História Doce Amargo - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer, Little Mix, One Direction, Zayn Malik
Personagens Ashton Irwin, Calum Hood, Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Luke Hemmings, Michael Clifford, Niall Horan, Perrie Edwards, Zayn Malik
Tags Amor, Dor, Superação, Traição
Exibições 44
Palavras 2.439
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


-->Não vou vir aqui e ficar dando desculpinhas. Não estava postando por conta de problemas pessoais, espero que me entendem.
-->Se alguém ainda for ler, cometem por favor, não tenho direito de pedir nada, mas só que nem sei se vocês ainda vão está aí.
-->Esse capítulo me deixou na Bad hahah!
-->Escutem a música This Towm do Niall Horan ♡, achei muito boa para o capítulo ou Rise Up da Adrea Day.

Capítulo 6 - Capítulo 5.


Fanfic / Fanfiction Doce Amargo - Capítulo 6 - Capítulo 5.

Point Of View: Narrador.

Moment Zayn Malik.
-Por favor Gigi?- Zayn dizia pela décima vez, e deu um suspiro alto e frustrado, fazia mais ou menos duas horas que ele tentava convencer Gigi de que ele precisava está perto para acompanhar a gravides de Perrie. E para isso ele teria que se mudar para perto dela, porque ela não queria se mudar para mais perto dele. Como sempre Perrie a complicar tudo em sua vida.
-Zayn eu não vou mudar – me com você para New York. Eu morro aqui, minha vida está aqui. E não mudaria por causa da sua ex que está fazendo de tudo para complicar a sua vida.- Disse Gigi com a voz pingando veneno.
-Eu sei disso Gigi, eu estou impossibilitado de fazer algo quanto a isso.- Zayn diz por fim já cansado daquela discussão.
-Zayn você ao menos sabe se esse filho que a Perrie espera e seu mesmo!- Disse Gigi agora com a voz alterada.- Você poderia pedir um teste de DNA.- Finalizou.
-Eu conheço a Perrie, Gigi ela poderia ser tudo menos mentirosa.
-Mas você não sabe se são mesmo, se você fizer o teste e dê positivo eu farei questão de mudar-me para New York com você- Gigi falou.
Zayn ficou a pensar, realmente Perrie apenas disse que era dele, mas e se não fosse? Ele já tinha decidido, ele iria pedir o teste de DNA para Perrie. Zayn só não fazia idéia de quanto ia machucar Perrie novamente. Ele não percebeu mas Gigi o abraçou sorrindo pela suas costas.

Casa de Perrie Edwards.

Quando Zayn chegou a casa de Perrie parou na porta e respirou fundo, ele não estava certo do que iria fazer, mas sabia que para Gigi ir morar com ele em New York ele tinha que pedir isso a Perrie. Tocou a campainha já decidido ir direto ao assunto, mas quando Perrie abriu a porta Zayn perdeu sua linha de raciocínio, ela estava com seus cabelos como fios de ouro esvoaçantes com o vento que soprava neles, Perrie se encontrava apenas com uma calça folgada e um top a apertar seus seios fartos, e sua barriga que já estava bastante protuberante livre de qualquer roupa. Perrie estava linda, ele não tinha palavra para descrever o quanto estava encantado por ela. Mas logo fez esses pensamentos se dissiparem de sua cabeça.
-Quero conversar algo sério com você!- Falou e Perrie deu um pequeno sorriso a ele, ele não conseguia entender como Perrie era tão gentil, ela deu espaço a ele e o mesmo entrou na grande casa.
-Você quer algo? Uma bebida um café?- Perguntou a pequena garota loira.
-Não!- Zayn respondeu rude, mas logo após ver o que tinha feito, tentou consertar.- Quero apenas conversar logo com você.- Finalizou.
-Tudo bem, senti-se- Disse ela apontando para o sofá.- Pois não Zayn, diga o que quer!- Perrie foi direta mas em momento algum deixou a doçura fugir da voz.
-Apenas quero lhe dizer que você falou que os bebês eram meus, mas Perrie eu não tenho certeza disso.- Falou ele jogando as palavras ofensivas. Perrie fez uma careta.
-Zayn você está a desconfiar da minha palavra?- Perrie falou com mágoa evidente na voz.
-Perrie me entenda, você apenas falar não prova nada- Zayn tornou a falar sem se importar se estava a magoar Perrie mas uma vez.
-Zayn eu nunca pedir a você que assumisse meus filhos- Perrie falou alterada, Zayn poucas vezes viu Perrie daquela forma, suas bochechas se encontravam coradas pela raiva.- Se você não se lembra foi você que veio atrás de mim para perguntar-me quem era o pai dos bebês, eu não teria porque fazer isso, tentar lhe enganar, porque se você não lembra quem fugiu de você foi eu!- Perrie se levantou e fez uma careta colocando a mão em cima de sua barriga. Logo se apoio no sofá com a outra mão.
-Perrie para de cena- Falou Zayn com uma voz tranquila- Você está querendo fazer eu me sentir mal? É isso?- Perrie nada respondeu apenas fez outra careta e foi para a cozinha fazendo Zayn segui-lá, Perrie chegou no balcão alto da cozinha e começou a mexer dentro de uma pequena cesta tirando uma cartela de comprimidos de dentro destacando um e tomando logo em seguida. Zayn olhava para ela com os olhos vazios e sem um pingo de emoção, Perrie sentia uma dor tão grande em seu coração em ver que ele não tinha um pingo de compaixão pelo estado dela, Perrie as vezes se perguntava o que ela tinha feito para sofrer tanto desprezo assim pelas pessoas que ela amava, mas ela as poucos só via que as coisas só mudavam para pior, mas isso nunca faria Perrie mudar quem ela era, ela tinha feito essa promessa a se mesma. Quando ela se virou para Zayn ela tinha os olhos cheios de lágrimas ainda não derramadas, sua rosto estava  retorcido em dor, mas não uma dor física e sim emocional.
-Olha Zayn eu tentei tanto, mas tanto sabe, entender esse ódio que sente por mim, mas eu parei de tentar entender e só aceitar, mas eu não sou obrigada a passar por isso, você vem na minha casa e me acusa como se eu fosse uma golpista barata, eu nunca pedir-lhe para assumir meus filhos, porque eu sei que sou capaz de dar amor a eles sem precisar de você para nada, agora eu quero que você saia da minha casa, porque eu não farei merda nenhuma de teste de DNA, se você acha que os filhos não são seus, eles não são, fique tranquilo com isso e vá viver sua vida de majestade.- Ela finalizou com um soluço que escapou sem querer, e virou-se para Zayn não ver mais daquela humilhação.
-Você está se recusando a fazer o teste?- Ele disse.
-Eu já disse que você não precisa assumi-los, já que esse é o seu problema- Perrie gritou dessa vez. Se apoiando na geladeira.
-Perrie você está bem?- Zayn perguntou dessa vez, ele realmente começou a se preocupar, no lugar de bochechas coradas como estava ainda a pouco elas estavam brancas como cera, e sua respiração estava muito ofegante.
-Não, eu estou  fazendo cena- Ela disse levantando a cabeça e falando ironicamente. A campainha tocou e Perrie correu para atender, tentando se livrar de Zayn, mas quando abriu a porta logo se arrependeu, preferia ter ficado na cozinha com Zayn.
-Mãe?- Ela falou em um fio de voz.
-Mãe? É isso que você me fala depois de meses?- Sua mãe entrou sem permissão alguma em sua casa, logo encontrou Zayn saindo da cozinha.
-Você não tinha terminada com esse garoto?- Ela virou-se para Perrie, e parece que pela primeira vez a mesma prestou atenção na barriga pontiaguda da garota.- Você está grávida?- Até o exato momento Perrie se encontrava lívida, sem pronunciar palavra alguma.
-Como você achou-me?- Foram suas primeiras palavras.
-Isso não importa, mas quero saber como você ousa parar de mandar dinheiro, sem dar-me satisfação alguma.- Terminou da falar a mulher de forma superior, Deborah Duff era uma mulher extremamente bonita e elegante, apesar da idade de 43 anos, as pessoas lhe dariam 30 no máximo, sua pele alva e sem rugas a fazia parecer mais nova do que realmente era, a mesma sempre estava com vestidos caríssimos e saltos altíssimos que lhe davam um ar de socialite, o que realmente era, ela não precisava de dinheiro algum da mão de Perrie mas era uma mulher ambiciosa.- E você está grávida- Desta vez ela estava a afirmar.
-Eu não devo-lhe satisfação alguma da minha vida.- Perrie falou como nunca tinha falado com sua mãe. Hoje o dia estava cheio de surpresas, tanto Zayn como Deborah ficaram espantados com tamanha raiva presente na voz de Perrie.
-Como você ousa me afrontar desta forma?- Deborah perguntou-lhe de forma seca. Zayn olhava tudo de longe sem pronunciar palavra alguma.
-Como você ousa vir na minha casa e ofender-me deste modo, eu não sou seu banco Deborah e deixei de ser aquela pequena garota indefesa.- Falou entre dentes. Desta vez Perrie sentiu uma pontada mais forte em seu ventre e sua visão ficou turva, ela colocou as duas mão em seu ventre e soltou um grito, antes de Perrie cair no chão Zayn já estava ao seu lado segurando-lhe e foi nesse momento que ela se entregou para a escuridão.

Point Of View: Perrie Louise Edwards.
Eu sentia como se tivesse em baixo d’agua, sentia tudo mas não podia fazer nada, ouvia alguns sussurros mas não distinguia as palavras corretamente, tentei abrir meus olhos mas parecia não ter forças o suficiente, de um certo modo era desesperador, tentei mas uma vez e a única coisa que consegue foi ver a escuridão me abraçando mais uma vez.
                             ♠♠♠♠♠♠♠
Despertei com uma luz forte em meu rosto, logo fechei os olhos com a dor que senti em minha retina, ao abri-los novamente minha visão se adaptou, vi de primeira uma luz branca, em seguida olhei para o lado e vi Zayn no sofá do lado do meu a me observar, com esse ato tomei um pequeno susto.
-O que aconteceu?- Perguntei e sente minha voz sair rouca.
-Você desmaiou depois da briga que teve com sua mãe e te trouxemos as pressas para o hospital.- Ele disse com a voz calma.
-Os bebês estão bem?- Falei com um desespero aparente em minha voz, levantando de uma vez da cama de hospital, colocando as duas mãos em meu ventre.
-Estão sim, o médico logo  falará com nós.- Ele disse sem demostrar sentimento algum. Soltei um pequeno suspiro de alívio.- Seus pais estão lá fora aguardando notícias-  Disse Zayn e parecia que ele esperava uma reação negativa porque ele falou de forma hesitante.
-O que eles querem comigo? Eles não se importam!- Falei.
-Não sei, mas você não pode se alterar, você quase me deixa maluco Perrie, porque você não me falou que estava  passando mal?- Ele perguntou de forma abrupta.
-Zayn eu falei, mas para você eu estava apenas fazendo cena.- Disse de forma delicada.- Não quero mais falar sobre isso.- Disse por fim. Logo após isso a porta foi aberta em um rompante e meus pais passaram por ela, como sempre exalando elegância.
-O que você tem na cabeça garota?- Falou minha mãe se aproximando da cama hospitalar.
-Você, não se aproxime dela- Disse Zayn de forma assustadoramente fria, e Deborah parou no meio do seu caminho.- Você fez ela passar mal, e parece não se importar de fazê-lo novamente.- Finalizou ele. Eu olhava para tudo aquilo sem reação alguma, era a primeira vez que Zayn tomava uma atitude assim por mim.
-Como se você se importa-se com ela- Pela primeira vez meu pai falou naquele quarto de hospital com sua voz extremamente grossa. Novamente a porta abre, dessa vez passando por ela o médico dando por fim no assunto, fazendo-me da um suspiro de alívio, já estava cansada de tudo aquilo.
-Senhorita Edwards? Como se encontra agora?- Perguntou-me o médico delicadamente.
-’ bem Doutor, mas o que houve?- Ela perguntou.
-Todos aqui sabem da sua condição correto?- Perguntou o Doutor.

Point Of View: Narrador
A pequena garota loira fiquei extremamente pálida, sem saber o que responder. Mas uma voz só fez tudo ficar ainda pior.
-Que condição?-  Disse Zayn deixando a curiosidade aparente em sua voz.
-Seus familiares não sabem o que você sofreu?- Perguntou o médico novamente, mas desta vez ele se encontrava estupefato.- Você não é mãe dela?-Disse apontando o dedo para Deborah Duff.
-Sim Dr.- Fez uma pausa olhando em seu crachá- ...Lewis, Albert Lewis, por que a pergunta?-
-Sua filha tem uma condição tão raro quanto extremamente delicada- Disse.
-Que condição?- As três pessoas no quarto perguntaram de uma só vez, encarando Perrie diretamente.
-Eu...- Ela começou a gaguejar sem saber o que falar.
-Eles tem que saber querida, você sabe disso.- O Dr. Lewis falou com afeto na voz.
- Eu quando tinha 9 anos...- Falou e fez uma pausa logo em seguida para passar a mão em seu ventre como se estivesse a pedir força para os seus pequenos.- Eu, Deborah e Louise sofremos um acidente, você se lembra não é mesmo Deborah?- Perrie fez a pergunta porém não deixou a mesmo responder logo continuou.- Quando nós sofremos o acidente de carro eu tive que ir para o UTI, não sei se vocês se lembram porque não foram visitar-me, porque estavam muito procurados com minha irmã, então durante esse tempo eu sofri várias paradas cardíacas e tive que fazer diversas cirurgias no coração, por canta do impacto que o carro sofreu  e foi todo para o meu lado, nesse tempo era a vovó que cuidava de tudo, como ela via que vocês não se importavam resolveu não lhes falar nada. Depois de uma mês eu conseguir sair do estado crítico em que me encontrava- Perrie parou e fez uma pausa lembrando da pior época de sua vida, lágrimas encheram seus olhos, nessa época o único desejo que ela tinha era de morrer.- Mas eu teria que fazer uma tratamento para tentar sobreviver melhor, fiz durante seis meses e tive que tomar remédios fortíssimos, lembro-me de uma vez que eu fui a tarde para o tratamento e quando eu cheguei a Deborah me bateu porque eu tinha esquecido de buscar minha irmã na escola, e eu fiquei cheia de marcas roxas, e quando eu cheguei no outro dia no consultório do meu médico eu tive que implorar a ele para não denunciar a Deborah e nem falar para vocês que eu tinha uma condição rara de doença por conta do acidente. Então quando eu completei 14 anos o Dr. Lee me deu a notícia que eu nunca poderia ter filhos- Perrie falava tudo olhando para a janela do quarto o dia já estava se findando, então ela olhava diretamente para o por do sol, ela deu um riso amargurado enquanto secava mais e mais lágrimas que insistiam em cair.- Porque meu coração não aguentaria na hora do parto, se eu engravidasse teria que escolher entre eu ou meu filho, e que a chance de sobreviver os dois eram ínfimas.- Ela disse.
-Quanto por cento?- Pela primeira vez Zayn se pronunciou.
-Muito pequena- Ela respondeu ainda sem olhar para ninguém presente naquele quarto, onde todos se encontravam estáticos.
-Quanto por cento?- Ele repetiu a pergunta desta vez dando ênfase em cada palavra.
-4 por cento. – Disse.

"Acordo para te dar um beijo, mas não há ninguém, o cheiro do seu perfume ainda está preso no ar é difícil." -This Town-
       - Niall Horan-



Notas Finais


-->O que acharam?
-->Me perdoam?
-->Tô um pouco desanimada com a fic, mas vou continuar por vocês, amo vocês, beijos da Maju!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...