História Doce Ilusão - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Castiel, Debrah, Iris, Nathaniel, Peggy, Personagens Originais
Tags Amor Doce
Exibições 42
Palavras 687
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Visual Novel
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Meus queridos leitores peço mil e uma desculpa. Estive muito ocupada esses meses e ainda por cima fiquei sem celular, mas não esqueci da finc, tô doida para termina lá e já colocar outras finca q tenho escrito.
Agora vou posta sempre no meus dias de folga agora que consegui me ajeitar.
Espero q gostem deste capítulo esse é um pouquinho fofo não fiz muita coisa pq realmente n tive tempo, mas prometo q os próximos capítulos vão ser bombásticos.

Leiam as notas finais!

Bjs de cookies de M&Ms

Capítulo 14 - Capitulo 13- Doce Despertar.


Fanfic / Fanfiction Doce Ilusão - Capítulo 14 - Capitulo 13- Doce Despertar.

Quando Mag acordou, estava sozinha na cama, e as venezianas abertas lhe mostraram um céu azul sem nuvens. Era um quarto muito masculino, com mobília pesada e poltronas grandes e macias.
Seu estômago deu um nó quando se lembrou do que havia acontecido. Os pontos dolorosos na partes mais íntimas do corpo uma lembrança excitante de uma longa e prazerosa noite.
Mas ela se perguntou como pudera fazer aquilo. Os Bettencourt haviam praticamente destruído sua família... ou, pelo menos, Albert Bettencourt o fizera, mesmo se Damien Magnos tivesse provocado a ira de Albert ao planejar fugir com a esposa dele.
No entanto, sua mãe não sabia, e MAG jurou que faria o que pudesse para impedir que ela descobrisse.
Todavia, Agatha ainda acreditava que Castiel era tão culpado como Albert no roubo do trabalho do marido. Assim, o que ela diria se soubesse que a filha fora para a cama com Castiel com tanta facilidade? Ficaria horrorizada e magoada, pensou Mag, e se sentiria do mesmo jeito se descobrisse o caso de Damien com a mulher de Albert. Não poderia jamais contar nada à mãe, nem mesmo que estivera na cada deles.
Quando a Albert Bettencourt...
Mag se virou na cama com um gemido de vergonha. Não conseguiria nunca mais olhar no rosto dele. Estava prestes se levantar quando ouviu a porta se abrir e, ao perceber que se encontrava completamente nua, voltou a se cobrir.
Castiel entrou, usando um roupão vermelho e chinelo. Tomara banho, e o rosto branco contrastava dramaticamente com o vermelho do tecido.
  - Você dormiu bem? - comentou ele com um sorriso tão caloroso que ela quase se desmanchou. - Íris está preparando o café da manhã, mas pensei que gostaria de um suco de laranja para despertar.
  Mag agradeceu, pegou o copo de cristal e bebeu. Estava morta de sede e fome. Lógico que fazer amor com ele havia despertado seus apetites em mais de um sentindo.
  - Cast... Sobre a noite passada - começou quando terminou de tomar o suco, incapaz de olhar para ele depois de tudo o que haviam feito.
  - Não vai me dizer que não devia ter acontecido.
  - Alguma coisa assim. - Olhou para ele sob as pálpebras.
  - Tarde demais, minha querida. Já aconteceu. Não apenas uma vez...mas duas... - O sorriso sensual e debochado era de matar. - Se me lembro bem. Assim, que desculpa vai dar por ter praticamente rasgado minha camisa e então me enlouquecido com sua malícia?
  A sombria intensidade dos olhos de Castiel lhe fazia pulsar cada parte íntima que tornara dele, o que significava que sua "malícia" ainda não estava satisfeita. Ainda o queria, queria-o mais ao se lembrar de cada carícia terna das mãos hábeis e maravilhosas e do calor ardente da boca nos lugares mais secretos de seu corpo.
  - Não arranquei sua camisa. - A voz tremia de desejo. E de constrangimento. - Acho que devo ir .
  - Ir? Onde? Ao banheiro ou para casa?
  - Para casa, é claro. É constrangedor demais ficar aqui, agora que Albert sabe quem eu sou.
  - Esse é o único motivo? Ele pediu claramente que convencesse a ficar. E eu também quero. Na verdade, exijo que fique.
  - Exige ? - repetiu a Mag, a rebeldia surgindo em meio ao desejo.
  - Está bem, então, convido você a ficar.
  - Por quê?
  - Porque você está se sentindo um pouco abalada e provavelmente cansada demais depois... desta noite...- Os olhos escureceram, embora ele continuasse a sorrir. - Para ir a qualquer lugar.
  - É uma surpresa você se importar depois do que me chamou ontem... fingida, mentirosa, ingênua...
  - É claro que me importo. Você está na minha casa.
  - Sua casa? - Achou estranho ele se sentir responsável por ela.
  - Surpresa? Minha casa. Meu teto...- O colchão balançou com o peso dele. - E minha cama.
  - Se Íris está preparando o desjejum, não temos tempo.- Mag ficou sem fôlego quando ele tirou o lençol de cima dela e riu.
  - Ah, sim, temos.- Castiel pressionou os lábios nos dela.- Acho que temos muito tempo.


Notas Finais


Bom meus queridos leitores vou aproveitar q estou com o tempo livre e escrever a finc pos eu quero termina lá logo.
Estou escrevendo duas fincs uma com o Nathaniel e outra com Alexy, sendo que nesta finc com o Alexy ele é hétero pq já li muitas com yaoi e queria ler uma ele sendo como hétero então comecei a escreve lo então na opinião de vcs qual vcs querem ler.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...