História Do crime... Para o amor. - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Tags Canaxbacchus, Gravidez, Gruvia, Jerza, Mavisxzeref, Miraxus, Nalu
Exibições 543
Palavras 1.292
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Ficção, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Shoujo (Romântico), Slash, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Segundo cap. de hoje!!
Boa leitura lindinhos!! :*

Capítulo 15 - Momento da Lucy!


Fanfic / Fanfiction Do crime... Para o amor. - Capítulo 15 - Momento da Lucy!

Natsu:

-Olha... Já que a Lu preferiu sentar... Eu vou falar antes dela... Pra retomar o fôlego um pouco... Deixa antes eu tomar um gole de suco... Pronto...

Natsu:

 -Lu... ou melhor... Michele... A garota pela que me apaixonei gostava de manter diversas personalidades... Alguns poderiam chamar isso de bipolaridade... Outros de mentira... Eu chamo isso de saber ser perfeita. Afinal... Qual é o homem, que consegue se apaixonar por 1 mulher, mas ficar com 15 mulheres diferentes. Ou seja... Eu amei 15 vezes a mesma pessoa. Suas personalidades... Já me fizeram sentir todas emoções possíveis e impossíveis... Você me deixa louco... Louco por ti. Uma vez escutei essa frase... "Queria poder ter cinco vidas. Para morar em cinco cidades diferentes... Comer cinco vezes mais... E amar cinco vezes a mesma pessoa." Eu consegui isso. Só que duas vezes... Primeira vez... Eu fiquei com a gótica da Michele... Mas não durou muito tempo... Era um amor intenso... Vívido... Cheio de loucas aventuras. Só que uma tragédia nos separou... Ao contrário da verdadeira, a patricinha interior que vivia dentro daquela Michele. Dessa vez a tragédia nos uniu... Assim como a personalidade e perfil eram diferentes. Os acasos que nos aproximaram eram inversos... E assim como aquele amor durou pouco. Espero que esse dure muito. Se a "Michele" morreu... Que você seja eterna Lucy. Eu te amo muito... Tudo que mais quero e casar contigo, ter nossa casinha, nossa família. E sermos felizes para sempre. Sei que fui meloso... Mas falando de ti, não teria como esse discurso ser "frio".

Lucy:

-Oh meus Deus... Natsu... Eu... te amo muito!!!! Desculpem-me... Depois de tudo... Não sei se consigo falar... Vocês já disseram tudo... Vocês são as pessoas mais maravilhosas do mundo... Eu devo ter muito sorte de poder conhecê-los. Eu... Estou... extremamente arrependida de não ter sido a primeira... Agora estou com muita vontade de falar coisas bonitas... Mas não consigo parar de chorar kkkk Só vocês mesmo pra falarem coisas a ponto de conseguir me tirar dos eixos... Bom... Eu vou no banheiro... Rapidinho... Vou passar uma água no rosto... E quando voltar eu direi a vocês tudo que sinto. Eu já volto... Podem voltar a conversar...

A Lucy foi pro banheiro e estava demorando um tempo... Pensei que ela pudesse estar vomitando também, afinal... Ela tinha comido bastante... Depois sofreu pressão dos sentimentos... Chorou bastante... Enfim... Continuamos conversando...

Wendy:

-Papai... Estou com sono...

Gray:

-Tu quer ir embora?

Wendy:

-Não... Titia Lucy ainda tá no banheiro... Eu posso ficar no teu colo?

Gray:

-Vem... Isso... Encosta aqui no pai. Deu? está bem assim? Tá confortável?

Wendy:

-Aham... Obrigada papai...

Gray:

-De nada filha...

Levy:

-Como ela é linda Gray...

Gray:

-Kk Eu concordo... kkkk Agradece a Levy, filha.

Wendy:

-Obri... gaaaooo... da. (bocejando)

Gajeel:

-Kkkk... Você era assim quando criança?

Levy:

-Por quê? Não entendi a referência... Só por causa de nossos cabelos serem azuis?

Gajeel:

-E por ambas serem fofas. kkkk

Lucy:

-Voltei! Desculpem a demora... Eu já sei por onde começar. Pela Michele. Sim... Um pseudônimo que criei, pra me aproximar de um mundo alternativo... Eu não suportava a realidade... A Michele foi criada por um mecanismo de tentativa de fuga da minha vida. Eu havia perdido minha mãe. Meu pai só sabia brigar comigo... Eu não tinha amigos. Eu não tinha irmãos. Eu ficava o dia todo dentro de casa. A casa que cada canto me lembrava minha amada mãe... Um dia eu virei algo que não era a Lucy. Eu me vesti como uma gótica... Eu cortei o cabelo... Vestia desde peruca a pintar de diversas cores. Maquiagem forte. Batons escuros. A Michele era única coisa que me fazia sentir viva naquele momento... Menos um dia... eu não tinha aula... Meu pai me levou para a academia de polícia que ele estava trabalhando como um estilo de "chefe" dos alunos treinando... Aqueles que se superassem iriam trabalhar pra ele na delegacia. Naquele dia, eu fui contrariada... Não queria ver um monte de homens amontoados, sendo mandados pelo meu pai, como eu era. Eu queria conhecer alguém que pudesse bater de frente... Alguém a altura e ponto de conseguir superar meu pai... Alguém que fosse capaz de fazer meu mundo paralelo ser real. Não ser mais a orfã, nem a filha do chefe. Alguém com quem a Michele pudesse ser feliz. Naquele dia... Eu me apaixonei a primeira vista pelo menino de músculos definidos, alto, de voz grave, sorridente e sério ao mesmo tempo. Perguntei ao meu pai qual era o nome do rapaz de cabelos Rosa. Alguém tão distinto no meio dos policiais. Ele seria perfeito, se fosse recíproco o sentimento. E foi... Meu pai me respondeu seu nome... E no intervalo fui falar com o meu mais novo amado Natsu Dragneel. Eu me apresentei como Michele... Esse foi meu maior erro na minha adolescência perturbada. A criação de um pseudônimo... Foi a criação de uma mentira pra fugir da realidade... Mas meu amor por Natsu, era uma realidade que me fazia ter vontade de acabar com a mentira. Mas nesse momento eu já tinha medo... Medo dele não me querer por ter mentido, por ser a filha do chefe, por ser ainda menor de idade... Por tudo... Eu acabei transformando cada dia perfeito ao lado dele, em um veneno para "Michele"... Um dia, um aproveitador... um cretino... Um apaixonado psicótico... Injetou na minha veia todo veneno que acumulei. Sting... O amor psicopata, que nem um psiquiatra saberia explicar como tratar. Ele me cercou por todos os lados... Eu não tinha por onde fugir... e caí na armadilha. Matei a Michele. Me despedi do Natsu, me convencendo que aquilo seria o melhor pra ele. Que encontraria uma mulher que pudesse fazê-lo feliz sendo honesta. Foi aí que comecei a "sair" com aquele estrategista. Ou eu ficava com ele... ou ele contaria tudo para o Natsu... Eu aguentei por muito tempo... Eu virei universitária... Mas cheguei ao limite. Não podia mais aguentá-lo.... Eu nunca deixei que ele sequer tocasse em mim... A maior coisa que fazíamos era andar de mãos dadas. Mas... Cansei... Eu sofria por estar longe do Natsu. E sofria por estar ali. Eu já não pensava mais no perdão dele... Afinal ele amava alguém que eu havia "matado". Então... terminei com o Sting. Uma ironia do destino. Nesse dia... Quando achei que ficaria só de uma vez por todas, até morrer... O ciúmes obsessivo de Sting, fez ele criar aquela situação... E somente por isso, reencontrei o Natsu. Posso dizer que Sting nos separou... Mas também nos ajudou a nos unir verdadeiramente. Sem mentiras... Sem chantagens... Apenas com desafios e traumas... Nosso amor renasceu honesto e inseparável. Pelo discurso de todos... posso afirmar... Eu estava certa... No que a jovem Michele morreu... O Natsu após algum tempo encontrou uma mulher que pudesse o fazer feliz sendo sincera e sendo ela mesma... Eu. Lucy Heartfilia. Natsu... Você sempre "esteve lá" quando precisei... Mesmo quando não estava fisicamente... Só o fato de existir... Já me fazia ter esperanças. Você sempre me salvou... Você foi com toda certeza... o único motivo dos momentos mais felizes da minha vida. Então... Obrigada por me aceitar...Por tudo que já fez por mim... Por me amar... Por me "esperar"... Por me pedir em casamento... Por adotar esse bebê que carrego. Obrigada por você ser o Sol do meu dia... Quero no seu corpo quente, ficar abraçada eternamente. Eu te amo.

Naquele momento, eu me levantei e fui até a Lucy. Dei um abraço apertado, cuidando a barriga, seguido de um beijo calmo e apaixonado. Ouvimos de fundo as mulheres fazendo um tipo... "Owwnnn" ... e palmas também. Alguns... "Viva" e "viva aos noivos". Depois de tudo... Nos sentamos novamente... E fomos comer a sobremesa... 


Notas Finais


Quem gostou do momento discurso deixa nos comentários!! ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...