História Doce Pecado - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction, Zayn Malik
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Hot, Incesto, One Direction, Romance, Sexo, Zayn Malik
Visualizações 268
Palavras 1.203
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Luta, Mistério, Poesias, Policial, Romance e Novela, Saga, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá amores leiam as notas finais por favor....
Xoxoxo

Capítulo 8 - Carência?


†ANGEL PRADO†

A festa está ótima eu precisa disso, precisava de uma bagunça para me distrair um pouco.

— Um uísque? — Louis pergunta.

— Eu acho melhor não, quero ir falar com meu tio quando eu chegar e não quero está bêbada. — pisco.

— Não precisa ficar bêbada. — ele sorri de lado.

— Um energético basta, Louis.

— Esqueci que você fica bêbada até com água. — ele diz brincalhão.

— Larga de ser palhaço. — encosto a cabeça em seu peito.

— Harry vai ficar com ciúmes. — ele diz em meu ouvido.

— De mim? Por que, Louis? — levanto a cabeça para olha-lo.

— Por que todo universo sabe que ele tem uma queda por você, uma queda do tamanho de um abismo que ele esconde muito mal. — ficou surpresa em saber disso.

— Nossa, dessa eu não sabia. — digo encabulada.

— Sério Angel? Você não sabia? Pelo amor de Deus Angel... — ele gargalha.

— Louis, eu juro que não sabia...

— Tá ele até que esconde bem na sua frente mas nós que o conhecemos bem já sabemos que ele arrasta um avião por você.

— Caramba! Não sei como reagir agora perto dele.

— Não muda com ele, ou ele irá perceber.

— Você tem razão.

— Sempre tenho. — ele se gaba. — Olha ele está vindo aí, vou te provar que ele sente algo. — ele diz e me puxa pela cintura colando nossos corpos, uma de suas mãos fica nas minhas costas fazendo um leve carinho e a outra desce para minha bunda apenas ficando parada ali, Harry para do nosso lado e seus maxilar travado e olhos escuros o deixam com cara de mal, mais do que já tem.

— Uma ótimo noite pra dar uns beijos. — Louis comenta e da um sorriso.

— Se você diz! — Harry fala me encarando fixamente como se eu fosse fugir a qualquer momento. — Angel podemos ir lá fora? Queria falar com você.

— Claro. — me solto de Louis e o mesmo deixa um beijo perto da minha orelha soltando risinhos.

Caminhamos até o jardim da casa onde está rolando a festa e ele me encara fixamente o tempo todo, logo depois levanta o olhar até o céu apreciando as estrelas ele segura a minha mão.

— Ta ficando com o Louis? — ele é direto.

— Não, claro que não. — também sou direta.

— Estão colados a festa inteira. — ele da de ombro.

— Por que estávamos pondo o papo em dia. — digo.

— Entendi.

— Ciúmes? — o encaro e ele estreita os olhos dando um sorriso de lado.

— Não, sei que você é amiga dos três. — ele desconversa.

— Hum, ainda bem que sabe. — encosto a cabeça no ombro dele.

— Angel você sabe que provavelmente não irei mais ficar na escola, vou ir direto pra faculdade né? — ele diz com a voz baixa.

— Sei, suas notas excelente e seu pai muito bem informado não daria outra coisa.

— Queria que não deixasse de me vê. — ele pede.

— Jamais faria isso. — sussurro.

— Isso é ótimo. — ele alisa meus cabelos. — Você pediu pra me te avisar quando fosse 23:00.

— Me leva em casa? — peço.

— Claro, vamos...

(...)

Chegou em casa e tudo está escuro e um tremendo silêncio, caminho até meu quarto e ouço uma música melosa tocando no quarto do meu tio, as luzes estão apagadas mas posso ouvir os acordes do violão, entro no meu quarto e tomo um banho logo depois coloco uma camisola e vou até o quarto do mesmo, bato na porta e espero. Os acordes do violão param e uma luz é acesa logo depois a porta se abre mostrando o moreno de moletom.

— Disse que não precisava vim. — ele diz, sua voz é rouca e seus cabelos estão bagunçados, sem blusa eu admiro mais as suas diversas tatuagens.

— Queria falar com o senhor. — digo fazendo minha cara de cachorro que caiu da mudança, os olhos dele se enche de brilho e ele da um espaço para que eu passe, entro e ele tranca a porta. Encaro a cama que tem um lindo violão em cima.

— O senhor toca? — pergunto mas já sabendo a resposta.

— Sim, é um bom passa tempo.

— Pode tocar uma música pra mim? — pergunto.

— Angel...

— Só uma, a que quiser... — o encaro fazendo carinha e ele bufa caminhando até o vilão, ele se senta de frente para mim e depois de alguns minutos ele começa a tocar... Não reconheço a música e peço que ele cante, ele faz careta no início mais acaba cantado, a letra é uma bela declaração de amor de Michael Jackson, sorrio por não ter reconhecido a música, ele para de tocar quando acaba o refrão e me encara fixamente.

— Satisfeita? — pergunta largando o violão.

— Muito. — sou sincera.

— O que queria falar? — ele pergunta e me sento ao seu lado.

— Me desculpe por ter tocado no assunto de mais cedo, eu não quis ser indelicada! — digo.

— Tudo bem, Angel. — ele desvia o olhar de mim. Parece incomodado com o quão estamos perto. — Tudo bem! — ele repete. Me inclino para dar um beijo em seu rosto e faço, quando me afasto um pouco ele me encara e por uns cinco ou mais minutos ficando apenas em silêncio um encarando o outro, seguro sua mão e coloca a mão em minha cintura me beijando em seguida... Era como se nós dois estivermos carentes demais e esse gesto errado fosse curar essa carência, ele coloca a outra mão em minha cintura e me puxa para o colo dele.

Foi o melhor beijo que já tive em minha vida, minhas mãos vão até a nuca do mesmo puxando com certa força, sua pele quente me trás conforto e a forma como está me beijando me faz querer mais, é como em seu beijo me falasse que algo nele dói. Seus braços dão a volta em meu corpo me pressionando mais contra ele, não era algo com nenhuma maldade era só um beijo necessitado, ele afasta seus lábios dos meus e suas pupilas estão escuras...

— Só promete que não vai me julgar amanhã! — ele diz em forma de pedido.

— Só se você prometer o mesmo. — digo e ele assente voltando a me beijar intensamente.

Me sinto perdida em vários pensamento e em tudo que indica nosso erro mas no momento penso em como um erro pode ser tão bom... Ele me deita e volta a me beijar se deitando por cima de mim, suas mãos acaricia meu corpo e ele desce os beijos até meu pescoço e volto para meus lábios, uma onda eletrizante percorre meu corpo. Ele morde meus lábios enquanto brinca com a ponta do meu cabelo, sinto seu membro totalmente dura mas em nenhuma momento ele age como se quisesse sexo, solto um gemido quando ele pressiona o corpo contra o meu e ele mais uma vez separa nosso beijo.

— Estou tentando não passar mais ainda do limite com você, só tenta me ajudar... — ele pede parece que está suplicando isso. Afirmo apenas balançando a cabeça de forma positiva e ele volta a me beijar. Meu Deus onde isso vai parar...


Notas Finais


Se esse cap tiver 15 comentários até segunda feira eu vou postar um cap por dia a semana que vem toda, então COMENTEM BASTANTE...quero saber a opinião de todos vcs...comentem o que acham que vai acontecer nos próximos cap eu posso usar sua ideia aqui 😉

Amo vcs 😍😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...