary e Tomas. Focaram conversando sobre as aulas e professores. Hilary e Tomas eram vizinhos de prédios, logo eles se despediram de Andrew, que sorriu ao ver os dois se afastando, eles fariam um casal bonito.

Andrew voltou a seguir caminho de casa, as ruas começaram a ficar mais movimentadas, muitas pessoas estavam saindo do trabalho e estavam indo para casa descansar depois de um dia exaustivo de trabalho. Andrew caminhava tranquilamente, parou no sinal. Sentiu alguém esbarrando em si, ele se virou e viu uma jovem mulher pela aparência devia ser uma universitária, tinha longos cabelos loiros, olhos azuis e pele branca, usava uma camisa regata rosa, calça jeans e tênis pretos.

-Oh me desculpe. – Ela disse sorrindo.

-Sem problemas. – Andrew respondeu sorrindo.

-Você que é capaz de viver em uma grande aventura? – Perguntou ela.

-Como assim? – Perguntou Andrew sem entender.

-Não sei na verdade, eu sempre quis ser protagonista de uma grande história e ser a salvadora que todos esperam.  – A moça disse sorrindo.

Narcisista. Pensou Andrew com um sorriso forçado.

-Eu não seria capaz de fazer algo desse tipo, é perigoso demais. – Disse Andrew sorrindo e continuou. – Sou muito medroso.

-O que é a vida sem um pouco de perigo. E vou te contar uma coisa, os maiores heróis de qualquer história sempre foi um medroso no início.  – A menina respondeu sorrindo.

Ao ouvir isso, Andrew sorriu para a garota. O sinal havia fechado.

-Eu tenho que ir.  -Disse Andrew apontando para o sinal que estava fechado.

-Ah claro, aqui isto é para você. – Disse ela pegando da bolsa um pequeno objeto e colocando na mão de Andrew e continuou. – Tenho certeza que você vai fazer bom uso, você certamente é o escolhido.

Logo ela voltou a andar.

-Espera...

Andrew tentou segurara a garota, mas ela já havia sumido no meio da multidão, \logo ele atravessou a rua e olhou o objeto em sua mão. Devia ter uns quinze centímetros comprimento e seis de comprimento, era vermelho com alguns detalhes brancos, havia quatro botões e um pequena tela.

Estranho. Pensou Andrew que continuou a andar em direção de casa. Logo em um pequeno beco que ele sempre passa uma luz dourada apareceu e logo sumiu.

-Hm? – Perguntou Andrew curioso.

Logo ele ouviu um barulho e já sentiu um frio na espinha.

-Olá? – Perguntou Andrew com certo medo na voz.

Ele andou devagar até onde viu a luz.

-Olá.  -Disse uma voz um pouco infantil.

Andrew olhou ao redor, mas não viu nenhuma criança, então olhou mais atento e ficou parado em choque.

Tinha uma espécie de lagartixa alaranjada, com grandes olhos verde e grandes garras em seus braços.

Andrew se afastou com certa pressa e tropeçou no pé e caiu sentado no chão. Ele deixou o objeto que ganhou da menina cair ao seu lado.

-Do que você está com medo? – Perguntou a criatura se aproximando de Andrew.

-Que que é você? – Perguntou Andrew.

-Eu sou Agumon. Sou um Digimon.  -Disse Agumon sorrindo então seu olhar caiu sobre o pequeno objeto ao lado de Andrew.

Andrew seguiu o olhar de Agumon.

-Você sabe o que é isso? – Perguntou Andrew.

-Sim, é um D-Plus. – Disse Agumon.

-D-Plus? – Perguntou Andrew confuso.

 

Andrew estava com Agumon em seu quarto. O quarto de Andrew era pintado de branco com alguns detalhes em verde-água. O quarto era pequeno, sua cama branca era acoplada com seu guarda roupa, na parede a frente da cama tinha uma televisão LCD de quinze polegadas e na parede que tinha a janela, tinha sua mesa de estudos branca que tinha algumas gavetas e cadeira verde. Tinha algumas prateleiras com alguns livros.

Não se preocupou em levar Agumon para sua casa, estava sozinho, sua mãe é cheff em um restaurante vem requisitado em Manhattan e ela só voltava as três da manhã, seu pai é jornalista ancora em um telejornal, mas só estava em casa no fim de semana, já que ficava em Washington DC. E seu irmão mais velho tinha uma banda que estava se tornando bem popular e sempre tinha shows a noite em algum clube diferente e sempre chegava junto de sua mãe.

-Você chamou isso de D-Plus porquê? – Perguntou Andrew pegando o aparelho que havia ganho.

-É assim que ele é conhecido e se você está com ele é porque foi escolhido. – Disse Agumon sorrindo.

-Escolhido para o que? – Perguntou Andrew.

-Eu vou explicar tudo do início! Eu sou um Digimon, sou uma criatura digital sou feito a partir de diversos dados, eu vivo no mundo digital. O mundo digital é um lugar muito pacifico. Mas em algum lugar na Distorção Digital um grande mal esta adormecido e aprisionado, mas ele começou a se mover para se livrar de sua prisão. Eu acidentalmente descobri os seus planos e comecei a ser perseguido, vi uma luz dourada e vim para no seu mundo. – Respondeu Agumon.

-E porque você acha que eu sou escolhido de alguma coisa? – Perguntou Andrew confuso.

-Porque aqueles que são possuem o D-Plus são puros de coração e corajosos para enfrentar o mal. – Disse Agumon.

-Isso é impossível e eu ganhei isso de outra pessoa. – Disse Andrew entregando o aparelho para Agumon.

-Impossível eu sei que esse D-Plus é para você. – Disse Agumon sorrindo.

-E como você pode ter tanta certeza? – Perguntou Andrew.

-Porque esse D-Plus foi feito para ser entregue a pessoa que seria meu parceiro e eu sinto algo especial vindo de você. – Disse Agumon sorrindo.

Andrew foi pego de surpresa, não sabia o que responder.

-Mas se você acha que eu sou seu parceiro, porque esse D-Plus estava com outra pessoa? – Perguntou Andrew.

-Eu não sei, mas eu quero te pedir uma coisa Andrew.  – Agumon disse sério e ficando de pé na cama.

-O que seria? – Perguntou Andrew.

-Por favor seja meu parceiro e me ajude a impedir a libertação dele. – Agumon disse sério.

Andrew olhou confuso para Agumon, o que p Digimon dizia era para ele fazer algo perigoso e Andrew não gostava de confusão, mas ele sempre sonhou em viver uma aventura. Então as palavras de moça de mais cedo veio em sua mente.

O que é a vida sem um pouco de perigo.

-E-eu não sei se vou ser de grande ajuda, mas eu vou te ajudar Agumon, mas quem é que quer destruir o digimundo? – Perguntou Andrew.

-Daemon. – Disse Agumon.

De repente o ar pareceu ficar mais frio.

-Eu estou com fome e você? – Perguntou Andrew se levantando e indo até a cozinha.

-Eu estou morrendo de fome. – Disse Agumon o seguindo.

Eles jantaram lasanha, que a mãe de Andrew deixou para ele jantar. Eles estavam sentados na bancada da cozinha.

-O que o D-Plus faz Agumon? – Perguntou Andrew.

Agumon ficou pensando por alguns segundos, mas logo falou.

-Ele permite que eu digivolva, para uma nova fase, possui informações de todos os digimons, localizador, permite acesso ao Digital Space e eu posso recuar para ele. – Respondeu Agumon.

-Ele faz muitas coisas. – Disse Andrew surpreso.

-Sim. – Agumon disse orgulhoso.

Andrew recolheu os pratos sujos e os copos e os lavou. Olhou para o relógio e viu que ia dar dez horas, ele ficou conversando tanto com Agumon quem nem viu a hora passar.

-Eu acho melhor ir deitar, amanhã eu tenho que acordar cedo para ir à escola. – Disse Andrew.

Ele pegou Agumon e o levou para o quarto. Ele tomou um banho rápido e logo colocou um pijama.

-Boa noite Agumon. – Disse Andrew.

-Boa noite Andrew. – Disse Agumon sorrindo.

No meio da noite Andrew sentiu algo o balançado ele abriu os olhos devagar e viu que era Agumon.

-O que foi Agumon? – Perguntou Andrew.

-O D-Plus está brilhando acho que tem algum Digimon por perto. – Disse Agumon.

Andrew se sentou na cama rapidamente e colocou os óculos. Ele pegou o D-Plus e ele apontava um pequeno ponto vermelho perto de onde estava.

-Nós temos que ver o que é o que está acontecendo né? – Perguntou Andrew.

Agumon concordou, Andrew tirou o pijama e colocou uma camisa regata branca, bermuda jeans e o all star preto de sempre.

Ele pegou o celular já era duas horas da manhã.

-Vamos Agumon. – Disse Andrew.

-Sim! – Agumon disse Animado.

Andrew desceu de elevador e passou correndo pelo saguão do prédio. Ele seguiu andando pelas coordenadas que estava no D-Plus e seguiu até um pequeno parque. O parque estava vazio, Andrew olhou sem entender.

-Mas não tem nada aqui, será que isso aqui está quebrado? – Perguntou olhando para o D-Plus que continuava a mostrar que era ali o lugar.

-Olha ali Andrew. – Agumon disse apontando para uma fenda branca que flutuava ali.

-F-f-fantasma? – Perguntou Andrew com medo.

-Aquilo é uma venda para o Digital Space, aponte o D-Plus para ele. – Disse Agumon.

Mesmo com um pouco de receio Andrew fez o que Agumon disse, e a fenda branca se expandiu Andrew fechou os olhos e quando abriu estava em um lugar completamente diferente, parecia o lugar em que estavam, mas com alguns prédios destruídos e outros novos construídos.

-Que lugar é esse? – Perguntou Andrew confuso.

-Aqui é o Digital Space, é uma espécie de limite entre o mundo digital e o mundo real. – Agumon explicou.

-Que incrível. – Disse Andrew olhando ao redor com novo interesse.

Eles ouviram um grande som que fez Andrew tampar os ouvidos.

Agumon começou a andar na direção do som e foi seguido por Andrew que estava com um pouco de medo.

Eles avistaram um grande urso com pelagem roxo e um sinal de lua cinza na testa, tinha meio que Luvas vermelhas e algo em seu ombro.

-Um urso? – Perguntou Andrew sem entender.

-Esse é Grizzmon. Ele normalmente um Digimon pacifico. – Disse Agumon.

Como uma deixa, Grizzmon começou a se mover e destruir as coisas ao redor.

Andrew deu algum passo para trás.

-Eu não acho que isso seja algo pacifico. – Disse Andrew.

Andrew pegou o D-Plus e logo apareceu a imagem de Grizzmon e um pequeno texto.

-Grizzmon Digimon do nível campeão, embora tenha um corpo com pelagem macia, possui grandes garras que escondem grande e letal força, possui uma experiência em artes marciais. – Andrew leu pelo D-Plus.

Grizzmon olhou na direção de Andrew e partiu em sua direção.

Agumon pulou em sua frente.

-Baby Flame. – Disse Agumon.

Da boca de Agumon saiu uma pequena bola de fogo que atingiu Grizzmon.

Grizzmon rugiu irritado e começou a atacar Agumon, que se desviava dos ataques e lançava mais das pequenas bolas de fogo, mas isso parecia só deixar Grizzmon ainda mais irritado. Então em um movimento veloz ele atingiu Agumon o lançando para longe.

-Agumon! – Exclamou Andrew.

Grizzmon voltou a olhar na direção de Andrew e foi a toda velocidade em sua direção. Andrew desfiou por alguns centímetros, Grizzmon voltou a se levantar e olhou para Andrew e então Agumon surgiu lançando mais das pequenas bolas de fogo, mas isso não afetou Grizzmon que bateu em Agumon com força e pressionou sua grande pata em Agumon que estava caído e ferido no chão.

-Agumon! – Exclamou Andrew com lagrimas nos olhos.

Então seu D-Plus fez um barulho, Andrew o pegou e olhou confuso, na dela do D-Plus apareceu a palavra: Evolution.

Uma luz vermelha saiu do digivice e envolveu Agumon.

-Agumon digivolve para GeoGreymon. – Ele ouviu uma voz grave. Ele olhou e no lugar onde Agumon estava, de pé tinha um grande dinossauro, com uma carapaça marrom, olhos cor de âmbar, corpo todo laranja com listras azuis e seus punhos tinha tiras de couro vermelho.

-Agumon? – Perguntou Andrew.

-Não se preocupe Andrew, eu vou vencê-lo. – Disse GeoGreymon.

Andrew pegou seu D-Plus e logo apareceu as informações de GeoGreymon.

GeoGreymon e Grizzmon começaram a trocar golpes de força, mas por mais que Grizzmon fosse forte, ele não conseguiu competir com GeoGreymon. GeoGreymon o garrou e o lançou para longe.

-Mega Flame. – Disse GeoGreymon.

Da boca de GeoGreymon uma chama de temperatura altíssima atingiu Grizzmon, houve uma grande explosão. Assim que a explosão e a fumaça sumiram Grizzmon estava caído no chão.

Um brilho envolveu GeoGreymon e ele voltou a sua forma de Agumon.

-Andrew pegue seu D-Plus. – Disse Agumon.

Andrew pegou e uma luz avermelhado tomou conta de Grizzmon, então um feixe negro saiu de Grizzmon e se dissipou na luz do D-Plus.

-O que foi isso?  - Perguntou Andrew.

-Ele estava corrompido, outra função do D-Plus é purificar os digimons corrompidos. – Disse Agumon.

-Me desculpem pelo o que fiz com vocês.  -Disse Grizzmon.

-Sem problema. – Andrew respondeu sorrindo.

-Você não estava com noção de si, Grizzmon. – Disse Agumon sorrindo.

-Você lembra de alguma coisa antes de ser corrompido, Grizzmon? – Perguntou Andrew.

Grizzmon negou com a cabeça. Um portal dourado se abriu e Grizzmon passou por ele.

-Para onde ele foi? – Perguntou Andrew.

-Voltou para o Digimundo. – Disse Agumon.

-Você foi incrível Agumon! – Disse Andrew pegando o Digimon e o abraçando.

-Eu só consegui porque você estava comigo Andrew. Sem você eu nunca teria conseguido digivolver. – Disse Agumon sorrindo.

Andrew retribui o sorriso e seguiu o caminho para voltar para casa.

Sem eles perceberem um Digimon com aparência de uma criança demônio, com um lenço vermelho no pescoço, luvas vermelhas e um smile no centro do corpo. Era Impmon.

-O mestre não vai gostar de saber sobre isso. – Impmon disse e sumiu em uma fenda negra.


Notas Finais


Então o que acharam da nova história?
Espero que tenham gostado.
Beijinho de Luz.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...