História Direction Mansion - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Aventura, Mansion, One Direction
Visualizações 26
Palavras 6.661
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Acharam mesmo que eu não iria postar mais um capítulo hoje?!
Então, boa leituraaa Angels!

Capítulo 29 - The Queen


- Eu não tenho mais dúvidas, vocês nasceram um para o outro.
Zayn dizia num tom que variava entre diversão e preocupação. Louis, Niall e Liam chegaram um pouco depois de Zayn, e agora todos os sete estavam reunidos na grande sala de estar da mansão, onde Ash e Harry eram o centro das atenções. Antes de ligar para Paul e contar tudo o que aconteceu, Harry queria contatar os amigos para saber o que fazer, exatamente. 
- Acho que se fosse a Ash, o final seria bem pior. – Louis concluiu depois da declaração de Zayn, agitando a cabeça de forma positiva. – Tipo, tenho certeza de que ela jogaria a Emma num tanque cheio de tubarões. 
- E águas vivas. – Liam complementou. 
- E arraias. – Cami entrou na brincadeira, deixando a amiga ainda mais estarrecida. 
- O que são arraias? – Niall questionou, por um momento esquecendo o que ia dizer. 
- Vocês querem parar com isso? – Ash pediu, massageando os ombros tensos de Harry, no fundo morrendo de vontade de rir da carinha de desespero dele. Ficava fofo, pensou consigo mesma. – O que vocês acham? Sobre a ideia de contar para o Paul? 
- Sensato. – Responderam metade dos presentes. Liam continuou a falar. – Além do mais, Emma passou dos limites e ela morre de medo do Paul. Se ele der um sermão nela, acho que ela vai entender bem o recado. 
- Mas não é somente ela que me preocupa agora, Liam. – Ash contou sobre a hipótese de Emma ter se aliado (como ela ainda não sabe) à suas primas do mal. – Carminda e Laurinda não têm medo. De nada. 
Um silêncio incômodo preencheu o local, deixando Harry perto de um ataque cardíaco. 
- Hey. – Ash sussurrou para que Harry olhasse para ela. – Vai ficar tudo bem. 
- É tudo o que eu quero, Ash. – Ele sorriu sem mostrar os dentes. – Só quero ficar tranquilo com você. 
Era uma declaração muito simples, mas que fez o coração de Ash se encher de esperança. Sorriu para o namorado, beijando delicadamente a ponta de seu nariz. Afinal, se Harry estivesse ao seu lado, não tinha como tudo aquilo acabar mal. Nem que ela tivesse que voltar para o Brasil e namorar via skype ou ter que visitar Harry no presídio todos os meses por manter uma baranga em cativeiro. Se bem que, pensou ela consigo mesma novamente, manter um bicho em cativeiro é considerado algo legal, não é?
- E então, vamos ligar para o Paul ou para o FBI? 
- Melhor ligar para o Paul. – Cami respondeu a Zayn, pegando o celular de Liam e entregando para Harry com um sorriso encorajador. – Ele sempre sabe o que fazer. 
Ash acompanhou Harry até o segundo andar a pedido do mesmo, deixando os amigos um pouco apreensivos na sala, murmurando um já venho.
- Nós devemos nos preocupar? – Liam abraçou Cami pelos ombros, puxando-a para deitar em seu colo no sofá. 
- Com o que, amor? – Cami olhou para Liam, acariciando a linha de seu maxilar. – Com a sanidade do Styles e da Ash? 
- Também. – ele riu fraquinho, mexendo nos cabelos de Cami. – Mas eu me referia a nós dois. Esse lance com as primas da Ash serem duas diabólicas que estão tentando perturbar a paz mundial, não vai afetar o que nós temos, não é? 
Cami se perdeu na imensidão dos olhos brilhantes de Liam, e se o momento não fosse tão sério, ela poderia pular pela mansão inteira, gritando o quão fofo era seu namorado. Contendo-se, ela se ajeitou no sofá para ficar de frente para Liam, tomando seu rosto entre suas mãos. 
- Entenda uma coisa, senhor Payne. – Cami beijou rapidamente os lábios de Liam, sorrindo confortadora logo em seguida. – Nada nesse mundo vai me afastar de você. 
- Cami, já ia me esquecendo. – Niall levantou-se e tirou debaixo de si alguns envelopes – Peguei suas correspondências quando cheguei. – o garoto sorriu e Camille pegou os envelopes na mão. 
- O que tem aí? – Liam esticou o pescoço para olhar – Alguma carta de um admirador secreto? 
- Sim, recebo todo mês. – Cami disse sem olhá-lo, separando o que era dela e o que era de Ashley – Sabe, acho que o cara do cartão de crédito é muito meu fã, não para de me mandar carta todo mês. – Liam riu fracamente, lembrando-se de que algumas vezes era meio impossível falar sério com Camille. 
- Vou dar um jeito nesse cara. – Liam mordiscou a orelha da garota, fazendo-a se encolher com o arrepio. 
- Por favor, faça isso! Não receber a fatura do cartão de crédito seria um sonho. – Cami deu risada, dando um selinho no namorado. A última carta do monte que Niall havia lhe entregado era a que chamou mais atenção. Tinha um carimbo do tribunal de justiça de Londres. – ASH. – gritou sem pensar. 
- O que foi, Cami? – Louis correu para o lado da garota. Todos a encaravam, enquanto ela olhava o envelope em suas mãos. 
- ASH. – gritou de novo, sem nem ao menos se mexer. 
- Cami, que envelope é esse? – Liam tentou tirar o envelope das mãos dela, mas ela o segurava forte. 
- ASH. – Zayn começou a rir com o terceiro grito dela, o que fez com que os outros dois garotos também rissem. 
- Quer parar de gritar, Cami? – Niall disse no meio do riso. – Problemática. 
- Mas isso É um problema, Horan. – Cami ergueu o olhar e relaxou os ombros. – É do tribunal de justiça. Aquelas vacas voadoras fizeram alguma coisa de novo. – ela encarou Liam e este pôde entender tudo o que se passava na cabeça dela. Era um pedido de desculpas, que a certeza de que tudo ficaria bem que ela tinha há minutos atrás, estava indo embora. 
- Calma, Cami. A Ash já vai descer e nós vamos pensar em uma solução juntos e com calma. – Louis segurou em sua mão e a garota sorriu para ele. Sempre tão fofo e preocupado. 
- O Louis tem toda a razão. – Liam chamou sua atenção – Isso que está acontecendo também nos envolve, então vocês precisarão deixar de ser cabeças duras e aceitar a nossa ajuda. 
- De qualquer forma que ela venha. – Zayn completou, fazendo Cami sorrir docemente. 
No andar de cima, Harry conseguiu convencer Paul a ir resgatar Emma logo no primeiro minuto de ligação. Parece que ter o nome One Direction envolvido com sequestro não era uma boa coisa mesmo.
- Então não vou mais precisar te visitar na cadeia? – Ash sentou no colo do garoto, envolvendo seu pescoço com os braços. 
- Não mais. – Harry riu pelo nariz, colocando seus lábios no de Ashley para um beijo calmo. – Mas eu posso usar algemas ainda. – o garoto foi repreendido com um tapa no braço, mas o comentário fez Ashley rir e até ponderar sobre isso. 
- A gente discute isso depois, ok? – Ash ajeitou-se no colo do garoto e não sabia ao certo se tinha escutado seu nome no andar de baixo. 
Harry a deitou na cama e sentiu seu coração acelerar somente do fato dele e Ash terem sorrido ao mesmo tempo. Acho que isso significava estar realmente apaixonado, afinal. Quando ia beijar a garota novamente, parou um segundo quando a voz de Cami entrou por seus ouvidos, chamando o nome de sua namorada. 
- Ah, Camille. – Harry fechou os olhos, encarando Ashley logo em seguida, que prendia o riso. 
- Ela parece que adivinha, não é? – e então outro grito eclodiu no quarto, dessa vez mais alto. – Acho que é melhor descemos. 
- Na verdade, não é melhor. – Harry levantou-se e passou a mão pela cabeça. – Mas não tem outro jeito. 
- Ainda temos muito tempo juntos, esqueceu? – Ash deu um último beijo nele e segurou em sua mão, o puxando para fora do quarto. 
Desceram as escadas saltitando, como se estivessem em algum filme da Disney e prestes a cavalgar em um cavalo branco. Pena que essa fantasia foi logo cortada quando viram as expressões de preocupação no rosto dos que estavam na sala. 
- Alguma coisa me diz que a notícia não é boa. – Ash respirou fundo, antes de se aproximar de Camille. – O que foi? 
Camille apenas entregou o envelope para Ashley, sem dizer nada. Afinal, não tinha muito o que ser dito em uma situação dessas. Ash sentiu seu rosto ficar gelado de repente e concluiu que devia estar pálida. Por sorte, suas mãos não tremeram, então conseguiu abrir o envelope com calma. O papel timbrado tinha o seu nome e não havia dúvidas do que aquilo era. 
- Uma intimação? – Harry questionou assim que leu o título. Todos se encararam em silêncio por um tempo, cada um pensando na melhor coisa a se dizer. 
- Vou precisar depor daqui uma semana, é a respeito do processo da posse da mansão. – Ash explicou o conteúdo da carta para aqueles que não tinham visão do texto. – Uma semana. 
- É hora de arrumar um advogado. – Niall pronunciou-se e Ash sentiu seu coração bater um pouco mais rápido ainda. 
- Mas eu não conheço nada aqui em Londres. – Ash suspirou – Aliás, o único advogado que eu conheço na minha vida é meu tio, e ele está meio longe, sabe? NO BRASIL! – e então ela perdeu o resto da calma que tinha, começando a andar de um lado pro outro na sala. Harry pensou em interrompê-la, mas achou melhor deixá-la quieta. Em uma situação como essa, nunca se sabe qual será a reação da pessoa quando você tocar nela. 
- Ash, nós vamos dar um jeito... – Cami tentou dizer alguma coisa que a confortasse, mas “nós vamos dar um jeito” talvez não eram as melhores palavras. 
- Ashley, olha pra gente um minuto. – Liam pediu. – Antes que você fure o chão. – a garota parou de andar e olhou para o namorado da amiga. – Esqueceu que nós moramos aqui? 
- E temos contatos? – Zayn ergueu as sobrancelhas, na sua melhor imitação de alguém importante. Não que ele não fosse, mas alguém um tanto mais sério, que usa terno. 
- Gente, vocês não precisam... 
- Ash, não é questão de precisar, é de querer ajudar. – Louis interrompeu a garota antes que ela terminasse sua fala. 
- Nós não somos amigos? – Niall perguntou com a sobrancelha arqueada. Ash concordou com um leve aceno de cabeça, deixando um sorriso no canto dos lábios aparecer. 
- Então deixa essa parte do advogado com a gente. Você só vai precisar ir ao tribunal no dia combinado. – Harry depositou um beijo na cabeça da namorada e saiu em direção à cozinha discando um número no celular. Liam e Zayn o seguiram, alegando que Harry não estava no seu melhor dia para resolver questões judiciais. 
- Viu que com calma as coisas se ajeitam? – Cami sorriu e abriu os abraços para abraçar Ash. As duas ficaram um tempo assim, sem falar nada. Em alguns dias, isso era tudo o que precisava para resolver qualquer problema. 
- E a gente não ganha abraço? – as duas olharam de relance para Niall e Louis e depararam-se com os dois parecendo dois filhotinhos de coelho resmungando. 
- Abraça aqui também! – Ash estendeu uma mão e os dois abraçaram as meninas. 
- Se vocês forem embora eu morro. – Louis comentou. 
- Viado. – Niall zombou e recebeu um chute na canela. – Não precisa agredir, cara. 
- Eu que te chutei. – Cami disse, dando risada em seguida. E ficaram grudados ali por mais um tempo, tentando convencer a si mesmos de que tudo ficaria bem. 

- Ok, isso é estranho. - Camille foi a primeira a comentar, ajeitando-se no tapete da sala da mansão. Liam passou seu braço pelo pescoço da garota e a trouxe para mais perto, fazendo com que os dois sorrissem com isso. Vendo que ninguém havia entendido o que ela quis dizer, continuou: - Nós sentados aqui, de novo, sem nada pra fazer. – descartou a penúltima carta que segurava em sua mão e: - UNO! 
- Mas isso é o que define o começo da nossa amizade, como pode achar que é estranho? - Zayn questionou, desligando a TV logo que desistiu de achar algum filme interessante. Sentou-se no chão junto com os outros que jogavam cartas. 
- Exatamente, Zayn. O começo, e não os últimos dias que passamos juntos. Foi uma loucura! Nem parece que há algumas horas estávamos abrindo um envelope com uma intimação - Cami terminou seu pensamento e todos ficaram em silêncio, pensando nas palavras dela e em como faziam sentido. Menos Louis, que pensava no jantar. 
- Vendo por esse lado, você tem razão. - Harry concordou, rindo fraco - Assombrações, gêmeas e ex-namorada do mal, vizinhas psicopatas, julgamentos, bebês... - Ash e Harry se encararam instantaneamente, fazendo uma careta em conjunto - Merecemos algum tipo de prêmio. 
- Por favor! - Liam exclamou da ponta do sofá, beijando a ponta do nariz de Camille. - A Rainha deveria nos premiar por manter o país em ordem. 
- Não viaja, Payne. - Louis finalmente pareceu voltar para o mundo real. - Só a Rainha, não. O Obama também deveria. 
- Gente... - Niall interveio, tentando conter sua animação. Mas, para seu desgosto, todos pareciam mais entretidos na viagem de Liam e Louis sobre qual celebridade mais deveria premiá-los. - Hey, galera! - tentou de novo. Vendo que não obtinha muito sucesso. Subiu na mesa de centro e assobiou. O tipo de assobio que Zayn chamava de "golpe fatal". - Tive uma ideia. 
- Começo a ficar com medo agora? - Ash zombou e recebeu o dedo do meio de Niall em resposta. - Sorry. 
- Vocês estão preparados para ouvir? - Niall esfregou suas mãos e olhou para cada um ali presente. 
- Preparados, não. Mas como não temos escolha... - Zayn fingiu se proteger com a almofada - Manda! 
- Nós vamos a uma festa da Rainha! 

- Cami, dá um jeito no meu cabelo, pelo amor de Deus! - Ash pulava de um lado pro outro do quarto tentando entrar no seu vestido azul.
- Até daria, se você parasse de pular desse jeito! Credo, Ash, assim você vai rasgar o vestido! - Cami a repreendeu, terminando de passar o delineador. 
- Você fala isso porque é magra e seu vestido ainda cabe em você! - Ash suspirou, encarando o vestido entalado nas suas coxas. 
- Eu falo isso porque eu não sou desesperada que nem você! E nem tentei colocar o vestido com o corpo molhado! - Ash por um momento olhou para Camille e viu sua mãe dentro do vestido preto que a garota usava. Chacoalhou a cabeça e olhou desesperada para Cami.
- Me ajuda? - as duas sorriram. Ambas sabiam o que passava na mente uma da outra. Elas estavam lembrando-se de quando foram no primeiro baile de debutante juntas. A festa era de uma menina da sala delas do primeiro ano do ensino médio. A sala toda estava animada e elas não poderiam estar diferentes, ia ser a festa mais perfeita de todas. Mas, se tratando de Ashley e Camille, as coisas não foram bem assim. O vestido de Ash rasgou no meio da festa, enquanto elas dançavam uma música do ABBA. Camille acabara derrubando um coquetel de frutas vermelhas no vestido da aniversariante. As duas acabaram a noite no terraço do buffet, fazendo uma lista das mais barangas da festa. 
- Dessa vez vai ser diferente, não vai? - Cami comentou quando terminou de fechar o zíper do vestido de Ash, que estava servindo direitinho. 
- Vai. Dessa vez não vamos a uma festa tentando achar nossos príncipes. - Ash piscou para a amiga e as duas sorriram, gargalhando logo em seguida. 
- Tá, chega. Esse climinha de festa de quinze anos já afetou demais nossas cabeças. - Ash concordou, sentando-se em sua cama para calçar seus sapatos. - Voltando aos trabalhos: tô gostosa? - Cami deu uma volta no lugar e Ash concordou rindo. 
- Você acha que essa ideia do Niall vai dar certo? - Ash perguntou assim que ficou de pé, equilibrando-se no salto. Caminhou até a penteadeira para terminar de se maquiar. 
- Sinceramente? - Camille ajeitou o vestido no corpo e foi até a porta do quarto - Não. 
- Somos duas. - elas riram brevemente e se encararam - Mas levando em consideração que estamos tratando de Niall Horan, acho que vamos nos divertir. 

No quarto à frente, Louis, Zayn, Niall e Harry estavam sentados em uma única cama - que agora pertencia a Camille - esperando que as garotas saíssem do quarto para poderem ir para a festa. As garotas e Liam. 
- Caralho, Payne. Que tanto você arruma esse seu cabelo fedido? - Louis reclamou, jogando um tênis nas pernas do amigo. 
- Fedido é o teu... - Antes que pudesse terminar a frase, Camille abriu a porta do quarto, fazendo com que ele perdesse a fala e qualquer raciocínio. - Uau! 
- Vou levar isso como um elogio, Payne. - Cami sorriu sem graça e tentou não se abalar com o fato de que os quatro garotos encaravam suas pernas. - E você ainda não tá pronto? Que tanto arruma esse cabelo? 
- É isso que eu sempre quis saber desde que conheci Liam Payne. - Louis desviou seu olhar das pernas da garota e recostou-se na parede, sorrindo ironicamente para Liam. 
- Já terminei, tá legal? - Liam pegou seu celular de cima do criado-mudo e olhou as horas - Já podemos ir? 
- A Ash ainda tá terminando de se trocar. Vou apressar ela. - a garota piscou para o namorado e recebeu o mesmo gesto em troca, saindo do quarto logo em seguida. 
- O primeiro que comentar a respeito das pernas da Camille, terá seu pinto arrancado. - Liam sorriu sincero e os quatro garotos sentados na cama levantaram seus braços em defesa. 
- Nem passou pela minha cabeça comentar nada a respeito daquelas pernas. - Niall olhava para onde Camille tinha saído - Horríveis elas são. 
- Eu avisei, Horan. - e em questão de segundos, os cinco foram parar no chão, dando chutes e socos que não machucariam nem uma rosa, rindo dessa pequena diversão diária deles. 
- Ok, chega, senão vamos ter que tomar outro banho e isso vai nos atrasar cada vez mais. - Harry colocou ordem e levantou-se do chão, ajeitando sua calça. Por sorte, eles estavam com as roupas de um evento no carro de Niall, e elas acabaram sendo muito úteis para aquela ocasião.
- E Niall, que bosta de festa de rainha é essa? – Zayn disse com descaso, ajeitando a camisa. 
- Calma, cara. – Niall sorriu de lado – Quando a gente chegar você vai ver. 

- Todos bem? – Niall perguntou do banco do motorista. Virou a cabeça para trás junto com Zayn, que estava ao seu lado. 
- Ótimos! – Cami respondeu sentada no colo de Liam. – Só tenho a sensação de que ficarei corcunda pelo resto da minha vida! 
- Não exagera, Cami. – Louis disse em meio aos risos. 
- Não exagera porque não é você que tá aqui dobrado. – a garota bufou – Colocar sete em um Audi S5 não é uma ideia muito boa.
- Se reclamar vai a pé. – Niall disse com a voz serena, fazendo Cami mostrar o dedo do meio para ele. 
- Vai, Niall, sai logo com esse carro. – Harry pediu, ajeitando-se no banco e, consecutivamente, fazendo com que Ash batesse a cabeça no teto. – Desculpa, desculpa, desculpa! 
- Não tem problema! – Ash deu risada, esfregando a cabeça no local da batida – Espero que não chegue com nenhum hematoma. – disse para que somente ele escutasse, dando um selinho um tanto quanto torto nele, levando em consideração a posição que estavam. 
Niall saiu com o carro e tentou dirigir o mais cautelosamente possível, o que foi bem difícil para ele que estava acostumado a passar do limite de velocidade. Em alguns minutos chegaram ao centro de Londres e as garotas não conseguiram não ficar encantadas com aquilo. Há quatro meses morando na Inglaterra, vivendo tudo tão intensamente e rápido, que coisas simples como as luzes da cidade à noite lhe encantavam mais do que o normal. 
O carro entrou em algumas ruas que havia muito movimento, até parar em frente a uma boate. Niall desligou o carro e olhou sorridente para os outros seis dentro do carro, que o olhavam seriamente. 
- Isso não se parece com uma festa da rainha. – Liam comentou ao conseguir enxergar um pouco do lado de fora. O cabelo de Camille insistia em cobrir seu rosto. 
- Sabia que era furada. – Zayn colocou a mão na testa, lamentando-se. 
- Vocês querem parar? – Niall gritou afetado, virando-se no banco. – Essa vai ser a melhor festa da vida de vocês! 
E depois de mais alguns comentários a respeito de como não dava para confiar no Niall, os sete saíram do carro – com certa dificuldade, já que ninguém queria cair na calçada – e começaram a reparar melhor no local. 
A fachada da boate tinha um estilo vitoriano, como se uma casa tivesse sido reaproveitada. Apesar da tintura escura nas paredes e janelas, ela ainda não deixava de ter esse ar. Na porta, os seguranças usavam um uniforme igual aos do Palácio de Buckingham. 
- Acho que agora as coisas estão começando a fazer sentido... – Ashley disse mais para si mesma do que para algum dos seus amigos. Ainda observando o local, os sete adentraram a boate em fila, logo após Niall dizer seu nome para um dos seguranças.
Ao entrarem, mais algumas surpresas. Todas as pessoas estavam bem vestidas, algumas até bem mais do que eles. Em suas mãos, ao invés de garrafas de cerveja, taças de champanhe. Niall indicou para que eles subissem uma escadaria ao fundo da boate, surpreendendo-se ao chegar no andar de cima e encontrar camarotes transformados em pequenos lounges luxuosos. Almofadas vermelhas de veludo, detalhes em dourado, cetim. Detalhes como esse compunham o local, que em contraste com a música agitada e moderna, poderia deixar qualquer um confuso. 
- Esse lugar é o máximo! – Cami comentou jogando-se em um dos puff’s vermelhos do camarote. Liam sentou-se ao lado dela e já tinha uma taça em mãos. 
- O que você tem a dizer sobre isso, Zayn? – Niall provocou o amigo, que olhava tudo ainda com certo brilho nos olhos. 
- Que eu quero ser seu amigo pra sempre. – Zayn deu risada, abraçando Niall de lado. 
- Com licença. – um garçom, usando trajes parecidos com o Alfred de Batman. – Vocês gostariam de algum drink em especial? – perguntou educadamente, tirando as palavras da boca de cada um. Entreolharam-se e sabiam o que estavam pensando a mesma coisa. Que naquela noite, eles esqueceriam todos os problemas por algumas horas. 


(No dia seguinte...)

- Isso é café? 
- Alguém viu meu celular? 
- Por que o Liam está usando a camisola da... AH, claro. 
- Acabou a geleia? 
- Alguém viu a Ash? 
Todas as centenas de perguntas que eram feitas ao mesmo tempo foram cessadas quando Harry apareceu na cozinha, onde cinco pessoas se amontoavam em volta da bancada. Cada um trocou um olhar indagador com a pessoa que estava ao seu lado e, quando todos haviam trocado olhares entre si, viraram para Harry, que continuava parado na porta. 
- Ela não estava dormindo com você? - Zayn perguntou, franzindo a sobrancelha. - Você mais do que ninguém nesta mansão deveria saber onde a pequena Ash está. 
- É, Styles. O que você fez com a minha amiga? - Cami perguntou em um tom de brincadeira, mas lá no fundo, sentiu um pouco de preocupação. - Resolveu sequestrar a Ash também, é? 
- Não sei o que aconteceu. - Harry coçou a nuca, bagunçando ainda mais os cabelos desalinhados. - Quando eu acordei, ela já não estava mais lá. 
- Será que ela não foi comprar pão? - Louis perguntou e por alguns segundos todos deram risada. 
- Será que você não pensa em outra coisa a não ser comida, Tomlinson? - Niall zombou, atirando um pano de prato na direção de Louis. 
- Ela não tá no banheiro? - Cami perguntou para Harry, olhando ao redor para se certificar de que a amiga não estava jogada em algum canto da mansão. - Ontem ela acabou exagerando um pouco na tequila... 
- Ih... Então ela deve ter ido na farmácia. - Zayn disse baixinho. - Será que vai trazer aspirina? Tem uma rave dentro da minha cabeça. 
- Você já tentou ligar no celular dela? - Cami novamente questionou, seguindo na direção de Harry, que estava com um semblante muito preocupado. - Ash não sai sem o celular. Nunca. 
- Liguei, mas só dá caixa postal. - Harry passou as mãos novamente pelos cabelos, se perguntando onde a namorada cabeça dura tinha se enfiado. - Você não tem ideia de onda ela pode estar? 
- Não... - Cami disse num primeiro momento, mas depois acabou se lembrando de um comentário de Ash de muito tempo atrás. - Na verdade, eu acho que sei onde ela está. 

-x-

Ela achou que aquela sensação ia passar assim que pisasse no velho terreno onde o parquinho de diversões estava instalado desde a sua infância, mas por algum motivo, aquilo não estava funcionando daquela vez. O coração de Ash parecia prestes a explodir, mas não de uma maneira positiva. Desde que acordara, aquele peso em seu peito a estava incomodando. Sabia que precisava de um tempo para si mesma e não queria incomodar Harry ou Cami, ou qualquer um dos meninos, porque de certa forma, sabia que estava preocupada sem necessidade. Harry tinha conseguido um bom advogado, amigo de seus pais. Harry estava confiante, assim como ela tinha ficado no momento, mas por algum motivo aquilo passou. 
Enquanto caminhava entre os brinquedos, Ash tentava juntar todos os pensamentos positivos que conseguia imaginar ao mesmo tempo que tentava se distrair, olhando para os bancos tingidos de vermelho, quase podendo se ver sentada ao lado de sua avó, como costumavam fazer no passado. Caminhou um pouco mais, parando quando percebeu que estava diante do brinquedo preferido de sua infância. Sorriu ao ver o carrossel, um pouco velho e com a tintura descascando, mas ainda assim ele lhe parecia encantador. O local estava vazio e isso dava um ar meio melancólico ao ambiente. Ash subiu os degraus e sentou-se numa grande xicara de chá, olhando para o teto cheio de lâmpadas apagadas. Fechou os olhos por alguns segundos, pensando em como seria bom se sua avó ainda estivesse ali. Lentamente, deixou que as lembranças de sua infância voltassem. Lembrou-se da primeira viagem com os pais para Londres. Do aroma dos bolinhos de baunilha que sua avó fazia em todo final de tarde, juntamente com o chá de camomila. Lembrou-se de como a avó lhe embalava nas noites frias antes de dormir, e de como aquilo a fazia se sentir a pessoa mais segura do universo, mesmo que do lado de fora estivesse caindo a pior tempestade de neve de todos os tempos. Quando percebeu, uma lágrima escapava pelo canto de seu olho. 
- Queria tanto que você estivesse aqui, vovó. - Ash disse baixinho, enxugando as lágrimas com a manga da camisa. - É tão injusto que você tenha ido. 
Ash fechou os olhos com força e passou novamente as mangas da camisa em seu rosto assim que percebeu uma movimentação perto de onde ela estava. Surpreendeu-se quando um senhor, que aparentava ser de outro século por conta de seus cabelos extremamente brancos apareceu ali. Por um momento se perguntou se estava delirando, mas teve a certeza de que ele era bem real no momento em que ele lhe sorriu. E aquele sorriso não lhe parecia estranho... 
- Ashley? 
Surpreendeu-se ainda mais quando ouviu seu nome. Ainda não tinha reconhecido sua face coberta por rugas e marcas da idade, mas o brilho em seus olhos azuis parecia lhe dizer algo. 
- Eu...? - Ela respondeu sem saber o que dizer, de fato. O senhor franzino se aproximou da imensa xícara onde ela estava sentada, e Ash pôde observar que ele usava um macacão marrom. Não que isso lhe fosse ajudar em alguma coisa, mas era engraçado ver um senhor de idade usando macacão. 
Em resposta, o senhor abriu um sorriso enorme, que imediatamente fez Ash sorrir também. Ela não sabia por que, mas quis sorrir diante daquele gesto tão espontâneo. 
- Desculpe minha intromissão, mas eu pensei que estava vendo coisas... Nessa idade é difícil confiar na nossa visão. 
- Tudo bem. - Ela respondeu cada vez mais curiosa e confusa com aquele diálogo. - Me desculpe, mas eu conheço o senhor de algum lugar? 
- Na verdade, eu conheço você desde que você era um toquinho de gente. - Naquele momento, o senhor estava com uma mão apoiada na crina de um cavalo branco, e em seu semblante havia um ar saudoso, como se aquele também fosse o seu brinquedo preferido. - Mas você provavelmente não se lembra de mim. Eu conheci a sua avó. 

-x-

- Cami, você tem certeza de que me passou o endereço certo? 
- Claro que passei! - Camille deu um berro do outro lado do telefone, fazendo Harry se encolher um pouco. - Quer dizer, eu tenho 90% de certeza de que passei o endereço certo. 
- Pois eu acho que seus 90% estão 100% errados. Não tem nenhum parque de diversões aqui, Cami. Só um monte de ferro velho. - Harry bufou, impaciente. 
- Ué, vai que a Ash quis comprar um carro velho pra começar a dirigir e perder o medo?
- Isso não foi engraçado. 
- Tudo bem, eu sei. - Cami soltou um suspiro, ficando em silêncio por alguns segundos. Estava tão apreensiva quanto Harry. Já fazia mais de duas horas que Ash havia sumido. - Olha, por que você não volta e a gente espera aquela doida aparecer? Pelo menos estando todo mundo aqui, a surra vai ser maior.
Dessa vez Harry soltou uma risada fraca, concordando que uma hora ou outra Ash apareceria. E era bom que ela tenha uma desculpa muito boa para deixar todo mundo preocupado daquela maneira. 
Despediu-se de Cami e guardou o celular no bolso, refazendo o caminho em torno do ferro velho que mais parecia um terreno abandonado. Quando já estava em seu carro, checou o seu celular mais uma vez. Nenhuma ligação.Resolveu então ligar de novo, mesmo sabendo que daria caixa postal. Seu coração disparou quando a voz dela o atendeu, alegre, no primeiro toque. Por um segundo ficou sem reação, mas quando seu cérebro finalmente processou a informação de que sua namorada havia dado um sinal de vida - depois de duas horas - a primeira coisa que conseguiu fazer foi enchê-la de perguntas. 
- Hey, amor, me desculpe por deixá-lo preocupado... - Ash interrompeu Harry sem responder nenhuma das duzentas perguntas que ele fez em questão de meio segundo. - Será que você me buscar em um lugar?
Harry não sabia como Ash podia ser tão... Tão... Ash daquele jeito. Desistiu de questioná-la e até de fazer drama, encenando que já tinha acionado a S.W.A.T para encontrar o paradeiro dela. 
- Tudo bem, me passe o endereço. - Anotou na palma de sua mão o endereço desconhecido por ele, acelerando com o carro assim que Ash desligou. 

-x-

Enquanto isso no quarto de Camille...

- Devemos manter o Zayn longe das garrafas de tequila na próxima festa. - Louis comentou, recebendo uma careta de Zayn. – Sério, cara, você ficou fora de si. 
- Nada a ver. – Zayn abraçou o travesseiro de Cami como se fosse um ursinho de pelúcia e aquilo fosse o proteger de todo o mal. 
- Nada a ver? – Niall pegou um perfume na penteadeira da garota – Cara, você deu um fora na garota mais gostosa da festa, correu em círculos, derrubou pelo menos umas dez taças de champanhe e se pendurou no corrimão da escada. – ele espirrou um pouco do perfume no ar para sentir o cheiro – Gostei desse... – e espirrou um pouco no seu pescoço. 
- Isso é mentira. – Zayn balbuciou, encarando a fronha listrada de Camille. 
- Com toda certeza não é mentira, Zayn. – Liam acrescentou, desviando o olhar de Niall, que começou a arrumar os perfumes, cremes e produtos de beleza da penteadeira de Camille. – Todos nós vimos e olha que até todo mundo aqui bêbado conseguiu lembrar disso. – ele ajeitou-se na cama, que era encostada na parede, e Camille ajeitou-se no seu colo, sorrindo para o namorado. 
- Sem contar que ele acordou no chão do meu quarto usando meus sapatos. – Cami comentou, sentindo Zayn puxar seu cabelo. 
- Onde você comprou esse hidratante? – Niall perguntou aleatoriamente, indicando um tubo pequeno de hidratante para o rosto. 
- Na Sephora. – Cami respondeu, olhando admirada para sua penteadeira meticulosamente arrumada. Ela nunca teria conseguido deixá-la daquela maneira nem com treinamento intensivo. 
- Vocês não têm mais nada pra fazer a não ser cuidar da minha vida? – Zayn reclamou, recebendo exclamações de volta. Zayn bufou, colocando o travesseiro no rosto, ainda sentindo alguns efeitos da ressaca. E, aos poucos, alguns flashes da noite anterior lhe vieram na cabeça. 

Flashback (da cabeça do Zayn)

O garçom me ofereceu mais um copo de tequila, e eu o engoli sem nem ao menos saber o que era limão e o que era sal. Eu sentia não só meu cérebro anestesiado, mas também todos os meus músculos, ossos e nervos. Eu não sabia como estava andando, mas meu corpo flutuava em direção ao bar no andar de baixo. Não achei que seria capaz de descer a escada, mas consegui chegar vivo no balcão do bar, aparentemente. As luzes do local faziam com que o movimento das pessoas ficasse ainda mais lento, e consecutivamente o meu raciocínio também. Duas garotas se aproximaram de mim e eu não sei em qual momento comecei um beijo triplo com elas. Eu nem sabia que era capaz de fazer aquilo. O que era bem legal, inclusive. 
Depois de um tempo, que eu não sei muito bem quanto tempo foi, eu estava dançando. E dançando loucamente, com os braços para o alto e minha camisa que antes me incomodava, agora estava aberta. Tinham duas mãos esfregando meu abdómen, e eu espero que elas sejam de mulher. 
Em alguns instantes, eu me vi numa confusão. Primeiro tinha um garçom me oferecendo mais champanhe, mas eu não queria. Só que ao invés de dizer não, eu fiquei meio irritado, e bati na bandeja do cara. E depois eu estava de volta no balcão do bar e eu não sabia mais o nome das coisas, então pedi pro garçom escolher o que me dar. Eu bebi o líquido verde de uma vez. E eu juro por tudo que é mais sagrado, eu nunca me senti daquele jeito. Tão... Perdido. 
Eu via que eu me movimentava, que eu corria, mas eu não sabia como. Eu subi as escadas, mas eu queria descer, só que tinham muitas pessoas na minha frente, então eu desci no corrimão. Escutei meu nome algumas vezes, mas eu não conseguia parar, tinham abelhas atrás de mim. E foi então que eu vi, aquela abelha gigante, voando em minha direção. 
- ABELHAS! – gritei e quando eu vi estava correndo para fora do local. – ABELHAS SÃO MÁS! ABELHAS! – algumas mãos me seguraram – SAI! ABELHA! – eu queria sair dali, queria correr, mas aquelas mãos malvadas eram mais fortes. E eu era um pequeno e indefeso pote de mel, com um monte de ursinhos Pooh malvados tentando me prender. E com uma abelha me perseguindo. – ABELHAS! 

Fim do Flashback (da cabeça do Zayn)

- Hey, Malik! – Louis tirou o travesseiro do rosto do amigo, fazendo-o despertar do transe – Dorme não. – ele sorriu travesso, como uma criança de dez anos. Zayn se perguntava como ele conseguia ser assim, tão desencanado com tudo. 
- Que isso, Zayn, tá apaixonado pelo Tomlinson? – Niall zombou, puxando a calça dele. 
- Cala a boca, Horan. – Zayn pegou o travesseiro de volta, abraçando-o novamente. – Eu tô sensível hoje. 
- Awn, que fofo! – Cami levantou-se do colo de Liam e engatinhou na cama, até conseguir se sentar ao lado de Zayn e abraçá-lo de lado. – Nós podemos assistir Gilmore Girls, tomar sorvete e fazer limpeza de pele, se você quiser. – Zayn sorriu com o comentário de Cami, mas preferiu não dizer nada, já que a ideia lhe parecia boa e ele achou que seus amigos não precisavam saber disso. 
Depois de muito tempo conversando sobre assuntos aleatórios e paralelos ao mesmo tempo, eles ficaram em silêncio imediato quando escutaram um barulho vindo do andar de baixo. Cami voltou sorrateiramente para o colo de Liam ao mesmo tempo em que Louis sentou-se ao lado de Zayn e puxou uma parte do travesseiro para o seu colo, ficando quietinho ali. Niall deixou o gel de limpeza profunda de Camille em cima da penteadeira e deu um jeito de se sentar ao lado da garota, quase caindo da cama. Os cinco ficaram ali, comportados, como se estivessem querendo enganar a mãe deles de que não aprontaram nada durante o dia. 
- Meu Jesus cristinho, por favor, faça com que seja o Harry voltando com a Ash. – Louis sussurrou, como se estivesse rezando. 
- Amém. – Niall respondeu da outra ponta, fazendo com que eles rissem baixinho. 
O barulho se aproximou da porta e então eles viram passos fazendo sombra por debaixo da porta. Camille engoliu em seco e apertou a mão do namorado, que estava despretensiosamente olhando para qualquer lado, menos para a porta. 
Os passos voltaram e pararam em frente a porta, que começou a ser aberta bem lentamente. Louis já tinha puxado todo o travesseiro para cima de si, cobrindo quase toda a visão. E então, de repente, Ash entrou no quarto, com Harry logo atrás dele. 
- Ah, vocês estão aqui! – e Louis jogou o travesseiro no rosto dele – Que isso, menino Tomlinson? 
- Não vale assustar a gente assim, poxa. – Louis respondeu com a mão no coração, tentando controlar sua respiração. 
- Onde você estava? Você está bem? Você comeu? – Cami levantou-se da cama e começou a apalpar a amiga, que sorria calmamente para ela. 
- Eu tô bem, Cami. – ela encarou Ash por um instante, analisando sua feição. Ash tinha vários tipos de sorrisos, tinha um que indicava que ela iria matar alguém, tinha outro que indicava que ela estava muito animada, prestes a estourar champanhe e tinha outros também que indicavam medo, insegurança, amor e vontade de fazer xixi. Mas, aquele que Ash exibia em especial, só podia ter um significado: Ash estava confiante
. - O que aconteceu? – Cami perguntou esperançosa, vendo Ash sorrir ainda mais. 
- Eu encontrei um velho que conhecia minha avó desde... Sempre. E então ele me convidou para ir até a casa dele tomar uma xícara de chá. – ela olhou para Harry, que tinha o mesmo sorriso que ela – E eu fui. 
- Espera aí, espera aí – Niall levantou-se da cama e parou ao lado das duas – A gente aqui esse tempo todo preocupado e você estava tomando chá com um velho que encontrou por aí? 
- Desculpa, pai! – Ash revirou os olhos, sendo abraçada nos ombros por Niall logo em seguida. – Enfim, eu fiquei um tempo conversando com ele e ele me mostrou uma coisa. 
- Meu Deus, que medo... – Zayn comentou, fazendo com que todos dessem risada. 
- Pervertido. – Liam deu um soco na barriga dele – Isso que dá confundir mulheres com abelhas. 
- DÁ PRA PARAR? – Zayn gritou e todos tiveram que segurar o riso. – Ash, por favor, continue. 
- Então, ele me mostrou essa carta que minha avó escreveu antes de morrer. – ela tirou um envelope do bolso da calça jeans, que já estava um tanto quanto amassado. 
- E o que tem nela? – Louis perguntou. 
- A salvação. – Harry, que estava quieto esse tempo todo, aproximou-se e respondeu a pergunta do amigo, deixando um sorriso invadir o rosto de todo mundo, principalmente de Camille e Ashley. 


Notas Finais


Gostaram?

Amanhã tem MAIS hein!

Um beijão..

~Jhe


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...