História Doce Casamento - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Kris Wu, Lu Han, Sehun
Tags Baekyeol, Chanbaek, Hunhan
Visualizações 1.388
Palavras 1.841
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Famí­lia, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá! Meus amores ^^

Deixareis as desculpas nas notas finais pela demora, juro que tenho uma boua desculpa ;)

Capítulo 7 - Se Sacrificando Por Amor


Fanfic / Fanfiction Doce Casamento - Capítulo 7 - Se Sacrificando Por Amor

 

— Eu vou direto ao ponto. — O pai de Chan Yeol se pronunciou quebrando o silêncio que se estendia na sala. — Quero que você, meu filho, se case com Baek Hyun. 

— COMO? — Chan Yeol juntamente do menor elevaram a voz assustados com aquele pedido.

— Baekkie. — Sun Hee chamou a atenção do pequeno para ela, o vendo apenas mover os olhos lentamente para encara-lá. —  Por favor! Aceite se casar com o nosso filho? — Pediu para um pequeno totalmente pasmo e imóvel no sofá. Sua voz mal conseguia sair e a única coisa que tinha som naquele momento, era o seu sub consciente gritando "Casar-se com Chan Yeol" e nada mais. 

— Eu não vou me casar com o, Baek Hyun, nem morto. — A voz grossa do maior estava décimos a cima do normal, se mostrando inconformado com aquela proposta sem cabimento. 

— Filho, nos desculpe, mas eu e sua mãe já tentamos de tudo. Escolhemos os melhores parceiros e parceiras e nada disso adiantou, nada que tentamos te agradou. E o nosso tempo de escolha infelizmente chegou ao fim, já era pra você estar muito bem casado ou pelo menos noivo de alguém. Daqui uma semana os seus bisavós iram vim verificar se já tem um parceiro ou uma parceira para que aconteça o início do planejamento de expansão da empresa e, você sabe como é os negócios na Ásia, meu filho. O perfil de um homem que eles confiam para fecharem um negócio desse tamanho, é de um muito bem casado e com uma família formada ou prestes a se formar. E se seus bisavós souberem que os planos não estão indo como planejado... — Abaixou o olhar suspirando pesarosamente antes de continuar. — Nos tomaram tudo, a empresa, a nossa casa, o nosso dinheiro, praticamente tudo. Eu sei que parece ser injusto com você, por não ser o filho mais velho da nossa família. Só que Se Hun não pode assumir a empresa por ter se envolvido em escândalos e, Kris... você já sabe.  — Deu uma pausa ao se lembrar do filho já falecido. — Me sinto culpado o suficiente por ser apenas um filho adotado e não poder ir contra aos seus bisavós Chan Yeol, você sabe que eles são extremamente poderosos e não se importam em destruir até mesmo a própria família.

— E porque eu tenho que engolir tudo isso e me casar às pressas? Ainda mais com o Baek Hyun. — Fez uma careta de desgosto se mostrando irredutível, mesmo com as palavras marcantes de seu pai ecoando por sua cabeça. 

— Porque seu pai está doente, ChanYeol.  — Sua mãe se pronunciou por impulso, assustando a todos na sala. Sendo logo repreendia pelo marido, por não querer que o filho ficasse sabendo daquela maneira. — Ele precisa saber, querido. — Sun Hee pegou em uma das mãos do esposo e fez um carinho, antes de encarar seriamente Chan Yeol. — Seu pai á alguns meses atrás, sentiu uma forte dor no peito e teve uma queda de pressão, assustada resolvi marcar uma consulta e fazer alguns exames...

— E o que deu nesses exames, mãe? — Chan Yeol atropelou com extrema impaciência para os rodeios que a mulher queria dar.  

— Deu arritmia cardíaca, Chan Yeol. — Resolveu soltar de uma vez, desistindo de se enrolar na história. — Seu pai não pode mais levar a vida que anda levando, com o estresse incessante do trabalho. Agora ele tem que procurar viver mais saudavelmente antes que caia duro no chão e você... — Apontou para seu filho. — Perca seu pai e eu o meu marido. — Falou fechando a cara por saber exatamente como era a teimosia do marido, em gostar dos hábitos nada saudáveis. 

Chan Yeol ficou em silêncio pensando naquela situação que agora estava mais do que metido. Tentando inutilmente buscar uma saída, para não ter que se casar com Baek Hyun. Mas pra todos os lados que buscava uma solução, o problema de seu pai o atrapalhava. — Mas que merda! Porque eu? E não o inútil do Se Hun? Os escândalos dele nem são tão assim. — Reclamou, não querendo aceitar de maneira nenhum aquela proposta. 

— Chan Yeol, o escândalo que estamos falando não é o que saiu na mídia e sim... 

— Querida, não. — Interveio o marido vendo a mulher entrar em um assunto que foi trancado à sete chaves, para que nunca mais fosse tocado novamente. 

— Chega! — A mulher se exaltou — Antigamente até que eu entendia por nosso filho ainda ser apenas uma criança, mas agora? Agora ele já é um homem feito, meu amor, e tem que saber de toda a verdade. — Sun Hee se mostrava cansada de guardar aquele segredo do real motivo do falecimento de seu filho mais velho. Ela sabia que Chan Yeol era extremamente apegado a YiFan e que pra ele o mesmo era visto como um santo, porém aquilo já tinha ido longe demais e passava da hora de ser revelado a verdade. 

— O que mais vocês estão escondendo de mim? — Chan Yeol se levantou do sofá e deu a volta no mesmo, já se sentindo agoniado com o rumo que aquela história estava indo.  Não gostava de tocar naquele assunto. — O que tem o meu irmão? — Olhou para os pais a espera que um dos dois começasse a falar.

— No dia do acidente que faleceu ele e... Irene, os dois estavam fugindo juntos, meu filho. — O Park mais velho se remexeu no sofá se sentindo desconfortável ao voltar a relembrar daquela noite que recebeu a pior notícia que um pai poderia receber.  

— E porque meu irmão fugiria com a mulher do Se Hun? — Perguntou Chan Yeol, negando levemente com a cabeça ao mesmo tempo que entortava a boca em uma careta. YiFan era seu irmão que mais tinha afeto ao contrário do outro, simplesmente não suportava SeHun apenas pelo fato dele e YiFan viverem se esmurrando pelos cantos. 

— Kris e Irene estavam tendo um caso naquela época, na verdade, isso acontecia desde que ela se casou com SeHun. Os dois viviam a cortejando e a disputando quando estavam no colegial, mas no final ela acabou escolhendo apenas um.. — O Senhor Park suspirou, acariciando as costas da esposa que começava a chorar ao seu lado. — Naquela noite do acidente ela resolveu fugir com Kris, porém acabou desistindo no meio do caminho. Foi onde ocorreu uma briga e seu irmão perdeu o controle do carro e,
o resto você já sabe. — Sun Hee não suportou escutar mais nenhuma palavra do que aquela vagabunda tinha feito para destruir com sua família, tendo que sair correndo aos prantos para se trancar em seu quarto. 

Chan Yeol teve que voltar a se sentar no sofá antes que caísse no chão pela perda de força que teve nas pernas, era muita informação para processar. E sentir que o círculo em volta de si estava se fechando, o deixava ainda mais sufocado.

— Eu acredito que você tem muito o que pensar agora. — Falou depois de um tempo em silêncio apenas encarando o filho que puxava os fios de seu cabelos enquanto olhava para baixo. — Mas antes, eu acredito que Baek Hyun seria uma ótima escolha para você, Chan Yeol, esse pequeno te conhece melhor do que ninguém e te tem mais que um amigo. Não sinta vergonha, Baek Hyun, você está em casa. — Mostrou um sorriso doce pro menor que estava sentado quietinho no canto do sofá, estando no mesmo estado confuso que Chan Yeol. Eram tantas informações em apenas poucas horas. — Terminaremos de conversar amanhã, devem estar cansados e eu preciso ver como minha mulher está. — Disse por fim se levantando e subindo para o andar de cima, atrás da esposa. 

 

 


••••••••••

Baek Hyun tinha perdido as contas de quantas vezes abriu e fechou a boca, tentava falar algo, mas nada saia. Sabendo que não tinha o que dizer naquele momento. 

— C-Chan. — Mesmo assim, tentou. 

— Calado, Baek Hyun, estou pensando. — Cortou o menor demorando um tempo antes de encara-lo profundamente, deixando o mesmo desconfortável pelo olhar pesado que estava sobre ele. 

— Q-Que foi? — Falou em um fio de voz, não sabendo onde fixar os olhos. 

— Me diga, Baek Hyun. — Chan Yeol falou se debruçando em cima do pequeno, que engoliu em seco ao mesmo tempo que piscava freneticamente os olhinhos. — O que eu ganho me casando com você? 

— A-Acredito que nada, além da minha companhia indesejada. — Disse em sussurro, pela proximidade que  o maior estava de seu corpo. 

— Bom! Agora venha. — Puxou o pequeno pelo braço e saiu o arrastando para fora de casa. 

— P-Pra onde? — Perguntou confuso tropeçando nós próprios pés, pela pressa do mais velho. 

— Oras! Pra sua casa, pedir sua mão em noivado para seus pais. — Respondeu simplista, continuando a arrasta-lo pelo jardim até o portão da frente. 

— O-O quê? Como? C-Chan Yeol, eu... eu acabei de dizer que eu não posso te dar na... 

— Eu escutei, Baek Hyun. — Parou no meio da calçada para olhar nos olhos do menor. — Eu já tenho tudo e prefiro me casar com você do que com um estranho que eu não possa xingar, humilhar e muito menos dar uns belos de uns tapas. Como eu posso em você. — Sorriu de lado puxando o Byun pela cintura, deixando os corpos colados. 

— Mas você nunca me bateu, Chan Yeol. — O menor se pronunciou baixinho e com um biquinho nos lábios. 

— Vamos dizer que eu tenha dó, de arrebentar esse seu rostinho nos socos. — Disse levantando o queixo do mais novo, para que olhasse a aquela face melhor. — Me diga uma coisa antes de tudo, está tudo bem pra você ser desprezado por mim durante toda a nossa convivência juntos nesse casamento? Que não teremos nenhum contato ou demonstração de amor? Apenas algo íntimo quando for pra dar netos aos nossos pais e também em algum encontro com os familiares e amigos para mantermos as aparecias de um casal feliz? 

— Não me importo, acho que serei sua última opção na vida. Pelo menos sou o único que pode te suportar por longos anos e... 

— Baek Hyun, é uma vida de infelicidade, não vou mentir. Você tem certeza dessa sua decisão? Se você se casar comigo nunca mais poderá ter sua liberdade outra vez,  é um casamento sem volta até um de nós morrermos. — Perguntou já deixando claramente avisado, não queria que mais tarde fosse culpado de ter mentido sobre um futuro baseado em fingimentos e com nenhum final feliz. 

— Tenho sim, Park Chan Yeol — Respondeu, aceitando todo aquele destino por mais que soubesse que sairia ferido no final. Mas também tinha plena certeza que mesmo que se buscasse outro caminho, seria infeliz do mesmo jeito. Amava demais aquele homem e não seria capaz de esquecê-lo. 

— Como pode me amar tanto assim, Baek Hyun? — Perguntou incrédulo, negando levemente com a cabeça. Não podia acreditar que aquele anão seria capaz de destruir com sua vida, pra salvar sua família da miséria. 

— Eu não consigo controlar, eu simplesmente faria tudo por você, Chan Yeol. 

— Eu sei e é isso que me assusta. — Sussurrou soltando a cintura do menor para continuar seu caminho até a casa dos Byun. — Vamos? Tenho que pedir sua mão em casamento ainda. 

 

 


Continua...


Notas Finais


Ahhh! Eles vão se casar kkkk ^^

Então.. minhas desculpas são que ontem era pra postar três lindos capítulos mais acordei com sinusite. E quem tem sabe que é insuportável olhar em direção à luz, que a cabeça dói como o inferno.... E isso atrasou muita coisa, mas vou correr atrás kkk

Até o próximo que postarei amanhã ;)

Grupo do WhatsApp: https://chat.whatsapp.com/BEObFQvyfID7oRpXXO6XOn


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...