História Do you love me? - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cameron Dallas, Ian Somerhalder, Magcon
Personagens Aaron Carpenter, Cameron Dallas, Carter Reynolds, Hayes Grier, Jack and Jack, Jacob Whitesides, Kian Lawley, Mahogany LOX, Matthew Espinosa, Nash Grier, Nate Maloley, Sammy Wilkinson, Shawn Mendes, Taylor Caniff
Exibições 67
Palavras 4.422
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Melanie e Cameron não conseguem ficam longe um do outro aff

Capítulo 13 - Again?


Fanfic / Fanfiction Do you love me? - Capítulo 13 - Again?

Segunda-feira 07:56

 P.O.V MELANIE

-Grupo quatro - escuto o professor chamar e eu me levanto seguida por Cameron. Começamos a apresentar nosso trabalho, e ele até que ficou bom se não fosse por Cameron me ignorar e entrar completamente no personagem se tornando um ogro.

-Parabéns, na próxima aula eu direi as notas - diz o professor e eu agradeço indo me sentar. Depois de um dia cansativo cheio de aulas, vou em direção ao estacionamento quando o sinal toca indicando o final das aulas.

-Qual aula extra vocês irão escolher esse ano? - Matt perguntou enquanto estávamos no estacionamento.

-Música - disse Shawn junto dos Jack's, Lox, Jacob, Madison, Nathan e meu irmão.

-E vocês? - Lox perguntou para nós que não falamos nada.

-Não tenho nenhum dom que se encaixa em alguma aula - disse Nash e todos nós concordamos.

-Você não fazia dança e teatro? - Nathan perguntou a mim.

-Sim - digo me lembrando de como era bom participar das peças e apresentações.

-Então você pode se inscrever na aula de teatro - Carter sugeriu.

-Vou pensar - digo entrando em meu carro.

-Onde a princesa pensa que vai? - meu irmão perguntou se fingindo de bravo.

-Pra casa - menti.

-Eu também já vou indo - Cameron se despediu do pessoal e entrou em seu carro e saiu cantando pneu. Fiz o mesmo porém fui em direção ao Departamento.

-Oi, oi gente - digo ao entrar na sala de Sarah.

-O que aconteceu lá? - Nick perguntou bravo.

-Vocês não sabem o que eu descobri - digo me lembrando do que Abigail queria.

-O que ? - Troubel perguntou curiosa.

-Eles não querem acabar com policiais, isso foi um pretexto para nos deixarmos longe da cola deles. - explico.

-E o que eles querem? - Sarah perguntou.

-O cristal da família fundadora - digo e eles ficam perplexos.

-E está com você, estamos na vantagem! - Nick disse e eu o olhei.

-Então... Eu acho que... Temos um probleminha - digo enrolando para falar.

-Não vai me dizer que não está mais com você! - esbravejou.

-O Damon pegou antes de ir embora e... ELE SABIA! - gritei.

-Sabia o que? - Troubel pergunta.

-Ele sabia de tudo desdo começo por isso antes de ir embora levou o cristal com ele - expliquei com raiva de mim mesma por não ter impedido-o de pegar o cristal.

-Abigail foi para a escola hoje? - Sarah perguntou e eu neguei ainda com raiva.

-Acho que ela pediu demissão pois o antigo diretor estava lá - digo.

-O que iremos fazer agora? - Troubel perguntou e eu olhei para Nick que sempre tinha uma solução.

-Ficar em alerta - disse ele e eu o olhei incredula.

-Nunca ficamos em alerta - eu disse e Troubel concordou.

-É preciso garotas, não podemos fazer nada além disso - Sarah disse apoiando a ideia de Nick.

-E se fizermos uma festa, convidamos a familia fundadora junto com Abigail… Com certeza eles irão tentar algo e é aí que entramos e prendemos todos eles - propuz outra ideia.

-Na casa de quem? - Troubel perguntou.

-Meu irmão não pode desconfiar de nada então na minha é um erro - digo descartando a possibilidade de ser em minha casa.

-Pode ser na minha - Sarah oferece sua casa e concordamos.

-Cuidarei da segurança e armamentos, Troubel e Adriano ficam na parte dos hackers, Sarah dos convidados e você da organização - Nick por fim se rendeu e deu a cada um de nós uma tarefa.

-Avisarei ao Adriano, tchau - Troubel disse saindo da sala.

-Não envolvam nenhuma família nisso - aviso a Sarah antes que ela queria convidar mais alguma família inocente.

-Não seriamos loucos a esse ponto - disse ela e eu gargalhei.

-Você sabe que alguém vai sair ferido, não sabe? - Nick perguntou e eu assenti.

-Por isso tomaremos o maior cuidado possível - disse e dei um beijo na bochecha de cada um, logo saindo do Departamento e indo para casa.

-Vocês não tem casa, não? - perguntei ao pessoal que estavam todos na minha sala e eles negaram rindo.

-Onde você estava? - meu irmão perguntou e eu revirei os olhos.

-Vai pegar alguma coisa para mim comer, que você ganha mais - digo e me joguei no colo de Kian, pois não sentaria ao lado de Cameron, o único lugar disponivel.

-Saí, sua gorda - disse ele me jogando no chão.

-Gorda é seu passado - digo me levantando e indo a cozinha, estourar pipoca. Quando termino volto para sala e me sento no chão.

-Eu quero - Kian se senta ao meu lado.

-Depois eu sou a gorda - reviro os olhos e ele me dá um peteleco na cabeça.

-Kian, sai daqui - empurro-o e ele começa a rir igual uma hiena.

-Olha os amigos que eu tenho, senhor - Lox diz olhando para o céu.

-Impar - digo ao meu irmão após ouvir a campainha tocar.

-Par - pede ele.

-Impar ou par - digo e jogo três, e meu irmão joga cinco. -Ganhei! - comemoro e ele se levanta indo atender a porta.

-MELANIE - meu irmão grita da porta e eu me levanto falando uns palavrões.

-O que foi? Ah, oi Stefan - digo e puxo ele para entrar.

-Quem é você? - meu irmão pergunta e eu reviro os olhos.

-Para de ciúmes - digo a meu irmão.

-Stefan Salvatore, prazer - Stefan faz um cumprimento de mão com Sammy. Puxei Stefan para meu quarto antes que Sammy fizesse mais perguntas.

-Pode falar - digo me jogando em minha cama.

-Que loucura é essa que está acontecendo? - perguntou e eu ri.

-Você não vai acreditar, no que eles querem - digo fazendo mistério.

-O cristal? - perguntou retoricamente e eu revirei os olhos.

-Vejo que já sabe de tudo - digo e ele assente.

P.O.V - CAMERON

Depois que Melanie e o tal Stefan subiram, fiquei com um pé atrás da orelha e fui ver o que eles faziam. Não que eu esteja com ciúmes. Eu só quero descobrir o que ela não quer que eu e Sammy saibamos. Coloquei meu ouvido perto da porta, e assim pude escutar o que eles falavam. Era sobre um cristal e uma festa que iria acontecer a alguns dias.

-Eu vou ver com Nick o que quer que eu faça, te ligo depois - disse Stefan e então vi que era minha deixa, me desencostei da porta e entrei no quarto a frente. Esperei uns cinco minutos, e então sai porém me arrependi.

-Ouvindo a conversa dos outros? - Stefan perguntou de braços cruzados e eu dei de ombros.

-Não gostei de você - digo o que em partes não é mentira.

-Então é melhor começar a gostar, porque você vai me ver muito - disse ele e eu arqueei as sobrancelhas.

-Como assim? - perguntei e Melanie saiu de seu quarto no mesmo momento.

-O que está acontecendo aqui? - ela perguntou de braços cruzados.

-Ele estava ouvindo nossa conversa - disse o fofoqueiro.

-Stefan vai embora - Melanie começou a puxar o mesmo e eu os segui.

-Que cristal é esse? E essa festa? - eu perguntei após Melanie fechar a porta e eu a puxar para a cozinha.

-Cameron não se meta - disse ela tentando passar por mim

-Por que não? - perguntei de braços cruzados.

-Porque eu não quero que ninguém saia machucado - disse ela séria.

-Mas esse assunto no qual eu não sei, também me envolve - eu digo olhando em seus olhos.

-Nada mais te envolve depois que terminamos - disse ela fazendo aspas no terminando e passando por mim.

-Eu já estou envolvido desde que comecei gostar de você - sussurrei porém ela ouviu, pois deu meia volta, parando em minha frente novamente.

-Você não está mais envolvido desde que me chamou de vadia - disse ela entre dentes.

-Eu estava nervoso, não sabia o que falar - digo arrependido com o que disse antes.

-Sempre sabemos o que falar, só não temos a capacidade de pensar duas vezes antes de dizer - diz e uma lágrima escorre de seu rosto. Rapidamente ela enxuga e sai da cozinha, me deixando sozinho em meio aos pensamentos.

P.O.V - MELANIE.

Não acredito que o Cameron estava prestes a pedir desculpas depois de tudo que ele me disse… Ainda perplexa, subi para meu quarto e coloquei uma roupa melhor pois iria comprar as coisas para a festa.

-Onde você vai? - ninguém mais ninguém menos que meu irmão perguntou.

-Encontrar uns amigos - digo e bato a porta antes de sair, entro no meu carro e dou partida. Vou a algumas lojas de festa e compro algumas coisas para decorar a casa de Sarah, depois vou a floricultura e compro flores porém mandei entregar pois era muita coisa. Comprei também taças, guardanapos e outras coisas que não preciso citar. Antes de ir para a casa de Sarah passei no Starbucks e pedi algumas coisas para comer.

-Oi baixinho - bagunço o cabelo de Make, filho da Sarah.

-O que você comprou? - Sarah perguntou, mexendo nas sacolas em que trouxe.

-Várias coisas para decorar essa casa - eu digo observando sua sala de estar.

-Você acha que as famílias irão caber aqui? - Sarah pergunta.

-Espero que sim, mas para previnir podemos tirar esse sofá e essa mesa atrás dele - dou uma sugestão e ela assente.

-Onde deixarei meu filho? - ela pergunta.

-Com uma babá! - falo o obvío.

-Não confio em babás - diz ela abraçando seu filho.

-Pode ser com meu irmão, ele é responsavel - sugiro e ela hesita um pouco mas no fim concorda. No fim da tarde, vou para casa e encontro quem eu menos queria encontrar.

-O que você faz aqui? - pergunto tentando ignora-lo.

-Estou na casa de meu amigo, algum problema? - pergunta com os pés na mesa de centro da sala.

-Nenhum, Dallas - digo e subo para meu quarto e ele me segue.

-O que você quer? - pergunto sem paciência.

-Você - ele fala e eu solto uma risada sem humor.

-Isso é uma piada, né? Anda Cameron, cade as camêras? - perguntei procurando-as.

-Não é uma piada e eu não estou gravando - ele disse.

-Eu queria não ter te conhecido - eu digo olhando em seus olhos.

-Você está dizendo que os momentos em que passamos juntos não significou nada? - perguntou.

-Claro que significou, mas eu não te entendo… Uma hora você diz que não consegue ficar longe e na outra me chama de vadia - desabafei.

-Você tem que entender que eu estava com raiva por causa dos seus segredos e descontei tudo em você - disse ele.

-Então você tem que aprender a não descontar sua raiva nas pessoas - digo e quando vou me virar para entrar no quatro, Cameron segura meu braço me virando de volta, me fazendo bater em seu peitoral.

-Me perdoa? - perguntou olhando em meus olhos.

-Não! - digo firme também olhando em seus olhos.

-Vamos tentar começar de novo, só que dessa vez sem mentiras - ele sugeriu e pensei por longos segundos.

-Não! - digo firme novamente.

-Eu sei que você quer e … - ele iria dizendo porém o interrompi.

-Já percebeu que é sempre você que faz as burradas? - perguntei e ele recuou dando dois passos para trás.

-Já percebeu que é só você que guarda segredos? - uma lágrima escorreu de seu olho e ele limpou e sem falar nada saiu de minhas vistas me deixando sozinha no corredor. O que eu iria fazer agora? Contar para Cameron a verdade e ter perigo dele se envolver, ou não contar e ficar brigada com ele? É obvío que eu iria esconder isso tudo dele, porém é muito difícil manter distância de uma das únicas pessoas que me faz bem.

-Mel? - meu irmão perguntou ao me ver parada no corredor.

-Já chegou? - perguntei e só ai parei para pensar.

-Não vou nem responder - rimos.

-Podemos conversar? - pergunto e ele me olha estranho.

-O que você fez? - ele perguntou.

-Nada - peguei em seu braço e o puxei até meu quarto, nos sentando na cama.

-Sábado eu preciso que você cuide do filho de uma amiga minha - disse e ele me olha.

-Como assim? - pergunta rindo.

-Eu e ela vamos em uma festa e o filho dela não pode porque ele é pequeno - expliquei a ele. Eu não iria mentir, não em partes!

-E essa festa, como é? - perguntou todo irmão mais velho.

-Não é festas de adolescentes, é uma festa com a família fundadora - eu disse para ter mais chances de meu irmão deixar eu ir.

-Quantos anos o pestinha tem? - Sammy perguntou.

-Nove - revirei os olhos rindo.

-Beleza, vamos chamar umas gostosas e depois… - nem deixei ele terminar de falar.

-Deixa a Stassie saber disso, que ela corta seu pinto - eu disse rindo.

-Deixa o Cameron saber dessa festa que ele corta seu barato - disse Sammy e eu parei de rir na hora.

-Não estamos mais juntos - eu digo séria.

-Porque? Não se acertaram? - perguntou e eu neguei.

-Enfim… - me levantei e abri a porta de meu quarto para Sammy sair.

-Se quiser conversar, de irmão pra irmão - disse ele e eu assenti, fechei a porta ao ver que Sammy estava completamente para fora de meu quarto.

Terça-feira 07:49

-Licença - pedi antes de entrar na sala. Eu estava atrasada para a aula do Sr. Lewis.

-Toda - disse o professor e eu entrei, indo me sentar ao lado de Cameron, minha dupla nessa aula.

-Desculpa, mas você está no meu lugar - disse para uma vadia qualquer e ela me olhou com desdém.

-Ela é minha nova dupla, sente-se em outro lugar - Cameron disse rude, eu apenas assenti e procurei um lugar vago e o único em que achei foi ao lado de Peter um dos atletas da escola.

-Vou passar um trabalho e quero que vocês me entreguem semana que vem, tudo que precisam está na lousa, podem copiar - disse o professor e eu abri minha bolsa pegando o caderno.

-Você era a dupla daquela menina? - perguntei a Peter que estava mordendo o lápis de uma forma extremamente sexy.

-Sim, e você do Cameron certo? - perguntou e eu assenti.

-Podemos fazer juntos, se você quiser - eu disse e senti o olhar de Cameron quiemar sobre mim.

-Sim, podemos - concordou e eu assenti começando a copiar o que o professor pediu. Quando essa aula acabou, segui para a sala da próxima aula e assim sucessivamente depois do intervalo.

-Vou para aula de teatro - dou um beijo no meu irmão e saio correndo pois como sempre estou atrasada. Me junto aos aulos em cima do palco e por sorte a professora não tinha chegado ainda.

-Não acredito! - disse uma voz bem conhecida atrás de mim.

-Você faz teatro? - perguntei ao me virar.

-Acho que sim, não? - disse sárcastico e eu revirei os olhos.

-Boa tarde, alunos - disse uma mulher, tirando meu foco de Cameron.

-Boa tarde - respondemos todos juntos.

-Para quem não me conhece, meu nome é Marilia e eu sou a professora de teatro… - ela disse e subiu no palco, com algumas folhas em mão. -Quero que todos venham aqui na frente e se apresentem, quando eu chamar - disse ela, e vi que alguns ficaram tensos. Talvez fossem novos nesse ramo, ou não. Ela foi chamando nomes por ordem alfabética e quando finalmente chegou no meu, me levantei e subi no palco ficando de frente para todos.

-Meu nome é Melanie, sou brasileira - eu disse, e a professora surpresa por eu ser de outro país me interrompeu.

-Que legal! E o que você faz em outro país? - perguntou interressada.

-Eu tenho um irmão mais velho, Samuel Wilkinson, e vim passar um ano com ele - digo o que em partes é verdade, não iria falar o real motivo por eu estar aqui.

-E você já fez teatro alguma vez? - ela perguntou e eu assenti.

-Já fiz teatro por sete anos e também fazia aula de dança - eu disse e ela sorriu.

-Temos uma dançarina, então? - ela perguntou e eu gargalhei.

-Não danço há anos, estou toda enferrujada - digo.

-Que isso, você é jovem! - ela disse e eu concordei, ela pediu para que eu me senta-se e assim eu fiz. Os alunos restantes se apresentaram, e logo ela formava duplas para um exercício que ela passaria.

-Melanie e Cameron - ela disse e eu fechei meus olhos, sentindo que ele pediria para trocar de dupla.

-Vamos? - perguntou e eu abri os olhos, vendo-o a minha frente.

-Não vai pedir para trocar de dupla? - perguntei e ele negou.

-Não irei fugir para sempre - ele disse e por incrível que pareça eu sorri. Subimos no palco assim como todas as duplas formadas, e ficamos de frente um para o outro como pediu a professora.

-Vocês devem conhecer, o exercício do espelho… Eu irei tocar em uma pessoa da dupla, a escolhida devera fazer os movimentos e o outro copiar. - disse Marilia começando a relar nos alunos, e quando chegou em nós, tocou o ombro de Cameron que começou a fazer alguns movimentos. Cameron tocou em meu rosto com delicadeza e fiz o mesmo no dele, ficamos trocando carícias por segundos e quando acordamos do transe, nos separamos rapído.

O restante da aula passou num estralar de dedos e quando vi, já estava dirigindo em direção a casa de Sarah.

-Estava pensando aqui… Em qual desculpa você deu para essa festa acontecer? - perguntei a Sarah.

-Isso foi mamão com açucar - disse ela.

-Veja você mesma no convite - Troubel apontou para um papel ao meu lado e eu peguei-o começando a ler.

-Doações a crianças carentes? - perguntei e eles assentiram.

-Adriano já está treinando seus rapazes para se algo der errado, eles estejam preparados - disse Nick e eu assenti.

-E onde eles irão ficar? - perguntei pois os homens que trabalhavam com Adriano davam dois de minha pessoa.

-Alguns irão fingir que estam fazendo doações e irão ficar espalhados pela sala, outros em carros que ficarão rodeados por fora da casa.

Sábado 19:30.

-Como estou? - perguntei dando meia volta para meu irmão analisar minha roupa. (1)

-Perfeita mas essa blusa não está muito decotada, não? - fez seu tipíco show de irmão mais velho e eu revirei os olhos.

-Tchau, Samuel, tchau - eu disse passando por ele fingindo estar emburrada.

-Antes das dez te quero em casa, ouviu? - perguntou e eu e Stassie rimos.

-Cuidado com o Mike - eu disse antes de fechar a porta e entrar em meu carro. Não demorou muito para que eu estivesse estacionando minha Ferrari na rua da mansão de Sarah.

-Boa noite - eu dizia para as pessoas ali presentes por onde eu passava.

-Ela chegou! - ouvi Sarah dizer um pouco distante de mim, me chamando com a mão.

-Olá - eu disse formalmente. Ela iria me apresentar a Abigail.

-Boa no… - ela iria dizendo porém parou ao me ver.

-Melanie, prazer - eu disse e abraçei-a.

-Abigail, prazer - disse ela de maú gosto.

-Como eu estava falando, ela é uma menina super talentosa e boa - disse Sarah e me deu uma vontade de rir.

-Vocês se conhecem de onde? - Abigail perguntou.

-Filha de amigos fiéis - disse Sarah.

-Eu vou andar por aí, espero te ver mais vezes… Sarah me contou muito sobre você - eu disse fingindo a simpatica.

-Espero que seja coisas boas - ela disse e eu sorri falsa, logo saindo de lá.

-Melanie, Melanie Wilkinson? - ouvi alguém perguntar e eu me virei na direção da voz.

-Eu mesma… Desculpa, mas eu não te conheço! - digo ao homem em minha frente.

-Me perdoe, sou Willian Joe… Já trabalhei com seu pai - ele disse e eu me lembrei dele.

-Ah sim, eu me lembro - sorrio.

-Esse é meu filho, vocês poderiam ficar juntos afinal são os únicos jovens da festa - ele disse e eu só agora percebi o jovem a seu lado.

-Claro, vamos pegar uma bebida - eu digo puxando o menino para a cozinha. -Qual seu nome? - pergunto ao menino de olhos claros a minha frente.

-Leonardo - disse ele, enquanto eu vasculhava a geladeira de Sarah.

-Você bebe? - perguntei com uma garrafa de Vodka em uma mão e uma de refrigerante na outra.

-Sou mais velho que você - ele puxou a garrafa de Vodka de minha mão e nos serviu.

-Como sabe minha idade? - pergunto curiosa.

-Meu pai e eu trabalhamos para o Adriano - ele diz e eu o olho surpresa.

-Então somos aliados? - pergunto e ele assenti rindo. O resto da noite, fiquei conversando com Leonardo, e não vi mais Abigail e seu grupo.

-Desculpa atrapalhar, mas eu poderia conversar em particular com você - Abigail perguntou, e logo Leo saiu nos deixando a sós.

-Tava demorando - eu disse revirando os olhos.

-O que você está fazendo aqui? - perguntou brava.

-O mesmo que você! - eu disse e ela riu.

-Sarcástica igual Damon - ela disse e foi minha vez de rir.

-Falando na peste… Conseguiu achar ele? - perguntei realmente curiosa.

-Não se pode achar uma pessoa que não quer ser achada - ela disse e eu concordei.

-Isso é verdade… Mas mudando um pouco do assunto, você não irá tentar alguma coisa hoje? - perguntei e ela riu.

-Por enquanto nada mas quem sabe eu posso te matar - ela disse e se levantou sem dar mais nenhuma informação.

-O que ela queria? - Leonardo perguntou ao voltar.

-Não sei, mas eu irei descobrir - me levantei e fui atrás dela, com Leonardo em minha cola.

-O que você vai fazer? - ele sussurrou visto que estavamos a metros de ser visto por Abigail ou o homem no qual ela falava.

-Silêncio! - levei meu indicador ao sua boca, o calando.

-Podemos sequestrar ela de novo e desça vez ameaçar os amiguinhos dela - o homem disse.

-Não! Sarah é amiga dela, e meu instinto diz que elas estão tramando algo juntas - Abigail disse e eu revirei os olhos.

-Como se Sarah fosse se envolver com uma menininha - o homem disse.

-Não iremos fazer nada porém podemos… - ela parou de falar quando ouviu o barulho de um carro que desparou quando Leo se sentou no capô.

-Quem está aí? - o homem perguntou.

-Leonardo - eu o adverti. Peguei em sua mão e puxei ele, começando a andar para trás nos escondendo atrás de outros carros.

-Já vimos vocês, podem sair - o homem disse e eu sai de trás do carro sendo seguida por Leo.

-Me seguindo, Melzinha? - perguntou e eu revirei os olhos.

-Preciso saber o que você veio fazer aqui - eu disse.

-Fui convidada para doar, assim como você porém podemos fazer outras coisas - ela junto do homem sacaram suas armas apontando as mesmas para nós. Logo fiz o mesmo, e visto que Leonardo não tinha uma, peguei minha reserva e o dei.

-É uma guerra? - perguntei e ela riu.

-Não, mas pode ser - ela disse e logo o homem ao seu lado saiu, nos deixando a sós.

-Ele foi pedir reforço - Leo sussurrou em meu ouvido, e eu vi que era a hora de iniciar uma guerra. Levantei minha mão, a que estava com a arma, e apontei para o céu. Contei mentalmente até três, e quando vi já tinha atirado. Em menos de segundos, eu estava rodeada pelos homens de Adriano e Abigail pelo seus homens.

-Cadê os seus amiguinhos? - ela perguntou e eu apontei com a cabeça na direção em que eles vinham com estilo.

-Chegou a hora! - Troubel comentou.

-O que vocês querem fazer com o cristal? - Nick com sua bravura, perguntou.

-Você tem ideia de quanto custa um cristal desses? - ela pergunta e eu fico em dúvida. Ela disse no plural. 

-Como assim, desses? - eu pergunto e ela me olha tensa.

-Vamos começar logo esse tiroteio - ela diz e eu dou um passo a frente gritando ''não''.

-Tem várias cartas em que devemos colocar na mesa - eu digo e todos concordamos.

-Porque o Garra Negra? - Nick perguntou e logo ela estava distraída respondendo sua pergunta. Puxei Leo para sair dali e assim fizemos, facíl, facíl.

-O que você quer agora? - ele perguntou.

-Vamos procurar por algum vestígio no carro de Abigail, ela disse sobre o cristal no plural, então tem algo errado - eu digo tentando abrir sua Bmw com um grampo.

-E como você sabe que esse carro é o dela? - começamos a ouvir tiros então deduzi que alguns de nós morreria.

-Ela é inimiga eu tenho que saber até a cor da calcinha que ela está usando - eu digo e entro em seu carro após conseguir abrir.

-E você sabe? - ele perguntou me ajudando nas buscas.

-Eu estava brincando, credo! - digo rindo e logo acho alguns documentos. -Isso deve servir - saimos do carro e eu guardei os documentos em uma moita de árvore em que tinha ali.

-Por que fez isso? - Leo perguntou e eu mandei ele ficar quieto, observando tudo em volta.

-Abaixa - digo puxando ele, ao oberservar que alguns homens de Abigail estavam ali.

-Fica aqui, vou pedir ajuda - ele disse e saiu de minha vista. Continuei ali agachada, porém não demorou muito para que eu estivesse cercada por dois homens.

-Perdeu, gracinha - disse um dos homens.

-Eu acho que não - digo e dou uma cotovelada no que estava as minhas costas, o fazendo cambalear. O que estava em minha frente veio para cima de mim e eu chutei seu membro, derrumbando-o no chão, voltei minha atenção para o de trás e antes que ele me desse um soco, consegui dar uma coronhada nele fazendo-o desmaiar; sem que eu percebesse o homem atirado no chão, levantou-se e antes que a bala que ele havia atirado acertasse em mim, me jogaram no chão e olhei-o afim de reconhecer a pessoa que acabará de me salvar.

-C-ca-ameron? - gaguejei.


Notas Finais


look - http://www.polyvore.com/do_you_love_me_fic/set?id=211158951
FALAAA GALEEEEEURA, tudo numa boa?
Demorei, eu sei! I´m sorry...
Acharam q eles ficariam brigados, N-Ã-O !! Só fiz isso para ficar mais dramático do q já é... hehe
ME AJUDEM A ACHAR UM SHIP PARA MELZINHA E CAM... pork agr é OFICIAL, ele vieram e desça veeeeeeeeez é p/ ficar uahsauhsua SPOILEEEEEEEEER!
Comentem, eu gosto de ler os comentários e NÃO esqueçam de me ajudar com o ship. BYE SWEETS!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...