História Doce tentação - Capítulo 50


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time, Orange Is the New Black, Orphan Black
Personagens Alex Vause, August Wayne Booth (Pinóquio), Capitão Killian "Gancho" Jones, Cora (Mills), David Nolan (Príncipe Encantado), Dr. Archie Hopper (Jiminy Cricket), Dra. Delphine Cormier, Elsa, Emma Swan, Ingrid / Rainha da Neve / Sarah Fisher, Lilith "Lily" Page, Malévola, Marian, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Milah, Neal Cassidy (Baelfire), Piper Chapman, Princesa Aurora, Príncipe James, Regina Mills (Rainha Malvada), Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Sr. Gold (Rumplestiltskin), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Visualizações 838
Palavras 2.290
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


O que será que há por vir? Quem foi o louco (a) que atirou?
Boa leitura!





PS: Não chorem!

Capítulo 50 - Preciso deixá-la ir...


Fanfic / Fanfiction Doce tentação - Capítulo 50 - Preciso deixá-la ir...

- EMMA! – gritou Regina sentindo seu coração pular.

- A MINHA FILHA! – gritou Kristin indo em direção a Emma.

- FIONA! – gritou Mary Margareth ao ver o que a mulher havia feito.

- Não se aproxime de mim! – disse Fiona apontando a arma para David.

O corpo de Emma estava caído no chão, havia bastante sangue e Regina estava desesperada.

- EU VOU CHAMAR A POLÍCIA! – gritou Killian.

- Nem tente! – disse Fiona apontando a arma para Killian. – Coloque o celular no chão.

Killian relutou nos primeiros instantes, mas acabou cedendo.

- TODOS COLOQUEM OS CELULARES NO CHÃO OU OUTRA PESSOA MORRERÁ AQUI! – gritou Fiona claramente fora de si.

- Por que está fazendo isso? Depois desse tempo todo... – disse Regina com os olhos marejados e com corpo de Emma entre os seus braços.

- FIONA, ELA PRECISA DE AJUDA MÉDICA! – gritou Mary.

Baby baby

When we first met I never felt something so strong

You were like my lover and my best friend

All wrapped in one with a ribbon on it

And all of a sudden you went and left

I didn't know how to follow

It's like a shock that spun me around

And now my heart's dead

I feel so empty and hollow

And I'll never give myself to another the way I gave it to you

You don't even recognize the ways you hurt me, do you?

It's gonna take a miracle to bring me back

And you're the one to blame

And now I feel like... oh!

Baby Baby

Quando nos vimos pela primeira vez, nunca senti nada tão forte

Você era como MINHA AMANTE e MINHA MELHOR AMIGA

Tudo embrulhado e com uma fita

E de repente você foi

Eu não soube como seguir

Como um choque mudei

E agora meu coraçâo está morto

Eu o sinto vazio e oco

E eu nunca me entregarei da maneira que eu me entreguei a você

Você nem reconhece a maneira que você me machuca, não é?

Só com um milagre pra me trazer de volta pra você

E você é a única culpada

E agora eu sinto como - ooh! 🎵

- Ninguém vai sair daqui até eu saber que essa desgraçada morreu! – disse Fiona com a arma apontada em direção a todos.

- ISSO NÃO VAI TE LEVAR A NADA ALÉM DE IR PARA CADEIA! DEIXE A GENTE SAIR DAQUI E LEVÁ-LA A UM HOSPITAL! – gritou Regina irritada.

- Quer matar a Emma e depois? Regina vai odiá-la para sempre e ainda vai ganhar anos de prisão por assassinato! Vale mesmo a pena? – perguntou David.

- VALE! REGINA ME TROCOU POR ELA, ESTÁVAMOS INDO MUITO BEM ATÉ ELA APARECER! NÃO VOU DEIXÁ-LA SER FELIZ COM ESSA IDIOTA! – gritou Fiona.

You're the reason why I'm thinking

I don't wanna smoke on these cigarettes no more

I guess that's what I get for wishful thinking

Should've never let you enter my door

Você é a razão pela qual eu penso

Eu não quero mais fumar estes cigarros

Eu acho que é o que recebo por esse desejo maldito

Eu nunca mais deixarei você entrar por essa porta 🎵

- Foi você que a indicou para Regina. – disse Mary.

- EU NÃO IMAGINARIA QUE AS COISAS FOSSEM CHEGAR A ESTE PONTO! – gritou Fiona extremamente fora de si.

it's like I checked into rehab

And baby, you're my disease

It's like I checked into rehab

And baby, you're my disease

I gotta check into rehab

'Cause baby you're my disease

I gotta check into rehab

'Cause baby you're my disease

É como se eu estivesse em recuperação

E baby, você é minha doença

É como se eu estivesse em recuperação

E baby, você é minha doença

Eu começei a me recuperar

Porque você é minha doença

Eu começei a me recuperar

Porque você é minha doença 🎵

- Fiona, preste atenção! Você precisa de ajuda, não precisa ficar gritando feito louca e querer matar alguém. Isso não resolverá a sua vida. – disse David.

- Claro! Falou o corno convencido! Enquanto você viajava, ela estava na minha cama! – disse Fiona.

Damn, ain't it crazy when you're loveswept

You'd do anything for the one you love

'Cause anytime that you needed me I'd be there

It's like you were my favorite drug

The only problem is that you was using me

In a different way than I was using you

But now that I know it's not meant to be

I gotta go, I gotta wean myself off of you

Droga, não é louco quando você esta apaixonado?

Voce faria qualquer coisa por quem você ama

Porque sempre que voce precisou de mim, eu estava lá

Era como se voce fosse a minha droga favorita

O unico problema é que voce me usava

Em uma maneira diferente da que eu te usava

Mas agora eu sei que não era pra ser

Eu vou, vou me livrar de voce

David respirou fundo.🎵

- Mas agora ela está na de Emma e você não pode fazer nada. Eu não fico remoendo o passado e muito menos importunando Regina por algo que já passou. – disse David.

- FODA-SE! Eu estava esperando Regina dar um pé na bunda de Emma, mas a noticia que recebo é que estão se casando? Isso não! Eu nunca vou aceitar isso! – disse Fiona.

- DEIXA A GENTE SAIR DAQUI, PORRA! – gritou Regina desesperando-se ao ver o corpo de Emma ficar gelado.

- As chaves estão comigo, ninguém sai! – disse Fiona.

Todos estavam em pânico. Os bebês choravam.

- ELA ESTÁ PERDENDO MUITO SANGUE! DEIXE A GENTE SAIR DAQUI, PELO AMOR DE DEUS! – gritou Regina desesperada.

- Esse casamento foi a gota d’água! Você me trocou por ela e não quis mais saber de mim! Por que ela e não eu? Eu estava completamente apaixonada por você, faria qualquer coisa por você e ainda sim, preferiu ela... – disse Fiona totalmente descontrolada ao dizer cada palavra.

- Eu nunca a iludi, você sabe disso... – disse Regina abraçando o corpo de Emma.

- Fiona, pelo amor de Deus, muda esse disco! Precisamos sair daqui, se Emma morrer vai ser pior para você. Nós precisamos levá-la a um hospital urgente, todos precisamos sair deste lugar Esses bebês nasceram aqui por sua culpa e eu vou perder a minha paciência com você! – disse Killian.

- SE VOCÊ MATAR A MINHA FILHA, EU VOU ATÉ O INFERNO TE PROCURAR! – gritou Kristin.

David aproveitou um momento de distração de Fiona e tentou tomar a arma dela, fazendo com que disparasse novamente em direção aos convidados.

- ME SOLTA! – gritou Fiona.

Kristin deu um soco no rosto de Fiona enquanto David a segurava. A arma caiu e Killian a pegou.

- Peguem a chave dela e chamem uma ambulância urgente! – pediu Regina pressionando o ferimento de Emma para tentar estancar o sangue.

David ligou para polícia enquanto Killian chamava uma ambulância.

Fiona estava imobilizada por August.

- O que você fez com o segurança? – perguntou.

- Ele está amarrado em um dos banheiros. – respondeu Fiona.

- Mas como você conseguiu fazer isso? Esse cara vai ser demitido! – disse August.

Fiona debatia-se para tentar escapar dos braços de August.

- Eu apenas o seduzi e ele caiu na minha! – disse Fiona nervosa.

Regina estava desesperada ao perceber a grande quantidade de sangue que Emma havia perdido, volta e meia media os seus batimentos cardíacos.

- Emma, meu amor, agüente firme! Eu não vou permitir que você me deixe assim... – disse Regina colando o seu rosto no de Emma deixando as lágrimas caírem.

Não demorou muito e a ambulância chegou junto com a polícia. As testemunhas foram ouvidas e Fiona foi algemada e levada para delegacia.

- Vocês ficarão bem? – perguntou Killian a Ariel e Aurora.

- Sim, eles vão ser examinados agora. – disse Ariel.

- Me liguem quando precisarem de algo, vou ver se Regina está bem. Logo voltarei para vocês... – disse Killian despedindo-se.

Regina ainda estava vestida de noiva, não quis ir embora trocar-se, precisava estar ao lado de Emma.

- O que aconteceu com Emma? – perguntou Archie assustado ao receber a notícia.

- Cadê a minha irmã? – perguntou Zelena a Regina.

- Está passando por uma cirurgia agora... – disse Regina com os olhos marejados.

- Quem atirou nela? – perguntou Zelena.

- Fiona... – respondeu Regina.

- Filha da puta! – sussurrou Zelena.

- Ela já está presa. Vou fazer de tudo para ela jamais sair da cadeia! Por mim ela apodrecerá naquele lugar! – disse Regina cerrando o punho.

- Regina, você precisa tirar esse vestido. Eu a levo para casa agora, Emma ficará bem eu tenho certeza. – disse Killian.

- Eu não vou sair daqui enquanto não houver noticias dela... – disse Regina.

- Os pais dela estão aqui, a irmã também. É só para um banho rápido, seu vestido está puro sangue. – disse Killian.

- Eu não vou sair daqui enquanto ela não acordar! Eu quero está lá, quero estar ao lado dela... – disse Regina.

O clima era estranho entre Archie, Zelena e Kristin. O marido não queria olhar para o rosto da esposa, depois dela tê-lo magoado. Além da dor de uma traição, sentia que seu orgulho estava ferido. Mas a situação da filha era crítica e precisavam estar juntos de alguma forma.

Kristin estava com a cabeça encostada na parede, remoendo a sua dor e a preocupação pela filha.

- Vai ficar tudo bem! – disse Zelena abraçando a mãe quando ela menos esperava.

Archie estava cabisbaixo, era muito baque para um dia só.

Killian abraçou Regina.

- Quantas coisas no dia que era pra ser o mais feliz de sua vida... – disse Killian.

Regina sentia-se sem chão, de mãos atadas sem poder ajudar a sua amada. Apertou o amigo o mais forte que podia para abafar a sua dor.

- Eu devo estar pagando pelos meus pecados... Por tudo que fiz ás pessoas que me rodeavam, eu devo merecer passar por isso. Mas Emma não tem culpa dos meus erros, ela não deveria ter sido atingida. Eu poderia ter entrado na frente e impedido, poderia ter feito algo, mas não houve tempo. – disse Regina soluçando.

- Não se martirize mais. Não é culpa sua e sim dessa louca que não consegue superar o fim de algo que vocês nunca tiveram. – disse Killian.

- Eu sou culpada, Killian. Quantas pessoas eu usei para me satisfazer? Todas elas foram machucadas por mim... – disse Regina.

- Isso é passado. Você mudou e todos merecem uma segunda chance. – disse Killian.

- Sim, mas aqui se faz, aqui se paga... – disse Regina.

- Você é minha melhor amiga, o que precisar, eu ajudarei... – disse Killian.

- Eu só não queria que Emma pagasse pelo que fiz... As conseqüências deveriam ser unicamente minhas. – disse Regina.

- Vocês são familiares de Emma Swan Mills? – perguntou doutor Victor.

- Sim. – respondeu Kristin levantando-se.

- Sim, ela é minha esposa. – disse Regina desprendendo-se de Killian.

- Ela perdeu muito sangue e precisa de uma transfusão urgente. Precisamos de sangue O negativo. – disse o médico.

- Eu sou O negativo. – disse Regina. – Eu vou doar.

- Ótimo, me acompanhe. – disse o doutor.

- Como ela está? Precisamos saber! Ela vai se salvar? – perguntou Archie aflito.

O médico respirou fundo.

- Tudo dependerá das próximas horas... Ela ficará em observação. O tiro foi em direção ao estômago, tiramos o projétil, mas ela perdeu muito sangue... – enfatizou o doutor.

- Você tem que salvá-la, doutor! – disse Regina.

- Calma, nós estamos fazendo o possível. – respondeu.

Regina seguiu para o local indicado e fez a doação. Sentia-se fraca e foi convencida a ir para casa trocar de roupa e recuperar-se.

Chorou durante o banho, pois sentia-se culpada por tudo que havia acontecido com Emma, comeu algo para forrar o estômago e juntou algumas coisas para ficar no hospital.

Refletiu bastante sobre a sua vida, sobre o seu futuro com Emma e acabou chegando a uma conclusão que partia o seu coração.

- Como ela está? – perguntou Regina ao chegar ao hospital.

- Está recuperando-se. – disse Zelena.

- Será que posso entrar para vê-la? – perguntou Regina sentindo seu estômago revirar, devido a ansiedade e o medo.

- Acho que ainda não... – disse Zelena.

Regina cerrou os olhos e soltou o ar de seus pulmões.

Algum tempo se passou e o médico permitiu a entrada de uma pessoa apenas. Regina entrou no quarto de Emma caminhando devagar em sua direção. Tocou em seu rosto, tirando os cabelos que estavam caindo em seus olhos.

- Meu amor, me perdoe... – disse Regina tocando nas mãos de Emma, deixando a sua cabeça cair em cima de seu braço junto a uma lágrima solitária.

- Era pra você está bem agora, para estarmos juntas... - Regina sentiu um nó em sua garganta. – Eu prometo não deixá-la pagar pelos meus erros mais, acho que sou nociva á você e não mereço o seu amor.

Regina acariciou a mão de Emma.

- Do que está falando? Não vai me deixar, vai? – perguntou Emma com voz fraca.

Regina soltou o ar dos pulmões.

- Você acordou! – disse Regina alegrando-se.

- Você não respondeu a minha pergunta... – disse Emma com voz fraca.

- Emma, você sempre paga pelos meus erros, pelo meu passado, pela pessoa que fui... Sempre se machuca de alguma forma ... emocionalmente e agora fisicamente. Eu a amo tanto, não quero vê-la passando por isso novamente e por este motivo, creio que a minha presença em sua vida só lhe traz dor, só lhe traz sofrimento e por mais que eu sofra, por mais que a minha vontade é de estar ao seu lado pelo resto de minha vida, eu preciso deixá-la ser feliz com alguém que lhe dê paz... Alguém que seja o seu porto seguro. - disse Regina sentindo o seu peito rasgar.


Notas Finais


Não chorem! Regina tem razão? Que sufoco...
E agora?
Comentem! 💔


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...