História Do Amor à Redenção - Capítulo 80


Escrita por: ~ e ~GabrieleBastos

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Adam Milligan, Bobby Singer, Castiel, Charlene "Charlie" Bradbury, Crowley, Dean Winchester, Gabriel, Lúcifer, Michael, Miguel, Personagens Originais, Rafael, Sam Winchester
Tags Destiel, Sabriel
Exibições 54
Palavras 733
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, FemmeSlash, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá queridos!

Capítulo 80 - Capítulo 74


Fanfic / Fanfiction Do Amor à Redenção - Capítulo 80 - Capítulo 74

                                                       Capítulo 74

 
Havia um sentimento estranho no coração de Bobby, em parte estar em sua antiga/nova casa era simplesmente maravilhoso, sempre gostou de ter sua privacidade e de ser independente, entretanto estar longe de seus filhos e netos era simplesmente dolorosos e apenas ligar para eles não resolvia a saudade crescente de seus pequenos, mas a vida é assim, e ele sabe que não pode ser a "rodinha da bicicleta" dos meninos para sempre, embora sempre vai estar pronto quando seus meninos precisarem dele. 
Bobby olhava para o copo de whisky, enquanto pesquisava algo para Garth, foi só ele morrer que o idiota virou licantropo, mas agora ele tinha uma família e ainda estava caçando, mesmo que só nos arredores de sua casa. Depois de ajudar o antigo amigo, foi preparar algo para comer, antes que pudesse colocar a comida no prato ouve alguém bater na porta.

 
Como velhos hábitos nunca morrem, o velho Singer levou consigo sua espingarda, ao olhar pela fresta viu uma mulher ruiva e pequena, com um longo vestido verde. Até tinha ideia de quem ela era, mas não sabia o que diabos queria em sua casa. 
Não se fez de rogado, ao abrir a porta já apontado a arma para a mulher, afinal se fosse quem estava pensando não podia bobear, afinal a bruxa era perigosa demais.


- O que quer? - Perguntou o caçador olhando irritado para a bruxa. 
- Vejo que meu filho já falou sobre mim não é? - Perguntou ela com seu habitual sorriso de escárnio. 
- O que quer? - Ele repetiu a pergunta, essa mulher tinha feito mal a Amy e também fez muito mal a Crowley, não iria permitir que aprontasse mais uma das suas maldades. 
- Escuta Caçador, só vim conversar. - Disse passando por ele e entrando na casa, sem se importar com a arma, olhou para o sofá, depois sentou-se na poltrona. 
- Conversar sobre o que? - Perguntou ele revirando os olhos e desistindo de ser intimidador afinal a ruiva era muito descarada. 
- Ora, você está com meu filho não está? - Disse analisando o caçador da cabeça aos pés, fez um pequeno bico sínico e continuou. - Ainda estou tentado entender por que? 
- Por que o que? – Bobby sabia que não iria fugir dessa por isso suspirou mas não baixou a guarda. 
- Por que meu filho está com você? Mas acho que já sei, o desafio sempre moveu Fergus. - Ela sorriu compreensiva. 
- Só isso? Ou vai querer falar de como você foi uma ótima mãe? - Perguntou debochado. 
- Oh Robert, não seja assim, vim de longe e você não me oferece nenhuma bebida. - Ela estava tirando Bobby do sério. - Mas acho que essa visita já se prolongou demais e tenho que ir. Robert foi um prazer conhece-lo. - Quando Rowena saiu da casa de Robert, não pode deixar de sorrir, afinal pela primeira vez na vida Fergus não escolheu tão mal assim.

 
Enquanto isso Amy estava na garagem com Mike, afinal o Arcanjo ficaria o dia fora ajudando o Pai, com alguma coisa. Ela apenas deitou a cabeça no ombro dele e curtindo a proximidade e compreensão mutua. Antes de partir o loiro a beijou e prometeu retornar rapidamente. Quando a morena desceu para a sala de estar, Emma estava se aprontando para sair. 
- Onde você vai? - Perguntou olhando para a roupa casual da mais nova
- Estou indo na escola! Vamos organizar uns jogos para arrecadar dinheiro para a festa no fim do mês 
- E nossos pais deixaram? - Perguntou Amy ainda tentando entender a empolgação da irmã. 
- Sim. - A Amazona respondeu já irritada. 
- Vai a pé? 
- Não se preocupe comigo, dou um jeito! - Disse a irritada loira. 
- Já sei... 
A loira começou a subir as escadas, sem dar muita atenção ao que a irmã tinha a dizer. 
- Mas o que diabos houve com a Emma? - Perguntou mais para ela mesma e sem perceber que Lúcifer estava ao seu lado. 
- Ela cresceu Amy! - Disse o caído olhando para a humana que ele amava como uma irmã, as vezes a morena era parecida demais com Dean, tanto no amor quanto na proteção exagerada. - E você tem que aceitar isso ou vocês vão se afastar de uma maneira que vai ser quase impossível de voltar.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...