História Divergente - Hope - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Divergente, Originais
Personagens Beatrice "Tris" Prior, Tobias "Quatro" Eaton
Tags Beatrice, Navio, Tobias, Viagem
Visualizações 117
Palavras 1.657
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu sei que demorei, e eu sei que tem gente querendo me esfolar, mas vamos com calma BRASEEEEEEEEEEEEEEEEEL!

Capítulo pequeno, porém aqui estou eu!

Prometo que logo terá mais, de pouquinho em pouquinho eu vou atualizando todas.

Obrigada pela compreensão e os comentários dos capítulos anteriores.

Amodoro vocês .!

Capítulo 8 - Dopada


- Meu Deus Lauren, o que diabos você tem comido para ficar tão pesada assim?

Shauna carregava o corpo desacordado de Lauren pelos corredores do transatlântico com uma certa dificuldade , uma vez que a garota era mais pesada do que ela julgara, e desacordada, ela estava mais pesada do que deveria. Respirou fundo várias vezes xingando à garota loira e implorando para que ninguém pegasse à garota no flagra.

Em um ponto não muito distante dela, um homem a observava imaginando o quanto pesada estava a garota para que Shauna a carregasse. Observou atentamente que ambas as garotas eram bonitas de mais, e que ele poderia se dar bem por aquela noite, afinal, havia várias garotas bebendo mais do que deveriam apenas para aparecer para os de mais.

Julgou se seria umas boas ideias se aproximar de fato, e se apresentar como um dos garçons do evento que havia acabado de acontecer no salão de festa. Reparou que Shauna estava já bem cansada e que não aguentaria por muito mais tempo.  Caminhou então um pouco, até estar bem próxima dela, e observar as duas jovens e bonitas mulheres.

- Droga, droga, como você é pesada! Não sei para que tanto regime e tanta academia, você esta uma bola! – Escutou Shauna falar envaidecida e acabou por sorrir.

- Boa noite.

Por fim, o homem se pronunciou, assustando Shauna que até aquele momento não havia se dado conta do homem a observa-la. O homem que já a analisava, prestou bem atenção de que ela estava mais nervosa do que deveria.

- Boa noite. – Respondeu ela neutra, ignorando a presença do rapaz ali.

- Eu vi que você esta com certa dificuldade com o seu carregamento... Se quiser posso te ajudar.

Shauna que escutava o homem atentamente ponderou pela proposta do homem, mas ainda assim iria recusar, não queria que ninguém ficasse por dentro da situação.

- Estou vendo que você esta bem cansada, e parece que a qualquer momento vai cair no chão com tudo. – Concluiu aproximando-se dela tentando ser o mais amigável possível.

Shauna o encarou novamente, sentindo Lauren ficar ainda mais pesada do que antes, e uma queimação passou a irritar seu braço. Bufou irritada, olhando para o homem, mas por fim assentiu sentindo um alívio instantâneo.

- Bem, ela esta mais que apagada, não é?

Comentou o homem, depois de observar que Lauren estava mais que bêbada. Estranhou aquilo de imediato.

- Ela bebeu de mais. Sabe como é né?

- Imagino que sim. Já tive a idade de vocês, mocinha. – Respondeu neutro para Shauna que apenas assentia.

Caminharam por alguns minutos em silêncio, Shauna a todo o momento observava o homem com Lauren nos braços e torcia para que ninguém conhecido aparecesse de supetão.

Ezekiel que estava deitado na cama, mas já sem sentir nenhuma dor ou náuseas por conta do balançar do navio, sentiu-se preocupado com a demora de Shauna em seu regresso. Vendo que conseguiria se sustentar o suficiente para andar pelo navio, o moreno apenas colocou uma blusa, saindo de sua cabine em seguida.

O trajeto era simples, e rapidamente ele chegaria ao seu destino sem maiores problemas. Pelo menos, ele imaginou que seria isso, até em uma das curvas, ele dar de frente com Shauna, o homem que ele não conhecia, e Lauren nos braços do desconhecido.

Olhou de um para o outro sem entender o porquê daquela situação. Tobias não estava em nenhum canto próximo, e não imaginou que ele deixaria Lauren nos braços de um total desconhecido, independente de como estivesse o relacionamento dos dois.

- Zeke? – Ia começando a dizer a namorada, quando o mesmo avançou alguns passos à diante.

- O que esta acontecendo aqui? – Perguntou o moreno, cruzando os braços na altura do peitoral.

- Nada de mais. Lauren bebeu um pouco além da conta...

- Ela bebeu? E desde quando você é responsável por Lauren, ou pelo que ela faz? Onde é que esta Tobias? – Sua voz que era sempre tão divertida, esta séria e ele fulminavam os três a sua frente.

- Tobias me pediu para ficar com ela, porque ele tinha coisas a fazer...

- Coisas? Que coisas ele tinha que fazer que te deixou responsável por uma pessoa que você não gosta? – Encarou a futura noiva, e depois olhou para o homem que segurava Lauren em seus braços. – E por que é que ele esta segurando Lauren nos braços desse jeito? Ela esta bem?

- Zeke, pelo amor de Deus. Muitas perguntas, esta dando nó em minha cabeça. Para com isso. – Reclamou a garota cruzando os braços para fugir da situação em que se enfiara. – Não vou explicar algo que você esta ignorando. Eu já te contei o que houve. – Bufou irritada , voltando à caminhar com o desconhecido.

Os dois se olharam, Zeke esbanjava preocupação, e o desconhecido não se mostrava apático diante de toda a situação.

- Podemos conversar depois? – Perguntou a namorada do moreno, fazendo dengo para que ele não perguntasse mas nada. Pelo menos não na frente daquele completo estranho.

Não se sabe se pelo fato de conhece-la a bastante tempo, ou se ele simplesmente sabia de que Shauna estava envolvida em uma grande confusão e que de certo modo, ela não conversaria nada que pudesse trazer maiores problemas.

A garota encarava o noivo , já batendo os pés, e por fim Zeke, acabou dando espaço para que ela passasse e o desconhecido também.

Andou atrás dos três, pensando no que ela poderia ter feito, e no porque Lauren estava tão apagada daquele jeito. Imaginou tão logo o motivo de Tobias ter pedido para que ela cuidasse de sua ex-esposa. Ele iria encontrar com Beatrice, a loira estava fritando os miolos moles do amigo. Não tardou a chegar a conclusão de que Lauren estava dopada, e que quem a dopara, teria sido sua noiva.


*

 

Tobias e Beatrice estavam tão alheios a toda aquela situação, que nem por um milésimo de segundo, pensaram que Shauna agora estaria em apuros com Zeke, para que aquele encontro por fim acontecesse.

O jantar transcorria tranquilamente, e apenas pelo jeito de estarem juntos, já era visto que tinha muito sentimento nos dois.

Sorriram, curtiram e estavam de fato felizes por estarem juntos, pareciam dois adolescentes.

- Obrigada pelo jantar. Estava tudo maravilhoso. – Comentou neutra enquanto Tobias segurava sua mão para levanta-la.

- Eu que agradeço pela sua companhia. Fazia tempo que eu não me divertia como hoje. - Se olharam por um tempo, perdidos um no olhar do outro. – Seria errado querer ficar com você por mais tempo? – Perguntou, envolvendo a cintura da loira que de pouco em pouco foi aproximando seu corpo do dele.

- Eu acredito que Christina vai adorar ficar livre de mim por um tempo. Ela fala que sou muito chata. – Morde os lábios.

- Não consigo imaginar uma pessoa que queira ficar distante de você um minuto se quer, Bea. – Beijou a testa da moça enquanto falava e o cheiro inebriante dele atingiu-lhe as narinas, e o corpo que já o reconhecia pelo simples toque, agora estava inteiramente arrepiada.

- Acredite, Christina é um monstrinho quando quer. – Sorriram juntos .

Tobias precisou olhar para o rosto de Bea, para ter a certeza de que ela estava mesmo em seus braços. Os olhos dela estavam tão brilhantes que as estrelas no Ceú não se comparavam a ela.

Beatrice por outro lado, não conseguia ver em Tobias nenhum traço de David. Não que o outro homem não fosse uma pessoa boa, ou importante em sua vida. A questão é que Tobias estava sendo um homem que mexia com todas as células do corpo da jovem.

O telefone celular de Tobias, vibrava em seu bolso constantemente. Ele não queria olhar, ficou preocupado de que em ligação fosse Lauren querendo dizer coisas amenas por ter deixado ela de lado e sumido pelo resto da noite. Confiou em Shauna um problema que logo não estaria mas presente em seu dia a dia.

Ambos adentraram a noite em uma conversa gostosa e sincera, falaram sobre a vida, sobre os planos e projetos de vida, nenhum dos dois lembrara da última vez que tiveram momentos como aquele.

Os dois se aproximaram, as mãos de Tobias logo acariciavam as bochechas de Bea, a respiração se misturava e o calor um do outro os esquentava. Roçaram os lábios um no outro, sentindo um desejo louco, não queriam perder nenhum momento.

Estavam tão próximos um do outro, que já conseguiam sentir o gosto dos lábios um do outro, e ia rolar o beijo, se Bea não tivesse sentido o telefone de Tobias vibrar em seu bolso.

- Não vai atender? – Perguntou ela, ao notar que Tobias não pegou o telefone para olhar.

- Eu não queria que nada atrapalhasse a nós dois... – Respondeu neutro fazendo-a sorrir.

- Atenda, pode ser algo importante. – Pediu a jovem. – Ninguém te ligaria se não tivesse um motivo.

Ela estava certa, ninguém ligaria para ele sme um motivo óbvio, se essa pessoa não fosse Lauren. Ele sabia que tinha que ter avisado desde o inicio sobre a ex mulher estar no mesmo navio que ele, mas não queria nem por um minuto, que Bea se travasse.

- Se quiser, eu vou para lá enquanto você fala no telefone. – Andou para o lado um pouco, enquanto Tobias metia a mão no bolso e olhava atentamente para Bea.

- Não precisa ir para longe.

- Eu vou estar bem aqui. – Piscou para ele, que apenas assentiu.

O coração do rapaz, passou a bater mais aliviado quando pegou o telefone do bolso e olhou a tela com o nome de Zele piscando. Parecia que o mundo não pesava tanto agora. Bea apenas acenou para mim um pouco distante, encostando-se no ferro do navio.

Arrastei o touch do meu aparelho, atendendo a chamada, para em seguida colocar o aparelho em meu ouvido.

O que veio depois, além do susto, foi algo que eu não esperava.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...