História Doce tentação - Capítulo 49


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time, Orange Is the New Black, Orphan Black
Personagens Alex Vause, August Wayne Booth (Pinóquio), Capitão Killian "Gancho" Jones, Cora (Mills), David Nolan (Príncipe Encantado), Dr. Archie Hopper (Jiminy Cricket), Dra. Delphine Cormier, Elsa, Emma Swan, Ingrid / Rainha da Neve / Sarah Fisher, Lilith "Lily" Page, Malévola, Marian, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Milah, Neal Cassidy (Baelfire), Piper Chapman, Princesa Aurora, Príncipe James, Regina Mills (Rainha Malvada), Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Sr. Gold (Rumplestiltskin), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Visualizações 617
Palavras 2.223
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Eu fiquei rindo feito uma retardada da Ingrid e da Kristin sendo pegas! Kkkkk
Favoritem e comentem 😍

Capítulo 49 - Desastres


Fanfic / Fanfiction Doce tentação - Capítulo 49 - Desastres

Ingrid e Kristin estavam em uma posição bem constrangedora.

- Viado! Ainda não estou acreditando nos meus olhos... – disse Killian com o queixo caído.

Kristin retirou os dedos do sexo de Ingrid que subiu a calcinha rapidamente e abaixou o seu vestido.

- O QUE SIGNIFICA ISSO? – gritou Archie.

- Eu bebi demais e estou imaginando coisas? – perguntou Regina impressionada e envergonhada ao mesmo tempo.

- Temo que seja verdade, ou estamos imaginando a mesma coisa. – disse Emma segurando a mão de Regina, ambas estavam geladas de tanto constrangimento.

Kristin caminhou em direção a Archie.

- Não é nada disso que vocês estão pensando... foi um acidente! – disse Kristin nervosa.

- Claro que foi um acidente, a calcinha de Ingrid estava sem elástico e caiu. E os seus dedos, tem um imã que foram atraídos para buceta dela! – disse Killian sendo irônico.

Archie sentiu uma dor no peito.

- Não, bobinho! O acidente foi com a parede... – disse Kristin.

Killian gargalhou.

- Boa! – disse Killian.

- Como você faz isso comigo? – perguntou Archie cerrando o punho.

- Querido... – disse Kristin.

- NÃO ME CHAME DE QUERIDO! VOCÊ ESTAVA ME TRAINDO COM A SOGRA DA MINHA FILHA! UMA MULHER, KRISTIN! E COMO FICA A MINHA REPUTAÇÃO? A SUA REPUTAÇÃO? O QUANTO A JESUS? – perguntou Archie.

- Desculpe amor. Eu amo Jesus, mas também amo buceta! – disse Kristin tapando a boca ao perceber que falou besteira.

- Pesado! – disse David.

- Ainda não acredito no que vi. – disse Mary.

- BERROOOOO! – gritou Killian. – Eu amo Jesus, mas também amo buceta! – gargalhou.

- Mãe, eu não sei o que dizer... Me recuso a acreditar que isso está acontecendo. No meu casamento? Esse escândalo? Olha a cara dessas pessoas! – disse Emma irritada.

- Calma. – disse Regina ainda em choque.

Ingrid tentou escapar de fininho e Regina foi atrás dela eem busca de explicações.

- Aonde você vai, megera? Volta aqui! Acha que vai escapar da santa inquisição? – perguntou Killian puxando Ingrid pelo braço.

- Me solte seu viado abusado! – disse Ingrid puxando o braço.

- Se eu sou viado, você é sapatão! Saiu do armário em público. – disse Killian.

Regina aproximou-se de Ingrid.

- Eu não acredito que você passou a vida inteira me julgando pra no final você também curtir a fruta! – disse Regina.

- Cala a boca! Não aceito que fale assim comigo. – disse Ingrid.

- Você não tem razão nenhuma para me mandar calar a boca! – disse Regina segurando no braço de Ingrid.

- Não devo satisfações a você! – disse Ingrid.

- Não deve, mas também não venha pagar de santa e hétero para cima de mim que não cola! – disse Regina.

- Claro que não cola, querida! A única coisa que cola é seu velcro com o de Kristin. – disse Killian gargalhando.

- Viado, o assunto é sério! – disse Regina repreendendo Killian.

- Eu estou sendo o mais sério que posso! Hétero de Taubaté! – disse Killian jogando na cara Ingrid.

- Quer saber? Vão se foder todos vocês! Ninguém sabe o que aconteceu. – disse Ingrid retirando-se.

- Cacete! Depois dessa, nada mais me assusta! – disse Regina.

Archie estava em prantos.

- Eu não posso com isso... Eu vou morrer, meu peito tá doendo! – disse Archie sentindo um formigamento.

- PAI! – gritou Emma ao ver Archie quase cair.

- Meu querido, não é pra tanto! Não foi nada demais... – disse Kristin tentando acalmar o marido.

- Falsa... dissimulada! Você estava dormindo com o inimigo e eu aqui inocente! – disse Archie sentando-se.

- Dormindo? Estávamos bem acordadas! – disse Kristin.

- MÃE, PELO AMOR DE DEUS, AJUDA! – gritou Emma.

- Que vergonha, meu Deus! – disse Archie.

- Quer um copo de água? – perguntou Emma abanando o pai.

- QUE ÁGUA O QUE! Quero a minha dignidade de volta! – disse Archie.

- O que está acontecendo? Eu estava lavando o cabelo! – disse Zelena.

- Quem lava o cabelo no meio de um casamento? – perguntou Ariel.

- A sonsa ali derrabou champanhe no meu cabelo! – disse Zelena apontando para Aurora.

- Foi sem querer! – disse Aurora.

- Sua mãe foi pega chupando uma mulher no meio do casamento... – disse Ariel tentando conter o riso.

- Melhor casamento! – disse Aurora rindo.

- O QUÊ? COMO ASSIM? QUEM? – perguntou Zelena.

- A sogra da Emma. – disse Ariel rindo alto ao lembrar-se da cena.

- Porra! Isso é mentira, ela é evangélica. – disse Zelena.

- Não pareceu quando estava com dois dedos atolados na mãe da Regina. Pelo visto, a família inteira é sapatão! – disse Ariel.

- Meu Deus! – disse Zelena indo em direção á Archie e Kristin.

Ingrid pegou uma garrafa de vodka e virou. A sua vontade era sair dali correndo.

- Isso é tão triste... Um casamento e um divórcio no mesmo dia! – disse Archie com os olhos marejados.

- Pai, calma! Não tome decisões precipitadas. Conversem apenas vocês dois e resolvam. – disse Emma.

- É sério que isso tudo aconteceu mesmo? Como mamãe foi capaz? – perguntou Zelena.

- Eu não sei de mais nada! – disse Emma.

Kristin sentou-se em uma das cadeiras para deixar o marido acalmar-se.

- Nossa festa já era! – disse Regina.

- Nem me fale! – disse Emma.

- Já era nada! Esse babado foi fortíssimo, eu adorei! – disse Killian rindo. – Queria eu ter filmado!

- Que filmado o que! – disse Emma.

Killian correu dando pulinhos em direção a Kristin.

- E aí? Vai se separar do corno? – perguntou Killian.

- Não sei de nada! Ao mesmo tempo em que quero ser livre eu me pergunto onde vou morar se ficar sem ele... – disse Kristin.

- Que isso, bobinha! A gente te arruma um emprego e ainda pode ir pra baladinha comigo pegar umas saponas. – disse Killian.

- Não sei, acho que estou apaixonada pela Ingrid. – disse Kristin.

- QUÊ? – gritou Killian.

- Isso mesmo... – disse Kristin.

- Foge que é cilada, Bino! – disse Killian cruzando as pernas.

- Quem é Bino? – perguntou Kristin.

- Esquece, fofinha. É uma expressão. – disse Killian.

- Ele não vai me perdoar... – disse Kristin.

- Amor, esqueça Archie, esqueça Ingrid e cola em mim que é sucesso! – disse Killian dando uma piscadela.

- E eu vou fazer o que? – perguntou Kristin.

- Um conselho eu te dou, Ingrid não presta! Aquilo lá é pior do que cobra. Pergunte a Regina que sofreu por anos nas mãos dela, fez o maior inferno porque a minha amiga é do vale. – disse Killian gesticulando.

- Que vale? – perguntou Kristin sem entender as expressões do Killian.

- Vale homossexual. Eu vou te ensinar todas as palavras gays! – disse Killian.

- Gostei! – disse Kristin.

- Amiga, com essas tetas você consegue emprego rapidinho! – disse Killian.

- Onde será que está Ingrid? – perguntou Kristin.

- Deve está cavando uma cova pra entrar. Isso é pra ela pagar a língua e largar de ser besta! – disse Killian.

- Você não gosta dela mesmo! – disse Kristin.

- Você é corajosa, foi pega no ato e ainda está aqui firme e forte! – disse Killian.

- E eu estou lá ligando para o que pensam? Estou nem ai! O que foi feito está feito e não tem como mudar! – disse Kristin.

- Assim que se fala! – disse Killian. – Quer um drink? – perguntou.

- Quero... – respondeu.

Emma e Regina estavam tentando consolar Archie.

- É melhor você ir para casa... – disse Emma.

- Eu te levo. Fiquem aí, curtam a festa. – disse Zelena.

- Obrigada. – Agradeceu Emma.

- Ingrid sumiu. – disse Regina observando o local.

- Ela deve está morrendo de vergonha. – disse Emma.

- Eu estou traumatizada! – disse Regina.

- Vamos esquecer esse incidente e vamos curtir a nossa festa. – disse Emma.

- Com todos os convidados rindo da nossa cara? – perguntou Regina.

- Estão rindo das nossas mães. – disse Emma mais calma.

- Vamos beber mais. – disse Regina.

- Eles vão curtir e agorinha esquecerão de tudo. – disse Emma.

- Tem razão! – disse Regina.

Ingrid saiu, Archie e Zelena também haviam deixado o local.

Quando Emma e Regina pensaram que a festa seguiria em frente, aconteceu algo inesperado.

- MINHA BOLSA ESTOUROU! – gritou Ariel sentindo o liquido escorrer.

- KILLIAN! – gritou Regina ao ver a cena.

- AAAAAAAAA! – gritou Ariel.

- Respira, vamos levá-la ao hospital! – disse Emma.

- Está doendo muito! – disse Ariel.

- Amiga, não pode ser! Logo hoje? – perguntou Aurora segurando a mão de Ariel.

- Precisam de ajuda? – perguntou David.

Killian veio correndo e gritando.

- MEU FILHO? SOCORRO! O QUE EU FAÇO?

- Leve ela ao hospital! – disse David.

- NÃO PODE SER! – gritou Aurora.

- Meu Deus! As duas? – disse Regina.

Aurora e Ariel sentiam as contrações.

- Tá doendo, Killian! – disse Ariel.

Killian estava desorientado e não conseguia fazer nada.

- Age, homem! – disse Regina tentando fazer o amigo acordar.

- Vou pegar meu carro! – disse Killian correndo.

- Que casamento babadeiro! – disse Ruby.

- Emma e Regina foram premiadas com o dia de hoje! – disse Belle rindo.

- Respirem! – disse Regina acompanhando Aurora e Ariel.

Emma e Regina estavam nervosas com tudo que estava acontecendo naquele casamento.

- Meu Deus, não falta mais nada pra acontecer! – disse Emma.

- Não desafie! – disse Regina.

- Sério? Vou enlouquecer! – disse Emma colocando as mãos na cabeça.

- Respira, amor! – disse Regina.

- Não lembro como se respira! – disse Emma entrando em desespero.

- Pense pelo lado positivo, nossos sobrinhos estão nascendo! – disse Regina.

- Tem razão ! – disse Emma.

- Desculpem estragar tudo, mas não posso evitar! – disse Aurora respirando fundo com as contrações.

- Não é culpa de vocês. Nós deveríamos ter marcado o casamento em outra data! – disse Regina.

- Isso está parecendo um filme de terror! – disse Mary.

- Um pesadelo! – disse Emma.

- Eu tenho certeza de que vamos rir disso tudo, bem lindas e brindaremos o nosso amor! – disse Regina.

- Sim, isso sim! – disse Emma aliviando-se ao pensar pelo lado positivo.

Killian estava tentando sair e a porta estava trancada.

- Onde está o segurança? Esse filha da puta! – disse Killian nervoso.

Tentou encontrar outra saída, mas também estava trancada.

- DROGA! – gritou Killian.

Voltou correndo para onde estavam todos.

- ESTOU DESESPERADO, A PORTA ESTÁ TRANCADA E O SEGURANÇA SUMIU! COMO VAMOS SAIR? – gritou Killian quase tendo um ataque.

- Eu não aguento mais! – disse Ariel.

- Vamos ter que fazer o parto aqui! – disse Mary.

- O QUÊ? NÃO! – gritou Killian.

- Pegue as toalhas das mesas, vão atrás do serviço de bufê e fervam uma água. RÁPIDO! – gritou Mary.

David forrou algumas toalhas no chão e Aurora e Ariel deitaram-se.

- Tirem as calcinhas delas! – disse Mary.

- Você é parteira? – perguntou Regina.

- Não, mãe minha avó era. – respondeu Mary.

- ANDA! TIRA ESSA CRIANÇA DE MIM! – gritou Aurora.

Killian andava de um lado para o outro sem saber o que fazer.

- Segure as mãos delas! – disse David.

- O QUÊ? – perguntou Killian.

- Anda homem! – disse David.

Killian abaixou-se e deu uma mão para cada.

- AAAAAAAAAAA! – gritavam Aurora e Ariel em uníssono apertando as mãos de Killian.

- AAAAAAAAAAAAAA! Minha mão de princesa... – disse Killian chorando por sentir a força das duas.

- Empurra! – disse Mary tentando ajudá-las.

- AAAAAAA! – gritou Aurora.

- Está vindo! FORÇA! – gritou Mary.

- CARALHO! – gritou Ariel fazendo força.

- PORRA! – gritou Killian ao sentir outro apertão em suas mãos.

- FORÇA MENINAS! – gritou Regina.

- Eu nunca vi um parto ao vivo. Estou passando mal! – disse Emma abraçando Regina.

- É feio, pelo menos os bebês serão bonitos. – disse Regina fazendo Emma rir.

Killian conseguiu libertar-se das mãos das mulheres e tentou ajudar no parto.

- É MUITO SANGUE! – gritou Killian.

Mary revirou os olhos.

Killian sentiu a sua respiração ficar ofegante e seus sentidos sumirem. Acabou desmaiando.

- KILLIAN! – gritou Emma e Regina em uníssono.

David tentou levantá-lo.

- Acorda, rapaz! – disse David batendo na cara de Killian.

- Nasceu! – disse Mary pegando um bebezinho no colo.

- É um menino! – disse Emma.

- Que sufoco! – disse Regina.

Killian acordou e segurou-se em David.

- Eu não estou bem! – disse Killian.

- Seu filho nasceu! – disse David.

- Mais um! – disse Mary.

- Agora é uma menina! – disse Regina.

- Não acredito que eu sou pai! – disse Killian emocionado.

- São lindos! – disse Regina.

- Sim! – disse Emma encantada com os bebês.

- Qual será os nomes? – perguntou Regina.

- João e Maria! – disse Killian.

Regina revirou os olhos.

- Sério? – perguntou.

- Sandy e Júnior! – disse Killian.

- Cala a boca, Killian! – disse Regina irritada.

- Eu vou colocar o nome do meu filho de Éric. – disse Ariel.

- Bonito nome. – disse Killian gostando da ideia.

- Pega eles no colo. – disse Mary.

- Aí, eu tenho medo! Vai que deixo cair, olha o tamanho deles... – disse Killian.

- Larga de ser fresco! – disse Regina.

Emma gargalhou.

- O nome da minha filha será Alice. – disse Aurora.

- Meus filhos! Quando na minha vida eu ia imaginar sendo pai, Regina? Olha essas gracinhas! – disse Killian emocionado colocando uma mão sobre o rosto.

- Precisamos tirá-las daqui. – disse Mary.

- As portas estão trancadas, como faremos? Chamamos a polícia? O Segurança sumiu. – disse Killian com a mão na cintura.

Todos estavam aparentemente tranquilos e felizes até uma pessoa, que estava observando todo o movimento, sacou uma arma em direção a Emma e Regina e atirou.

- NÃO! – gritou David devido ao susto.


Notas Finais


Quantas coisas aconteceram nessa festa de casamento! O que foi pior?
Quem será que chegou atirando?
Teorias?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...