História Doce, doce Arlequina - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Batman, Esquadrão Suicida
Personagens Bruce Wayne (Batman), Coringa (Jack Napier), Harleen Frances Quinzel / Harley Quinn (Arlequina), Personagens Originais
Exibições 144
Palavras 1.043
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Drama (Tragédia), Festa, Luta, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - Capitulo 1


Arlequina
Meus pais e minha irmã morreram em um assalto quando tinha 9 anos. Fui criada depois pela minha avó que infelizmente aos meus 15 anos faleceu e fui morar com minha tia em Gotham City. Era curiosa,queria saber os pensamentos das pessoas. Bom,minha tia era professora de ginástica e me deu aulas por três anos até que consegui entrar na faculdade de psicologia e tive que morar no campus. A faculdade durou seis anos e não consegui amigos. Fiquei um ano desempregada e consegui o trabalho no Arkham. No início cuidei de idosos que não sabiam onde estavam. O senhor Arkham adorou meu desempenho e comecei a tratar de criminosos como pinguim, mulher gato e a Hera que se tornou uma amiga maravilhosa.
14/05/2002
Estava indo para a sala de Hera,como prefere que eu a chame:Ivy. Ivy não é uma "vilã" é apenas uma mulher com amor por plantas que usou seus poderes pro mal que foi apenas um assalto. Cheguei com meu salto batendo no chão com meu caderno.
-Bom dia Ivy!
-Bom dia flor!
-Ivy consegui sua permissão de cuidar do jardim!
-Sério? Um guarda irá me acompanhar?
-De preferência. Como está se sentindo hoje?
-Bem,cuidei de minhas plantas e esperei você chegar.
-Apenas?
-Não tenho muito o que falar. Aprendi a controlar meus poderes.
-OK. Então vou pedir pra te levarem pro jardim.
Sai da sala e fui pedir pro guarda acompanha-la até o jardim. Dei uma olhada na minha ficha e vi um paciente famoso. The Joker. Ficava na sala 234. Antes de entrar na sala olhei a ficha dele.
Nome:Jack Napier mais conhecido como Coringa
Idade:Aparenta ter 28 anos
Mortes:289
Parentes:Desconhecidos
Habilidades: Manipulação
Chegando na sala um dos guardas disse:
-Dra. Quinzel tome cuidado e não olhe muito em seus olhos,pode manipula-la.
Entrei e vejo um homem de cabelos verdes na camisa de força.
-Outra...
-Bom dia sou a Dra. Quinzel
-Joker!- me olhou com malícia
-Vamos começar- sentei na cadeira colocando o caderno sobre a mesa tentando não olhar em seus olhos e ele soltou a gargalhada.
-Você não vai durar muito tempo...
-Vamos,começar! Jack...
-Joker! Ou Mr. J!
-Mr. J,conte da sua vida antes de ser o rei de Gotham...- disse pegando a caneta pra anotar no caderno.
-Meu pai era um alcoólico um dia chegou em casa ao extremo e matou minha mãe. Me escondi no quarto mas ele arrombou a porta e cortou minhas bochechas. Pulei a janela e fui a casa do meu avô. Me juntei a uma gang que faziam reuniões na fabrica de químicos e sem querer cai em um tanque. Fiquei com os cabelos verdes e...
-E?
-Me conte sobre você agora
-Eu vim pra saber de você.
-A partir de agora eu vou mandar em você.
-Mr. J!
-Dra. Quinzel!- sabia que não ia conseguir então comecei-Com nove anos perdi meus pais e minha vó me criou mas infelizmente ela morreu quando tinha quinze. Me mudei pra Gotham pra ficar com minha tia,fiz faculdade e agora trabalho aqui,no Arkham.
-Dra. Quinzel...
-Sim?
-Tem belos lábios... Já foram beijados?
-Já tive um namorado mas faz tempo.
-Qual seu nome?
-Harleen. Harleen Frances Quinzel.
-Bonito nome. Seus amigos te chamam de Harley?
-Não tenho amigos.
-Bom Harley,agora você tem um.- ele se levantou e me deu um beijo e empurrei ele.
-A sessão terminou. Até amanhã Mr. J
Sai da sala e fui direto pra garagem, peguei meu carro e fui embora pra casa.
15/05/2002
Cheguei no Arkham e hoje iria sair mais cedo e só tinha consulta com o Coringa. Cheguei tremendo na sala.
-Mr. J...
-Dra. Quinzel...
-Vamos começar... Mr. J por que tem o gosto por crimes?
-Dra.,eu era de uma gang.
-Por que se juntou com uma gang?
-Era adolescente, queria me vingar do meu pai.
-Mr. J pode terminar a sua história de ontem?
-A gang me deu socos,me metiam em brigas e assim perdi os dentes.
-Algo mais?
-Tinha uma família.
-O que aconteceu com sua família?
-Eu os matei.
-Tinha filhos?- só acentiu com a cabeça. Respirei fundo e tirei da bolsa uma caixa de música que de dentro saia um palhaço
-Trouxe um presente Mr. J...
-O que é isso?
-Uma caixa de música. Também trouxe um livro. Vou pedir pros guardas tirarem a sua camisa de força. Bom o tempo acabou. Até mais Mr. J.
Eu estava apaixonada. Aqueles olhos azuis. Passei na mesma loja e comprei um fantoche de gatinho.
16/05/2002
Joker
Ela tem um grau de loucura posso sentir. Estou manipulando ela. Só assim pra sair do Arkham.
Arlequina
Cheguei na sala alegre mostrando o fantoche pro Coringa. Dei pra ele que já estava sem a camisa de força. Ele se levantou da cadeira e ficou rodiando em volta da mesa.
-Tem um belo corpo.
-Mr. J com licença esqueci outro presente.
Sai da sala corada. Meu deus! Espero que ele pare com isso.
Um mês depois...
Ele ainda me elogiava e ainda me apaixonava por ele. Até que...

-Bonitinho ?
-Uma graça! Dra. Quinzel posso te pedir uma coisa?
-Claro o que quiser.
-Preciso de uma metralhadora
-Uma metralhadora?

Demorou uma semana e consegui a metralhadora. Entreguei a ele e me deu um beijo que fiquei sem ar. Foi até a cama e tirou um celular debaixo do colchão. Ligou pra alguém e pediu que ficasse no Arkham até a meia noite.
00:00
Esperando no banheiro escuto uma explosão. Tiros e pacientes gritando. Alguém arromba a porta do banheiro e me leva a força pra sala menos usada no Arkham,a sala de tratamento alto,a sala dos aparelhos de choque.
Me deitaram na maca e me perderam fiquei me debatendo e entra na sala o Mr. J.
-O que vai fazer vai me matar Mr. J?
-Não, eu só vou te machucar, e vai doer demais!
Ele colocou um cinto de couro na minha boca e colocou os aparelhos na lateral da minha cabeça e ligou. Minha cabeça e meus olhos doiam e latejavam que desmaiei. Acordei na famosa van preta e me levaram pros químicos. Me joqlguei no tanque e ele também ele me deu um beijo que quando acordei respirei fundo. Ele olhou pro teto e deu sua gargalhada maniaca e ficamos no beijando
-Minha doce Arlequina!...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...