História Do You Remember? - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Amorodio, Bangtan Boys, Drama, Jikook, Jimin!seme, Jungkook!uke, Lemon, Namjin, Passado, Taegi, Vyoonseok, Yaoi, Yoonseok
Exibições 358
Palavras 3.157
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Slash, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oioi!
Mais um cap aqui ó!
Povo meu, muito obrigada pelo amor que estão me dando com essa fic <3

Revisei agorinha mesmo e é isso.
Bora ler?
(*3*)/

Capítulo 19 - Quebra-Cabeças


Fanfic / Fanfiction Do You Remember? - Capítulo 19 - Quebra-Cabeças

 

 

Eu já estava acordado há algum tempo, a claridade incomodava um pouco minhas pálpebras fechadas, por isso nem mesmo me arriscava a abrir os olhos. Senti que tinha alguém abraçando meu corpo, mas não expulsei por que já sabia quem era. Ontem depois que ela foi embora daqui, eu fiquei muito mal, não estava preparado para aquilo; Jimin não saiu do meu encalço e ficou aqui comigo, lembro-me de termos conversado mais um pouco sobre os nossos problemas, mas apenas palavras já ditas.

Estava calor, muito, meu corpo suava então acabei tendo que afastar pelo menos um pouco nossos corpos. Remexi-me percebendo que o espaço era bem escasso e finalmente abri meus olhos, constatando que aquela claridade não vinha de alguma janela, e sim da luz que havia ficado acesa e que por sinal, estava bem acima do meu rosto.

Resmunguei ainda muito sonolento e me levantei, ficando sentado. Estava na sala, e meus músculos reclamantes deixavam claro que tinha sido uma péssima escolha dormir ali, ainda mais com Jimin ao meu lado. Escorei minhas mãos no sofá, dos dois lados do meu corpo, e fiz força para levantar.

Ouviu Jimin murmurar alguma coisa, mas não olhei para trás, fui arrastando os pés até chegar ao balcão que dividia os dois cômodos. A luz da cozinha também estava ligada. É, nós dois definitivamente caímos no sono.

Sentei-me em uma banqueta preta que tinha ali e cocei minhas têmporas, movimentando minha boca que estava bem seca, mas com minha enorme preguiça de atravessar o balcão ela iria continuar assim. Olhei em volta procurando pelo relógio e logo que vi a hora no micro-ondas choraminguei.

Três horas da manhã, eu basicamente fechei meus olhos e deitei no sofá o suficiente para ficar com dor e acordei.

Debrucei-me no balcão me xingando mentalmente por isso ter acontecido. Ótimo, vou dar aula parecendo um zumbi amanhã. Ou será que devo dizer, hoje? Mais uma vez choraminguei, soltando alguns gemidos de frustração, mas acabei dando um pulo de susto ao sentir uma palma deslizar pelas minhas costas.

— Desculpe. — ele pediu vendo que tinha me assustado. Demorei a raciocinar isso, por que fiquei vagando com o pensamento de que eu estava com saudades de ouvir essa voz, de quem acabou de acordar, vinda dele.

— Tudo bem... — respondi ainda sem levantar minha cabeça.

— Oh... Ainda está cedo, ou tarde. De qualquer forma, acho melhor você ir dormir, tem que dar aula amanhã lembra? — ele falou me dando tapinhas fracos nas costas.

— E você não? — perguntei erguendo minha cabeça e realmente me contendo para não babar naquela carinha fofa e toda amassada dele.

— Também, hm, então eu já vou indo... — ele falou coçando a nuca, sem graça enquanto apontava para a porta.

Fiquei um pouco sem jeito por causa disso, não queria que ele fosse embora; queria que ficasse e dormisse comigo, mas não conseguia dizer isso. Digo, não é como se nós estivéssemos juntos de novo, ou fossemos fazer algo a mais, só sentia falta de ter o corpo dele na mesma cama que o meu. Vi ele indo até a porta já com a sua chave em mãos, me levantei da banqueta e respirei fundo. Se eu não dissesse agora, não faria isso depois, me conheço muito bem.

— Onde vai? — sim, essa foi a primeira coisa que pensei em fazer, mas não tem que fazer sentido mesmo então...

— Eu estou indo dormir? — questionou sugestivo.

— Oh, achei que ia dormir aqui. — murmurei, mas sei que ele ouviu.

— Achei que não fosse querer isso. — o vi largar a chave em cima do armário de sapatos.

— Não é como se já não estivesse fazendo isso mais cedo. — olhei para o sofá.

— Ah... — ele pareceu pensar um pouco no que ia fazer, ou dizer e caminhou até o sofá. — Pode me dar uma coberta então? — neguei fazendo ele me olhar confuso.

Caminhei até o outro lado do balcão, finalmente tomando um pouco de água. Deixei o copo em cima da pia e soltei um suspiro sabendo que ele ainda me fitava a procura de uma resposta coerente.

— Não vai dormir aí. — falei, frisando o “aí” para ver se ele entendia.

— Onde então?

Eu revirei os olhos e caminhei em direção ao meu quarto, não sabia se ele me seguiria, mas continuei sem chamá-lo. Quando cheguei, fui direto para minha cama e me enfurnei por debaixo dos lençóis, soltando um suspiro pesado e me perguntando se ele realmente não tinha entendido, e não viria.

Contudo, esse pensamento teve uma resposta quando senti o colchão afundar, o lençol ser erguido e logo em seguida abaixado, deixando ali debaixo mais quentinho. Não demorou muito e tive que conter a vontade de virar quando seus braços não alcançaram meu corpo, mas me satisfiz com o fato de ele estar aqui.

— Jungkook... — ouvi seu sussurro e então senti que ele se aproximou mais de mim. — Está acordado?

Pensei seriamente em não responder e fingir que estava dormindo por que sabia que Jimin certamente queria conversar, continuar falando sobre aquilo. Contudo, resolvi ceder.

— Estou. — falei sussurrando.

Depois disso Jimin não disse mais nada e que eu ​ temia aconteceu, fiquei desconfortável. Sentia que o Park queria me dizer alguma coisa, mas ao mesmo tempo não tinha coragem. Em contrapartida, eu também queria lhe perguntar algo e também não sabia como fazê-lo.

— E agora? — perguntou me deixando confuso.

Resolvi tomar coragem e me virei para ele, vendo que o mesmo se encontrava ainda mais perto do que havia pensando.

— O que quer dizer? — perguntei baixinho juntando uma de minhas mãos ao meu queixo.

— Quero saber sobre nós, Jungkook. Eu e você, como em um relacionamento, sabe... O que vai ser agora?

Olhei em seus olhos, me sentindo afogar naqueles castanhos que agora estavam tão escuros por causa da mínima claridade que um único abajur fornecia. Eu queria ter essa resposta, mas o que dizer? Nós meio que nos resolvemos, até mesmo nos desculpamos, mas ainda parece que falta alguma coisa. O que seria?

— Não sei. — fui sincero. — Eu realmente não sei. Desculpa… — sussurrei o pedido.

— Oh... Tudo bem, eu acho. — ele desviou o olhar do meu e se virou me dando a visão de suas costas.

Senti vontade de abraçá-lo, mas não sabia se seria o certo, ainda mais depois da resposta que tinha acabado de lhe dar. Soltei um suspiro pelo nariz e me encolhi um pouco mais entre os lençóis, esperando que meu sono viesse logo.

 

(...)

 

Quando acordei no outro dia, ele não estava lá, mas de certa forma sabia que isso ia acontecer. Ainda mais quando vi que Jimin não ficou deitado comigo, ele devia achar que eu estava dormindo, mas senti quando me abraçou com força pedindo desculpas mais uma vez, me dando um selar na bochecha; não demorou muito e senti que ele saiu da cama.

Não sei que horas ele foi embora, por que acabei voltando a dormir, mas agora acho que foi naquela mesma hora. Não sei foi por que eu disse aquilo, eu apenas fui sincero, realmente não sei como vamos fazer isso agora. Bom, de qualquer ele tinha o direito de estar chateado comigo principalmente se tiver tido esperanças de que nós voltaríamos de imediato.

Jimin foi à frente, digo, ele não passou em casa e quando sai para ir para o colégio, toquei em sua campainha, mas ninguém atendeu. Estava chegando ao colégio, tinha demorado um pouco mais por que não resisti a um pequeno bolo que tinha em uma confeitaria no caminho daqui, mas agora já estou praticamente na porta do colégio.

Eu sentia o olhar de alguns alunos e funcionários em mim, mas não ligava muito, como Namjoon chegou a me dizer, ficará assim por um bom tempo.

Quando entrei, dois professores passaram por mim, me cumprimentando em respeito, mas algo que eles conversavam me chamou a atenção. “Dizem que a nova psicóloga, a aconselhadora, é bem nova comparada a anterior”. Aquela fala repercurtiu em minha mente tantas vezes que ela chegou a doer.

Por um momento, tinha me esquecido desse fato, de que agora, Shin Hee estava ali também. Oh, isso estava ficando cada vez mais nostálgico. Não sei o que era mais irônico, nós três trabalhando em um hospital, ou ela ser psicóloga dos alunos... Não, o último era definitivamente o mais irônico. Sorri comigo mesmo com esses pensamentos e segui até a sala dos professores.

Quando cheguei lá senti falta de alguns, como Jimin, Taehyung, Hoseok e Yoongi. Vi que Seokjin estava lá e me aproximei do mesmo. Fiquei um pouco sem jeito, já que na única oportunidade para nos conhecermos melhor, eu não estava nem mesmo falando com os garotos. Outra coisa que precisava fazer era me desculpar com eles, principalmente com Taehyung​.

Sorri minimamente e muito sem graça para o professor Jin, antes dei mais uma olhada em volta como se procurasse por eles e cocei a nuca perguntando:

— Ah, viu o Jimin e os outros? — perguntei vendo o loiro cruzar o braço e arquear uma sobrancelha​ como se estivesse desconfiado de algo.

— O que você fez? — ele bufou me deixando confuso, será que Jimin tinha dito sobre a conversa que tivemos antes de dormir?

— Eu… Onde ele está? — perguntei preocupado. Sabia que ele estava chateado, mas eu não tinha feito por mal.

— Por quer saber? — Jin revirou os olhos. — Aish, em pensar que fiquei insistindo pra ele se resolver com você.

— Você o… — fui interrompido.

— Jungkook? — me virei encontrando Namjoon na porta acenando. — Ah… — ele olhou para Jin meio sem graça e voltou a me fitar me chamando com os dedos. — Queria falar com você, mas daqui a pouco vamos ir para as salas.

— Dá para fazermos​ isso no caminho. — falei e ele assentiu, pensei em dizer ao menos um tchau para Jin, mas ele apenas se virou e saiu da sala passando por Namjoon.

Dei de ombros e fui até Nam, o abraçando com força e agarrando em seu braço. Começamos a andar pelos corredores parecendo até que éramos alunos dali. Ele falou algumas coisas sobre como fora o jantar com os pais que, segundo ele, chegaram na noite anterior de surpresa. Mas é claro que Namjoon seguiu o caminho até chegar onde realmente queria, me questionando sobre ontem.

— E então Jungkook? — ele perguntou me olhando sugestivo.

— Yah, não comece com isso! — falei sério, mas logo ri. — Hm, nós conversamos, digamos que eu falei minhas verdades e ele as dele, mas também tivemos uma visita surpresa… — ele me olhou em questionamento. — Na próxima aula nos dois vamos estar vagos, aí conversamos melhor!

Ele concordou me soltando e sussurrando um “boa sorte” já que eu estava indo dar aula pra turma da Jéssica. Dei de ombros e entrei na sala com o sinal tocando junto, eu sentia alguns olhares maldosos e outros curiosos em minha direção, mas não liguei muito, mesmo depois de dias o assunto ainda não estava tão abafado.

— Bom dia alunos! — vi que Jéssica não estava e sorri para todos ali.

 

(...)

 

As aulas do primeiro período passaram rápidas e dei graças ao ver que já estava na hora de ir almoçar, não comi nada de manhã e meu estômago estava gritando. Conversei com Namjoon mais cedo, contei a ele o que aconteceu e, como já havia falado sobre Shin Hee antes, foi fácil para ele entender. Segundo o mesmo, eu poderia desculpá-la, isso se sentisse que estava na hora, mas que devia manter distância.

Perdão não significa que os laços vão voltar a ser os mesmos. Isso não apaga as memórias ruins, e se eu não conseguisse conviver ao lado dela da mesma forma que consigo com Jimin, é por que era melhor assim.

Quanto a Jimin, ele acha que sim, Park estava esperando tudo ficar bem depois de nossa conversa, mas isso tinha que ir aos poucos. Nam me explicou que também achava​ que Jimin havia ficado chateado, mas nada muito alarmante… Encontrei Namjoon no caminho para a cantina e fomos juntos até lá.

Íamos comer juntos com o resto do pessoal e quando chegamos já tinham deixado dois lugares reservados para nós dois. Jimin também estava lá e sorriu fraco me cumprimentando, aos poucos a conversa foi fluindo na mesa, mas tinha algo me incomodando. Ele não falava comigo, eu perguntava alguma coisa e tudo o que ele fazia era sorrir, mas aquele sorriso sem brilho algum.

Eu não estava entendendo, não podia ser possível que só pelo o que eu disse durante a última madrugada, Jimin esteja profundamente chateado. Não, definitivamente não se tratava disso.

 

Narração em Terceira Pessoa.

 

Jungkook tinha razão ao achar que Park estava estranho até porque isso era verdade, mas só não estava certo quanto ao motivo. Jimin estava em uma turbulência interna que apenas Taehyung, com quem tinha falado mais cedo, sabia. Sua cabeça parecia que explodiria a qualquer momento e não conseguia entender o porquê disso tudo, porque ele era assim…

Aconteceu quando estava dormindo com Jungkook, olhando o mesmo de costas e imaginando o quanto queria que voltasse a ser como há alguns dias. Queria ter o mesmo o abraçando, beijando e dizendo que conseguiriam voltar àquilo que eram antes, mas entendia o lado do mais novo e sabia que com o tempo eles conseguiriam isso.

O real motivo que fez com que saísse no meio da madrugada da casa do moreno, foi uma breve, mas ao mesmo tempo avassaladora lembrança que teve. Contudo, ainda estava tentando interpretá-la, queria fazer isso sozinho, mesmo que depois de ter dito ao melhor amigo, o mesmo tenha recomendado que buscasse alguma ajuda profissional.

 

Estava deitado com Jungkook fitando suas costas relaxadas quando um flash rápido veio em sua mente, mas voltou com tudo como se estivesse sonhando.

 Se viu em um quarto um pouco desconhecido, mas tinham algumas coisas familiares nele, como roupas e fotos. Tinha um barulho de rádio tocando ao fundo, era algo muito parecido com música clássica, das que sua mãe ama ouvir. De repente a música parou e ouviu passos se aproximando, foi  estranho e ao mesmo tempo assustador.

Três batidas foram deferidas contra sua porta, e logo em seguida ela foi aberta revelando seu pai, atualmente morto, mas que parecia bem saudável ali. O homem trazia consigo uma xícara negra e Jimin podia jurar ser chá ou café já que saía uma fumaça densa de dentro dela.

— Ei! Vim de perguntar uma coisa… — Jimin se viu sentar na cama e fitou o pai que tinha uma expressão acusatória.

— O que houve? — sua voz saiu sem comando.

— Você não anda com aquele Jungkook filho do diretor, não, certo? — seu pai o fitou repreendedor.

— E se eu andar? — questionou.

— Não fique próximo daquele tipo de pessoa que deve envergonhar a própria família! — seu pai gritou. — Hah! Gay, ele é não devia fazer coisas tão sujas e pecaminosas… Não me faça repetir isso, se eu ver você perto de alguém tão nojento, se verá comigo!

Sentiu-se horrorizado com aquelas palavras, mas sua reação foi totalmente contrária da que estava sentindo.

— Acha mesmo que me misturaria com aquele tipo?

 

Depois do almoço Jimin teve que ir até a secretaria para entregar algumas provas, no caminho ouviu alguns professores comentando sobre a nova psicóloga do colégio, ele havia escutado um pouco da conversa dos dois na noite anterior e sabia muito bem quem era essa nova conselheira do colégio. Tinha dado Graças por não ter esbarrado nela durante o dia, mas sabia que isso poderia acontecer a qualquer momento e pelo visto, foi mais rápido do que poderia ter previsto.

Shin Hee estava vindo em sua direção saindo de uma sala, ela sorriu meigamente para si enquanto também acenava para alguns alunos, queria tanto saber o que tinha acontecido entre os dois... Não era por vontade de querer lembrar-se do namoro com ela e sim o motivo disso, era impossível que só porque tinha perdido a memória que ele tinha deixado de sentir atração por mulheres…

De repente, algo aconteceu, sua visão pareceu falha e teve que piscar várias vezes esperando que tudo voltasse ao normal, mas isso não acontecia. Aos poucos tudo foi ficando cada vez mais escuro, seus olhos pesaram e teve que se apoiar para não cair com tudo não chão.

 

Estava no mesmo corredor de antes, mas os alunos não pareciam ser os mesmos. Passou por uma janela e viu sua imagem refletida nela, os cabelos ruivos bem penteados e o uniforme justo que não parecia lhe cair muito bem. Estava com uma mochila pendurada em um dos ombros também, ela parecia pesar um pouco.

Alguém passou por si puxando seu braço com força, era um garoto que nunca tinha visto na vida, ou tinha… Enfim, foi arrastado até a sala de aula onde vários alunos conversavam empolgados. Havia um túmulo silencioso ali, próximo a janelas; os alunos pareciam espiar alguém e sussurrar coisas engraçadas já que via seus sorrisos, mas estes eram estranhos, pareciam maldosos.

Mesmo sem querer seu corpo foi em direção ao tumulto ganhando uma rápida passagem entre todos, correu os olhos para visão de alguém ou algo no jardim e parou em uma figura muito bem conhecida, porém mais juvenil. Era Jungkook sentado em um banco ao lado de Shin Hee, os dois estavam rindo e conversando sobre algo que logo descobriu o que era.

— Aish, Park Jimin deveria ser um elogio, tipo… Você está tão Park Jimin hoje. — o moreno falava entretido enquanto comia seu lanche. — Sério como alguém pode ser tão lindo?

— Se você diz… — Hee disse sem muito interesse. — Não para de falar desse Jimin, cuidado Kookie as pessoas vão pensar que está apaixonado.

— E não estou? — sentiu seu coração disparar, o que era aquilo, porque parecia que esse sentimento não era… Atual? — Ele é meu sonho de consumo, e não digo isso como se estivesse em uma paixonite pelo playboy do colégio, eu realmente sou louco por ele… Sabe, queria poder passar meus dias deitados ao lado dele, com nossos corpos esquentando um ao outro e…

— Certo Jungkook, já chega! — Shin se levantou e Jimin pôde jurar que ela tinha olhado e sorrido rapidamente para a janela, mas antes que pudesse fazer algo à visão daquela janela lhe levou a outro lugar.

Num piscar de olhos estava do lado de fora, olhou em volta e tudo parecia o mesmo, exceto pelas flores agora secas. Ouviu algumas risadas e logo em seguida seu corpo se moveu indo em direção à porta principal. No meio do caminho olhou para o lado de dentro e viu Jungkook ali, sendo derrubado e apanhando de outros alunos. Queria muito ir lá, mas seu corpo simplesmente não fazia isso; mesmo que sentisse que em seu interior algo gritasse para ajudar Jungkook ainda permanecia sem fazer absolutamente nada.

Queria gritar para que parassem de machucar Jungkook.

Queria ir lá ajudá-lo.

Queria ao menos não ter que se esconder atrás de uma parede ou janela. Por que sentia que algo dentro de si não queria aquelas coisas, porque sentia dor.

 


Notas Finais


E então gostaram?
Espero que sim <3

Povo meu, eu sei que ia postar na semana passada, mas acabei apagando o capítulo por que não tinha curtido ele, sorry... Então, eu resolvi não deixar uma data certa pra att, por que assim não deixo vocês morrendo na esperança de ler, não me pressiono (o que não e bom) e assim posso fazer as coisas com mais calma, pode ser que saía cap dentro de uma semana? Sim, como também pode sair com duas ou três, prefiro fazer assim do que tentar me empunhar algo que não consigo segurar <3 Espero que entendam...

Mas agora, vamos falar de coisa boa, vamos falar de PWP!
Então, eu e a Ester (TodynhoDoJimin2) fizemos uma, leiam com gostinho <3
https://spiritfanfics.com/historia/toma-me-8992340

É só isso mesmo <3

Até o próximo!


BEIJÃO *3*/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...