História Disputa - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Jihope, Jikook, Vmin, Yoonmin
Exibições 61
Palavras 1.774
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Slash, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ooi ♡
Cheguei com o especial YoonMin, eu tinha dito que ia postar os dois especiais juntos, mas eu ainda não consegui terminar a JiHope e como já faz um tempinho que eu disse que ia fazer resolvi postar essa primeiro. E outra coisa vou fazer um especial YoonSeok também, daí seria como continuação da história, já que os dois foram os únicos que ficaram sozinhos! É isso..
Boa leitura ^-^

Capítulo 6 - ESPECIAL YOONMIN


Fanfic / Fanfiction Disputa - Capítulo 6 - ESPECIAL YOONMIN

Quase um mês, quase trinta dias que não posso chegar perto do ruivinho, acredite, eu tentei. Tentei durante todas as refeições, durante os ensaios, durante a noite, eu tentei até durante os show's, mas não consegui, Namjoon e Jin hyung sempre davam um jeito de me barrar.

Ainda era cedo, cerca de 3h da tarde, mas eu já não aguentava ficar no mesmo ambiente que Jimin, e não poder toca-lo, não poder nem sequer trocar palavras com o mesmo.

Então fui para meu quarto separei minhas roupas necessarias e tomei um banho para - tentar - relaxar.

Após o meu banho me joguei - literalmente - na cama, pretendia entrar em coma, pelo menos poderia sonhar que Jimin estava comigo. Mas como o fodão aqui tem muita sorte, fazia cerca de 15 minutos que meus olhos estavam fechados, mas eu estava mais acordado que nunca. E assim ouvi o ranger da porta, provavelmente Taehyung - com quem eu dividia o dormitorio - havia entrado para pegar suas roupas e também tomar um banho. Eu não abriria os olhos de jeito nenhum, do jeito que aquela criatura é tagarela, ia querer conversar e eu só queria relaxar por que dormir pelo jeito eu não faria tão cedo.

Mas me surpreendi com um toque em minha bochecha e um afundar suave do colchão de minha cama.

Estava prestes a mandar Taehyung pro quinto dos infernos, quando tive a visão do ruivinho corado.

Ele ia se levantar e ir embora quando por impulso segurei seu pulso com um pouco de força exagerada.

— D-desculpa hyung.. — Jimin abaixa a cabeça envergonhado.

— Não se desculpa, só fica comigo um pouco.. — Levanto seu queixo e encaro seus olhinhos que estavam um pouco arregalados.

— Por favor. — Completo.

Ele só acena positivamente com a cabeça e deita ao meu lado, mesmo que ele não retribua meus sentimentos, só de poder estar junto dele, sentir o seu cheiro, seu calor, já fico feliz. E foi assim que ele pegou no sono. Ele com o rosto encaixado em meu pescoço, de lado com o braço em cima de meu abdômen e uma das pernas por cima das minhas. Meu braço envolvendo sua cintura posessivamente e com o outro acariciando seu rosto, que já era sereno com a respiração devagar.

Estava tão distraído com a delicadeza dele, a boca carnuda vermelhinha, a pele branquinha e levemente rosada nas bochechas, sem conseguir me conter contorno seus lábios com o polegar, era tão macio, e nem percebi que agora o menor já tinha os olhos abertos e as bochechas ainda mais coradas.

— Hyung, e-eu, e-eu posso te beijar? — Fiquei surpreso pelo pedido, nem respondi, apenas ataquei a boquinha que me fazia ter pensamentos impuros.

No começo era apenas um selar, mas eu não aguentei, precisava sentir seu gosto, pedi passagem com a língua que foi ligeiramente aceita, quando os dois músculos se tocaram senti o menor estremecer, e aquilo me fez sorrir durante o ato. Explorei cada cantinho de sua boca, estava ainda mais viciado em Jimin, ele era definitivamente perfeito.

Nos separamos pela falta de ar e fitei sua boca que agora estava inchadinha, eu definitivamente queria aquela boca em outro lugar.

— Jimin, eu sei que você não gosta de mim como eu gosto de você mas- — Ele me cala com um selinho.

— Eu gosto de você hyung! — Disse e logo abaixou a cabeça envergonhado.

— Então, eu.. — Exitei um pouco.

— Posso te tocar? — Questiono esperançoso.

Ele balança a cabeça negativamente e eu abaixo a cabeça, tudo bem, eu esperaria.

Ele levanta meu queixo e me fita profundamente.

— Você não pode hyung! — Afirma mais uma vez.— Você deve! — Sorriu corado.

Me aproximei mais uma vez meu rosto do seu e selei seus lábios.

Levei as mãos a sua camiseta e a tirei logo depois que ele levantou os braços.

A sua pele era tão branquinho, não transparente que nem a minha, eu tinha que marcar aquela pele.

O empurrei levemente até que ele estivesse deitado e distribui selinhos por todo seu rosto, até o maxilar e logo passei para o pescoço.

Não resisti e deixei uma mordida um pouco forte lá, o que tirou um gemido de dor de Jimin, mas ele não me pediu para parar.

Pelo contrário, agarrou os fios de minha nuca e me puxou para mais perto.

Desci meus lábios para suas claviculas e cheguei aos seus mamilos, eram tão rosinhas e delicados que não resisti e deixei uma mordida em cada um, depois os sugando com vontade, Jimin já estava ofegante, ele estava ainda mais lindo, com os cabelos ruivos colados na testa, as bochechas bem coradas, os olhos fechados com força e a boca vezes entre aberta, vezes sendo maltratada pelos seus dentinhos.

Levei minha mãos a calça do mais novo e a desabotoei, deslizando-a pelas coxas fartas e branquinhas que eu sempre quis morder, ele ainda estava de olhos fechados.

— Você é tão lindo.. — Ele levanta seu olhar e me encontra encarando seu corpo e logo cora puxando um traveceiro e cobrindo o meio de suas pernas.

— Amor, falta uma peça ainda.. — Sorrio malicioso, e levo minhas mãos por baixo do traveceiro sem tira-lo do lugar, encontrando o cós de sua boxer e a puxando pra baixo até passar pelos seus pezinhos pequenos e fofos. Jimin era um bebê..

Me levanto da cama e tiro minha camiseta e calça, ficando apenas de boxer, deixaria essa peça para ele tirar, de preferência com os dentes..

— Posso? — Pergunto puxando de leve o traveceiro.

Ele acena negativo arregalando levemente os olhos.

— Opa! — Puxo o traveceiro com força, não dando tempo para ele revidar.

Quando abaixei meu olhar para ver as partes que mais me interresavam, ele fecha rápido as pernas me fazendo rir por sua timidez.

O encaro nos olhos e abro suas pernas devagar, não desvio o olhar, mesmo querendo muito, me deito por cima dele ficando entre suas pernas e o impedindo de as fechar novamente.

Tiro minha boxer, pois já era doloroso continuar com ela.

Finalmente baixo o meu olhar para seu membro e sua entrada, ele era todo delicadinho como sempre imaginei, seu membro era relativamente pequeno, que nem ele, a glande era vermelhinha o que dava muita vontade de por na boca, e a melhor parte, a sua entradinha, rosinha e imaculada.

Estava louco para me enterrar nela…

— Ah Jimin, tão gostoso.. — Levo o dedo indicador a sua entrada a massageando, enfio a pontinha e ele faz uma carinha de desconforto, como ele consegue ser tão fodidamente fofo?

— H-hyung.. — Chama manhoso, e sinto cada vez mais fisgadas em meu membro.Murmurro um "Hmm" por estar muito encantado com sua entradinha esmagando meu dedo.

— E-eu posso.. t-te tocar?

Aquela frase me fez imaginar cada coisa, me jogo ao seu lado na cama e logo o puxo pra cima de mim, deixando ele sentado em meu baixo ventre.

— Toque.

Jimin cora e começa a passar os dedinhos fofos de leve por meu abdômen me causando arrepios, desce a cabeça, ficando de quatro e distribui selares por toda extensão do meu tronco, ele estava fazendo o caminho da felicidade, mas quando avista meu membro arregala os olhinhos pequenos.

— Use a boca, não morda, só chupe como um picolé, hm? Faz isso pro hyung? — Seguro na base de meu membro fazendo movimentos devagares, o ruivo aproxima o rosto e dá um selo em minha glance logo depois lembendo os lábios, sentia minha excitação aumentar cada vez mais.

— É doce! — Disse e sorriu como se tivesse experimentado uma comida gostosa.

Desceu o rosto novamente e pôs apenas a glande na boca, passando a língua de cima pra baixo. >Aquilo era delicioso.<

— Hmm Ji-im-min.. — Seguro seus cabelos forte o forçando pra baixo até que metade de meu membro estivesse em sua boca.

Jogava o quadril pra cima fodendo a boquinha quente de Jimin. Não aguentava mais, o puxei pra cima de mim, tirando sua boca do meu pau.

— E-eu fiz errado? — Perguntou preocupado.

Sorri e o puxei para mais perto roubando mais um beijo quente seu e logo depois aproximando minha boca de seu ouvido.

— Não. Você foi perfeito. — Respondi rouco pela excitação.

— Mas eu quero muito te foder agora.. — Sussurei e apertei forte suas nádegas.

Ele se afastou rápido e arregalou os olhos pela quarta vez no dia.

— F-foder? — Gaguejou corado.

Segurei firme sua cintura e nos virei me colocando por cima dele, entre suas pernas.

— Isso! Foder forte e gostoso, como você merece.. — Ditei massageando suas coxas, abrindo mais suas pernas pra mim.

— Vai aguentar o hyung? — Pincelei meu membro em sua entrada.

Ele engoliu em seco e assentiu, meu membro já estava lubrificado pelo pré-gozo e sua saliva, então era só preparar sua entradinha.

Chupei três dedos e levei o primeiro pra sua entrada, o adentrando devagar em quanto bombeava seu membro. Suas caretas de desconforto era fofas demais, e me excitavam de um jeito incrível, mas o resquício de sanidade que poderia haver em mim se foi quando ele gemeu manhoso ao adentrar o terceiro dedo e acertar seu ponto doce.

— Pode arranhar minhas costas, tá bom bebê?— Com mais um aceno positivo me debrucei sobre ele e fui lhe adentrando devagar, quando já estava totalmente dentro parei de mover e distribui selares pelo seu rostinho que tinha algumas poucas lágrimas rolando. Ele era incrivelmente apertado, e por não estar acustumado com a invasão ainda se contraia tentando me expulsar.

— H-hyung, mova-se.. — Disse. Rebolando de leve. Me retirei quase que por completo e voltei com tudo acertando diretamente sua próstata, o fazendo abrir a boca em "O" e curvar as costas. Aproveitei a deixa e adentrei sua boca com minha língua começando um ósculo profundo enquanto aumentava a velocidade. Seus gemidos eram divinos.

— Yoon-AH, d-de nov-vo.. — Implorava. Jimin gozou quando acertei várias vezes seguidas seu ponto, continuei os movimentos e com o aperto extra cheguei ao ápice dentro dele.

Me retirei com cuidado vendo sua carinha de dor, e me joguei ao seu lado o puxando pra se deitar em cima de mim.

— I-isso foi m-muito bom.. — Sussurou ofegante.

— Podemos repetir quando quiser! — Sorri e o puxei para mais um beijo, esse que transmitiu nossos sentimentos.

— Eu te amo. — Lhe dei um beijo na testa e nos cobri com um lençol.

— Eu também.. — Disse, antes de cair no sono.

Jimin era como uma boa música, você se vicia aos poucos, e quando vê já não consegue parar de escuta-la, quando pensa que enjoou, começa a cantar os trechinhos durante o dia inteiro ficando por muita vezes irritado por aquela música não sair de sua cabeça. Eu me sentia assim. Só que eu ainda não sabia, que a música que havia me viciado, foi feita pra mim..



Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...