História Do crime... Para o amor. - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Tags Canaxbacchus, Gravidez, Gruvia, Jerza, Mavisxzeref, Miraxus, Nalu
Exibições 443
Palavras 1.941
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Ficção, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Shoujo (Romântico), Slash, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Minna!! Mais um cap hoje. Isso é em resposta do desafio que lancei de cinco comentários antes da meia noite. Vocês meus lindinhos conseguiram!! ^^
Agora, por hoje, era só isso. Esse cap. será bem longuinho ;)
Espero que gostem ^^
Boa leitura!! :*

Capítulo 28 - Viajando com a Wendy!


Fanfic / Fanfiction Do crime... Para o amor. - Capítulo 28 - Viajando com a Wendy!

Natsu:

-Doutor... O que a Lucy tem?

Médico:

-Ela só está resfriada. Mas a febre está realmente alta... Dei um remédio pra baixar. Única coisa que pedirei agora, é que a senhorita se alimente muito bem. Você está um tanto anêmica. E desidratada. Ou seja... Comer muito ferro e tomar muita água. Recompor os nutrientes é o mais importante nesse momento.

Natsu:

-Tudo bem... Ela vai obedecer. Eu farei ela se alimentar direitinho. E comprarei os remédios. O acompanharei até a porta.

Lucy:

-O...brigada...

Médico:

-Só estou seguindo meu juramento e fazendo meu trabalho. Com licença.

Natsu acompanhou o médico até saída. Nisso... o psicólogo ficou com a Lucy no quarto... Ambos "conversavam". Natsu não quis interrompê-los. Sentou na sala e ligou seu notebook. Ele começou a trabalhar em cima de uns processos pra investigar. Depois de uma hora e meia, o doutor saiu do quarto e avisou que Lucy iria descansar novamente.

Natsu:

-Descobriu o que ela tem? E o que devo fazer?

Psicólogo:

-Desculpa... A mente é algo complexo e não posso garantir nada com apenas uma análise. Porém, desconfio, de uma crise da síndrome do pânico. Nessa síndrome, num grau avançado, ela pode ter até alucinações. O medo de sentir dor ou morrer, é iminente. Também uma situação que parece banal a nossos olhos, ou até rotineiro... Pode ser uma ameaça para ela. Desde que ela relacione aquilo com alguma cena perturbante. Mesmo inconscientemente. Bem... O que você deve fazer é... O senhor sabe qual trauma dela que iniciou essa síndrome. Logo é muito mais fácil de controlar. Não force ela a conviver com experiências assim... Pelo contrário... Começa a mostrar a ela que o corpo humano não é nada demais... Que o ato de fazer sexo pode existir com amor e respeito.

Natsu:

-Mas eu nunca forcei ela... Pelo contrário... Fiz questão que ela afirmasse que não tinha problema. E ela disse que não tinha. Que eu faço senhor?

Psicólogo:

-Simples, não será. Mas quem sabe... Se começarem a não trancar mais a porta do banheiro... Algo que possa remeter a esse dia. Também... Quando ela estiver utilizando... Vai.. pede licença para tomar banho... Não a encare quando ela estiver sem roupa... Passe por ela... e finge que aquilo não é nada. Aos poucos ela se sentirá confortável. E por último. Não relembre das crises... Ela acredita que suas alucinações são reais. Logo esquecerá desse episódio. Mas se tentar explicar que o que teve, nunca existiu... Ela lembrará de tudo... e do modo errado novamente. Então... quando ela tiver uma crise... Tente acalmá-la... mas finge que acredita no que ela fala... Desse modo: Tire todas informações que pode do que ela vê ou sente. Assim você encenará com ela... Se ela ver os estupradores... grite com eles... finja que está revoltado com eles... Então se ela entrar em seu teatro. Abrace ela e diga que já passou e que sempre a protegerá. Com tempo... isso melhorará. E talvez no futuro... nunca mais terá crises. Agora, nunca mais deixe-a sozinha enquanto alucina. Jamais.

Natsu:

-Nossa... Nunca imaginaria que ela pudesse ficar assim... Eu tenho muita raiva doutor. Eu prendi os responsáveis. Mas confesso que me sentiria mais feliz se eles tivessem mortos. Não consigo aceitar que eles estão bem... Enquanto a Lucy sofre. Eu nunca mais me afastarei dela. Obrigado doutor.

Psicólogo:

-Tudo bem... Toma... Esse é meu cartão do meu consultório pessoal. Se voltar a acontecer algo assim... Marque consultas de rotinas.

Natsu:

-Tudo bem. Igual... Muito obrigado por vir aqui mesmo sábado. Bom fim de semana.

Psicólogo:

-Igualmente. Passar bem.

Natsu, depois de levar o último médico até a saída, voltou para o quarto. Bateu na porta e pediu licença para entrar... E Lucy, ainda acordada, autorizou. Natsu foi caminhando... Se sentou na cama de casal... Levou a mão até o cabelo da loira e disse:

-Você me deu um susto hoje... Fiquei preocupado contigo. Você deve estar com fome... Te trarei algo para comer.

Lucy:

-Natsu... Desculpa...

Natsu:

-Por que?

Lucy:

-Eu fui... ridícula... Eu sou a culpada por tudo isso...

Natsu:

-Do que exatamente você tá falando?

Lucy:

-Eu lembrei de tudo... Eu... naquele momento vi em você... o homem que abusou de mim... Mas... agora... percebo que era só você. Eu te insultei... eu te comparei com a pessoa que nós mais odiamos... Pior... eu me deixei levar por uma alucinação... Se você não tivesse voltado... Talvez a fome e o frio... Me faria pensar que aquilo ainda estava acontecendo... Eu sei que o psicólogo disse que tenho síndrome do pânico... Mas, não é verdade. Me desculpa... Eu sei que aconteceu comigo foi só um choque pós traumático... Já aconteceu antes logo que minha mãe faleceu... Eles chamaram na época de “TEPT- transtorno do estresse pós-traumático”.... Enfim, isso agora não importa mais... O que eu disse...  eu acrescentei coisas que não poderia fazer... Por favor... me perdoa... Eu não sou louca... Mas, pelo amor de Deus... Cuide de mim. Fique comigo... Não me deixe mais.

Natsu:

-Então... Ele estava errado? Quer dizer... você sabe que aconteceu?... Nossa ... Assim é mais fácil... e mais confuso também. Primeiro. Quero que saiba que não te deixarei mais sozinha. E segundo... Só quero saber... porque não me respondeu quando falei contigo pela porta, naquele dia?

Lucy:

-Na hora pensei que era blefe deles... mas agora percebo que fui uma idiota. Me desculpa...

Natsu:

-Tudo bem... esquece isso. Vamos esquecer aquilo. Vamos falar de coisas mais legais... Olha só... hoje é sábado... Amanhã será domingo. Hoje está chovendo e está mal... Mas se melhorar, amanhã está previsto Sol. Vamos sair? Ir numa praça? Correr, caminhar... ou dirigir até algum lugar? Almoçar fora? Já sei... Vamos, se você melhorar, ir viajar de manhã cedo e voltar só a noite. Vamos pra algum lugar que tenha neve. Ver essa paisagem. Conhecer lugares novos? Que acha?

Lucy:

-Eu... iria... amar...

Natsu:

-Então trate de ficar boa logo. Come tudinho.

Lucy:

-Tá... Natsu...

Natsu:

-Sim...?

Lucy:

-Vamos chamar... o Gray?

Natsu:

-Você quer...?

Lucy:

-A Wendy... iria amar viajar.

Natsu:

-Você quer só a Wendy? Porque se for isso... Tenho uma ideia pra aquele casal. Que desde que tiveram a Wendy, não ficam a sós.

Lucy:

-Quer dizer... Chamar a Wendy pra viajar com a gente, enquanto... Gray aproveita com... a Júvia?

Natsu:

-Isso... Se eles aceitarem... Que você acha?

Lucy:

-Iria amar sermos... pais por um dia...

Natsu:

-Concordo.

*Dia seguinte*

Lucy:

-Então tudo bem mesmo?

Júvia:

-Claro! Tu vai amar a serra minha pequena.

Wendy:

-E se eu sentir saudade...?

Gray:

-Daí a gente vai ao encontro de vocês. Mas, não se preocupa filha. Titio Natsu e titia Lucy, serão muito legais contigo. Se não forem... Juro que mato o Natsu! Né foguinho?!

Natsu:

-Óbvio que cuidaremos bem de ti Wendy... Até porque, não quero ter que mostrar pro gelinho quem é o mais forte de nós dois... kkkk

Júvia:
-Ok... Lucy vai logo... antes que os dois comecem a “brincar de lutinha” de novo kkkk

Lucy:

-Tudo bem... kkkk Vem Wendy. Natsu... Vem! kkkk Tchau gente!

Natsu:

-Aproveitem! hehe kkkk

Gray:

-E vamos mesmo... hehe... Quem sabe, a Wendy não consegue um irmão... kkkk

Wendy:

-Não entendi...

Júvia:

-Esquece >\\\<. Tchau filhota. Se cuidem...

Gray:

-Tchau filha. (beijinho na testa)

Júvia:

-Põe o cinto direitinho! E obedece os titios.

Wendy:

-Tá mamãe!

Júvia:

-Nós te amamos filha.

Wendy:

-Também amo vocês, papai e mamãe.

Gray:

-Tá... vão! Antes que acabem desistindo...

Natsu:

-Então... Estamos indo. Cuidem bem do Happy! u..u Tchau gente.

Eles aceleraram em direção a serra. Indo tranquilos e com rádio ligado. Daria mais ou menos umas três a quatro horas de viagem. Como saíram pela manhã, na hora do almoço, Wendy disse estar com fome, então pararam num restaurante no meio do caminho.

Wendy:

-Hum... Tô com tanta fome...

Lucy:

-Calma Wendy... Vamos ver primeiro no cardápio, o que tem aqui...

Natsu:

-Eu já sei. Quero uma bela porção de fritas. Mais uma ala-minuta.

Lucy:

-Tu não acha que na ala-minuta, já vem fritas?

Natsu:

-Sim, mas, é pouco! Kkkk

Lucy:

-Guloso! kkkk E aí Wendy, que vai querer?

Wendy:

-Quero um Xis-carne!

Lucy:

-Batata-frita também?

Wendy:

-Sim!!

Lucy:

-Ok... E eu vou querer... Huuummm........ deixa eu ver......... Já sei! Quero esse macarrão com almôndega. ^^

Natsu:

-Tá... Então será isso, posso pedir um 2 litros de refri pra nós três?

Wendy:

-Mamãe não deixa beber refri...

Lucy:

-Então é melhor pedir suco...

Wendy:

-Mas papai me dá escondido! Kkkk

Natsu:

-Safadinha!! kkkk Tudo bem... Refri? Ou suco?

Lucy e Wendy:

-Refri!!! *--*

Natsu:

-Ok... Vou pegar um guaraná. Vou lá pedir.

Assim pediram, e estavam esperando enquanto conversavam e combinavam que fariam quando chegassem em gramado/ canela. E aí chegou a comida.

Natsu:

-Hum :3 Tá boa as batatas. Ainda bem que pedi porção extra. Kkkk

Lucy:

-Bah... (Ps.: Pra quem não é gaúcho, pode interpretar esse “bah” como um ... “Nossa...” ;P ) Essa massa tá no ponto. Delícia... Esse molho vermelho com queijo. E tu Wendy? Wendy? kkkk Quer que eu peça talheres pra ti, linda?

Natsu:

-Ah, mas Lu... Não tem graça comer Xis com garfo e faca kkkk Né Wendy? O bom é se lambuzar com maionese e mostarda?

Wendy:

-Uhum!! *-----* Huf... Titio Natsu...

Natsu:

-Sim?

Wendy:

-Me... me... alcança o papel?

Natsu:

-Claro kkkk Pega.

Wendy:

-Brigada!

Lucy:

-Wendy... Tu tá fofa assim... Mas quase não alcança na mesa... Quer que eu peça uma almofadinha?

Wendy:

-Pode ser...

Lucy:

-Já volto...

Natsu:

-Não precisa... Vem cá Wendy. Titio te dá colo quer?

Wendy:

-XXXIIIIM!!!!!!! (fala mastigando)

Natsu:

-Kkkkkk  Tu é muito bonitinha. Vem cá... Isso... Melhorou?

Wendy:

-Ahan! Valeu!

*meia hora depois*

Wendy:

-Huf~~

Lucy:
-O que foi?

Wendy:

-Não consigo mais comer... é muita coisa...

Natsu:

-Não quer nem o refri?

Wendy:

-Desculpa... mas... não... Prefiro... tomar um ar... depois de comer tanto...

Lucy:

-Não se preocupe... Nós podemos pedir pra enrolarem, pra nós levarmos...

Natsu:

-Mas Luh... Pode estragar na estrada... Não vamos pra casa... estamos viajando.

Lucy:

-Hum... é verdade... Tem certeza mesmo querida que não quer?

Wendy:

-Sim... >\\\\< (se recosta no peitoral do Natsu)

Natsu:

-Tá... acalmem-se... Eu sempre tenho um lugarzinho a mais pra comida. Kkkkkk O refri nós levamos o resto da garrafa. Mas, o Xis e as fritas, eu acabo. u..u   kkkk(fazendo carinho na cabeça da pequena)

Wendy:

-Brigada... (fala abafado)

Depois de comerem, foram pro carro pra seguirem mais duas horas de viagem... Lucy foi dirigindo... Já que Natsu e Wendy, foram roncando. kkkk Wendy, acordou um pouquinho antes de chegarem e notou seu "tio" dormindo. E seguiu conversando com a Lucy. Quando chegaram... as duas sofreram pra acordar o dorminhoco... Mas quando acordou mesmo... Estava mais elétrico que qualquer coisa.

Lucy:

-E aí? Estamos aqui em Nova Petrópolis... Estacionei aqui, porque eu não sei andar aqui “dentro”... A um tempo atrás perguntei a um homem qual era o estacionamento mais próximo da "Praça da República". E me disseram aqui... Agora espero que tu saiba Natsu... E que faremos de legal lá?

Natsu:

-Isso vocês verão! kkkk Vão adorar tenho certeza!

Após andar umas duas quadras eles chegaram na Praça, e Natsu apontou para a grande Arte verde localizada mais a baixo de onde estavam... Bem no meio do lugar florido.

Natsu:

-Bem vindas a "Praça das Flores". Também conhecida, como a praça que tem o Labirinto Verde. É bem legal... Vamos lá.

Lucy:

-Dá mesmo pra brincar?

Natsu:

-Sim! kkkk Dá pra ir nós três juntos, ou disputar quem consegue ir e voltar mais rápido.

Wendy:

-Vamos juntos. Eu quero jogar... *----*

Natsu:

-Ah gostaram? kkkk Vamos jogar!! 


Notas Finais


E aí?? Mudança de ares um pouco!! Uma viagem com a fofa da Wendy e também para relaxarem um pouco de tanta tensão.. ^^
Beijos lindinhooosss!!! Até amanhã!! :*
Boa noite, com carinho, da Miou Otori que vos ama!! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...