História Distance - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ao no Exorcist
Personagens Personagens Originais, Rin Okumura, Yukio Okumura
Tags Drama, Rinxyukio, Romance, Yukioxrin
Exibições 82
Palavras 1.838
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi de novo! Eu não me aguento e também estou ansiosa para escrever.

Capítulo 9 - Acontecimentos...


Fanfic / Fanfiction Distance - Capítulo 9 - Acontecimentos...

Sophie

Já faz uma semana desde que Yukio sumiu, eu, Mephisto, loira-peituda, sobrancelhas, carequinha, rosinha, cantor de rock e Shura-chan procuramos por ele. 

Fomos na policia depois de 24 horas, mas nada , claro que também não esperamos dar esse tempo e procuramos por nós mesmos.

Estou preocupada sentindo um aperto no coração só de pensar onde Yukio pode estar ou o que pode ter acontecido.

Não consigo falar com "Ed", começo a cossar meu pulso, por causa do nervosismo. Acabamos de procurar novamente e nada do Yukio.

- Onde o quatro-olhos deve estar? - pergunta Shura com voz preocupada.

Ninguém responde, sabemos que é uma pergunta retorica apenas para quebrar o gelo. Pois ninguém está conversando e com esse clima tenso.

Estamos em Vera Cruz, acabei de ser convocada para ir ao escritório de Mephisto-san. Não bato na porta apenas entrando diretamente.

- Precisa melhorar seus modos Sophie-chan.

Reviro os olhos me sentando na cadeira esperando por ele falar algo que preste.

Ele suspira. - sem nenhum senso de humor - murmura ele - Acho que achei o lugar onde Okumura-sensei está. 

Me alegro rapidamente esperando para ele prosseguir. - Mas se lembra que pode ser como da outra vez que foi apenas um boato. 

Me intresteço por lembrar disso. Então apenas aceno.

Ele suspira cansado estava com bolsas negras abaixo dos olhos. - Mas algo me diz que pode ser versado, por isso eu e você iremos.

Aceno novamente, ele então convoca os ex-alunos de Yukio e Shura para sua sala.

Quando todos estavam na sala ele lhes explicou tudo, mas claro que sempre tem que ter alguem para contradizer.

Loira-peituda estava corada e parecia que estava tentando fazer cara de brava,mas falha miseravelmente. - Diretor-san eu também quero ir! - diz estufando os fartos peitos.

'Ah como queria ter um pouco de peitos' - Penso ficando depressiva.

Então todos começaram a falar, menos Shura-chan o que me surpreende. De repente ela solta com grito mandando calarem a boca.

- Prestem atenção se for em poucos será melhor porra! Eu também gostaria de ir seus idiotas, mas precisamos ficar e esperar entenderam! 

Todos estão chocados para contradizer, assim eu e Mephisto saímos dali o mais rápido possível.

(Quebra de tempo)

Chegamos a um local afastado de tudo, vimos uma pequena cabana na qual entramos. Era arrumadinha uma fofura.

Paro de pensar isso quando entramos em uma sala secreta que era de tortura poderia dizer isso só por olha-la.

Fico em estado de choque e mais preocupada.

- Bem, os boatos foram verdadeiros afinal. - fala Mephisto, que mais parecia apenas para si mesmo.

- N-não pode ser. Yukio não poderia estar aqui.

Digo não querendo acreditar naquilo. Ele me olha decepcionado.

- Eu sinto o cheiro do sangue dele. Parece meio recente, saíram daqui à um dia atrás.

Engulo em seco. - Então se tivéssemos vindo antes...- não consigo terminar com lágrimas em meus olhos. As Afasto balançando a cabeça.

Mephisto finge não perceber e diz:

- Vamos embora, precisamos descansar.

Suspiro com isso. Não digo nada apenas o seguindo.

~~Distance~~

Yukio

Estou de bruços com os braços amarrados um em cada lado da cabeceira de uma cama velha. Estou com medo, não deveria ter tentado fugir. Ele irá m punir, por ser um mal menino.

A porta é aberto ouço seus passos.

Espero.

Novamente.

Sei que gosta quando estou nervoso.

- Você irá contar quantas chicotadas eu te dou certo? Se parar ou errar começarei tudo de novo.

Aceno.

Uma estalada em minhas costas sem nenhum pano, estava desprotegido completamente nu.

- Um.

Depois novamente outra.

- Dois.

Comecei a me acostumar, ainda tenho um pouco de resistência.

Outra junto a um soluço engasgado e mais um gemido de prazer.

- T-três.

Me perco apenas em minha própria bagunça, murmurando os números. Enquanto choro.

Não peço para parar porque se o fizer ele baterá mais.

Minha mente está desestabilizada, mas não ligo.

Quero morrer.

Ele então para, vendo que eu estava exitado por causa da droga que injeto, disse que quando me acostumar poderei parar de levar injeções dela.

- Vejo seu amiguinho quer um pouco de atenção neh?! 

Pergunta com tom malicioso. Ele me desamarra me virando de frente para ele que também esta desprovido de roupas.

Ele coloca sua mão grande e quente em volta de meu pênis. Gemo com seu toque.

 - Quer que eu acabe com essa dor? 

Diz se referindo ao meu pênis latejante, que "chorava" por sua atenção.

Aceno.

- Responda.

- S-sim

- Sim, o que gracinha? 

Ele quer que eu implore como nas outras vezes.

- Me ajude com meu pau! Ahn... Por favor Takashi-sama.

Gemo desprovido de qualquer vergonha. Apenas quero sair daqui.

Ele começa e me mastubar arrancando gemidos de mim. Vejo que está com uma faca ao seu lado. 

Tento pega-la mas gozo em sua mão gritando, ele tinha um sorriso arrogante.

- Pensou que não tinha visto que tentava pegar minha faca gracinha?

Gelo no mesmo instante, com medo do que esta por vir.

- Sabe terei de ir agora mas é claro que tenho um brinquedinho para você, ou melhor dois.

Ele coloca um anel penicano para não me deixar gozar e colocando um vibrador no meu rabo no máximo. Volta então a me amarrar enquanto fico gemendo necessitado. Ele coloca um esparadrapo em minha boca.(autora:não sei se esse é mesmo o nome desses objetos.)

Fico gemendo querendo seu toque por causa da maldita droga, ele de repente tira o esparadrapo.

- Gosto de seus gemidos e acho que outros também gostaram de ouvir.

Consigo ver por um instante ele retirar uma câmera de algum lugar e começar a me filmar. Começo a me desesperar com lágrimas saindo de meus olhos.

Dor.

Raiva.

Ódio.

Medo.

Desprezo.

Nojo.

Tudo o que sinto enquanto gemo como uma vadia desesperada. Mas é isso que sou certo?

Não sei quanto tempo ele fica gravando, mas quando dou por mim ele retira o anel e o vibrador me deixando despeijar meu esperma.

Ele pega sua faca e começa a passa-la na minha coxa direita descendo até a pantutilha.

- Ahn... P-pare...

A maldita droga ainda não saiu apenas se ele me fuder.

- Diga você quer que eu pare com isso e te foda?

- S-sim....

- Pois bem...

Ele sobe em cima de mim e começar a meter fundo, com isso contínuo gemendo. Estou adorando.

A dor é ótima.

Ele goza em meu interior e eu no colchão sujando minha barriga. Me desamarra e sai.

Não sei quanto tempo se passou, mas acho que uma semana desde a ultima tortura. Ele me da apenas um pouco de água para me manter vivo.

Ele chega bêbado hoje.

- Ooe gra-gracinha...

Tropeça no chão e cai. Pego sua faca que usa para me torturar. E passo a pelo seu pescoço. Enfiando bem profundo. Sentindo o sangue em minhas mãos. Gosto disso.

Ver seus olhos nem se fecharem me da um prazer imenso .

- Ha... Ha,ha,ha,ha... - não sei porque rio, mas sei que é histericamente e com essa risada vem as lágrimas.

Paro de rir e começo a chorar com soluços e mais soluços.

Ouço a porta se abrir,não levanto o rosto. Um par de braços se envolve em mim. Tremo perante o toque.

- ukio.... Yukio... Levanta o rosto... - é a voz da Sophie não quero. Sei que é um truque de uma das drogas que colocou em mim. Isso já aconteceu.

-Não, você não é real. - murmuro.

Ela se afasta.

- Oe quatro-olhos estamos aqui, Mephisto , eu e Sophie.

Não me mexo é a Shura, mas não pode ser.

Sim, é minha mente.

Me sinto cansado e durmo.

Sophie

Achamos ele depois de dois meses, ele não acredita que sou eu, que é nenhum de nós.

Tudo está com sangue ele principalmente. Vejo que matou seu sequestrador. Não sei o que sentir.

Mephisto vai e o pega no colo e se vira para irmos embora sem falar nada.

Cuidamos de suas feridas, permanece dormindo.

Se passou três dias após o encontrarmos. Seus ex-alunos já o viram.

Fui à noite ve-lo novamente. Me surpreendo por estar acordado. Calmo aparentemente.

Entro e ouço Shura perguntar.

- Quem fez isso?

- Um demônio.

- A mando de quem?

- Okumura Rin.

Seus olhos estão vazios, percebo que é o nome do amigo do Edward.

- Como assim?! - grita ela.

Ele não responde. Peço para se retirar e ela o faz.

- Yuk... - não consigo terminar por ver lágrimas em seus olhos. Me a próximo devagar. Ele não se mexe.

Envolvo meus braços nele.

- Por que ele fez isso? Eu não fiz nada.- murmura.

Sinto que Edward entrou no quarto. Yukio cpmeça a tremer ligeiramente, percebo então que foi por causa de sua presença demoníaca.

- Conversaremos fora daqui. - digo tentando me acalmar.

- O que? 

'Agora deu de ser idiota.' - penso

O puxo para fora, mas ainda estando na ala medica onde Yukio se encontrava.

- O que deu em você Caramba!

- Primeiro não grita, segundo Yukio não pode ter sua presença no mesmo cômodo por ser demoníaca ...

Ele me corta - 'Tá, mas tenho novidades contei para o Rin que ele estava sumido.

- VOCÊ PORRA FEZ O QUE?! - grito.

- Fique calma okay?

- Calma o teu rabo! Como você pode contar para ele?

- Olha ele não pode vim para cá lembra-se? E alem do mais ele tinha que saber.

- Cale a boca! Foi ele que isso com o Yuki!

Ele me olha de cara feia - Como assim?! Ele nunca faria isso! Eu o conheço muito bem!

- Aham, tão bem! Saiba que ele é um merdinha.

Acertei uma ferida nele sorriu com isso.

- Bem, pelo menos sei que se ele quisesse poderia ter filhosCom a mulher dele!

Paro no mesmo instante com lágrimas nos olhos, ele acertou um ponto em que feria nós dois, ou bem a mim.

- Espera... Me desculpa linda... - ele chega para me abraçar.

Dou um tapa em suas mãos e grito. - Você sabe que eu adoraria ter um bebê! Mas não posso! Ta legal?! E não me toque seu idiota! Você é que nem o Rin um medinha sem porra nenhuma de noção do que faz! Apenas pensa em si mesmo...

Vou para sair,mas ele me pega pelo braço, mordo meu lábio para não dar um soco nele com a outra mão.

- Sophie... Eu me desculpa... Não quis diz...- viro meu rosto para ele.

- Sim você quis. Agora me deixa que tenho que cuidar do Yukio. Depois conversamos OK?

Ele não me larga. - Landrec-kun solte...

Ele me solta no mesmo instante percebendo que iria atacar. Vou logo para o quarto onde Yukio está para não virar para trás e abraça-lo que é o que realmente quero fazer.

Quando chego lá fecho a porta com um sorriso jo rosto para que não perceba a tensão.

E assim se segue este dia....

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


O que acharam? Ficou boa?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...