História Dirty Minds - Capítulo 34


Escrita por: ~ e ~Heytay

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber
Tags Álcool, Drogas, Sexo, Violencia
Exibições 124
Palavras 1.252
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OI NENÉNS! Ainda bem que dessa vez a gente não demorou para postar, né?

Caramba! Estou com o coração partido por saber que essa fanfic está chegando ao final. Temos apenas mais seis capítulos para o fim. Espero que vocês gostem dessa última etapa.

OBRIGADA POR TODOS OS COMENTÁRIOS E FAVORITOS. VOCÊS SÃO INCRÍVEIS.

Ótima leitura:)

Capítulo 34 - Finally dating


Fanfic / Fanfiction Dirty Minds - Capítulo 34 - Finally dating

Points Of View Lívie Murray

Após uma terna e longa conversa com Brandon, explicando tudo sobre Julian para ele, e sabendo que teria a ajuda de meu pai, decidi andar um pouco sozinha. Já que estava com o carro de Bieber, iria aproveitar.

Estava dentro do carro, olhando para os dois lados e procurando um lugar legal e não muito movimentado, quando vi um barzinho ideal. Estacionei e fui até o mesmo, sentando-me na cadeira do balcão.

— Um copo de vinho, por favor — pedi ao garçom, que foi atender ao meu pedido.

— Afogando as mágoas? — Nem percebi quando uma garota se sentou ao meu lado. Ela era loira, dos olhos azuis e um corpo escultural, simplesmente maravilhosa.

— Não, comemorando! — sorri — E você? — perguntei ao ver o copo em sua mão.

— Com certeza afogando as mágoas — riu — Sabe, posso conversar com você? Preciso desabafar.

— Sou toda ouvidos — respondi. O porquê de eu estar ouvindo uma mera desconhecida? Não sei, mas senti que podia ajudar.

— Meu nome é Carolina Kirman — começou — Eu sou casada a dois anos, e eu amo o Marcell. Ele sempre se mostrou ser uma ótima pessoa, carinhosa, amorosa... Até meu pai, que jurou não me deixar namorar antes dos 30, aceitou nosso casamento, mas ele me traiu. Traição! Eu não posso aceitar isso, posso? Porra, se ele dizia que me amava, por quê fez isso? Não pode ser verdade e... — a interrompi.

— Meu atual matou meu ex — confessei. Ela arregalou os olhos — Eu perdoei o fato de ele ter matado o homem que mais amei, e agora estamos juntos. Pode ser loucura, mas aconteceu. Apesar de eu ter odiado Justin Bieber com todas as minhas forças, tudo isso mudou.

— Você namora com Justin Bieber? — arregalou os olhos novamente, e eu ri.

— Estamos juntos — dei de ombros — Mas como eu estava dizendo, se eu perdoei um assassinato, por quê não perdoar uma traição?

— Você está querendo dizer que eu devo perdoá-lo?

— Não exatamete — arqueou a sobrancelha — Estou querendo dizer que você deve pensar muito sobre o que realmente quer fazer. Reveja se você acha que o amor superará isso, e se você conseguirá apagar isso de sua memória, porquê se for para continuar junto e toda vez atacar na cara dele, melhor ficar separado.

— Entendo — silenciou.

— Espero ter ajudado — sorri.

— Muito! Obrigada... — deixou no ar.

— Lívie.

— Muito obrigada, Lívie — sorriu e, como se nada tivesse acontecido, voltou a dançar.

Bebi meu vinho e sai dali, indo em direção à ferrari, pronta para voltar à mansão de Bieber, tomar um banho e deitar: estava exausta!

Points Of View Justin Bieber

Eu estava tremendo da cabeça aos pés. Nunca, nem mesmo quando fiz o mais arriscado assalto, passei por um momento de tanta adrenalina. Meu coração batia em uma velocidade muito rápida e eu não conseguia parar de andar de um lado para outro. Ryan, Christian, Charles, Caitlin, Belinda e Taylor estavam sentados olhando a minha euforia.

O combinado que eu tinha feito com Brandon era ele vir para a mansão assim que eles terminassem o jantar. Portanto, era para Lívie ter chegado junto com ele, mas não foi isso o que aconteceu. Brandon voltou sozinho, sem a filha. Ela tinha ido dar uma volta sozinha, o que de fato não estava nos planos de ninguém.

A sala tinha sido toda enfeitada por Bel e Caitlin, já que Taylor se recusou a participar da "palhaçada toda". Brandon também tinha ajudado com a comida, e os garotos com as bebidas. Era um festa de comemoração para minha Lívie, ela tinha acabado de encontrar o pai, um pedaço da família que ela pensou ter perdido para sempre.

— Ela chegou — gritou um segurança lá de fora.

Todos se colocaram rapidamente de pé. Torci meus dedos em ansiedade e esperei que ela abrisse a porta e, quando a mesma entrou na mansão, todos gritamos ao mesmo tempo:

— Nós te amamos, Lívie Murray.

Os olhos de Lívie se encheram de lágrimas no mesmo instante. Ela estava paralisada e apenas as lágrimas caíam sem parar. Bel e Tay correram na direção da amiga. Foi então que as duas melhores amigas de Lívie também começaram a chorar. Caitlin, ao meu lado, se emocionou com a cena. Quatro garotas chorando. Que cena!

— Caramba. Isso é muito legal — murmurou Chaz à minha esquerda.

— Se você chorar eu jogo você pela janela. — cruzei meus braços e ele me mostrou o dedo do meio.

— Será que o paizão aqui também merece um abraço?

Lívie saiu de perto das amigas e correu para os braços do seu pai. Ela o apertou forte e chorou mais um vez.

Para quem se nomeava durona, Lívie Murray parecia mais uma manteiga derretida.

Ela abraçou os meninos e até mesmo Caitlin. Quando chegou perto de mim, eu a agarrei e selei nossos lábios. Estava nervoso para o que viria a seguir, uma parte do plano que ninguém sabia que iria acontecer.

— Você está nervoso — comentou.

— Fiquei com medo de você não gostar da festa — confessei.

— Para de ser bobo — deu um tapinha no meu braço — Eu amei.

— Fico feliz, Murray — sorri.

Selamos nossos lábios mais uma vez, e eu me afastei, deixando-a confusa. Sorri para a garota e soltei um pigarro para que todos olhassem para mim.

— Bom, todo mundo sabe o que aconteceu nesses últimos meses em que conheci Lívie. Nós ficamos, depois eu matei o namorado dela, é difícil dizer isso pois sei que a fiz sofrer, mas não me arrependo disso, pois tive a oportunidade de conhecê-la melhor — eu estava nervoso, todas as atenções estavam voltadas à mim — Nós passamos por poucas e boas, não é? — a garota assentiu — Mas estamos aqui, firmes. Eu nunca conheci alguém que compreendesse a vida que levo tão bem, e eu só estou contigo pois sei que não vou precisar largar essa vida por sua causa, vamos vivê-la intensamente, juntos!

Me aproximei da garota e ajoelhei a sua frente. Percebi todos ficando assustados, e sorri.

— Lívie Murray, aceita namorar comigo? — ela estava com os olhos arregalados.

Points Of View Lívie Murray

Justin Drew Bieber ajoelhado era algo que eu nunca imaginei. Mesmo nos meus sonhos mais loucos eu nunca pensei que ele fosse ter coragem de dar um passo tão grande assim. Éramos totalmente um casal fora do comum. Nunca nenhuma outra garota iria aceitar, nenhuma outra iria ficar com o homem que matou o namorado dela, mas essas garotas não são eu, nenhuma delas jamais sentiria alguma coisa por Drew Bieber, entretanto, eu nunca fui uma menina que brincava de bonecas e esperava o príncipe encantado chegar em um cavalo branco.

— Sabe, Bieber, passei parte desses meses imaginando você ajoelhado e, em todos esses pensamentos, eu apontava uma arma na sua cara — Justin arregalou os olhos — Mas acho que você conseguiu me surpreender, essa cena foi melhor do que os meus pensamentos. Prefiro você me pedindo em namoro do que rezando para não morrer.

— Isso ainda não é um sim — levantou-se e ficou me encarando — Vai fazer eu esperar por mais quanto tempo?

— Só até você me mostrar a aliança. — Sorriu e tirou uma caixinha do bolso.

Nossa! Tinha mesmo uma aliança.

Justin colocou o anel de diamante no meu dedo e depois eu fiz o mesmo com o que sobrava na caixinha. Beijou meu dedo e depois alisou meu rosto.

— Agora você é minha para sempre, Murray.

Continua...


Notas Finais


Grupo no whats (11) 9 7788 2361.

Até breve meus amores.

Xoxo,tay!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...