História Dirty call - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens D.O, Sehun
Tags Dirty Talk, Nsfw, Pwp, Sesoo, Sex Call, S-g, Top!kyungsoo
Visualizações 814
Palavras 1.102
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eu realmente não sei o que to fazendo da vida
Mozao que me obrigou a terminar q

Boa leitura

Capítulo 1 - Let me talk to you, babe


- Me imagina venerando o teu corpo, Sehunnie, daquele jeitinho que você adora quando eu faço. Agarrando a tua bunda, brincando com os teus mamilos na minha boca, te colocando pra rebolar no meu colo, beijando as tuas coxas e o teu pau - A voz grave e gostosa de Kyungsoo do outro lado da linha fez Sehun se tremer por inteiro. Tinha o celular sobre a cama com a ligação no viva-voz e o pau entre os dedos lambuzados por lubrificante, subindo e descendo devagarinho, porque se só com as palavras do mais velho estava à ponto de bala, imagina se bombeasse com um pouquinho só de mais força. Não sabia como o telefonema para o namorado terminara daquele jeito, mas o Oh nem queria pensar muito, só focar-se no tesão que precisava descontar de alguma maneira.

- Hyung... - choramingou, deslizando os dedos da outra mão, também já encharcados de lubrificante, para o meio das pernas, rodeando a entrada necessitada bem devagarinho, como Kyungsoo faria se estivesse ali. O contato meio geladinho do gel o fez tremer, levando-o a se recordar da sensação tão oposta que era a língua do Do lhe fazendo o mesmo tipo de carinho. E imaginar o moreno com o rosto entre suas coxas foi demais para o loiro, que gemeu arrastado, se arqueando e deixando o dígito invadir a cavidade apertada.

- Você tá metendo os dedos, não é? Imagina que sou eu fazendo isso por você, bebê, te fodendo com meus dedos devagarinho, deixando um por um entrar, pra depois meter forte daquele jeito que te faz se arreganhar todinho pra mim e gemer meu nome bem gostoso.

E Sehun fez exatamente como Kyungsoo falou. Mentalizou o menor entre suas pernas, os músculos dos braços fortes enrijecidos pela força com que ele estaria estocando os dígitos dentro de si, aquele olhar febril sobre seu corpo e o sorrisinho safado nos lábios fartos. Gemeu ainda mais alto, mais dois dedos entrando para fazerem companhia ao que já se movia vagarosamente, juntando os três num ritmo mais firme, espalhando mais as pernas e metendo-os da maneira que a posição lhe permitiu.

- S-Soo... H-hyung, m-me fode, por favor

- Ah, mas eu vou, amor. Você é sempre tão bom com a boca no meu pau, por que eu não te daria o que você quer? - Kyungsoo riu baixinho, mas logo grunhiu do outro lado da linha e o gemido gutural que o loiro ouviu foi bem claro na missão de confirmar ao mais novo que o moreno provavelmente também batia uma. - Eu vou te colocar de ladinho, porque eu sei que você ama quando eu te fodo de ladinho, neném.

- Vai tão fundo, Soo, tão gostoso - A voz de Sehun era puro dengo e ele já havia se colocado de quatro na cama, metendo os dedos com tanta vontade que nem a cãibra no braço lhe fez parar. Porra, estava sentindo tanto tesão que não havia maneira de parar àquela altura. Tateou cegamente o colchão em busca do celular e aproximou a boca do microfone, gemendo bem necessitado o nome de Kyungsoo logo no momento em que conseguira tocar a própria próstata, quase desabando pela falta de força nas pernas devido a todo aquele prazer avassalador.

E isso era o poder de somente as palavras do moreno.

- Consegue me sentir metendo bem gostoso em você, Hunnie? Fodendo a tua entradinha com força, meio bruto do jeitinho que você gosta. Apertando os dedos nas tuas coxas, gemendo sobre o quão apertadinho você é no teu ouvido, indo tão forte e tão fundo que a tua bunda vai ficar toda ardida pela força com que a minha cintura vai bater nela.

- Caralho, hyung...

- Eu vou enfiar os meus dedos na sua boca pra você chupar, porque eu sei que você adora me provocar. Vou rebolar quando surrar a sua próstata só pra você se derreter todo pra mim, agarrar meus cabelos e choramingar contra a minha boca. Eu adoro quando você não consegue me beijar por culpa da força com que eu te fodo.

Sehun fodeu a própria entrada em desespero, o membro recebendo uma atenção meio desajeitada de sua mão livre, porque estava tão perdido naquela torrente de prazer que não conseguia fazer as duas coisas ao mesmo tempo. E, porra, a ponta dos dedos tocando a própria próstata estava tão gostoso que ele se focou em aproveitar aquela sensação, levado pela voz rouca e insanamente boa de Kyungsoo ao telefone, lhe fazendo viajar sobre todas as loucuras que ele faria consigo nos lençóis.

- Você vai gozar sem ser tocado, Sehunnie, porque você é tão fissurado na sensação do meu pau dentro de você que só isso já basta pra te fazer gozar bem gostoso, chamando o meu nome. E quando eu gozar dentro de você, bebê, eu vou continuar te fodendo com força só pra ver a minha porra vazando pra fora dessa sua entradinha que me aperta tão bem. Eu sei que você ama a minha porra escorrendo pelas suas pernas, Hunnie... - A respiração do moreno estava tão pesada quanto a de Sehun, ruidosa durante cada segundo da ligação, acompanhando os gemidos do loiro e os próprios grunhidos que não controlava por estar tão fodidamente duro, bombeando o pau furiosamente. - Então, vai, Hun... Goza pra mim.

Sehun explodiu num orgasmo tão forte que precisou afundar o rosto no colchão para não gritar e icomodar os vizinhos. Movia a mão em desespero no membro pulsante, gozando em jatos longos sobre os lençóis, o corpo tremendo pelos espasmos insanos que lhe percorriam os músculos.

Ouviu o gemido grave e gostoso de Kyungsoo ecoando na linha um pouco depois e sorriu todo amolecido, sentindo corpo sofrendo mais uma série de arrepios com a imagem mental do moreno gozando, provavelmente sem camisa, largado na cama, suado e com o pau melado entre os dedos longos. Choramingou baixinho, mordendo o travesseiro para se conter.

- Hun?

- Oi, amor... - O Oh tinha a voz meio craqueada e Kyungsoo acabou rindo do tom todo dengoso do loiro, ele provavelmente estava todo esparramado na cama sendo uma bolinha de manha como sempre ficava depois do orgasmo.

- O que foi isso hein? Achei que você não curtisse sex call - O tom do moreno era risonho e Sehun acabou sorrindo junto, decidindo que estava com preguiça demais para se limpar. Buscou a colcha aos pés da cama e se cobriu, tirando o celular do viva-voz para terminar a ligação com o namorado.

- Hm, olha, o que foi eu não sei. Mas, sinceramente? A gente vai repetir...


Notas Finais


Espero que tenham gostado qoamqowmsoqk

Mamai ama vocês 💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...