História Disturbia - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Naruhina, Naruino, Naruto, Sasusaku, Sexo, Shikatema, Terror, Violencia
Exibições 86
Palavras 2.352
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Festa, Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Espero que gostem e me desculpem a demora auhsuahs

Capítulo 6 - Capitulo VI


Sasuke pov’s

Quase que de imediato me solto de seus braços e coloco o corpo pequeno atrás de mim para que ela evite o olhar para Dereck, ele estava com as roupas manchadas de sangue, assim como suas mãos, eu já estava acostumado com tudo isso, muitas vezes quem chega naquele estado sou eu. Mas agora é diferente. Sakura estava ali, e por mais que eu não desse a mínima para o que as vadiazinhas de Salfot vissem, mas era diferente, a rosada era pura, tinha os olhos lindos demais para ver aquela cena. Mas o que mais me deixou irado, foi ver o sorriso malicioso no rosto daquele maldito.

- Sasuke qual foi? Não vai me apresentar?- o desgraçado soltou.

Me virei e vi que Sakura se afastou dois passos ao notar as manchas de sangue em Dereck, e não sei o por que, foi como se um soco forte fosse dado no meu estômago.

- Cai fora Dereck  seu filha da puta, ou eu faço você engolir seus dentes- soltei com raiva. Se fosse em outra situação eu já teria dado um tiro na testa dele, mas com ela ali, isso não seria possível.

- Calma ae cara, eu so vim pra trocar de roupa. O último cara me deu um pouco de trabalho- sibilou- Mas é exatamente assim que eu gosto, quando o trabalho é difícil- olhou para as esmeraldas arregaladas. Era notável  as segundas intenções em sua fala. – Alias, o chefe reclamou hoje, por você não ter ido a reunião, discutir sobre o seu próximo trabalho, mas agora que eu vejo o motivo, eu entendo, ela é mais gostosa na luz do dia Sasuke.

Na mesma hora eu não raciocinei direito, meu punho já tinha acertado em cheio seu rosto. O seu corpo foi parar longe, ele se levantou devagar cuspindo um pouco de sangue.

- Caralho, tá maluco? O que deu em você?

- Eu não vou falar duas vezes, CAI FORA MALDIÇÃO- gritei- Ela não é da sua laia.

Dereck se levantou e cuspiu o sangue no chão encarando Sakura que estava paralisada. Merda eu não deveria tê-la trago aqui; deu um sorriso de lado e saiu para os fundos do galpão.

- Vamos princesa, é melhor eu te levar de volta pra loja.- assim que ela acordou do transe me encarou e assentiu.

Assim que abri as porta de correr de ferro, sinto uma mão delicada segurar na minha com suavidade. Estranhei o toque. A muito tempo eu não sentia algo assim. Encaro nossas mãos que ela entrelaça e olho com curiosidade, depois levanto o olhar para ela.

- M-Me desculpa- e solta, mas antes de se afastar eu pego em sua mão de volta, de um jeito um pouco mais bruto talvez, e a entrelaço, levando-a para fora e seguindo a rua.

- Eu disse que esse não é lugar pra você, não deveria ter visto aquilo.

- Eu não sabia que veria aquilo Sasuke, mas mesmo assim eu queria ficar com você. Ah, e obrigada eu acho, por me defender.

A defender? Foi isso que eu fiz? Maldição, eu não tinha pensado bem na hora. Se essa historia se espalhar por esses becos, essa garota pode se ferrar. Eu sou um assassino, um maltratador um demônio, eu não protejo ninguém eu não sinto nada.

- Cala a boca- ela me olha assustada- Inferno, você me causou um problema muito grande pirralha, se expor desse jeito. Você tem o que nessa sua cabeça. Eu já disse antes esse lugar não é pra você- paro e solto sua mão me girando para encara-la- Gosta de adrenalina é por isso que esta aqui? Ta acostumada a ver pessoas morrendo?- grito muito alto, mas foda-se não tem ninguém por perto mesmo- Sabe o que acontece com bonequinhas que nem você por aqui?- sorrio de jeito macabro- São estupradas e depois mortas. É o que quer? Se envolver com um Gangster pode te acarretar isso rosinha. E adivinha, eu mesmo poderia fazer isso, você não me conhece. Não deveria confiar tanto em mim.- eu cresci no meio de tudo isso, eu sofri eu descobri que aqui era matar ou morrer.

Talvez eu estivesse pegando pesado, mas ela tinha que entender. Por que era exatamente isso que iria acontecer. Eu tinha que assusta-la, se esse era o único modo, então eu faria isso. Toda minha pose é tirada de mim quando sinto a mão pequena no meu rosto.

- Ta tudo bem Sasuke, n-não precisa fingir assim comigo, eu sei que posso estar errada mas, quando olho em seus olhos, vejo algo bom ai, por mais longe que pareça estar- sua voz era calma, por um instante me lembrei da minha infância, minha mãe fazia a mesma coisa quando eu era criança; mas eu não queria isso, não queria carinho. Não merecia.

Afasto sua mão do meu rosto com um aperto muito forte que a faz soltar um gemido de dor.

- Garota estupida. Tão ingênua. Não tem nada de bom em mim, e nunca vai ter. Vai embora daqui,- a ultima parte saiu em um tom muito duro, mas deu certo, assim que soltei seu pulso ela correu pela rua até sumir na esquina.

- É melhor assim princesa.

Pppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppp

Sakura pov’s

Assim que sai correndo pensei em tudo que ele me disse. O que ele quis dizer? É tão estranho. Quando ele me beijou eu me senti tão bem, tão lasciva, foi muito bom. Aquele beijo era tão gostoso, foi o melhor da minha vida. O gosto dele ainda estava na minha boca, parecia baseado com menta. Quando aquele Dereck apareceu eu fiquei com tanto medo, aquele sangue todo me deu um embrulho tão grande, parecia que ia vomitar o que eu não comi hoje.

Ele parecia ser tão cruel. O jeito que me chamou me deu um nojo. Cheio de malicia ,foi horrível. Mas ai o Sasuke me defendeu, eu me senti muito feliz, então por que ele agiu desse jeito? As coisas doentias que ele me disse ,me fizeram gelar. Ele parecia um psicopata, um maluco. Pensei ser mentira. Não queria acreditar.

Mal percebi que já estava chorando no meio da rua, as pessoas que passavam me olhavam preocupadas. Não dei muita importância afinal as pessoas realmente não se importam com o que não as convêm.  

Fui em direção a loja limpando a maquiagem que escorreu. Assim que entrei recebi vários olhares de duvidas, mas segui para o galpão marrom e comecei a atender as pessoas que estavam na fila. Seria um dia longo. Faltava 5 horas para eu ir pra casa.

Pelo menos assim eu teria algo para distrair a minha mente.

Ppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppp

Eu fui a ultima a sair, os empregados ficaram supresos quando eu disse que fecharia a loja. Eu estava sozinha, meu pai disse que viria me buscar mais até agora nada, e eram nove e quarenta. Suspirei indignada, eu teria que pega ônibus pelo visto.  Mas sempre que lembro da conversa que eu tive com o moreno, fico com medo, ao lembra que os caras daqui tiram proveito de garotas como eu, me assusta, e ainda mais quando esta tão tarde assim. As ruas parecem tão vazias. Me da um ar de terror.

Começo a caminhar pela rua sentindo o vento gelado bater contra mim. Sorte por eu estar um sobretudo até metade das coxas, e azar por eu estar usando short. Quando da 10 minutos de caminhada eu chego ao ponto de ônibus, que esta vazio, deserto, isolado.

Me sento no banco pixado e espero olhando para os lados.

Me reclino no banco e começo a pensar em tudo de novo. No assalto, no cara, nas palavras no beijo, em tudo. Acho que talvez ele esteja certo, talvez eu devesse crescer e deixa-lo em paz. Espero e espero e se passam quase meia hora e nada daquela porcaria chegar. Me remexo desconfortável , e olho para minha frente do outro lado da rua, me assusto de imediato ao ver dois caras me olhando de cima a baixo, com cigarros na boca e um com uma faca prateada podendo ser vista muito bem de longe. Um vestia uma calça rasgada e suja preta com a blusa de frio verde, ambos morenos muito altos, o outro estava de bermuda branca e blusa de frio vermelha.

Me encolho máximo que posso tentando esconder minhas pernas, mas em vão, pareci aque quanto mais eu puxava o sobretudo mais ele encolia. Os dois andam em minha direção.

- Eiii olha o que temos aqui Shiro, que delicia ein.- o de verde disse ao chegar ao banco me vendo toda acuda.

- Nossa, o que uma bonequinha como você faz aqui?- essa palavra “bonequinha”, quase de instantâneo lembro do que Sasuke disse.

“Sabe o que acontece com bonequinhas que nem você por aqui?”

“São estupradas e depois mortas”

Meu coração dá um salto e me levanto tentando sair dali. Mas o de vermelho segura meu braço.

- Calma ae gostosa, onde pensa que vai?

- Por favor me solta- tento puxar meu braço sem sucesso.

- Opa que voz linda a sua, deve ser mais linda ainda gemendo meu nome- ri de um jeito macabro me fazendo tremer e soluçar um pouco.

- ME SOLTA- grito numa tentativa desesperada de alguém me ouvir, mas pelo visto nada.

- CALA A BOCA VADIA- um tapa muito forte se estala em meu rosto que eu giro e caio no chão pelo impacto. Desgraçado como ele se atreve? Ninguem nunca levantou a mão pra mim, nem mesmo meus pais.

- Calma Harry, vamos ensinar boas maneiras pra ela- me puxou com força me encurralando na parede.

Meu Deus, isso ia mesmo acontecer comigo? Fecho os olhos e me debato tentando me livrar quando um deles sobe em cima da minha cintura me imobilizando.

- Belas pernas guria, abertas devem ser melhor- assim que tento gritar mais uma vez tenho a boca tapada pelo outro.

Alguém por favor, qualquer um, me ajuda, me ajuda, me ajuda.

As lagrimas já desciam impiedosas pelo meu rosto, meu sobretudo foi aberto com força expondo a blusa branca fina. As mãos correndo pelo meu corpo me provocando náuseas.

- Quietinha que assim não vai doer- disse e fechei os olhos esperando o pior quando ele abriu o zíper do meu short.

- EU NÃO DIGO O MESMO SEU FILHA DA PUTA- e então não sinto mais o pessoa em cima de mim. Minha boca é destapada, e arregalo os olhos chorosos e vermelhos ao ver Sasuke na minha frente com uma áurea assustadora e maléfica.  O tal de Shiro esta no chão com um corte enorme no rosto. E seu amigo esta com a faca apontada para Sasuke que parece não se importar nem um pouco com isso.

- M- Morder??- Harry treme ao ver quem era na sua frente. E solta a faca, ele sabia que não tinha chance nenhuma.

- Você sabe o que é dor Harry? Se sabe eu tenho que te desmentir, por que isso não chegar perto do que vou fazer com vocês dois.

E antes de qualquer reação da parte daquele ser nojento, Sasuke se lança em cima dele o acertando com socos furiosos e chutes. Tudo feito de forma feroz. Os socos são distribuídos entre os rosto e abdômen causando muito sangue. Era só o que eu conseguia ver, me arrastando para parede próxima e me encolhendo contra ela ainda assustada com tudo. Tentando esconder meu corpo com o casaco rasgado. E a bochecha ardendo muito graças ao tapa.

Assim que Sasuke terminou com um que ficou inconsciente foi para o outro e fez o mesmo processo. Doloroso e matador. Quando finalmente a sessão paraou ele se virou pra mim, e seus olhos mudaram de odiosos a preocupados. Se aproximou se abaixando no chão ficando de joelhos.

- Sakura, você esta bem? Esses desgraçados conseguiram fazer algo?- sua mão vem parar no meu rosto alisando a parte ferida e para meu lábio que tinha um pequeno corte. Eu teria afastado por quer ardia feito o inferno mas não queria que ele parasse.

- Estou, eu estou, eles não conseguiram fazer nada, graças a você- mesmo sabendo que poderia levar um fora eu me joguei em seu colo o abraçando forte e soluçando.

O moreno não disse nada, só suspirou e me abraçou de volta, tão reconfortante que quis ficar daquele jeito por mais tempo. Sua mão acariciava meus cabelos desgrenhados com  carinho. De repente ele tirou o grande casaco azul escuro que usava, tirando de mim em seguida o trapo que  aquele infeliz tinha resgado, e colocou sobre meus ombros, para me cobrir, fiquei emocionada pelo gesto, o casaco veio ate o final das minhas coxas.

- Vem- assenti e me levantei com sua ajuda- não pode ir pra casa desse jeito ta? Vamos ficar em um hotel hoje e amanhã bem cedo eu te levo pra sua casa.

- Tudo bem- sem hesitar comecei a seguir, não sem antes notas nossas mãos grudadas com carinho, algo diferente de como aconteceu hoje mais cedo. Sorri com cumplicidade.

Caminhamos por uns dois minutos até chegarmos a uma moto. Uma linda moto HARLEY. Meu Deus. Que moto era essa? Eu era louca por motos e essa estava no começo da lista das minhas favoritas. Ela era preta, e tipo estradeira, muito perfeita. E tinha um símbolo de uma nuvem vermelhar na lateral.

O Mais alto notou meu olhar para a moto e sorriu de canto.

- Ei, toma cuidado quando subir, essa é o amor da minha vida, ve se não arranha- Sorrindo subiu na moto e eu é claro, em seguida. Segurando forte sua cintura e sussurrando em seu ouvido.

- Obrigada, e pode deixar, riscar essa maravilha é a última coisa que quero fazer hoje.- vi seu pescoço arrepiar diante do que eu falei.

Eu sei, que deveria estar apavorada ainda pelo que aconteceu, mas ele tinha um poder sobre mim, que fazia com que eu soubesse que estava protegida. Ele gargalhou e acelerou.

Mal sabia eu que subir naquela moto mudaria minha vida pra sempre.

ppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppppp

 


Notas Finais


EEEEaaaiiiii o que acharam?Mandem comentários e digam se devo continuar ou não, bjs.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...