História Diz que tem saudade, vai - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens D.O, Lay
Tags 30dayslovechallenge, Laysoo, Sooxing, Xingsoo
Visualizações 323
Palavras 666
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Slash, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


uma pessoinha aqui do ss (corallinus) que escreve com esse couple lindinho demais pediu uma sooxing e como tinha essa no pc faz tempo pra terminar, pensei com meus botões que não seria mau fazer isso, daí uni ao 30dayslovechallenge, cujo tema escolhi o #8, fugitivo.

por isso, espero que tu goste corallinus, e agradeço a qualquer @ que passar por aqui seja pra ler ou favoritar ♡

Capítulo 1 - Único


Depois de quase ter sofrido um treco do coração por ser surpreendido no meio do estacionamento escuro da universidade àquelas horas da noite, havendo um par de braços se prendendo em sua cintura por detrás, apertando-o com carinho do nada, Yixing soltou uma risadinha de alívio ao perceber que o dono daquele enlace gostoso não era nenhum psicopata com preferência em universitários desanimados por causa de uma aula pra lá de bosta.

– Soo... – ele resmungou entre um suspiro, sentindo o nariz de Kyungsoo deixando um cheiro em sua nuca, seguido de vários beijinhos lentos por sua pele clara e muito sensível. Aquilo era tão bom que levava embora qualquer resquício daquele sentimento de derrota depois de uma aula péssima com um professor querendo bancar a encarnação do satã na terra.

Yixing aproveitou daquele abraço mais um pouco, deixando sua nuca à disposição alheia para os mimos do nariz e boca de Kyungsoo e então se virou para ele, o fitando com calma. O lábio inferior e carnudo do menor estava preso na pontinha dos dentes, e se não estivesse tão escuro e o estacionamento tivesse uma iluminação melhor, Yixing notaria um leve rubor de acanhamento nas bochechas de Kyungsoo por ter ido tomar uma iniciativa.

Não se viam há alguns dias. Em parte por culpa da correria daquele semestre, em parte porque Kyungsoo estava fugindo. Quem pensaria que os amassos que começaram a trocar sem qualquer compromisso terminaria em uma confissão no meio da transa ­– eu tô apaixonado por você, tipo...muito –, que veio seguida de um silêncio e um Kyungsoo em estado de choque? Mesmo assim, não pararam de se encontrar. O sexo era gostoso à beça e fazer um ao outro gozar com o nome do parceiro na boca valia muito a pena.

Mas as coisas estavam diferentes entre os dois. Os beijos de Yixing tinham um gosto vicioso de paixão e seus carinhos vinham com o cheiro sutil de compromisso que deixavam o Do pensando e se... E se uma ova. Kyungsoo não estava atrás de um compromisso naquele instante, preocupações com namoro e alianças no dedo. Queria apenas foder. Beijar muito na boca. Ter companhia para o fim da noite. Por isso passou a fugir de Yixing, negando que aquela porcaria toda não significava nada.

Falhou miseravelmente. Por que se aquilo que tinham não significava nadinha, qual o motivo de ficar olhando para o celular de segundo em segundo no meio da aula esperando uma mensagem assanhada de Yixing? Ou querer foder com ele daquele jeitinho vagaroso que o deixava feliz, animado para foder de novo e de novo numa noite? E por que a falta dos carinhos de Yixing o faziam se sentir vazio?

Cacete, a ausência da boca de Yixing contra a sua fazia seu coração se apertar de um jeito cruel para alguém que negava estar sentindo coisa além da vontade de foder.

– Saudade? – Yixing perguntou em um sussurro, passando os braços em volta do pescoço de Kyungsoo e colando sua testa na dele.

Kyungsoo suspirou pelo contato.

Ele mentiria se dissesse que naquele instante não estava com uma vontade louca de empurrar Yixing consigo para o banco de trás do carango do mais velho e foder bem ali, deixando os vidros do veículo embaçados de paixão. Mas mentiria se dissesse que não queria foder com ele no dia seguinte e no seguinte, e então acordar agarradinho com ele e enchê-lo de beijos, trocar carinhos, ficar de bobeira de mãos dadas no sofá de casa e se falar por mensagens no meio de uma aula chata.

Mentiria se até dissesse que não estava imaginando como seria ter a boca de Yixing colada em sua orelha o chamando com seu sotaque arrastado como namorados faziam um com o outro – mor, o que cê acha da gente namorar um pouquinho agora?

Apertando Yixing um tanto mais, um gesto mudo de que não queria que ele saísse dali – nunca –, Kyungsoo roçou sua boca na bochecha macia do outro.

– Sempre – admitiu.


Notas Finais


brigada por ler ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...