História Do Amor à Redenção - Capítulo 68


Escrita por: ~ e ~GabrieleBastos

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Adam Milligan, Bobby Singer, Castiel, Charlene "Charlie" Bradbury, Crowley, Dean Winchester, Gabriel, Lúcifer, Michael, Miguel, Personagens Originais, Rafael, Sam Winchester
Tags Destiel, Sabriel
Exibições 88
Palavras 1.307
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, FemmeSlash, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá queridos!

Sinto muito pela ausência de postagens saúde e problemas pessoais unirem-se nesses dias e atrapalharam muito. A Gaby trabalhou incansavelmente nos novos capítulo e agora que estou apta farei o possível para aumentar os capítulos novos.

Capítulo 68 - Capítulo 62


                                                                 Capítulo 62

 

 
Quando estavam prestes a parar o carro na porta da escola, a loira percebeu
Angel encostada na moto, a morena assim que as viu se aproximando sorriu e foi em direção ao veículo, gostava muito dela, eram melhores amigas e detestava a implicância das irmãs sobre isso.

 
- Preparada para tortura chamada aula de matemática! - Disse a morena sorridente que logo acrescentou para as demais. - Bom dia!


Claire respondeu normalmente e Amy apenas assentiu, o que fez ambas as loiras rolarem os olhos pela atitude da mais velha. 
 
- Então você é a famosa Angeline? - Perguntou Amy com uma expressão e modo de falar tão parecida Dean que Claire olhou para o banco de trás só para ter certeza que o pai não estava lá. 
- Famosa eu não sei, mas sim esse é meu nome! - Disse sorrindo mesmo que estivesse estranhando a saudação da Winchester Primogênita. - E vocês são as irmãs mais velhas da Emma certo? 
- Isso. – A morena respondeu sem alterar a expressão. 
- Vamos embora Amy? - Claire pediu, já haviam pagado e feito à Emma mico demais. 
- Certo. Boa aula Emma! - Amy disse e a mais nova apenas acenou quase agradecendo a loira mais velha por livra-la do mico ambulante que era a primogênita


Enquanto viam a irmã subir as escadas na companhia de Angeline, Claire não podia se conter em zoar Amy. 
- Sabe você passou o recado de irmã super protetora? E vou te dizer outra, quando cumprimentou a garota foi tão parecido com o Dean que até o procurei só para ter certeza, vai que de repente ele e o papai tenham aparecido só para nos vigiar. – A Novak riu debochada. – Mas não se preocupe, você foi perfeita tenho certeza que ninguém vai se aproximar de nossa irmãzinha depois disso. 
- Sem graça! Só estou protegendo minha irmã e faria o mesmo por você! – Disse ainda teimosa. – E eu não estava nada parecida com o papai. 
- Acredite no que quiser mas agora vamos logo?

 
Enquanto isso no hotel a pequena já estava muito melhor, além de ter agora uma aparência humana, estava corada e rechonchuda nem parecia que a poucos minutos estava tão mau. 
- Ela vai ficar bem? - Perguntou Dean olhando admirado para as mudanças. 
- Sim, mas estamos ligados, dei um pequena parte da minha graça e agora ela também é minha filha. - Disse o Arcanjo que embalava a pequena gentilmente. - Qual o nome? 
- Alexandra Winchester. - Sam respondeu olhando para ambos. 
- Bem a lenda diz que depois de o laço feito, tudo vai ficar na mais perfeita normalidade. - Bobby falou tentando quebrar o silêncio pesado que se formou depois da resposta de Sam. 
– Então agora passe minha sobrinha para cá! - Disse Dean, mas assim que saiu do colo de Gabriel a pequena resmungou, começou a ficar vermelhinha e chorar. 
- Dean ela não te quer! - Disse Gabriel já pegando a bebê que assim que estava de volta com o pai acalmou. 
- Mas então podemos ir? - Perguntou Castiel, estava feliz por Sam e seu irmão mas estava preocupado com os seus filhos.

 
Todos foram saindo e acabaram deixando Sam e Gabriel para trás, o Winchester mais alto queria tanto falar com o arcanjo mas este o ignorou totalmente.

- Gabe?! – Chamou baixinho queria tanto desculpar-se e agradecer por sua filha. 
- Samuel, não sei se lembra, mas estamos dando um tempo, ou seja, a única coisa em comum que temos agora é Alex que é nossa filha, por isso se formos conversar sobre ela tudo bem mas qualquer outro assunto prefiro que evitemos. Então pergunto: Isto que quer falar é sobre nossa filha? – O arcanjo levantou a sobrancelha de forma inquisidora logo vendo a perda de palavras do mais alto ele saiu carregando a pequena enquanto o caçador ficou para trás tentando engolir o choro e aceitar sua culpa.


Não era a melhor coisa do mundo ver o Rei do Inferno em sua cidade, sabia que Bobby estava vivo, afinal o próprio caçador havia ligado para dizer-lhe e fora que haviam se encontrado na época do desaparecimento da filha de Dean que aliás, ainda não conhece, mas ver Crowley ali faziam muitas peças se encaixarem, mas mesmo assim Bobby era seu amigo e não podia ficar sem saber as intenções do demônio.

 
- Crowley. - Disse secamente podiam passar anos mais ainda odiava a criatura. 
- É um prazer te rever! - Diz ele em tom de deboche. 
- Não posso dizer o mesmo. - Ela responde a altura. 
- Mas vamos direto ao ponto, o que te trouxe aqui Jody? - Perguntou o demônio. 
- Uma obra, em um ferro velho abandonado, isso chama a atenção dos moradores! - Disse ela e como xerife preciso vir verificar problemas. 
- Não se preocupe a obra terminou e digamos que as coisas serão bem mais silenciosas por aqui. Robert irá voltar para a casa dele. 
- E você... 
- Meus motivos não são da sua alçada. 
- Que seja, mas essa é a minha cidade e estarei de olho em você. 
- Fique à vontade querida. - Disse estalando os dedos e sumindo, sem deixar que Jody pudesse responder. 
Logo ela ouviu a buzina de seu carro e lá estavam Alex e Donna a esperando.

 

Angboda andou calmamente em direção ao escritório de Henry, deu três toques na porta e abriu encontrando o homem grisalho e de olhos castanhos lendo alguns documentos, assim que ouviu o movimento, seu amado levantou a cabeça e sorriu.

- Perdi a hora? – Olhou para o relógio no pulso para se certificar.

- Não, mas como imaginei que faria vim logo chama-lo. – A gigante sorriu complacente.

- Desculpe querida. – Ele levantou ajeitando a roupa e ao aproximar-se beijou-lhe na bochecha. – Será que Hel ficará para o jantar?

- Sim, parece que o Winchester está em um teste e ela nos fará companhia. – Respondeu já indo em direção a sala de jantar.

- É bom tê-la de volta. – Disse em um tom estranho que não passou despercebido pela companheira.

- Não vamos falar sobre isso. – Ela pediu olhando em outra direção. – Já conversamos, sei o que quer e você sabe o que eu quero, por favor hoje Hel está em casa, ela está preocupada com o pai, não é hora para isso.

- Desculpe-me amor!

- Tudo bem. – Ela secou uma lagrima antes de voltar a sorrir. - Vamos sentar, fiz seu prato favorito.

- Obrigado minha vida. – Assim que sentaram a Deusa do submundo veio apressada e com uma expressão muito estranha. Preocupado com a enteada, Henry perguntou. – O que houve?

- O papai! – Hel parecia em choque e com isso Angboda levantou apressada e foi em direção a filha assim que abraçou a caçula esta pareceu despertar de seu transe. – O papai teve uma filha.

- O que?!? – Angboda sempre foi um exemplo de educação e elegância mas frente a esta declaração ela perdeu a compostura. – Ele não se atreveria a fazer isso com Samuel. Não posso acreditar que Gabriel seria tão idiota a ponto de trair o Winchester.

- Trair? – Hel estava incrédula com a conjectura de sua mãe. – Claro que ele não faria isso, a tal filha é dele e de Sam.

- Agora quem ficou confuso fui eu. – Intrometeu-se Henry. – Como seu pai gerou um bebê com outro homem? Sei que anjos não tem sexo e tudo mais, no entanto isto é estranho até para os meus padrões.

- Não tenho ideia! Mas Fen acabou de ligar contando e disse que já chega para explicar tudo.

- Vamos para a sala esperar seu irmão. – Angboda tocou no ombro de sua filha e a levou para a sala, parecia que sua menina não estava lidando muito bem com a situação.


Notas Finais


Gostaram do capítulo?

Obs: Imagino o Henry com a aparência do Richard Gere no filme Uma Linda Mulher.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...