História Do crime... Para o amor. - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Tags Canaxbacchus, Gravidez, Gruvia, Jerza, Mavisxzeref, Miraxus, Nalu
Exibições 542
Palavras 2.601
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Ficção, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Shoujo (Romântico), Slash, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Bem um cap só hoje... Mas como disse que voltaria domingo, estou aqui!!
Obrigado a todos os favoritos, comentários e Leitores fieis a Fic. ^^
Um cap mais compridinho, espero que gostem!! :)
Boa leitura a todos!!! :*

Capítulo 20 - Hospital?!


Fanfic / Fanfiction Do crime... Para o amor. - Capítulo 20 - Hospital?!

Igneel:

-Lucy? Você está tremendo?

Lucy:

-Nossa... Que vergonha... É que estou morrendo de frio. Ficar esperando hoje, nesse dia gelado, não foi fácil... Kkkk

Igneel:

-Posso?

Lucy:

-Sim... (colocou a mão na minha testa)

Igneel:

-Nossa... Você tá ardendo! Tu não está com febre?

Lucy:

-Não sei... Talvez esteja um pouquinho... Vou voltar pra casa então. Antes que eu piore...

Igneel:

-Nem pensar! Uma mulher grávida com febre, pode significar muitas coisas... Primeiro. Sente-se. Pedirei um copo de água. Está com sede?

Lucy:

-Na verdade... Eu prefiro voltar logo... Natsu... Já deve estar... sei lá... Pirando.

Igneel:

-E tu acha que tem condição de dirigir? Então deixe que meu motorista a leve.

Lucy:

-Não... isso significa envolver a família Dragneel e seus bens. Não posso. Deixa... É só uma febre...

Eu o convenci depois de um tempo... Dei tchau e saí porta fora... Foi quando todo sereno daquela noite de inverno caiu sobre mim... E minha pressão foi no "pé". Logo... apaguei. Acordei num quarto de hospital. Não tinha ideia como parei lá. Só notei que tinha do lado de fora... Natsu e Igneel discutindo muito alto. Ambos choravam como duas crianças...

Lucy off

Natsu on

Flash back on

-Pa...Igneel?! Você me ligando?! Se não for algo muito importante... Eu vou desligar, estou ocupado agora.

Igneel:

-Espera! Natsu! Não desliga! É a Lucy... Estou com ela no hospital da família neste momento.

Natsu:

-OQUÊ?! TÔ INDO AGORA MESMO! TCHAU!

Igneel:

-Tchau...

Quando cheguei lá... fui direto pro lugar onde a Lucy estava. Mas não pude entrar... ela estava fazendo muitos exames... Engoli o orgulho e fui falar com o meu pai...

Igneel:

-Natsu...

Natsu:

-Vamos pular qualquer interação... O que houve com a Lucy?

Igneel:

-Eu sinto muito... Eu acabei de autorizar a "cirurgia". Eu esperei tanto que você chegasse a tempo... Mas aparentemente... Não deu. Eu estou como responsável pela Lucy no momento.

Natsu:

-Cirurgia...? ...Do que você tá... falando... O que aconteceu.......? ME RESPONDE!

Igneel:

-Esquece... Eu não consigo te dar essa notícia. Vou deixar o médico explicar tudo.

Natsu:

-Que droga! AAARRGG!!! Tu não gosta mesmo de mim, não é?! Porra...

Igneel:

-Por favor... Não fale assim... A Lucy foi lá em casa pra tentar nos ajudar. Tô me sentindo culpado mais culpado do que quando te deserdei...

Natsu:

-Ha. Agora chegou a um ponto que eu quero saber! O que a Lucy estava fazendo contigo? Ou melhor... Que você fez com ela?!

Igneel:

-Natsu, acalma-se. Eu não fiz nada. Ela me procurou... Ela queria conversar comigo, sobre você.

Natsu:

-Sobre mim?! Não acredito... Ela realmente não desistiu aquele dia... Que besteiras ela falou pra ti? Não me diga, que ela disse, que eu estava arrependido... Por que se o senhor quer saber... Nunca me arrependerei de tudo que consegui me afastando dos Dragneel! Segurança, amor, liberdade, família... Algo que nunca consegui com os membros que compõe esse sobrenome.

Igneel:

-Eu sei... Eu sei que fui um péssimo pai. Eu sei que não deveria ter abandonado a responsabilidade de te criar. Nem enviar teu irmão para o exterior. Mas eu não tive muitas escolhas... Desde que sua mãe faleceu...

Natsu:

-Ah... A culpa é de minha mãe agora? Ótimo saber disso... Afinal... Imagina se ela soubesse que o pai de seus filhos, os abandonaria se ela morresse. Ela nunca te aceitaria como marido. Ela sofreu contigo. Tu nunca foi presente. Fala a verdade!

Igneel:

-Eu fazia o possível... Tudo que eu fiz foi pra protegê-los. Eu juro!

Natsu:

-Proteger do que?! E como?! Nos deixando sozinhos? Quando estávamos doentes, você nem ia nos ver. Fez de tudo para me afastar de todos... Você só não ia me ver... Como também... nos afastou de todo mundo. Mas eu era um idiota... Sempre senti falta desse amor paternal... Fui até trabalhar com senhor... Mas que você faz? Na minha primeira escolha que discorde de sua opinião me coloca pra rua. E me abandona novamente. Nunca mais sequer me ligou pra saber se estava tudo bem. Então quer saber Igneel Dragneel. Eu te odeio. Desculpa por ter nascido. Mas agora você não precisa se preocupar... Eu já sei cuidar de mim... Não precisa mais tirar um centavo de sua preciosa herança pra gastar comigo. E não se preocupe, também, eu consegui um novo emprego e pagarei a conta desse hospital. Não quero sua grana, nem ver você, nunca mais. Saia da minha frente. Eu vou procurar informações de minha noiva. Já que você faz questão de me esconder até isso... Mas saiba que jamais conseguirá separar nós dois...

Igneel:

-Natsu! Desculpa por tudo! Desculpa pela toda tristeza que te fiz passar! Mas entenda... Foi para seu bem... Um dia... Tenho certeza que a Lucy te contará que aconteceu hoje... E você entenderá!

Natsu:

-Você que tem que entender... Eu não quero saber que aconteceu no passado... Tuas razões ou... desculpas... Só quero saber do futuro. E no meu futuro... você não está na minha vida. Licença "my lord".

Igneel:

-Tudo bem... Eu mereço isso. Vai em frente... O relatório da Lucy está no balcão de informações número 4.

Natsu:

-Obrigado por nada...

Eu me desloquei até o balcão e pedi pelo procedimento médico da Lucy... E a moça só perguntou quem eu seria... E eu respondi que era seu noivo... Então ela fez uma cara de ressentida com informação que daria... Mas tomou fôlego e respondeu:

-A senhorita acabou de ir pro quarto, agorinha mesmo.

Natsu:

-Mas o que ela tem...?

Moça:

-Ela chegou sem consciência e com febre. Passou por uma série de exames. E foi constatado o "problema". Então foi encaminhada para sala de cirurgia, para fazer uma curetagem uterina. No momento, ela se encontra no quarto. Como havia dito.

Natsu:

-Desculpa minha estupidez... Mas que seria essa curetagem?

Moça:

-O procedimento seria melhor explicado pelo médico. Mas, explicando brevemente. Foi para retirar o feto sem vida, alojado no útero de sua noiva.

Natsu:

-Feto... Sem... vida... Sem... ha... não... não. Desculpa... Eu... não... sabia... que ele estava... morto... Quer dizer... O... obrigado. Pela explicação... Que quarto... ela tá?

Moça:

-Sinto muito. Ela está no quarto 204. Bloco B.

Natsu:

-O...O...obri...gado...

Moça:

-De nada.

Eu saí desorientado... Mesma assim... indo em direção ao quarto... Aquelas paredes... As pessoas... os médicos... tudo passava me encarando... Mas eu não enxergava o rosto de nenhum deles. Só ficava pensando na Lucy... No nosso filho... Nosso... Pensava se ela sabia... Eu entrei no quarto. Ela estava dormindo... Eu fiquei a olhando por um tempo... Então saí do quarto... Me apoiei na parede do corredor. E comecei a chorar como se não houvesse amanhã. Até ver Igneel se aproximando... Toda aquela confusão de sentimentos... Viraram só fúria e ódio. Que caiu sobre ele.

-A CULPA É TOTALMENTE TUA!!!

Igneel:

-Então tu já soube de tudo...

Natsu:

-VOCÊ SABIA, NÃO?! VOCÊ MANDOU TIRAR O FILHO DELA! ESPEROU ELA DESMAIAR E PEDIU QUE O ABORTASSEM! EU TE CONHEÇO SEU CRETINO!

Igneel:

-Não fale isso! NÃO ACUSE OS OUTROS SEM TER PROVAS!

Flash back off

Natsu:

-Ah... SEM PROVAS? ÓTIMO... VAMOS REVER OS FATOS ENTÃO... VOCÊ DISSE QUE "ME ESPEROU PARA AUTORIZAR A CIRURGIA"? NÃO! NÃO ESPEROU! VOCÊ FEZ TUDO ISSO RAPIDAMENTE! VOCÊ ESPEROU UM TEMPO PARA ME LIGAR DEPOIS QUE JÁ ESTAVAM AQUI! TU ACHA QUE EU SOU IDIOTA?! VOCÊ AINDA DEVE ESTAR FELIZ COM ISSO! EU SÓ NÃO ENTENDO PORQUÊ?! SABE?! NOSSA EXISTÊNCIA NÃO TINHA NADA MAIS A VER CONTIGO! NÃO PRECISAVA FAZER ISSO! SENTE TANTO ÓDIO POR MIM?! A PONTO DE TIRAR MAIS UMA VEZ TUDO QUE ME FAZ FELIZ?! MAS DESSA VEZ, SEU MALDITO, VOCÊ PASSOU DOS LIMITES! SABE QUE MAIS ME DÁ RAIVA?! QUE VOCÊ SEMPRE FAZ TUDO, MAS DÁ UM JEITINHO DÁ LEI ESTAR AO SEU LADO! QUE RAIVA! SAIA DA MINHA FRENTE AGORA! DA MINHA VIDA! SEU... AAAARRRGGGG!!!

Igneel:

-EU NÃO VOU FICAR ESCUTANDO VOCÊ FALANDO TUDO ISSO NA MINHA CARA, SEM ME DEFENDER! SE QUER SABER?! EU SALVEI A VIDA DE TUA MULHER! EU TENTEI TE PROTEGER MAIS UMA VEZ, NÃO TE LIGANDO BREVEMENTE! FIQUEI COM MEDO DO QUE VOCÊ FARIA SE TE CONTASSE TUDO! E EU NÃO MATEI NINGUÉM!

Natsu:

-"QUE BOM QUE NÃO MATOU"... MAS PARA DE TENTAR ME PROTEGER! VOCÊ SÓ TÁ FODENDO TUDO! SE CONTINUAR COM ISSO... QUEM MATARÁ ALGUÉM AQUI SEREI EU! E A VÍTIMA SERÁ VOCÊ! ISSO É UMA AMEAÇA! E SE QUISER ME PRENDER... VÁ EM FRENTE! AFINAL... É DISSO QUE VOCÊ MAIS AMA NO MUNDO! ME VER TRANCADO, TRISTE, IRRITADO E ISOLADO DE TUDO! ENTÃO... VÁ EM FRENTE! OU SUMA DE VEZ! OU ACABE COMIGO DE VEZ! OU ME MATA! OU MORRE!

Igneel:

-CALA BOCA, MOLEQUE! TU TÁ AGINDO COMO ALGUÉM SEM NADA MAIS A PROTEGER! VOCÊ TÁ RENUNCIANDO A SUA LIBERDADE E FELICIDADE! NÃO FOI POR ISSO QUE DIZ TER BATALHADO TANTO?!

Natsu:

-SE TU NÃO FOSSE UM EMPECILHO SEMPRE, EU JÁ TERIA CONSEGUIDO!!

Igneel:

-TU É UM ORDINÁRIO! TU AMEAÇA TEU PRÓPRIO PAI! NÃO LIGA MAIS PRA TUA NOIVA ALI DENTRO! LARGA A FAMÍLIA, QUE QUERENDO OU NÃO, SEMPRE TE DEU APOIO NECESSÁRIO! TUDO PRA QUE?! PRA SER UM ADOLESCENTE REVOLTADINHO COM VIDA?! ESSA É A VIDA!!! ISSO É VIVER! É ESTAR PREPARADO PRA PERDER QUALQUER UM A QUALQUER MOMENTO! QUALQUER UM AQUI PODIA TER MORRIDO A UM MINUTO ATRÁS! NEM POR ISSO O MUNDO ACABARIA! PORQUE PRA MORRER BASTA ESTAR VIVO! EU TENTEI... DE TUDO QUE ERA FORMA... AFASTAR VOCÊS DISSO! MAS VEJO QUE ERREI PROFUNDAMENTE! VOCÊS VIRARAM UNS MIMADOS, DEPENDENTES E MOLENGAS QUE NÃO CONSEGUEM ENTENDER MORTES. VAI SE FUDER NATSU DRAGNEEL! VOCÊ NÃO TEM IDEIA DO QUE ENFRENTEI PARA VOCÊS CONTINUAREM BEM! QUER SABER... SE QUER ME MATAR... MATA-ME AGORA! NA FRENTE DE TODOS! ÉS TÃO CORAJOSO?! ÉS TÃO CONFIANTE?! ÉS TÃO JUSTICEIRO?! PELO MENOS CUMPRA O QUE DIZ!

Nós dois estávamos com o sangue fervendo... nossos rostos estavam virados em lágrimas, veias e vermelhidão. As palavras que soltávamos eram como lâminas. Eram pra ferir. Eu me atirei pra cima dele e desferi um soco na cara dele. Em troco recebi um belo chute... Os gritos das enfermeiras não nos atingiam... O volume de nossa voz era muito mais alta e sobreposta a qualquer uma. A luta já dividia lugar com hematomas e sangue... Mas ninguém conseguia nos separar... Apenas uma luta muito feroz de dois homens defendendo seu orgulho e opinião. Paramos apenas quando sem querer eu dei um passo pra trás e vi Lucy... Ela estava sentada na beirada da janela, com as pernas pra fora. Ela estavam de costas. Eu gritei por ela... Meu pai parou com sua mão próximo do meu estômago, quando também avistou ela. Nós paralisamos... Já havia muita "plateia"... Eu corri até ela, mas pausei quando ela falou...

Lucy:

-Se tu der... mais um passo... eu me jogo.  {PS.: Quem quiser pra deixar essa cena mais “emocionante” escutem, junto ou antes, a música Amianto, do Supercombo. }

Natsu:

-Por favor... não faça isso...

Lucy:

-Eu não vejo motivos de porque não fazer. Eu fui estuprada... Fiz o homem que amo, sempre sofrer. Fiquei grávida indesejadamente. Aprendi a amar essa vida dolorida que me deram... E quando consigo me acostumar com a ideia da "família feliz". Eu perco tudo... Eu não sou nada mais pra ti, Natsu... Pare de brigar com teu pai... O que ele tá falando... É verdade. Ele se sacrificou... pelo bem de vocês. Ele só fez tudo, porque os ama. E mesmo assim... Até isso eu consegui estragar. Eu ferrei com a vida do meu pai. Do homem que amava. E de uma família "milenar" de extrema importância social. Eu sou um germe da sociedade... Eu não tenho mais um filho pra criar... eu não tenho mais utilidade. Por favor... não me impeça de fazer única coisa capaz de me trazer paz a minha alma nesse momento. Adeus!

Natsu:

-NÃO!

Foi aí que vi meu pai dar um “pulo” atravessando o quarto rapidamente, até alcançar a janela e colocar a metade do corpo pro lado de fora, segurando a Lucy. Ela que chorava ainda mais... Estava com medo... E talvez... até arrependida de ter se jogado... mas meu pai notou... e clamou pelo meu nome.

Igneel:

-NATSU! AJUDA! ELA ESTÁ ESCORREGANDO! NÃO É HORA PRA ENTRAR EM CHOQUE!

Natsu:

-LUCE?!

Eu peguei e fui pelo lado... agarrei mais abaixo, pelos cotovelos... Como meu braço era mais comprido que do meu pai... e mais fortes atualmente, de certa forma... eu puxei a Lucy para dentro novamente. Essa se abraçou em mim e não soltava... Só chorava e chorava... Todos só conseguiam observar tudo... A situação... A discussão... A briga... A tentativa de homicídio... O resgate... E a reconciliação...

Natsu:

-Tá... tudo bem... agora... Lu...

Lucy:

-Desculpa... Eu perdi nosso bebê... Eu tentei me matar... me desculpa...  (chorava bastante)

Natsu:

-Acalme-se... eu estou aqui... contigo.

Lucy:

-Nosso... filho... meu nenê...

Natsu:

-Eu... sei... Mas... Eu te amo. Nunca mais... Por favor... Nunca mais faça isso de novo. (Abracei com força)

Lucy:

-Natsu... Des... des... desculpa!

Natsu:

-Desculpo... E me desculpa... por não estar contigo hoje... Quando tudo aconteceu. (Afastei-me um pouco para olhar seu rosto)

Lucy:

-Eu... também... não entendo que aconteceu, muito ao certo... mas... seu pai me ajudou. Ele te ama Natsu... por favor... Perdoe ele. (colocou a sua mão em meu rosto)

Natsu:

-Luce... Por favor... Não me peça... essas coisas...(coloquei minha mão em cima da dela, fiz um carinho e retirei) Eu já te falei que é mais complicado do que parece... Pare de tentar nos aproximar. Eu estou agradecido por ele... (soltei a Lucy e virei para o meu pai) Por... você, ter me ajudado a salvar a Lucy. Obrigado por me colocar no mundo. Fora isso... Eu não gosto de mais nenhuma ação sua. Se já podermos... Sair desse hospital agora... Eu peço que não vá atrás de nós nunca mais.

Igneel:

-Tudo bem... Eu não mereço seu perdão. Não mereço ter título de pai. Eu já estou de saída.

Lucy:

-Não! Por favor... Se isso não for resolvido hoje... Vocês realmente... nunca mais se falarão... Natsu! Por mim... Pelo menos só escute tudo que ele tem a dizer. Se depois disso decidir continuar com a mesma opinião... Eu não me meterei mais nesse assunto.

Eu assenti... Pois estávamos todos muito mexidos com os acontecimentos... Não era mais hora de brigar... Então nós fechamos a porta... Acabamos com aquele momento "público" e ficamos no "privado". Meu pai me contou tudo... Desde o assassinato de minha mãe até o que tinha combinado com a Lucy, antes dela sair pela porta da mansão. Eu acabei me sentindo culpado... Realmente o orgulho e solidão tinham me cegado e impedido de notar e aceitar alguma razão. Naquele dia... Nós voltamos a nos tratar como pai e filho. Mas não aceitei voltar a ser herdeiro de nada. Era assim que seria livre pra amar quem quisesse e amar meu pai. Apenas como um pai... E não como meu chefe, nem como meu antecessor. Decidi continuar com o sobrenome... Mas, fingir não saber de nada sobre eles... Depois de tudo... Eu e Lucy voltamos pra casa... Nós ainda estávamos muito tristes... Já tínhamos ganhado e comprado algumas coisas para o pequenino... Então ver aquilo nos deixou mais pra baixo... Porém... Lucy preferiu... Contar logo para a pessoa que ela estimava mais importante, depois de mim, no momento. Ela ligou e contou tudo para senhor Heartfilia. Que sem pensar duas vezes... Já estava a caminho de nosso apartamento. Depois de lágrimas... Abraços... Carinho e apoio. Decidimos uma coisa. Os planos do casamento continuariam de pé. Então definitivamente... Eu e Lucy ficaríamos juntos, para sempre, independente do que acontecesse.

 


Notas Finais


Tanta coisa aconteceu nesse cap. não sei nem o que dizer... ><
Deixem nos comentários que estão achando de tudo ou desse cap em si. ^--^
Beijos meus lindinhos!! Bom domingo a todos!!!
(Ps: Espero que todos estejam bem, aqui está chovendo muuuiiitooo!!)
*Cap editado ;)*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...