História Doce vingança - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Armin, Castiel, Dakota, Lysandre, Nathaniel, Viktor Chavalier
Tags Amor Doce, Vingança
Exibições 165
Palavras 2.157
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Festa, Ficção, Hentai, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Me desculpem pela demora, eu sei que eu estou postando tarde, mas tecnicamente ainda é sexta kkk é que eu fiz uma endoscopia ontem e eu to quase morrendo pra engolir as coisas e to enjoadassa kkkk sem contar minha mão doendo por causa da anestesia, agulha gigantesca, meu Deus do céu, ainda estourou uma veia minha aí ta roxo no lugar pq eu sou muito branca kkk mas enfim, eu estou bem kk só não posso beber ou comer coisas muito quentes ou muito geladas kkk
Beijos e boa leitura meninas =*

Capítulo 33 - Isso acaba hoje, de qualquer forma


Fanfic / Fanfiction Doce vingança - Capítulo 33 - Isso acaba hoje, de qualquer forma

Meus olhos estavam atentos à ela, não, eu não confiava nela, mas parte de mim estava realmente curiosa para saber o que ela tinha de provas, e eu estava cansada, meu bebê estava sentindo todo esse estresse pelo qual eu estava passando e isso não era bom pra ele de qualquer maneira. Cruzei os braços e juntei as sobrancelhas olhando pra ela a vendo revirar algumas folhas dentro de uma pasta, tinha bastante coisa ali dentro.

Natasha - O que diabos você é? (Eu perguntei tentando entender o por que de tanta coisa dentro daquela pasta, tinha fotos e várias outras fichas, arquivos imensos sobre muitas pessoas. Ela suspirou antes de me responder e retirou um quantidade grande de folhas dentro da pasta que estavam presas umas às outras por um clip.)

Melody - Eu sou o que se pode chamar de investigadora pessoal. Quando alguém quer descobrir alguma coisa e não quer esperar pela polícia eles me ligam. (Isso explicaria a quantidade de papel.) Quando tudo aquilo aconteceu ano passado com os meninos, todo mundo ficou bastante chocado. (Ela começou a falar revirando as folhas em cima do colo e eu pude ver praticamente que ali tinha quase todas as pessoas que estudaram no colégio.)

Natasha - E você tentou investigar e descobrir quem fez isso. (Eu não perguntei, apenas afirmei, mas a vi negar com a cabeça.)

Melody - Não era eu quem queria descobrir o que aconteceu. O Alexy me ligou pedindo isso, ele queria descobrir quem tinha feito aquilo com o irmão, ele não conseguia esquecer e não conseguia seguir em frente com a vida. (Novamente me lembrei de como ele estava quando fui o visitar e isso não me surpreendia, mas já que ele a contratou… Isso significava que ele sabia que a culpada era eu? Então ele é quem estava atrás de mim?)

Natasha - E então… (A incentivei a continuar e ela novamente negou com a cabeça.)

Melody - Eu não… Eu não tive coragem de entregar a ele. Não consegui dizer que foi você, não depois do que eles te fizeram passar. (Ela disse parando de mexer nos papéis e olhando pra mim.) Eu sinto muito pelo que você teve que passar com eles, deve ter sido horrível. (Respirei fundo tentando não ser atingida por isso.)

Natasha - Já passou. O que aconteceu depois? (Eu perguntei olhando pras minhas mãos e novamente pra ela quanto ela voltou a mexer nos papéis.)

Melody - Quando eu dei o caso como terminado e disse a ele que não tinha descoberto quem era, foi quando começou a acontecer aquelas coisas com você. E eu… Eu quis continuar investigando as coisas até descobrir quem era. (Ela disse puxando uma das fichas com a foto da Ambre.) Creio que ela já deve ter te contado uma parte de tudo, por isso veio atrás de mim. (Ela me entregou a ficha, e sim, tudo o que a Ambre havia dito era verdade, depois da morte do irmão os pais enlouqueceram e simplesmente deixaram tudo de lado, depois da morte deles não havia sobrado mais nada pra ela.)

Natasha - Sim, ela me contou isso. (Eu disse depois de ter sido rapidamente a ficha.)

Melody - Ela acabou descobrindo que eu estava investigando. Por isso ela disse que era eu, ela descobriu no dia em que foi a sua casa, ela me viu rondando você é acabou descobrindo. (Apenas murmurei um “hum” sem muito ânimo.) Mas ela não poderia fazer isso sozinha, ela não tinha capacidade o suficiente pra poder descobrir quem tinha matado o Nathaniel, ela não sabia quem tinha sido, a única coisa que ela tinha era a enorme sede de vingança. (Assim como a minha.)

Natasha - Então quem a ajudou nisso? (Perguntei tentando ficar normal, mas eu estava ansiosa.)

Melody - Você se lembra de uma garota chamada Violette? (Quem? Balancei a cabeça negativamente.) Era uma garota tímida, não falava muito e estava sempre escondida pelos cantos, cabelos roxos e gostava muito de desenhar. Ela parecia ser sempre distraída e isolada de todo mundo e era isso que fazia com que ninguém a notasse. (Parei para pensar um momento até me lembrar dela, ela não era digamos que uma amiga, mas eu conversava com ela antes… Antes do que aconteceu, mas quando eu voltei, eu nem ao menos me lembro de ter visto ela.)

Natasha - Vio? (Ela assentiu com a cabeça. Eu apenas ri desgostosa e achando aquilo ilógico.) Violette nunca faria mal a uma mosca e ela não tinha motivo algum pra fazer alguma coisa, isso não faz o menor sentido. (Eu disse rápido.)

Melody - Pense de novo, as pessoas nunca são quem você espera, você mais do que ninguém deveria saber disso. (Me calei e parei de rir, por um momento eu concordando com ela.) De certa forma, ela resolveu fazer justiça com as próprias mãos já que eu não fui atrás de você quando descobri o que tinha acontecido. (Franzi as sobrancelhas prestando atenção.) Ela sempre gostou do Alexy, e a maneira como ele ficou arrasado com a morte do irmão fez com que na cabeça dela, ela pensasse que foi culpa sua tudo o que aconteceu com ele. A depressão, ele ter se mudado pra longe e tudo mais, ela esperava que eu desse a ele a resposta quando ele me contratou, e como eu não fiz ela resolveu fazer por conta própria. (Eu não conseguia acreditar nisso… Vio?)

Natasha - Por que? (Eu perguntei baixo suspirando.)

Melody - Por que ela gosta dele, mesmo sabendo que não vai acontecer nada, ela ainda quer protegê-lo e recompensá-lo de certa forma. (Balancei a cabeça negativamente.)

Natasha - Não foi o que eu quis dizer. (A vi franzir as sobrancelhas.) Por que fez tudo isso? (Ela se surpreendeu com a minha pergunta é ficou sem saber o que falar por um tempo.)

Melody - Eu sinto muito pelo que aconteceu. (Ela disse baixo.)

Natasha - Você já disse isso, mas ainda não respondeu. (Ela olhou pra baixo e pressionou os lábios.)

Melody - Eu ainda me culpo por aquele dia. (O que?)

Natasha - O que quer dizer com isso? (Do que ela estava falando?)

Melody - Eu vi você indo embora da festa, eu além de você, era uma das únicas pessoas que não tinham bebido naquela noite. Eu não tinha nada contra você exatamente, mas… Eu gostava do Nathaniel e sabia que ele gostava de você, isso fazia com que eu sentisse ciúmes. Eu ia avisar a Rosa pra te acompanhar por que estava tarde, mas aí eu vi ele indo atrás de você logo após você sair e… Eu simplesmente deixei pra lá, eu fiquei com raiva e preferi não ligar. Eu não pensei no que aconteceria, eu achei que no outro dia vocês apareceriam namorando ou sei lá o que, eu não imaginei que ele e os meninos fossem capazes de fazer o que fizeram. Eu sempre neguei a mim mesmo de que era verdade o que eu já suspeitava que tinha acontecido, até realmente descobrir o que houve. Poderia ser eu, ou poderia ser qualquer outra garota no seu lugar, mas eu acho que… Se eu tivesse avisado a Rosa, ou a qualquer outra pessoa, isso não teria acontecido. Eu sinto muito. (Eu escutei… Eu realmente escutei o que ela tinha falado, mas eu não sabia o que responder ou como responder. Não, eu não estava com raiva nem nada do gênero, eu acho que eu não estava sentindo absolutamente nada até ver ela começar a chorar me pedindo desculpas, foi quando eu senti meu coração pesar e… Eu não a culpava por isso, claro que não. De alguma forma, agora eu acreditava nela e não conseguia desconfiar.)

Natasha - Ei, tudo bem. Não há pelo que eu possa te desculpar, não foi culpa sua, e tudo já foi, já acabou. Agora eu só preciso acabar com outra coisa pra continuar vivendo a minha vida em paz. (Eu disse tentando não ficar tão emotiva, hormônios de gravidez estúpidos, a vi suspirar limpando o rosto e assentindo.)

Melody - É claro, nós não podemos perder tempo aqui. A Violette sabe que você vai conseguir escapar da Ambre, ela já deve saber que você já conseguiu fazer isso, ela não liga realmente pra Ambre e até espera que você a mate, por isso ela não vai sair para procurá-la. Você… Você a matou? (Ela perguntou olhando pra mim um pouco preocupada.)

Natasha - Não, eu não a matei. (Eu disse rápido desfazendo as teorias que estavam se formando na cabeça dela.) Só a deixei amarrada na cabana onde ela tinha me levado. (Eu disse dando de ombros.)

Melody - Ótimo, ela não vai conseguir sair de lá, não sozinha pelo menos, ela não consegue fazer isso. (Ela disse olhando pra delegacia através da janela do carro.)

Natasha - O que acontece agora? (Perguntei ansiosa.)

Melody - Aí é que está! Essa é a única parte que eu ainda estou tentando descobrir. Eu estava tentando descobrir onde ela está e o que vai fazer, mas… Até agora nada. Eu só tenho certeza de que é alguma coisa com o Castiel, já que a Ambre estava com você. (Assenti com a cabeça levemente, já sentindo a preocupação me atingir novamente.)

Natasha - O que estava escrevendo no bloco de notas? (Perguntei apontando pro bloco que agora estava entre os papéis.)

Melody - As últimas coisas que ela comprou. (Ela disse puxando o bloco de notas e abrindo me entregando.) Tubos de pvc, barbante, cano de ferro e coisas assim. (Ela disse rapidamente.)

Natasha - Caixa de sapato, condutor de calor, cigarro? O que ela quer com tudo isso? (Eu disse lendo o restante das coisas escritas na folha.) E o que são esses pontos de interrogação? (Eu perguntei percebendo que um dos itens que ela tinha anotado na lista estava faltando, ou algo assim.)

Melody - Ela comprou mais alguma coisa, mas não estava registrado em lugar algum, então eu realmente não sei o que é. (Ela disse balançando a cabeça enquanto eu ainda observava atentamente a lista na minha frente.)

Natasha - Tubos de pvc, canos de ferro… (Eu li novamente a lista tentando pensar no que isso significava.) Caixa de sapato, condutor de calor, fios de cobre, barbante… (O que faltava? O que era isso?) O que ela está tentando fazer? (Eu disse baixo, mais pra mim mesma do que pra ela.) Isso tudo poderia ser usado pra construir… Sei lá, uma bomba, mas não seria potente o suficiente pra fazer um estrago muito grande. (Continuei olhando a folha.) A não que o que ela tenha comprado que você não saiba é… Pólvora. (Eu sentia meu coração acelerar cada vez mais.)

Melody - Mas isso não seria como a outra que ela colocou no escritório do Castiel, aquela tinha uma contagem regressiva, essa não tem nada que possa fazer o mesmo para acioná-la. (Balancei a cabeça negativamente.)

Natasha - O condutor de calor pode funcionar como sensor de presença. Droga! (Eu disse rápido saindo do carro ignorando a Melody me chamar.)

Eu não sabia onde, quando ou como, eu só precisava achar um jeito de parar com isso, que fosse como da última vez, eu não sei. Meus passos eram apressados em direção a delegacia, mas novamente eles foram diminuindo até pararem, eu estava parada no passeio. Ela queria que eu visse isso, ela sabia que eu conseguiria escapar da Ambre, ela sabia disso, ela queria me ver sofrer, e se eu apenas soubesse o que aconteceu não seria o suficiente, ela sabia que eu estaria aqui e de certa forma… Eu sei que ela também estava, ela queria ver tudo muito de perto. Respirei fundo entrando na delegacia vendo algumas pessoas andando de um lado para o outro, trabalhando normalmente. Eu não precisei dar mais do que três passos pra dentro para que o Lysandre que estava no balcão notasse a minha presença e viesse na minha direção.

Lys - Achei que não fosse mais chegar. (Ele disse baixo chegando perto de mim.)

Natasha - Eu estava esclarecendo algumas coisas e… (Eu comecei a dizer e parei instantaneamente.)

As coisas pareciam ter ficado em câmera lenta de uma hora para a outra. Parece que quanto a sua vida está por um fio as coisas quase que param, o mundo parece diminuir a velocidade e os segundos quase se tornam horas. As pernas cruzadas enquanto estava sentada na cadeira, um dos dedos brincava com o zíper da blusa que ela usava, o seu olhar fixo em mim e o sorriso cravado em seu rosto, tão familiar, o mesmo sorriso psicótico que eu tinha antes de ver os últimos suspiros dos garotos. Ela estava ali, sentada, sabendo que eu já sabia que era ela, sabendo que a Melody já havia me contado, sabendo que de um jeito ou de outro, isso acabaria hoje, não importando como.


Notas Finais


Beijos e até a próxima sexta ^^,

Eu pesquisei mais ou menos sobre como fazer uma bomba pra poder escrever esse cap sim kkkkk mas o resto é mais ficção mesmo kkkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...