História Dipcifica - Uma garota diferente - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Gravity Falls
Personagens Bill Cipher, Candy Chiu, Dipper Pines, Gideon Gleeful, Grenda, Mabel Pines, Pacifica Northwest, Personagens Originais, Soos Ramirez, Stanford "Ford" Pines, Stanley "Stan" Pines, Wendy Corduroy
Tags Dipcifica, Mabill, Paciper, Romance
Visualizações 78
Palavras 1.609
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 22 - Rumo ao desconhecido


Fanfic / Fanfiction Dipcifica - Uma garota diferente - Capítulo 22 - Rumo ao desconhecido

Pov. Bill on

Quando chegamos na cabana o Dipper e a Pacifica estavam dormindo jogados no meio da sala, não era fofo como você deve estar pensando, ele estava encostado com a cabeça na poltrona do sr. Pines rocando à beça e a Pacifica estava dormindo no com a cabeça apoiada no braço que estava encostado no móvel que segurava a televisão, havia dois copos de agua jogados no chão.

Mabel: oh, não eles estão mortos! – ela gritou – eu não estava preparada pra isso! meu querido irmão não me deixe! – ela falou balançando o Dipper com toda a força do mundo – não pode ser

Stan: eles estão dormindo, eles caíram na minha armadilha para ladrões – ele falou passando por cima deles dois – onde está o telefone? Estou com fome – ele falou entrando na cozinha

Mabel: pizza! – ela foi atrás dele

O Ford foi para o laboratório e eu fui em direção a cozinha.

Pov. Paci on

Quando acordei eu estava no chão da sala, de início eu não entendi nada mas depois de um tempo recuperei os sentidos.

Dip:  o que aconteceu? – ele falou abrindo os olhos e coçando a cabeça

Paci: dormimos no chão? – eu perguntei me levantando

Dip: acho, que sim

Mabel: esses acordaram! – ela apareceu do nada

Stan: não tem mais pizza – ele falou da cozinha

Bill: o que acontece com vocês?

Paci: você!

Bill: eu?

Paci: você – eu falei pegando ele pelo braço – vamos Mabel

Mabel: o que?

Eu peguei o braço dela e puxei os dois até o porão correndo, o Dipper veio atrás de nós se assegurando de que ninguém ia cair da escada, e mesmo se caísse ele não ia poder fazer nada mesmo.

Mas continuando, eu os levei para o meu quarto, liguei a luz e tranquei a porta.

Bill: aqui é apertado demais – ele reclamou se sentando na cama

Paci: eu sei – eu falei revirando os olhos

Mabel: o que viemos fazer aqui? – ela sussurrou

Paci: se sentem aqui – nós fizemos uma roda meio oval no chão

Dip: descobrimos uma coisa – eles se entre olharam

Bill: era isso que queríamos falar a vocês também – eles falaram seriamente

Mabel: a algumas noites atrás eu e o Bill estávamos fazendo um teste para ver o que aconteceria se a usássemos. Então acabamos descobrimos que sobre influência da lua a magia pode ser passada para objetos temporariamente – todos ficamos calados – fizemos estudos em um antigo livro do porão, ele era o mesmo do início do verão, nele havia falando sobre uma cidade escondida em algum lugar do Oregon, lá encontraríamos pessoas com o nosso mesmo dom.

Bill: mas nós não conseguimos a encontrar nos mapas

Eu tirei as quatro pedras do bolso do meu short, coloquei as quatro no meio da roda.

Paci: eu tive uma visão... – eu contei tudo a eles

Mabel: por que não me disse antes?

Paci: achei que o Bill fosse contar a você – eu olhei diretamente para o Bill

Mabel: você sabia?

Dip: não é isso que interessa agora – ele falou fazendo com que todos parassem - nós precisamos encontrar essa cidade o mais rápido possível

Mabel: como vamos fazer isso?

Dip: eu estive esses tempo todo no porão estudando várias formas de encontrar respostas e cabei descobrindo que existe cindo livros que se completam, no final de todos eles a um cartão com o nome “P.M.D carros para viagens” o número ainda está lá mas não me lembro muito bem.

Mabel: vamos ligar e pedir uma carona – ela falou animada – temos uma viagem para fazer ainda hoje

Paci: tenho que concordar com você

Bill: vamos? – ele perguntou se levantando

Dip: vamos

Nós fomos até o porão e pegamos um dos cartões, usamos o meu celular, e confesso que não foi uma boa ideia

Ligação on

Dip: alô?

???: olá, você está ligando para a P.M.D, o que deseja?

Dip: preciso de um carro ainda hoje

???: três da manhã está bom para você?

Dip: excelente

???: quais são os nomes dos passageiros

Dip: Dipper e Mabel Pines, Bi-lly Chipher e Pacifica northwest

???: ok senhor o valor será de setenta dólares

Dip: temos como acertar outro valor?

???: sinto muito senhor

Dip: ok, então

???: apenas quatro passageiros de 17 anos, certo?

Dip: sim

???: ótimo, agora é só aguardar. Obrigada pela preferência e tenha uma boa viagem

Ligação off

Nós estávamos ansiosos demais, eu balançava a minha perna de um lado para o outro, a Mabel andava sem parar e o Bill não parava de resmungar.

Mabel: o que ela disse?

Dip: ela falou que o carro virá as três horas da manhã – nós comemoramos – no valor de setenta dólares – todos ficamos em silêncio menos eu

Paci: vamos do mesma forma eu tenho dinheiro na minha mochila – eu falei gabando-me

Bill: pelos menos você é útil para alguma coisa – ele falou baixinho

Paci: COMO É QUE É IDIOTA?  - eu perguntei com o sangue fervendo

Mabel: eles vão quebrar a nossa casa Dipper – ela falou colocando a mão na testa

Bill: EU NÃO SOU UM IDIOTA!

Paci: coitadinho dele – eu ri baixinho

Bill: o que PATRICIA?

Paci: nada BILLY

Dip: vamos lá pessoal, temos que organizar algumas coisas – ele falou nos afastando – vocês podem conversar depois

Paci: não vou conversar com ele!

Bill: eu também não vou conversar com a-

Mabel: vamos Bill – ela falou puxando a manga da camisa do Bill

Bill: isso não vai ficar assim! – ele falou saindo do porão

Paci: prepare-se que vai ter vingança – ele me segurou antes que eu avançasse no Bill – não me segure! Eu vou acabar com ele!

Dip: as coisas não se resolvem com ódio – ele falou me colocando no chão novamente

Paci: vocês sempre interferem – eu cruzei os braços

Ele arqueou as sobrancelhas

Dip: interferimos?

Paci: esquece – eu sai do porão

Dip: ia fazer uma piada agora, mas deixa pra lá

Paci: o que?

Dip: nada

Eu sai do porão desconfiada.

*****

Eram duas da manhã, eu estava saindo do meu quarto para chamar os outros, eu estava levando a minha lanterna na mão.

Eu abri a porta lentamente, ela rangeu bem baixinho, meu coração quase pulou pela boca. Eu a tranquei cautelosamente e fui andando de fininho até o quarto do Dipper. Enquanto andava senti que tinha esbarrado em alguém. Rapidamente senti alguém puxar o meu braço e quando vi estava com o uma faca no pescoço

Bill: *sussurro* Loira? – ele perguntou me soltando

Paci: *sussurro* você quase me matou seu retardado – eu falei recuperando o ar

Bill: *sussurro* eu não sabia que era você – ele falou guardando a faca em sua mochila

Paci:*sussurro* onde arranjou essa mochila?

Bill: *sussurro* no quarto do Dipper. Mas você está indo pra onde?

Paci: *sussurro* chamar o Dipper

Bill: *sussurro* vamos logo então

Nós fomos até o quarto Dipper, quando abrimos aporta vimos que ele já estava fechando a mochila, a Mabel também já estava lá esperando ele acabar de guardar as coisas

Bill: Mabel?

Ela pediu silêncio, e veio até nós com a sua lanterna na mão.

Mabel: *sussurro* vamos logo Dipper

Ele colocou o casaco e então nós saímos do porão. Enquantodeciamos as escadas o Dipper se aproximou de mim

Dipper: *sussurro* você esqueceu isso lá na minha cama – ele me entregou o meu pompom de cabelo.

Pacifica: obrigada – eu agradeci

Mabel: eu vou ali rapidinho – ela foi até a cozinha

Dip: não Mabel – ele foi atrás dela

Bill: ei – ele me chamou – sabe que horas são?

Paci: duas e cinquenta e nove – eu falei iluminando o relógio

Mabel: isso vai ser o suficiente – ela veio com uma sacola de doces na mão

Dip: desculpem

Nós fomos até a porta e para nossa surpresa não havia carro nenhum a nossa espera.

Mabel: aqui tá frio

Paci: não era para ele estar aqui?

Bill: você deve ter olhado errado, devem ser duas da manhã ainda

O Dipper olhou para o relógio que tinha no braço

Dipper: não, ela estava certa. Agora são-

Uma van azul ciano apareceu na nossa frente. Um senhor de barba rala e cabelos longos e castanhos nos recebeu. Ele usava uma camisa marrom toda amassada e coares com conchas e outros tipos de coisas, nos seus braço esquerdo havia uma pulseira de couro e um anel de prata. Ele abriu um belo sorriso para nós e pediu que entrássemos.

Dip: boa noite – ele falou tentando parecer confiante

???: boa noite

 Dip: um momentinho senhor...

???: Frank  

Mabel: eu vou atrás – ela falou se jogando no banco de trás

Bill: eu não vou na frente com esse cara, sinto muito

Paci: muito menos eu – eu cruzei os braços

Dip: vamos na sorte? – ele sugeriu – zero ou um!

Eu tinha colocado um, o Bill tinha colocado um e o Dipper tinha colocado zero.

Dip: que azar de vocês viu! – ele sorriu e entrou na van

Paci: só pra deixar claro, se eu morrer eu te processo – eu falei me sentando do lado moço

Bill: me processar? – ele disse se sentando do meu lado – você não vai conseguir vencer de mim em um processo garota – ele debochou

Paci: duvida?

Frank: calma ai vocês dois, pra que todo esse ódio? – ele perguntou ligando a van

Bill: ela ameaçou me processar

Paci: processo mesmo

Frank: já sei o que podemos fazer para resolver isso – ele sorriu – uma música de viagem

Mabel: EU AMO MÚSICAS DE VIAGEM! – a Mabel gritou

Dip: não é pre-

Mabel: YOU SMELL LIKE THE GROUND, MAMA!

Frank: Gimme your hambone, baby!

Eu queria chorar, meus ouvidos estavam quase sangrando. Eu simplesmente odeio canções de viagem, se você é uma dessas pessoas que canta em ônibus de colégio ou em carros, eu te amaldiçoou.

Continua...

 


Notas Finais


*música de abertura*
Katy: sejam bem vindos a mais um programa da Katy. Hoje teremos a participação de Mabel Pines, a pedidos!
Mabel: olá! olá!
*acena para o publico*
Katy: vamos a entrevista.
Mabel: vamos lá
Katy: o que acha de morar com um demônio, Mabel?
Mabel: olha *tempera a garganta* ele não é mais um demônio...então, não acho que seja tão ruim
Katy: por que não odeia mais a Pacifica?
Mabel: por que sou uma pessoa boa e acho ela legal
Katy: cof cof pessoa boa cof cof
Mabel: água pra ela por favor
Katy: cof cof *bebe a água* obrigado. por que tem tanto ciumes do senhor batata, quis dizer por que tem tanto ciumes do Bill Cipher
Mabel: não tenho ciumes, só não quero que ele faça coisas imprudentes com outras pessoas
Katy: exemplos?
Mabel: matar alguém, apagar a existência de alguma amiga minha, sequestrar pessoas, bater em animais ou-
Katy: obrigada, já entendi!
Mabel: o.k desculpe
Katy: comida favorita
Mabel: nachos com queijo
Katy: cor
Mabel: colorido
Katy: e se o Bill morresse?
Mabel: ele estaria morto
Katy: um pedido
Mabel: por favor não me mata
Katy: eu jamais faria isso *sorriso tenso* uma frases para encerramento
Mabel: .._. ._.. _._. ._
Katy: isso vai ser fácil
Mabel: *-*
Katy: boa noite e até a próxima


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...