História Doa-se amor - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Avenged Sevenfold
Personagens Johnny Christ, M. Shadows, Synyster Gates, The Rev, Zacky Vengeance
Tags Muito Drama
Visualizações 26
Palavras 1.516
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Gente sempre quis uma Fic assim meio dramática mas nunca pensei em escrever realmente é nossa escrever pelo celular da um trabalhão e tipo espero que gostem estou super me dedicando a isso... beijocas

Capítulo 1 - Quando tudo começou


Fanfic / Fanfiction Doa-se amor - Capítulo 1 - Quando tudo começou

Olá meu nome é Jasmine Libra e eu tenho 14 anos.. Moro com meus pais... Na verdade, apenas com minha mãe, não considero aquele monstro meu pai.. Moramos na Califórnia, não pensem que é o paraíso, na minha realidade o paraíso esta muito longe dessa droga de vida.. Mas olhem pra mim nem mesmo me conhecem e ja estou reclamando, meu 6 mais novo vive me falando isso. Que eu reclamo demais o nome dele é Chris e ele e lindo... Loirinho com seus olhos azuis, um anjo, tem dez anos..

 

Agora me deixe falar um pouco mais sobre mim, eu mal vou a escola, apesar de ser muito inteligente tenho que trabalhar para ajudar minha mãe com os afazeres de casa, meu pai chega bêbado todos os dias e desconta em nós duas.. Meu irmão e o filho querido dele, apenas por que tem um pênis. Minha mãe sofreu muito quando eu nasci.. Ela me contou que ele odiou o fato de ter filha mulher, ele sempre me odiou e me batia mesmo quando eu era menorzinha, tentou me matar algumas vezes, mas consegui escapar a tempo. Só voltei para essa casa por causa de minha mãe que precisa de mim, se não eu juro que iria sair pelo mundo.

Eu estava na cozinha esfregando o chão sujo de vômito que aquele desgraçado causou na noite anterior, tem mais dois homens estranhos na sala junto com ele, até que escuto sua voz e sinto meu estomago embrulhar apenas de ódio.

- Jasmine! Traga logo minha cerveja! - Mas que merda justo agora aquele maldito homem me chamando lá da sala.

-Levanta essa maldita bunda e vá pegar! - Desafiei a morte novamente, não sei como minha mãe tolera esse verme maldito.

Escuto seus passos pesados vindo em direção a cozinha, evito olhar para ele, mas eu já sabia o que estava por vir. Senti suas mãos grandes me erguendo e me pondo contra a parede.

- O que pensa que é para me desafiar dessa maneira na frente dos meus amigos? - Ele estava quase apertando meu pescoço..

Seth era o nome dele, ele é alto e musculoso, tem tatuagens pelo corpo inteiro, vive traindo minha mãe com essas vagabundas de esquina...

- Me solte... - Respondi me debatendo contra seu corpo, mas todas as tentativas eram em vão... Seth e alto e forte demais pra uma garotinha de 14 anos.

Ele me soltou e riu da minha cara.

- Você nunca vai aprender não é mesmo sua vagabundinha... É igual a mãe. - Riu alto.

- Seu lixo! - Gritei e cuspi em seu rosto.

Em meros segundos eu já me encontrava no chão, e o cheiro de sangue impregnou em meu nariz.. Ótimo, mais uma marca roxa, o infeliz me acertou em cheio com um tapa de mão virada.. Se eu ia chorar? Claro que não, pelo menos não na frente dele. Então ele saiu da cozinha sem dizer mais nada. Terminei de limpar e fui para o meu quarto, preciso de um banho e de uma boa conversa com alguém que me entenda.. E eu sabia perfeitamente onde encontrar essa pessoa. No bar do Roy!

Me despi completamente e me observei no espelho, marcas roxas em minhas pernas e nos braços, pálida, não me alimentava corretamente a dias.. E agora essa nova marca em meu rosto, ah como eu te odeio Seth... Se eu pudesse eu juro que me livrava de você de uma vez por todas. Não consigo explicar o tamanho do ódio que sinto por você seu monstro!

Fui para o banheiro e liguei o registro ate que a agua ficasse quente, em seguida tomei meu banho.

xXx

Já se passava da 00:00 eu estava sentada em minha cama esperando Seth ir dormir para mim poder pular a janela tranquilamente. Ate que finalmente todas as luzes se apagam e o barulho cessa! Perfeito ele está super bêbado e capotou na cama.

Abri minha janela lentamente, estava muito escuro, senti meu coração acelerar e minhas mãos ficaram geladas, eu estava soando frio e isso me atrapalha em muita coisa, mas que droga eu já fiz isso tantas e tantas vezes, por que isso agora? Por que essa sensação de medo?

Pulei a janela e cai de bunda no chão, isso vai me atrapalhar também como sou uma bixa tansa mesmo. Levantei-me com dor no ossinho da bunda e fui andando lentamente ate chegar na esquina que dava acesso ao bar. Eram pelo menos 300 metros de distância. Eu não sei nem com que cara de pau irei entrar lá dentro, sou de menor... Mas enfim eu posso dar um jeito nisso!

- A bonequinha está perdida? - Senti meu corpo estremecer, estava a frente de um beco escuro, que nem mesmo a luz da lua era capaz de iluminar seu rosto. Sua voz rouca e ao mesmo tempo suave, Dean tinha seus 15 anos, apenas um ano mais velho que eu e já vivia pelas ruas, já sabia como lidar com os adultos e sair de encrencas...

Eu estava usando jaqueta cinza com um capuz na cabeça. Calça Jeans e all star.

- Que milagre você fora do bar. - Respondi ficando mais calma.

- Se veio ate aqui é por que quer alguma coisa, estou certo? - Perguntou e andou em minha volta me olhando dos pés a cabeça, como se fosse ver algo no escuro.

-Sábio como sempre, devo admitir. - Respondi quando ele parou de olhar e ficou de costas pra mim.

- Apenas quero conversar...- Respondi e o segui em passos lentos.

DIAS ATUAIS

Nunca imaginei que ali se daria inicio a uma longa historia, que tudo que iria acontecer daqui pra frente iria afetar muito a vida de minha filha, que minha garota iria passar por tudo isso, e vai ter uma vida difícil pela frente...

- Meu amor me perdoe por tudo o que você vai ter que enfrentar daqui em diante... - Falei aos soluços, minhas lagrimas grossas caiam por cima de seu rostinho rosado, ela estava dormindo, tão serena, quero guardar essa imagem pra sempre!

Estava sozinha em casa, com meus recém 17 anos, havia engravidado depois que comecei andar com Dean e seu grupinho de amigos, uma bandinha de rock da Califórnia, mas me envolvi com alguns deles... Está certo eu fui uma piranha e transei com todos, mas que culpa tenho se eles são maravilhosos...

Mas agora não ha tempo para historias passadas, Seth está atrás de mim tem alguns meses e hoje ele finalmente me encontrou, eu vejo todas as coisas laranjadas do lado de fora, esta pondo fogo na casa, eu e minha filha não temos para onde ir..

Corri as escadas e coloquei Mel em seu bercinho, procurei rapidamente um papel e uma caneta, escrevi uma carta e coloquei em baixo de sua roupinha...

-Saia logo sua vagabunda!- Escutei Seth gritar.

Ouvi o vidro da janela se quebrar, era uma garrafa com álcool tinha um pano em volta e estava pegando fogo... Atingiu o berço onde Mel estava, as chamas se espalharam rapidamente. Peguei Mel no colo, ela estava chorando muito, isso me matava por dentro.

Deus por favor me de uma luz!

Pedi em meio a rios de lagrimas.

Tem uma saída pelo sótão! Puxei a corda no inicio do corredor e a escada despencou, subi rapidamente com Mel em meus braços.

Corri. Corri. Corri... Já não tinha forças em minhas pernas, meu folego estava acabado, já sentia dor ao respirar, Mel continuava chorando...

-Shhhh meu amor... tudo vai ficar bem... - Disse baixinho soluçando.

Cai de joelhos no chão, tudo doía.. Deus faça sua vontade... Pedi com um fio de voz. Olhei para o horizonte e avistei uma igreja, não muito grande, mas estava de portas abertas... Tirei minha jaqueta e envolvi Mel que não parou de chorar um minuto se quer. Deixei sob a porta da Igreja com uma enorme dor no peito, minha pequena tem só 7 meses e já esta passando por tudo isso...

Reli a carta novamente, coloquei seu nome, nenhum sobrenome, e a data de nascimento.

- Que Deus me perdoe.. -

16 ANOS DEPOIS

 

Mel se tornou uma bela jovem porém amedrontada medrosa e muito quieta, após ser deixada por sua mãe em frente a igreja por sorte havia um padre no local que de imediato acolheu a pequena criança, consigo havia uma carta com o primeiro nome e a data de nascimento. Mel teria uma vida difícil dali em diante desde criança sofreria as consequências do passado de sua mãe. Mas ainda havia uma esperança teria de encontrar seu pai, e como saber quem é seu pai quando a única coisa que se tem e o nosso próprio nome.

 

 

 

 

 

 

As coisas começam se encaixar quando Dean um ex amigo de sua mãe a adota as chances dele ser seu pai são grandes mas ele não foi o único homem que se envolverá com sua mãe, também temos uma famosa banda de rock que ultimamente está em alta o Avenged Sevenfold, mas isso Mel descobriria com o passar do tempo!


Notas Finais


Ai gente é apenas o primeiro capítulo espero que gostem e se gostarem comente e se nao gostarem comentem também por favor beijos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...