História Dimensões (TaeTen) - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Black Pink, NCT 127, NCT Dream, NCT U
Personagens Jaehyun, Lisa, Mark, Taeyong, Ten, Winwin
Tags Taeten Nct
Exibições 79
Palavras 1.659
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Nesse capítulo terá lemon, já aviso 😸

Capítulo 3 - Luxúria


~ Pov's Taeyong

Nada me veio na mente a não ser abraçar Mark, meu irmão caçula, o mais rápido possível interrompendo sua refeição e fazendo com que todos naquela mesa de jantar parassem de mastigar e me olhar atordoado.

- Er... Hyung, você tá bem? - depois que eu sentia seu físico descontando toda minha saudade, eu começo a lacrimejar.

- Filho, aconteceu algo? - Minha Omma me pergunta preocupada.

Finalmente, depois do longo abraço que deixou Mark seriamente confuso, me afasto e respondo.

- Nada, só senti saudades dele - Começo a enxugar minhas lágrimas com a vergonha tomando conta de mim.

- Você me viu ontem de noite - Mark me atesta com a sobrancelha fazendo ondas.

De algum jeito ou de outro, não havia explicação plausível. Esse era o poder do anel de esmeralda, quando Ten me beijou eu sentia que foi ali que as coisas mudaram.

(...)

Após o jantar, fui para meu banheiro do quarto tomar um banho, a ducha limpava todo meu suor do voleibol mas não parava de pensar no Mark, mas também no Ten, desconhecia seu sentimento por mim. Fechei a torneira, saindo do boxe, peguei a toalha e enxugava a toalha nos meus cabelos brancos no espelho, quando fiquei meramente assustado que assim que percebi, eu não aparecia no vidro. Minha mão foi ao espelho sentindo o vidro mas não vendo meu reflexo. Parecia uma ilusão, mas com o assunto do Mark rodando na minha cabeça, sai do banheiro, sentado cruzado na cama com a toalha cobrindo minha cintura, peguei meu celular no criado-mudo e fui conversar com o Ten.

  (WhatsApp)

Ten, você tá aí? Tá acordado?

Estou sim, quase dormindo... zzz

(Conto do milagre...)

Perdi meu sono!!! preciso ver isso com meus próprios olhos.

Espera, você vai vir aqui, já são quase meia noite.

O seu irmão ressurge do nada e você preocupado com hora? Seus pais já estão dormindo?

Todos estão, até o Mark.

Me espere no portão, saio daqui em um minuto.

(...)

~ Pov's Ten

Taeyong me esperava no portão alegremente, a sua expressão havia mudado radicalmente após nosso último encontro e não foi pela minha declaração, comecei a sentir que ele dizia a verdade.

Abrindo a porta do quarto do Mark devagar, deitado sobre as cobertas estava o caçula com a boca aberta e roncando levemente.

- Ele comeu muito frango - Brinca Taeyong

- Como isso é possível? - levo minha mão a minha cabeça percorrendo todo meu coro cabeludo e o bagunçado todo.

- Foi o Anel - me respondeu - Aliás, você conseguiu tirar ele de você?

Faço força tentando remover, novamente, sem sucesso.

- Você precisa falar com esse monge - dei uma pausa olhando para Mark de novo no quarto - Isso é...

- Eu sei, é loucura - me prometeu - Mas estou feliz.

- Isso tudo é muito estranho...

- Eu sei -

- Eu vou indo, está tarde pra caramba -

- Você não pode sair nessa hora da noite, já foi perigoso vir até aqui - Taeyong me disse preocupado

- Eu não posso ficar aqui -

- Eu não disse isso, você dorme aqui hoje, meus pais saem cedo para trabalhar e o Mark tem escola amanhã de manhã, eu não vou porque vou falar com o monge -

- Você quer que eu durma aqui?

- Sim

- Er.. tá bem

- Os seus pais então não sabem que o Mark morreu - abaixei meu tom de voz enquanto íamos ao seu quarto.

- Não, é como se tudo voltasse ao normal!

(...)

Chegando no seu quarto, eu notei uma estante imensa de livros e mesa para notebook, a cama com um travesseiro branco e um banheiro para o quarto com a porta aberta.

- Espera, aonde eu vou dormir? - perguntei

- Na minha cama, é bom meus pais não saberem que está aqui -

- Na sua cama... Você diz dividir a cama com você?

- Qual o problema? - Taeyong sorri e pega minha mão levemente

- Nenhum - Respondo ao seu sorriso com outro, ele me foi jogando contra a parede lentamente e analisando meus olhos.

- O que está fazendo? - Viro meu rosto aos empecilhos da mesa do notebook ao meu lado.

- Seus olhos, eu confesso que sou doido por eles! - Sua confissão me deixou mudo, virando meu rosto novamente ao seu, suas mãos acariciaram minha face enquanto inclinado aproximava devagar seu rosto ao meu, deixando a boca entreaberta e me beijando dessa vez mais intensa.

(...)

Taeyong havia me emprestado suas roupas de dormir, fui ao banheiro e somente encostei a porta. Ali, troquei minha a muda de roupas, fiquei com um short preto e uma camisa branca com aquelas frases em inglês vendo meu reflexo no espelho.

Saindo do banheiro, lá estava Taeyong somente com outro short branco, sem camisa vendo suas costas que delineavam sua beleza corporal pondo o lençol na cama. Logo, ele se vira me mostrando o seu abs definido me pedindo para vir deitar. Ele se jogou de barriga para cima na cama, cansado do dia e ainda olhava para mim, com um sorriso puro.

Chegando na beira da cama, retirei minhas meias e deitei ao seu lado, ambos olhávamos para o teto, com a situação nos deixando indiferentes.

- Será que.. - início uma conversa - isso aconteceu porque nos beijamos? -

- Não tem outra outra explicação, acho que sim - Pegou o lençol branco e nos cobriu

- Então se fazermos uma terceira vez, o que será que acontece?

- Não sei, podemos tentar - Taeyong virou seu corpo quase desnudo ao meu, posicionou sua mão aos meu peitos, levantou o rosto se inclinando com o ombro para emergir no prazer novamente do nosso beijo.
- Abre seus olhos - me pediu com um susurro - Eu gosto de ver seus olhos de perto - com seu rosto a 1 cm da minha boca, o seu tom de voz era sedutor. Abro meu olhos lentamente com ele me fitando bem no fundo da minha pupila dilatada de prazer. Antes que percebesse, tive uma ereção lhe provocando uma surpresa, sem reação ele desceu sua mão passando pela minha pele sobre a camisa e abaixando o lençol, molestando a região que logo me induziu a um pequeno gemido. Ele jogou o corpo dele em cima ao meu ainda me fitando nos olhos e começou a me beijar novamente acelerando o ritmo. Com nossas cinturas próximas e coladas, senti seu volume crescer junto ao meu deixando a região cada vez mais molhada.

Comecei a explorar sua boca com a língua em resposta a sua ereção, minhas mãos atravessaram seu corpo definido dos ombros a cintura retirando seu short rapidamente expondo sua cueca boxer branca com a ponta molhada. Taeyong parou o beijo que nos deixou ofegante e jogou sua cabeça ao meu pescoço, distribuindo leves mordidas e me sussurrou.

- Começa a me masturbar... - com o tom totalmente envolto pelo prazer, a sua respiração ficava mais rápida.

Respondendo ao seu pedido, minha mão adentrou seu boxer sentindo a espessura do seu pênis o que acarretou um grande gemido. Com a outra mão, retirando sua última roupa, comecei a fazer movimentos de vai e vem jogando sua cabeça aos meus ombros ofegando de prazer. Meus dedos seguravam sua glande e depois começava a molestar o cumprimento do seu membro novamente. Num impasse, Taeyong se sentou em cima de mim e me pediu para se sentar também na cama, frente a frente, removeu minha camisa branca deixando os fios do meu cabelo bagunçados e um pouco encaracolados e me ajudou a retirar o meu short com a cueca mostrando meu pênis para fora, excitado, me deitei com a barriga deixando minhas pernas cruzadas, entrelaçou seus braços nas minhas coxas e começou a distribuir beijos próximo ao meu pau emergindo de vez sua língua ao meu membro. Meu rosto corou e ele amentou a velocidade chupando e experimentando a minha ereção. Logo ele se jogou em cima de mim novamente masturbando nossos membros, roçavamos em ritmo transferindo o nosso calor um ao outro enquanto nossas línguas colidiam prazer e carícias.

A intensidade dos movimentos foi tão forte que o orgasmo chegou primeiro a Taeyong sujando minha barriga toda do líquido branco que ele lançava sobre mim e gemendo de prazer. Sua empolgação foi-se diminuindo, visto que eu ainda não havia gozado, ele saiu em cima de mim, ficou entre minhas pernas e começou a me masturbar, meus dentes trincaram, meu rosto ficou mais rosado e incontrolavelmente, comecei a disparar o gozo atingindo seu corpo agaichado na cama em minha frente, melando todo seu belo corpo e a cama. Após uns segundos do episódio, nossas respirações voltam a normalizar e ele se deita ao meu lado agora dando um beijo carinhoso.

   (...)

~ Pov's Taeyong

Logo pela manhã, quando a casa estava vazia, após meus pais irem trabalhar e meu irmão caçula ir a escola, eu estava aos braços de Ten que ainda dormia tranquilamente no travesseiro branco com um sorriso meigo em sua feição. Dei um selinho em seus lábios e sai da cama o deixando dormir, ele muda de posição pondo a barriga para baixo e o rosto afogado no travesseiro, o lençol cobria somente parte das sua cintura dando a visão do seu magnífico corpo nú e a sua bunda esbelta. Começo a me vestir quando ouço a companhia e me apresso para atender a porta. Chegando lá...

- Olá jovem - Minha visão ainda estava borrada por não me acostumar com a luz forte do sol mas era..

- Monge! - Disse surpreso - Como você veio até aqui, há uns dias atrás te vi em Busan, como você chegou em Seul? - O homem com o traje tradicional responde formalmente.

- Eu não vim de Busan, eu sou de Seul, pelo menos... nessa dimensão.

 

   


Notas Finais


Até o próximo capítulo :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...