História Doce Armadilha - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Hopev, Menção Hopekook, Menção Namgimin, Seoktae, Taeseok, Vhope
Visualizações 117
Palavras 1.192
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Demorei, mas eu cheguei

Capítulo 4 - Doce alfa


Fanfic / Fanfiction Doce Armadilha - Capítulo 4 - Doce alfa

TaeHyung estava cheirando o Jung, este que bem corado e que não sabia o que fazer e nem muito menos o que dizer, mas estava se deixando ser cheirado pelo alfa, já que este era seu marido e que tinha plenos direitos daquilo. Mesmo que aquilo o deixasse constrangido, já que além de ser a primeira noite, não achava que era um ato muito educado vindo do outro, mas não tirava sua razão, nunca faria isso. E aquele ato servia, – mais do que nada – para constatar se ele ainda era puro, se tinha se doado para o outro alfa, este que estava de pé ao lado da cama, acompanhado por dois guardas. Caso este houvesse corrompido o novo rei seria executado. Isso estava preocupando o Jung, mas ele tinha sua mente limpa, nunca fizera sexo com ninguém e TaeHyung seria o seu primeiro e ele esperava que o único. Sim, ele esperava isso. Queria ser feliz no seu casamento.

 

Tão limpa que quando o marido terminou de cheirá-lo já estava constatado que ele puro, mas que o seu cio estava se aproximando e que por isso mesmo o cheiro doce e envolvente estava até chegando as narinas dos dois guardas alfas. Estes que estavam um pouco incomodados e a beleza do ômega também não facilitava muito as coisas, ele chamava muita atenção. TaeHyung percebeu isso e rapidamente dispensou eles, assim como avisou que JungKook seria intimado para uma conversa. Isso depois que ele conversasse devidamente com seu marido. Este que o encarava com uma face um tanto quanto retorcida. Mas sabia que devia explicações ao mais velho e por isso desmanchou aquele bico que sustentava. Tinha de contar tudo a TaeHyung, não podia continuar com tudo, tinha de lhe confessar suas manias e ser o mais sincero que pudesse ser.

 

– Agora você vai me contar o porque de ter ido dormir com ele? – TaeHyung dizia com um pesar na voz. Achou que realmente pudesse ser feliz com o seu ômega e que isso seria apenas questão de tempo e que logo estariam se amando juntos. Era o que ele mais queria, ser do seu ômega assim como ele queria ser inteiramente dele.

 

– Eu não sei se você vai entender. – disse com um suspiro longo e o alfa franzio o senho. O que poderia ser? Ele era bem compreensível não era?

 

– Diga, vamos tentar! Estamos casado e pelos céus, passaremos anos e mais anos juntos. Tem de haver confiança, amor e reciprocidade. – ele respirou fundo e quis não passar uma imagem de alfa emotivo, mas ele era assim. Mas não choraria na frente de HoSeok, não agora. Isso seria algo que ele queria fazer sim, mas mais a diante. Queria chorar em seus braços. – Eu não estou dizendo que o amor vai nascer da noite pro dia e que nós vamos ser felizes para sempre, mas eu quero pelo menos tentar. Quero tentar te fazer bem feliz e que possamos ter algo parecido com uma família. – TaeHyung enxugou as pressas uma lágrima que escorria do seu rosto e HoSeok suspirou.

 

– Eu não te trai. Eu não amo o JungKook assim. – respirou fundo. – A questão é outra. – o Jung abaixou a cabeça e o Kim se aproximou, levantando a mesma e fazendo com que ele encarasse a si nos olhos.

 

– Eu sei que não, mas o que seria? Porque não me conta? Porque? Podemos tentar, não podemos? É algo comigo? Eu não sou suficiente? Não sou... – dizia um tanto quanto descontrolado, mas o ômega apenas balançava a cabeça em tom negativo. – Então o que é?

 

– O problema é comigo. É algo meu que eu não consigo contar e nem praticar com ninguém mais. – estava um tanto quanto freado e seu aroma era de puro medo e receio. TaeHyung sentia isso e aquilo estava se fazendo mal. Não era isso que ele queria. Ele sentia a necessidade de ter do outro o melhor e se o pior viesse, que suportassem juntos.

 

– Me conta o que é? Por favor? Eu posso tentar me adptar, fazer algo para que tudo possa ser legal para mim e para você. Mas por favor... Deixa que eu entre na sua vida aos poucos. Eu preciso... – TaeHyung fora interrompido.

Interrompido com um beijo que seu ômega estava lhe dando eu qual surpreendente para si fora sentir os lábios doces e mornos daquele ser lindo sobre os seus e ele nem sabia se podia tocá-lo ou não, por isso manteve suas mãos abaixadas na lateral do corpo, um pouco trêmulo pela onda de sensações que estavam lhe atingindo. Enquanto isso sua boca fazia festa em contato com a do outro, aqueles lábios doces conversavam com os seus de uma forma melodiosa e firme, a língua alheia buscava a sua e as duas dancavam em sincronia, com um jeito mais do que embriagante e o alfa nem suspeitava que aquilo seria sim, o seu mais novo vício.

 

O Jung sentia o corpo inteiro sofrer arrepios enquanto apreciava o cheiro forte e confortante do alfa que estava a sua frente, este que estava lhe beijando com um cuidado e com uma calma tão grande que isso ao invés de lhe passar amor e carinho estava lhe excitando ainda mais. Taehyung parecia ser um submisso, apesar de ser quem o foderia forte e aquilo estava o deixando completamente louco. Um desejo enorme lhe subiu o corpo e ele se viu pegando as mãos grandes do alfa e levando até a sua cintura, assim como ele entrelaçou os braços ao redor do pescoço do alfa, este que arfava e que parecia estar nas nuvens.

 

O beijo teve fim assim que o alfa afastou o Jung de si e nossa, para ele aquela fora a visão mais linda do mundo. O alfa estava corado e um pouco ofegante, assim como seus lábios estavam inchadinhos e ele parecia uma criança surpresa depois de ter feito algo que não podia. Isso lhe acendeu de uma forma enorme e ele quis beijar aquele homem de novo e novo, só para poder sentir o que estava sentindo e ver o que via. Ainda mais quando ele desviou o olhar timidamente. Aliás, era o seu primeiro beijo. E isso ficou bem claro aos olhos do Jung, assim que ele viu o ser a sua frente dar dois passos para trás surpreso. Aquilo lhe encantou.

 

– Eu sou sádico. – disse de uma vez, em um só fôlego.

 

– O que é isso? – Taehyung parecia transtornado demais aos olhos de HoSeok, já que ele não conhecer aquele termo era no mínimo incomum. Mas quando observou melhor o rosto do outro teve uma certeza de que ele era sim, uma criança grande, puro e sem malicia.

 

– Sentir prazer sexual na dor do outro. Mas não de uma forma ruim. Não é tortura, entende? – o outro parecia confuso. – Mas causar pequenas dores que levam ao prazer. – E então HoSeok sentiu que precisava mostrar ao outro, mas ele precisava deixar, por isso foi sincero quando respondeu.

 

– E isso te faz bem? Sentes prazer assim? – Taehyung dizia um pouco hesitante. E HoSeok fez que sim. – Então me ensina. Me ensina a te dar prazer do seu jeito. Eu quero tentar.


Notas Finais


*Aquela carinha*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...