História Dirty Diana - A História De Uma Groupie - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Guns N' Roses
Personagens Personagens Originais
Tags Groupie Rock 80's 90's
Visualizações 22
Palavras 3.303
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Não faça um homem crescido chorar
Meus olhos dilatam, meu lábios ficam verdes
Minhas mãos estão suando
Ela é uma máquina malvada

Capítulo 6 - Start Me Up


Fanfic / Fanfiction Dirty Diana - A História De Uma Groupie - Capítulo 6 - Start Me Up

  

Era inverno de fevereiro quando ganhei uma passagem de avião pra Nashville, Tennessee , num sorteio de uma rádio. Eu nunca perdia esse tipo de oportunidade , porque eu sabia que sempre conseguia o que queria , dependendo de sorte ou não. E aquela passagem definitivamente me trouxe muito mais sorte do que eu sequer imaginara.

Peguei o vôo pelas 06:00 a.m. e cheguei cerca de 08:20 a.m. em Nashville.Como sempre , a primeira coisa que eu faria após tomar um bom café da manhã com o dinheiro que ainda me restava, seria procurar por algum emprego fácil. Peguei um táxi e fui até o Hard Rock Cafe ... Você deve se perguntar , "por quê diabos essa garota gasta todo o dinheiro dela em coisas tão fúteis ? "

Há várias respostas pra essa pergunta , uma delas - e talvez a mais sensata - é que eu não tenho mesmo nenhum pingo de juízo. Outra , é que eu simplesmente gosto de fazer as coisas do meu jeito enquanto estou viva... A vida é boa pra quem sabe aproveitar , e nisso eu tenho mestrado. E um dos lemas da minha vida era que, dinheiro gasto em roupas , comida, bebida ou boa música , era sempre um dinheiro bem gasto.

Desci do táxi , e as ruas - assim como tudo - estavam cobertos pela neve. Não poderia ser melhor , eu estava na "cidade da música" , na melhor estação do ano , prestes a tomar café no Hard Rock... Eu realmente era uma filha da puta de sorte !

Eu me lembro bem quando entrei naquele lugar quase vazio aquela hora da manhã... Tocava " Hello Goodbye " dos Beatles , quando escolhi uma mesa ao lado da janela , pra ver a neve cair do lado de fora...

Eu havia pedido uma xícara enorme de cappuccino com canela e caramelo , e durante toda minha estadia me senti estranhamente desconfortável sob os olhares de um homem de meia idade , muito bem vestido , tomando um café no balcão de pedidos. Eu tentei não ligar , não era raro atrair olhares de todos os tipos pra minha pessoa... Mas aquilo realmente estava me deixando irritada. Depois de longos minutos naquela situação , o homem terminou seu café e caminhou até mim , mudando minha irritabilidade pra confusão.

- Com licença , senhorita ... - voltei meus olhos pra ele , deslizando meus óculos escuros pro topo da cabeça - Posso lhe perguntar seu nome ?

- Poder você pode , só não sei se vou responder... - Disse receosa.

- Bom... Meu nome é Johnson... Achei você extremamente bonita e interessante e queria... - Cortei-lhe a conversa.

- Pode parar por aí , não estou interessada em nenhum tipo de relacionamento , encontro ou coisa do tipo ... - Coloquei de volta os óculos nos olhos e suguei um pouco de cappuccino.

- Você é difícil , hãn ?! - Ele me olhou franzido - Você deve ter idade pra ser minha filha ! Não é nada disso que eu ia lhe falar ...

- Ah não ? E então ? - Olhei-o curiosa.

- Sou scouter da agência Elite Model ... Queria lhe oferecer um ensaio teste ... Como disse , achei você interessante e bonita... Mas já que não se interessa... - Ele estava prestes a ir embora. Levantei e corri pra frente dele.

- Não , espera ! Me desculpa... Eu não imaginava... Eu quero ! - Ele abriu um sorriso satisfatório.


***


Naquele mesmo dia , Johnson havia conseguido um ensaio pra mim. Fiz algumas fotos , e foi bem estranho... Eu nunca me imaginara modelo ! No fim , a diretora acabou amando meu álbum , o que foi ainda mais surpreendente pra mim ...

- Então ... Eu estava decidida quanto os ensaios de amanhã ... Mas , houve uma mudança de planos. Elizabeth vai pro ensaio da Gucci e Diana amanhã aqui , às oito.

- O QUÊ ?! MAS MEGAN !! EU QUERIA FAZER O DE AMANHÃ ... É ROLLING STONES !!!

- Elizabeth , Gucci. E fim de papo.

Eu fiquei ali sentada , apenas assistindo a situação... A tal da Elizabeth , saiu furiosa... Pra mim não faria a menor diferença fotografar pra Gucci ou Rolling Stone , quem liga ?!

- Megan... Se é importante pra ela , eu não me importo de deixar ela com a Rolling Stone... - Falei sem expressão.

- Vocês não tem que se importarem com nada mesmo , eu sou a diretora aqui e a melhor performance pra amanhã é a sua ! - Fiquei sem palavras - E não é a revista Rolling Stone... É um ensaio com a banda Rolling Stones.

Aquilo foi como um tiro no peito. Rolling Stones. Agora tudo mudava ... Tudo fazia diferença ... Eu ia fazer um ensaio fotográfico com a porra dos ROLLING STONES !


***


Eu mal consegui dormir pensando no Mick Jagger e no Keith Richard's , e quando as primeiras horas da manhã se manifestaram eu pulei da cama do hotel , direto pro chuveiro. Uma pessoa normal , provavelmente , iria pestanejar em tomar banho às seis da manhã em pleno inverno, mas eu entrei no chuveiro cantando "Satisfaction".

Eu me lembro bem da roupa que eu vestia quando peguei o táxi pro ensaio... Uma blusa dos Rolling Stones , uma jaqueta jeans , uma touca preta , e uma calça preta. Usei minha maquiagem característica : boca vermelha , olhos de felino.

O ensaio ia ser em frente uma gravadora de discos , onde tinha uma escadaria deslumbrante , coberta por algumas camadas de neve. Eu devo ter ficado umas duas horas pelo menos , dentro do "carro de produções" , tomando cafézinho e esperando a banda aparecer. Quando isso finalmente aconteceu , eu estava deitada num dos bancos , e vi pelo retrovisor quando eles desceram de um carro chique atrás do que eu estava. Eles pareciam caminhar em câmera lenta , ao passo que meu coração estava prestes a saltar pela minha boca. Respirei fundo . Eu precisava manter a calma , não podia parecer uma menininha de 17 anos que queria gritar e arrancar um pedaço de cada um deles pra grudar na parede do meu quarto. Eu precisava agir como se não ligasse pra existência deles... Mas porra , quem diabos não ligaria pros Rolling Stones ?

- Diana ... - Alguém bateu na porta do carro - Vamos começar.

Engoli meu coração de volta , fechei os olhos , respirei fundo e abri a porta do carro. Lá estavam eles... A maquiadora passava uma camada de pó em seus rostos , e eu coloquei minhas mãos nos bolsos da blusa , recostando no carro. Mick me viu de relance e sorriu. Congelei , e não foi de frio. Mick e Keith caminharam em minha direção , enquanto a maquiadora cuidava dos outros. Rezei intimamente pra alguma força maior segurar minha emoção e meus instintos.

- Oi , você é Elizabeth , não ? - tentei não abrir a boca pra contemplar o charme de Mick.

- Não... Sou Diana. - Ele e Keith se entreolharam , confusos - Eles me trocaram com a Elizabeth , não se por quê...

- Hum... Legal... - Ele deu de ombros - Sou Mick , muito prazer. - Apertamos nossas mãos.

- E eu sou ...

- Keith Richards... - Não me controlei. Apertei suas mãos num sorriso de canto. Como aquele cara era sexy ! Eu diria que até mais que o próprio Mick Jagger...

- É... - Ele riu, ascendendo um cigarro em seguida.

- Vamos lá , pessoal , hora de começar... - Um dos fotógrafos anunciou.


***


Fizemos várias fotos, e acabou ficando mais divertido do que imaginei que seria. A maioria delas acabou sendo apenas Mick e eu , na qual eu agradeci intimamente por ter uma desculpa pra agarrá-lo. Porém , apesar de tudo , meu preferido sempre fora Keith Richards... Ele devia ter na faixa dos quarenta anos , e era tão fodidamente sexy !

Ele ficara a maior parte do tempo me assistindo , recostado numa árvore , fumando seu cigarro com cara de quem não dava a mínima pra porra nenhuma... Talvez eu estivesse sonhando alto demais , mas me pareceu que ele me cobiçou com aqueles olhos em alguns momentos...

No segundo tempo da sessão , eu já estava quase implorando pra terminar logo aquilo , por que Keith tinha sumido de minhas vistas. Fiz quase um book inteiro com Mick Jagger e finalmente acabou.

Decidi caminhar até a árvore a qual ele esteve antes , mas antes de atravessar a rua , o vi sentado ao meio-fio tocando uma guitarra - sem amplificadores - com seu cigarro pousado à boca. Talvez fosse muita ousadia da minha parte, mas eu não descartava oportunidades como essa... Fui até ele , e me postei sentada ao seu lado. Ele tocava e cantava baixinho "Angie", e eu quase mordi os lábios de tão excitante que era presenciar aquilo !

- Hm , já acabou ... ? - Ele me perguntou parando a música.

- Por quê você parou ? Não se pode interromper Keith Richards numa música. - Respondi. Tive a audácia de tirar o cigarro dele e colocar na minha boca.

- Você queria ouvir ? - Ele diz sorrindo de canto.

- Não seria exagero se eu dissesse que sou fã de Rolling Stones... - traguei o cigarro olhando o horizonte. Sorri debochado - Essa blusa não é da agência.

- Você é a fã mais ... Ãhn... Digamos , calma... Que eu já vi.

- Isso não quer dizer que não queira arrancar um pedaço de você. - Brinquei. Mas no fundo era mesmo verdade. Ele riu.

- Você tem que tomar cuidado com o que diz pra um membro dos Rolling Stones... - Ele me olhou pesado.

- Por quê ? - Arqueei uma sobrancelha.

- Temos mania de interpretar tudo de forma erótica... - Ele riu por fim.

- Talvez eu tenha mesmo dito com esse propósito. - Ele me encarou surpreso.

- Tentador , mas não preciso ser vidente pra ver que você tem metade da minha idade.

- E se eu tiver ? Idade é só um número pra saber quanta merda você já fez na vida... - soltei a fumaça do cigarro.

- Então eu já fiz muita e você pouca. - ele riu.

- A frase certa seria que você fez mais que eu, por enquanto. - Ele me observava atentamente e eu adoraria saber o que se passava na cabeça dele naquele momento.

- É ... - ele levantou , e guardou a guitarra no carro.Voltou a me encarar , eu já estava em pé , frente a ele. Ele tinha uma caneta nas mãos. Pegou meu punho e rabiscou. - Me ligue quando as fotos estiverem prontas.

- Claro. - Respondi sarcástica. Ele queria sair por cima , mas quando alguém te dá o número de telefone , ela quer você ligue. Dei uma última tragada e coloquei o cigarro na boca dele de volta. - Espero que me autografe uma delas.


***


Eu tinha o telefone de Keith Richards. Eu queria ligar na mesma hora em que voltei pro hotel. Eu queria transar com um guitarrista de quarenta anos. Não era qualquer guitarrista , era o KEITH RICHARDS! O cara o qual eu beijava no poster da parede do meu quarto !

Ele podia ter expressão de deboche mas ele me deu o número dele , e um cara dos Rolling Stones não resistia duas vezes a um pedido de sexo.

Eu suportei. Suportei a porra de uma semana inteira até aquelas benditas fotos ficarem prontas. Não fazia tanto frio naquele dia , quando saí da agência com algumas cópias das fotos que eu queria. Entrei num Starbucks , pedi um cappuccino e disquei o número dele...

- Aqui é o Keith... - Mordi os lábios sorrindo ao imaginá-lo pronunciando aquelas palavras.

- E aqui é a Diana. Só pra avisar que quero meu autógrafo hoje... - Tive a impressão dele sorrir do outro lado da linha.

- Onde você tá ?

- No Starbucks... Perto da agência... Vem me ver . - Respondi um tanto sexy. Eu sabia que ele viria.

Ele desligou e , quase uma hora depois , quando eu estava já entediada de esperar , resolvi sair da cafeteria e nos encontramos na entrada. Ele usava uma camisa cinza neutra , uma calça preta , uma encharpe em volta ao pescoço e um óculos... Sem se esquecer de seu costumeiro cigarro caído no canto do lábio.

- Você ia me dar um bolo ? - Ele tirou os óculos os enroscando na gola da camisa.

- Não pense que só porquê você é Keith Richards , pode me deixar esperando o quanto quiser. Eu odeio esperar.

- Me desculpa , querida... - ele riu - Posso te levar pra casa pra me redimir ?

- É um bom começo.

Fomos até o carro dele. Ele abriu a porta do carona pra mim e em seguida entrou na direção.

- Posso ver as fotos ? - ele me olhou.

- Pode... Pode ficar com a qual quiser... Eu só quero duas dessas. - Entreguei pra ele um envelope cheio das fotos.

- Tá certo ...

- Acho que tenho direito a um pedido. - Falei confiante enquanto ele ligava o carro.

- Se eu puder atender...

- Se você quiser , você pode. - Ele me olhou de canto , sorriu e voltou a se concentrar na direção - Quero que suba no meu quarto e toque uma música pra mim.

- Ah é só isso ?

- Se você quiser me dar mais , você pode.

- Eu te disse pra tomar cuidado com o que diz pra um integrante do Rolling Stones... - Disse focado na estrada.

- Se eu estou insistindo em não ter cuidado , você já devia ter entendido o recado.


***


Meu hotel ficava ao lado do Hard Rock Cafe , e Keith quis passar lá primeiro. Ele comprou um violão , gente podre de rica devia mesmo ser assim...

No meu quarto ele sentou em um puff , e eu na cama. Ele tocou "Ride On , Baby " pra mim.

- Fique com isso de presente... - Ele mordeu a tampa de uma caneta hidrográfica , e autografou o violão , depositando-o no puff em que tinha sentado.

Levantei e coloquei meus braços em volta ao seu pescoço , o atraindo com meus olhos cerrados.

- Você sabe que eu não quero só o seu autógrafo... - sussurrei séria.

- Diana... - ele colocou as mãos em minha cintura - Eu sou velho demais pra você...

- Eu tenho 29 ...

- Nós dois sabemos que você é mais nova que isso. - ele me olhou com ar cínico.

- E nós dois sabemos que você não se importa tanto quanto queria...

Mais uma vez tive a petulância de lhe tirar o cigarro , dar uma tragada e o jogar no chão , apagando com meu pé. 

Ele me beijou bem devagar , como se estivesse apreciando alguma droga... E ele era a minha. Eu grudei nos cabelos próximos a sua nuca , num pedido desesperado pra que ele me possuísse... Ele me levou a passos longos pra cama, me conduzindo pela cintura. Eu queria gritar de prazer só com o beijo daquele homem !

Antes que ele me deitasse , tirei minhas blusas, sentindo a temperatura fria do inverno eriçarem os pelos do meu corpo. Tirei os sapatos e a calça... Ele observou tudo com olhos famintos... Parecia pouco se importar com minha real idade, na verdade , parecia estar contemplando minha joviedade. Tirei-lhe seus acessórios , e a camisa... Ele me olhava tentando ocultar o real desejo que sentia , e então eu resolvi derrubar-lhe a máscara... Levei as mãos dele por debaixo do meu sutiã , ele suspirou , então o desabotoei ... Apenas suas mãos tapavam meus seios e eu pude ver o quanto isso o deixou excitado. Ele deslizou as mãos pela minha cintura , e mordeu os lábios vendo meus seios completamente protusos por conta do frio... Ele começou a beijar meu pescoço , desceu aos poucos até chegar nos seios ... Cada toque dele me arrepiava.

- Keith... Eu quero ver o quanto você é forte ... - Provoquei.

E ele era. Realmente era muito forte. Naquele momento eu agradeci por não ser mais virgem ou aquilo teria doído pra valer... Cravei minhas unhas nele , arranhando toda suas costas... Eu implorava pra que ele nunca parasse.

Eu realmente era uma vadia... Uma vadia de sorte. Uma vadia precoce de uma sorte incalculável... Mas eu não era uma vadia qualquer , eu era uma vadia que estava transando com o Keith Richards que devia ter mais de duas vezes a minha idade ...

Eu não ligava a mínima... Ele era o cara que tocava " Jumpin' Jack Flash " no meu toca discos... Ele fazia parte da banda a qual eu cresci ouvindo... Ele me fazia bem... Transar com ele era como me levar pro paraíso...

Eu observava os músculos de seu braço se movimentando... Era como se eu fosse sua guitarra , e juntos fazíamos o solo mais extasiante de todos...

- Ahh porra... Você faz um homem morto gozar...

Ele era tão quente , mesmo com todo aquele frio lá fora...


***


Depois que Keith foi embora eu pensei que não o veria de novo fora dos palcos... Mas me enganei. Eu subestimei minha sorte.

Numa das manhãs de inverno , poucos dias depois de termos transado , eu o encontrei no Starbucks... Aquele mesmo que ele me fez esperar. O irônico foi que dessa vez quem esperava era ele...

- Keith ? Ainda aqui em Nashville ? Pensei que fosse embora... - Falei após pedir meu costumeiro cappuccino. Ele estava ao me lado apoiado no balcão.

- Queria te fazer um convite. - Disse ignorando minha pergunta.

- Faça.

- Queria que ficasse comigo hoje , no hotel. - Disse terminando seu café.

- Até fico... Mas sem segundas intenções. - Ele arqueou a sobrancelha. Peguei meu copo de cappuccino.

- Te depecionei ? - disse confuso.

- Longe disso ! Você é maravilhoso... Do jeito que pensei ... - suguei um pouco de cappuccino pelo canudo.

- Então ... ?

- Vem , vamos dar uma volta. - Acenei com a cabeça , ele me seguiu.

- Quantos anos você tem afinal ? - Ele perguntou enquanto caminhávamos pra fora do Starbucks.

- Quer mesmo saber ?

- Quero.

- Dezessete.

- Tá não exagera ... Fala logo. - ele riu , e de uma tragada.

- Eu tenho dezessete mesmo. Quer ver minha identidade ?

- É O QUE ? Puta merda... Não acredito que eu comi uma adolescente ! - Ele parou no meio da calçada.

- Comeu e gostou tanto que queria outra vez... Para de drama. - Revirei os olhos. Ele deu de ombros , embora ainda estivesse assustado.

- Eu tenho que admitir que você é madura demais pra tão pouca idade... Em todos os aspectos. - Ele me analisava de cima abaixo. Me puxou pelo punho contra ele , se encostando na parede. - Você faz um homem crescido chorar ...

Eu o beijei lentamente , pela última vez. O beijei até ficarmos bem quentes , até ele me desejar mais do que já desejava... E então o soltei , sorri e o deixei. Saí pulando , como o vento em velocidade máxima...


***


MTV - Rolling Stones Live

- Bem essa música eu escrevi pra uma garota mais nova do que vocês imaginam... O nome dela é Diana... E a música é Start Me Up.

Sorri , deitada na mesma cama onde Keith e eu transamos. Eu realmente gostei daquela música , se eu fechasse os olhos , ainda podia senti-lo em cima de mim dizendo aquela frase, ofegante e cheio de desejo...

"você faz um homem morto gozar"


Notas Finais


Oii mundin !! Olha quem volto !!! Eu mesma ...

Poise eu tinha excluido essa fic , e agora resolvi restaurar ela. Me amem e comentem :3

🌈


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...