História Doce Atração. - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Chaz Somers, Christian Beadles, Hailey Rhode Baldwin, Jaden Smith, Justin Bieber, Kylie Jenner, Pattie Mallette, Ryan Butler, Selena Gomez, Shawn Mendes
Personagens Chaz Somers, Christian Beadles, Hailey Baldwin, Jaden Smith, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Kylie Jenner, Pattie Mallette, Personagens Originais, Ryan Butler, Selena Gomez, Shawn Mendes
Tags Atração, Doce, Justin Bieber, Romance
Exibições 44
Palavras 2.571
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Festa, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bom amores volteiiiii...
Espero que gostem.
Me digam oque acharam do capítulo.

Boa leitura.

Capítulo 26 - Acidente.


Fanfic / Fanfiction Doce Atração. - Capítulo 26 - Acidente.

Pov.Jade

Estava a pouco passos até o quarto de Justin, quando ouvi ele falando com alguém, provavelmente no telefone.
"Não eu não posso fazer isso com ela" "eu não quero seu dinheiro" "Fernanda eu ja decidir" "desculpe mais eu não vou fazer isso".

Fico estatica até ter certeza que o mesmo não estava mais falando ao celular, volto a andar e bato na porta antes de abri-la, o olho e ele esta de costa para mim, sem blusa vejo suas tatuagens quando o mesmo se vira, sinto um frio na barriga qiando meus olhos vão a encontro dos seus.

Ele sorri largo e anda até mim, me abraçando em seguida, sua respiração sicoteia minha pele perto de meu pescoço onde o mesmo deixa um beijo. Volto a encara-lo, ele está nervoso, com alguma coisa, porem não vou perguntar.

- Ta tudo bem ?.- Digo, depois de ter falado pra mim mesmo que não faria.- Parece nervoso.

- Ta tudo bem sim.- Ele diz e põe seu celular na estante perto de sua cama.

Sento na cama e deito metade de meu corpo na mesma, ele anda pelo quarto enquando isso.

- Justin.- Digo.- Senta aqui

Ele não fala nada, apenas faz oque eu peço.

- Me conta oque é. - Falo e ele me olha com o maxilar travado, ele fica tão sex assim.

- Não é nada.- Reviro os olhos frustada.

- Ta então. - Levanto, e ando até a porta do quarto. O mesmo segura meu braço e me faz olhar em seus olhos.

E me beija, um beijo cheio de desejo, desesperador, cedo para que sua lingua invada minha boca podendo assim explorar a sua como eu tanto queria, o mesmo me puxa para mais proximo de seu quadril, e passa a outra mão por meu corpo até chegar em meu pescoço o acariciando, enquanto nossas linguas dançam em sincronia. Nos separamos em busca de ar mais o beijo e logo iniciado novamente, seguro em seu peitoral deslizando minhas mãos no mesmo.

Meu celular toca, interrompendo o momento "romantico", ainda estamos nos beijando, quando paro e me afasto um pouco.

- Deixa tocar.- Ele susurra em meus lábios.

- Pode ser importante.- Digo baixo. Pegando meu celular e o atendendo em seguida.

Ligação on.

- Jade? Onde você ta?.- ouço a voz de Ryan na linha.

- To na casa do Justin, oque foi ?.- Pergunto.

- Vai pro hospital agora.

- Hospital?.- Pergunto assustada me afastando de Justin,o mesmo me olha atenciosamente.

- Vai agora.- Ele praticamente grita.- Vou mandar o endereço por mensagem.

- Ta ok.- Antes mesmo de eu pergunta oque aconteceu ele desliga.

Ligação off.

Merda, merda, merda .....
Não consigo pensar em nada so saio do quarto correndo, para o andar de baixo e Justin vem atras de mim sem entender nada, na vedade eu também não to entendendo nada.

- Oque aconteceu? .- Justin fala me seguindo até a sala onde minha bolsa esta.

- Não,  sei o Ryan so me disse pra ir pro hospital, não me falou mais nada.

- Eu vou com você.

- Não precisa eu to de carro, ele vai mandar o endereço pra mim.

- Ja vai embora?.- Jeremy aparece no cômodo.

- Preciso ir para o hospital.- Falo saindo da casa sem mais explicações.

Saio cantando pneu nas ruan de London, Ryan ja avia mandado o endereço e eu conectei o xqelular no GPS para ficar mais fácil, o hospital era longe e eu fui o mais rapido possível, tentei ligar para Bruna pra ver se a mesma atendia, tentei ligar para Ryan novamente e nada de alguém me atender.

Chego no hospital e estaciono na frente do mesmo, rápido desço do carro e vou até a recepção. Ligo para Ryan novamente e o mesmo atende e desliga.

- Jade.- Ryan surge da enfermaria; seu olhos estao marejados.

- Oque aconteceu?.- Pergunto ja com receio da resposta.- Ryan cadê minha mãe?

- Eles sofreram um acidente.

Ele fala isso e eu sinto um nó se forma em minha garganta, tento me manter forte mas não consigo por muito tempo, ando até a porta e olho pelo vidro e velo minha mãe em uma cama cheia de aparelhos.

As lagrimas começam a cair freneticamente, meu batimentos cardíacos aceleram, o sentimento de tristeza e angústia predominam em mim,sinto meu mundo desabar, como uma vida sem sentido, tento entrar mais sou impedida por segurança que estão ali, so consigo gritar por ela.

- Por favor, ela é minha mãe. - Digo em soluços. Mas sou segurada por eles.

Ryan me abraça e eu choro, é  a unica coisa que consigo fazer.

- Ryan eu preciso ir la, por favor.- Digo com a voz falha soluçando.

- Ainda não podemos entrar, ela vai passar por uma cirurgia

- Oque aconteceu?.- Pergunto ainda com meu rosto em seu peito.

- Um carro perdeu o controle na pista e bateu na lateral do carro em que eles estavam.- Ele diz e eu o olho.

- Cadê o Will? Ele ta bem?.- Pergunto

- Ele sofreu ferimentos leves, ele esta fazendo exames. A Carla ficou mais machucada pois o carro bateu no lado em que ela estava.

Meu coracão avia se quebrado,uma lagrima vazia e dolorosa caiu acompanhada de varias outras, afasto-me de Ryan e fico olhando minha mãe pelo vidro da porta.

O pior é saber que eu não estava com ela, isso tudo é culpa minha, eu vim pra ca para ficar com ela e eu deixei isso acontecer, o choro é incontrolável, por mais que eu enxuga-se as lágrimas, muitas outras caim em seguida.

- Vem.- Ryan pega meu braço me puxando.

- Não, por favor.- Suplico para que me deixe ali a olhando.

- Ela vai para a sala de cirurgia, vem ...- Tenho ficar mais sou levada para sala de espera.

Não demora muito para os meninos chegarem e Bruna também. A mesma me abraça uma abraço quente e aconchegante da minha amiga. Os outros também fazem a mesma coisa com Ryan e comigo em seguida. Justin senta ao meu lado, passa a mão em meu rosto o secando.

- Olha pra mim.- Ele fala baixo.- Ela vai ficar bem.

- Será? .- Falo receosa

- Claro ela é forte.- O mesmo diz e me abraça.

Ficamos algumas horas na sala de espera todos estão nervosos , principalmente eu, Ryan esta abracado com Camila, e os outros sentados com cara de tédio. Até o medico aparecer na sala.

- Ok, parentes de Carla Stone.- O médico diz.

Levanto-me e ando até ele.

- Sou filha dela.- Digo e o mesmo assente.

- Ocorreu tudo bem na cirurgia, ela apenas perdeu muito sangue no acidente e esta bastante debilitada.

- Posso vê-la? .- Pergunto.

- Ainda não, devido ela esta bastante fraca ela esta na UTI para cuidados mais específicos.

- Tudo bem.- Ryan diz atrás de mim.

- Não, por favor, eu prometo que ela não vai fazer esforço, por favor deixe eu vê-la. - Suplico, e meus olhos ja estão cheios de lagrimas.

- Senhorita me desculpe mais não posso fazer nada agora.- Ele diz se retirando da sala.

Olho ao redor e so sinto pena, pena de mim mesma, por todos estarem me olhando com dó, fecho meus olhos fazendo as lágrimas cairem, e ando até a porta saindo da mesma.

Escuto Bruna dizer "Deixa ela, ela precisa ficar sozinha". Depois disso so escuto meus pasos naquele piso esbranquiçado do hospital,saio do mesmo e ando até meu carro, estou indo por que sei que não vou poder vê-la e nem chegar perto dela agora, e eu não quero ver aqueles olhos cheios de pena em cima de mim.

Reviro os olhos so de pensar... Dou partida no carro assim que vejo Ryan sair do hospital vindo em direção a meu carro. Saio da li o mais rápido possível, olho pelo retrovisor e o vejo em pé olhando eu desaparecer naquela rua extensa.

Ja tinha ultrapassado dois sinais vermelhos, sem ordem nenhuma eu diriga feito louca, a adrenalina fluia a cada ultapassagem, me fazendo esquecer os problemas maiores que eu vou ter que encarar.

Entro em uma rua e sigo a mesma, e vou até aquele lugar, a praia, Estacionei meu carro e desci do mesmo ja sem tênis a cada passo sentindo a areia em meus pés. Respirei fundo e me sentei naquela praia vazia que existia ali. Toquei a areia e a peguei na mão e logo ela escorreu por meus dedos a perdendo, como pensei que perderia minha mãe.

Como eu pude? Como eu pude me afastar dela durante esse tempo? Sou realmente uma péssima filha, so pensei em mim, so pensei em ir embora para esquecer meus problemas, e acabei esquecendo de cuidar da pessoa que cuidou de mim durante muito tempo, sei que ela não foi uma mãe sempre presente.

Mas eu reconheço o seu esforço, o seu esforço quando meus avós morreram me deixando sem chão. A mesma dor que eu sentir quando eles se foram eu pensei que sentiria novamente quando a vi naquela maca de hospital.

Novamente estou chorando, mais chorando por culpa, e realmente isso era minha culpa. Ela pediu para mim ficar com ela mais eu não fiz, pois estava encomodada com Camila, Sempre faço as coisas pensando em mim.

A pensar que tudo podeira ser diferente se eu tivesse ficado e encarado aqueles  problemas, talvez eu e ela estariamos felizes e ela não estaria em um hospital em estado crítico agora.

Sinto meu celular tremer, uma mensagem de um numero desconhecido. Diz assim " Você esta perdendo muitas coisas,especialmente Zayn , aliás ele fode muito bem." "De sua amiga Carol"...

Leio e nego com a cabeça, mal sabe ela que eu tenho outras preocupações agora e muito mais importantes.Mas eu não poderia não responder não é mesmo ? Digito " Faça bom proveito, quando eu voltar nos acertamos. " "Um Beijo da sua amiga Jade"

Envio em seguida, olho para o mar que esta na minha frente e sinto uma mão sobre meu ombro. Me assusto quando em seguida sou sufocada com um pano em meu rosto, o mesmo esta com  o cheiro forte de álcool oque me faz perder os sentidos rapidamente.

(...)

Pov.Justin

Ja fazia horas que Jade avia saido e não tinha voltado, Ryan pediu pra min ficar no hospital com Bruna e Camila enquanto foi procura-la.Porém o mesmo me ligou falando que encontrou o carro de Jade mais ela não estava nele, meu pensamento veio em Fernanda.

Droga, sera que aquela mulher fez alguma coisa com ela ?.... Afasto-me das meninas e pego meu celular, ligando lara Fernanda, chama várias vezes e cai na caixa portal, tento novamente e no segundo toque ela atende.

Ligação on

- Alô Fernanda?. - Digo

- Não preciso mais de você. .- Ela diz assim que reconhece minha voz.

- Cadê a Jade ?.- Pergunto.

- Eu vou cuidar muito bem dela.- A mesma diz

- Deixa ela em paz, se acontecer alguma coisa com ela eu vou matar você.

- Eu não tenho medo de ameaças Justin. Aliás seu pai não vai gostar nada em saber que você esta me ameaçando.

- Te dou 1h pra você soltar ela, caso contrário eu vou atrás de você.- Digo sério.

- Não se preocupe.- Ela diz desligando o celular.

Ligação off.

Eu vou mata-la se algo acontecer com Jade, eu sei muito bem do que Fernanda é capaz,  mais ela não perde por esperar.

- Com quem a Jade ta ?.- Bruna pergunta com os braços cruzados.

- Não se preocupe. - Digo a ela

- Não se preocupe? Ah vamos la invente algo convincente. - Ela diz sarcástica.

- Vamos ,Ryan ja esta voltando.- Falo

- Tudo bem , pergunto de Ryan que é Fernanda, aliás o pai da Jade vai adorar saber que ela esta desaparecida e você sabe com quem ela está. - Ela fala me encarando.

- Ja vi que vai ser difícil de te dobrar.

- É claro,  vamos pode ir falando.

- Tá, Fernanda é uma velha amiga de meu pai, e pelo que eu sei ela é ex do pai de Jade, ela diz que Jade é importante pra ela, e queria que eu a leva-se até ela, como eu recusei ela deu um jeito.

- Pera ai, Fernanda .... Ja sei,  ela esta hospedada no mesmo hotel em que eu e Jade estamos, Jade tinha falado sobre ela, ela é muito estranha.

- Perigosa também. - Falo

- Temos que achar a Jade.

- Ela não vai machucar a Jade.

- Óbvio que não.

Andamos até a sala do espera onde Ryan esta com Camila , o mesmo avia chegado a minutos.

- Vamos sair, qualquer coisa liga pra mim .- Bruna diz.

- Pra onde vão? .- Camila pergunta.

- Não te interessa.- Bruna diz,a fazendo bufar de raiva.

Saimos do hospital e seguimos para o Hotel.

Pov.Jade

Acordo com dor de cabeça, estou em um quarto escuro, tenho levantar minhas mãos, mas as mesma estão amarradas na cadeira em qye estou sentada, a uma luz graca em cima de minha cabeça,  olho ao redor e so vejo a escuridão.

Ouço passos vindo em minha direção. O barulho de salto "toc.. toc.. toc.." soa cada vez mais alto, até ela ficar na minha frente, a olho e a mesma me olha com ar de superioridade.

- Você. - Digo. - Fernanda não é?

- Olha ela lembra de mim.- Ela sorri.- Espero que meus homens não a tenham te machucado.

- Oque você quer?.- Pergunto.

- Eu quero seu pai.

- Meu pai ?.- Pergunto sem entender

- Ele vai voltar pra mim.

Do que ela ta falando? Como assim ele vai voltar pra ela? ... Minha cabeça esta latejando, fecho os olhos lentamente. E abro em seguida.Vários flash vem em minha mente...

- Espero que não se importe por eu mexer no seu celular.- A morena diz

Fico calada so a observando. Ela liga para meu pai e põem a conversa no viva voz.

- Oi filha.- Meu pai atende.

Ela diz para mim responder mais não obedeço.

Então a mesma se aproxima de meu ouvido e diz. "Você viu a sua mãe? Não me faça repetir, da próxima vez ela não sai viva." Engulo seco quando ela diz isso. Ao saber que ela é quem fez isso com a minha mãe sinto uma furia internar se espalhar por meu corpo.

- Oi .- Digo rapido e baixo.

- ta tudo bem?.- ele pergunta.

- Pai minha mãe sofreu um acidente.- Falo rápido e recebo um tapa estalado em minha face, sinto meu rosto arder. A olho com raiva.

Ela desliga o celular e me olha.

- Ele não quer saber da vagabunda da Carla. - Ela diz e eu sinto repulsa.

- Vagabunda é você. - Digo. - E eu me lembro de você, meu pai me levava para sua casa, você foi quem causou a separação de meus pais.

- Você gostva de mim antes.- Ela diz

- Antes eu não sabia que você era a amante do meu pai. Uma vagabunda.

Termino de dizer e levo outro tapa, mais forte que o outro, oque me faz virar o rosto, eu só sinto raiva,  a olho novamente, e a mesma desvia seu olhar e anda até sair de minha visão me deixando sozinha novamente.....


Notas Finais


DESCULPEM OS ERROS.
Opa amores não se esqueçam se comentar sobre o capítulo, é importante, mesmo se for aquela mensagem clichê de "continua" afinal esse é o cliche que me motiva escrever, é saber que vocês estão ai esperando eu postar...

Sobre a demora foi porque eu perdi o capítulo interiro então eu tive que reescreve-lo novamente. Ah mais uma coisinha, os capitulos vão voltar a sair mais rapido ta? Ja estou com tudo resolvido e dessa vez não vou falhar com vocês. Um beijooo.

E até o próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...