História Doce Vingança - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sou Luna
Tags Drama, Realidade Alternativa, Romance
Exibições 457
Palavras 2.658
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Estupro, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá, vamos ver como Luna está passando... Não tem Matteo no capítulo, ele sé é mencionado. Até porque já disse que deixaria o suspense de sua aparição. Bjs e boa leitura *--*

Capítulo 20 - Capítulo 19


Sala de reuniões da Diretoria...

Luna observa cada rosto presente ali, seu pai Miguel está sentando ao seu lado com semblante tranquilo esperando que a diretora começasse a reunião. Luna pensou que só seria a diretora, seu pai e ela na reunião, mas ao invés disso estão presente os seus professores e a orientadora e psicóloga da escola.

Luna se sentia desconfortável com todos ali reunidos, mas seja como for se estão presentes é porque de alguma forma querem mostrar que querem ajuda-la e dar o apoio. Então Luna respira fundo esperando que a diretora comece a falar.

Diretora Mora Barza termina de ler algo escrito no que seria o arquivo com o histórico de Luna e fecha para olhar em direção a ela e seu pai dizendo.

-Senhor Valente. Avaliamos a situação de Luna, e é claro que com as justificativas obvias que já conhecemos, não há porque considerar que as faltas dela na escola seja motivo de perder a sua vaga como aluna aqui no Blake. No entanto, essas faltas lhe prejudicará para acompanhar a turma que já estão adiantados, e com isso tendo que reprovar esse ano.

Luna escutou tudo em silencio, porem não poderia aceitar em ser reprovada... Ela não queria ficar mais um ano estudando naquela escola e perder a chance de ir à faculdade, todavia, a ultima parte ainda era algo que Luna tem duvidas.

-Mas não há nada que possa ajuda-la a se recuperar e conseguir se formar? – Miguel perguntou querendo ajudar a filha.

-Bom, existe sim uma maneira. Mas isso irá exigir muito de Luna, e dadas às circunstancias que passou seria muito arriscado tentar exigir muito dela.

-Eu não me importo o quanto esforço seja exigido de mim. – Luna falou em sua defesa. – Além do mais se os professores me ajudarem e recebendo a orientação correta sei que vou conseguir me recuperar. Mas por favor, não me obrigue a ficar estudando para nada e no fim me reprovarem.

Todos ali olham um para o outro, a diretora avalia a expressão da garota vendo o quanto ela está decidida.

-Diretora Barza. – disse a orientadora e psicóloga da escola. – Podemos ver que Luna deseja recuperar o tempo perdido. Posso dizer por todos que não somos contra em ajuda-la a se recuperar, e se ela quer não custa tentar. E eu estarei com ela a monitorando em seu desempenho e no que precisar.

Luna olha para a mulher que interviu em seu favor. Luíza Ríos é a psicóloga e orientado do Blake desde que Luna começou a cursar o sexto ano, sempre a via na escola, mas nunca foi a sua sala pedir ajuda com algum problema pessoal ou escolar, porem sempre ouvia falar muito bem dela e que sempre ajudava de bom grado os alunos e principalmente aqueles que sofriam bullying e os que exteriorizavam homossexualidade. No entanto, jamais deixou de apoiar algum aluno e ali dessa vez está fazendo o mesmo com ela.

A diretora vendo que todos os professores estão de acordo com o apoio em ajudar a aluna Valente voltou a olhar dessa vez para Luna dizendo.

-Luna... Tem certeza que é isso que quer? Sabe que não será fácil e primeiramente não queremos exigir muito de você.

Luna assente a encarando a diretora com firmeza.

-Tenho plena certeza de que é isso que quero. Além do mais não posso deixar que algo possa tirar o meu sonho de me formar  no ensino médio com louvar na minha idade. E eu preciso fazer isso, não quero ficar pensando em nada do que me aconteceu, só quero seguir em frente e se estão disposto a me ajudar, só tenho que ficar grata e fazer jus a ajuda de vocês.

Miguel pela primeira vez olhou a filha tendo a certeza que seja o que foi o que aconteceu, Luna não era mais a mesma de antes, e agora possui certa maturidade, determinação pela qual nunca a viu ter, como também não tendo mais o mesmo brilho que possuía em seu olhos e sorriso. No entanto, o seu sorriso agora, é algo forçado por não ter alegria, mesmo assim Miguel não iria mais força-la a dizer nada, pois realmente se continuasse como estava fazendo iria perdê-la novamente e isso não é o que ele quer, e sim apoia-la e deixa-la ser feliz.

A diretora vendo a expressão e olhar convicto da aluna, não teve mais o que duvidar, pois já estava mais que decidida.

-Então senhorita Valente. – ela falou por fim. – A partir de hoje terá que ficar duas horas depois das aulas matinais, para ter aulas de reforço em que receberá a explicação do conteúdo das matérias que perdeu, e também fará testes e trabalhos para recuperar sua nota. Fora da escola terá também de revisar toda a matéria em casa, ou seja, minutos de descanso só para comer, dormir tomar banho, nada de distrações. Não me leve a mal, não estou querendo proibi-la de ter uma vida social, mas se quer se formar este ano terá que abrir mão de muitas coisas.

-Farei o que preciso diretora... Tudo o que quero e me recuperar.

Mora sorri e por um segundo olha para Luíza, depois voltando a olhar para Luna dizendo.

- Ótimo. Fico feliz que esteja determinada. Senhorita Valente, como já suponha , terá de todos os dias ir a sala da senhorita Ríos para ela avalia-la e fazer os relatórios de seu desempenho. Pode parecer exagero, mas não queremos que surte por está se sentindo sobre carregada. Caso ela note algum desvio emocional que possa prejudicar mais seu desempenho, teremos que prosseguir com outras formas de ajuda-la a recuperar na escola.

Luna não queria ficar sendo avaliada por ninguém, mas se isso não era uma opção e sim uma obrigação, aceitaria de bom grado torcendo que Luíza não passasse dos limites querendo saber o que não quer falar e usar isso como desculpa para dizer com que ela não está preparada ou irá conseguir se recuperar.

-Pode deixar. – Luna assente forçando um sorriso contente, e pela expressão de todos li conseguiu convence-los.

Com tudo resolvido, os professores saíram para pegar suas coisas para irem a suas respectivas salas para darem aula.

Luna também foi dispensada e se despediu do seu pai enquanto ele ficou mais um pouco conversando com a diretora.

Contente que havia uma chance de se recuperar na escola, Luna não se importou muito em deixar sua expressão mudar para a mesma que possui desde o dia que chegou. Caminhou até o corredor dos armários para colocar algumas coisas no seu armário e pegar o livro que usaria na próxima aula. Como faltavam poucos minutos para o sinal tocar ainda havia alguma alunos pelos corredores e os mesmos quando a viu passar por eles cochicharam uns com os outros ou somente a olharam com curiosidade por vê-la ali depois de tanto tempo.

Não se importou com os olhares somente se limitou em responder os cumprimentos de quem teve a liberdade de falar com ela. Terminava de fechar o armário quando sentiu braços envolverem sua cintura e lábios prensarem seu rosto.

-Oi amor... Quem bom você voltou. – disse Simón todo carinhoso para ela assim que ficou de frente com ele.

Luna respirou fundo mentalmente e se afasta um pouco, o moreno percebe a frieza da namorada, mas resolveu deixar quieto, além do mais não queria força-la a nada depois do que passou.

-Luna fico feliz também que está de volta. – Nina lhe abraçou rapidamente se mostrando presente.

A morena força um sorriso, dizendo.

-Obrigada, estou feliz também.

-E ai? Como foi lá com a diretora? – Nina perguntou curiosa.

-Bem, parece que me reprovarem por falta não podem, porque teve um motivo coerente para que eu deixasse de vir as aulas. Porem não poderiam fechar os olhos quando estou atrasada com relação à turma e que no fim terei que repetir o ano de todo jeito...

-Serio? Mas não tem como dar um jeito para que se recupere? Eu posso te ajudar lhe emprestando os meus cadernos com a matéria que perdeu para copiar. – Simon falou preocupado, pois apesar de ter a idade correta para o seu semestre escolar, se formará naquele ano também. Nina e Luna são as exceções da turma que tem idade inferior aos outros alunos e por serem bem inteligentes pularam um ano à frente e agora se formarão bem cedo no ensino médio.

-Sim, eu também posso... Posso ir a sua casa para te explicar a matéria. – Nina também manifesta o seu interesse de ajudar a sua amiga.

Luna nega.

-Gente obrigada, mas não será necessário. A diretora disse que para eu me recuperar terei de ter aulas de reforço depois das aulas normais pela manhã, farei testes e trabalhos para ter a nota do bimestre perdido recuperado. E ir todo dia à sala da senhorita Ríos para ser avaliada por ela.

-Nossa, para que ir todo dia nela? Uma ou duas vezes na semana não são o suficiente? – Nina questiona achando tudo um exagero.

Luna dar de ombros.

-Bom, pelo que entendi é mais para me avaliar se vou conseguir lidar com toda essa pressão de ter que me esforçar para conseguir me recuperar. Acham que eu posso surtar com isso. – ela falou indiferente.

Simón e Nina se entre olham vendo que Luna não parece está como deveria está... Sendo o tipo de pessoa que fica estranha e extremamente temerosa depois de ficar meses desaparecida. No entanto, apesar dela apresentar aquele comportamento, eles viam o quanto Luna parecia distante quando sozinha... De uma forma ou de outra, aquele momento ali era a primeira vez que ela está mais associável com eles.

-Bom, se isso é a única forma de conseguir se recuperar. Tudo que posso fazer para te ajudar é dizer que pode contar comigo para o que precisar. – Nina falou por fim.

-E comigo também. – Simón disse inclinando para abraça-la e dar um selinho, porem Luna é rápida desviando do beijo somente sentindo os lábios dele em seu rosto.

Nina ao ver sua amiga desviar do carinho do namorado fica preocupada, pois apesar desses dias que passou ao retornar para casa tem se mostrado distante do namorado. A morena não queria ser negativa, mas via que a relação entre seu primo e sua amiga está com seus dias contados.

O sinal tocou, e juntos foram para sala de aula.

O decorrer das coisas foi normal como de havia de se esperar. Porem, para Luna nada estava normal. Se esforçou a fingir normalidade em seu comportamento mesmo tendo sido bombardeada por olhares penosos, curiosos e cochichos dos alunos do Blake naquela manhã, e tendo o auxilio com a companhia de Nina e Simón pode se esquecer de tudo o que está lhe fazendo se sentir triste.

Saudade... Por mais que fosse absurdo sentia saudades de Matteo, Luna sentia raiva de si mesma por está o amando... Não importa quantos dias passassem ou o quanto tentasse ocupar sua mente com algo que faria ela não pensar nele e nos bons momentos que tiveram ainda que antes ele tenha tanto feito mal a ela, pois ainda sim o seu coração doía ao se lembrar das palavras de Âmbar. Não a maneira que ela tentou lhe convencer de que o seu sentimento por Matteo é uma espécie de trauma compulsório e não amor verdadeiro, e sim, como se a loira de maneira indireta lhe dissesse que Matteo jamais lhe amaria.

Luna sabia que não deveria ama-lo por vários motivos, primeiro porque Matteo a sequestrou, lhe estuprou e agrediu fisicamente; segundo ele nunca iria amá-la como ela merecia; terceiro ele é bem mais velho que ela e seu pai não iria permitir, talvez quando ela tivesse com dezoito anos e já na faculdade, mas ainda sim as outras duas razões anteriores que a impedia ainda continuariam sendo motivos maiores para não poder amá-lo. Seja como for, sabia que esse amor por Matteo surgiu involuntariamente e que não iria sumir tão fácil. Ainda que se esforçasse a lembrar de todo o que ele fez de ruim para ela e repetir para si mil vezes que Matteo nunca irá amá-la, mesmo assim continua o amando e o que lhe resta é deixar esse amor ali. No entanto, esse amor está acabando com Luna por dentro, e por mais que exteriorize está bem... Se sente vazia, sozinha e triste.

Como não quer seu pai ou outra pessoa a vendo daquela forma triste, preferia fingir está bem... Por conta disso não teve a coragem de romper com Simón, pois este tem se mostrado amigo e compressivo não a forçando a ser com ele a namorada de antes, porem na mesma manhã que voltou a escola ele parecia querer chegar a ela aos poucos colocando a relação deles como antes.

Nesse momento Luna se deu conta de que não importa o quanto quisesse Simón por perto, pois só queria ele como amigo e não namorado. Está mais que claro para ela que não é mais apaixonada pelo moreno e que não consegue fingir que há uma chance nessa relação com ele. Persistindo, só magoaria ainda mais o rapaz, e não é isso o que ela quer.

O dia havia passado lentamente, Luna só conseguiu sair da escola já começando a anoitecer, então a diretora havia ligado para o seu pai vir busca-la por ser tão tarde. Luna não se incomodou porque não queria ficar esperando pelo ônibus e tão pouco ir a pé. Então ficou esperando por Ramiro vir busca-la a levasse de volta para casa...

Cansada, Luna ver que realmente seus esforços para conseguir se recuperar na escola será bem cansativo, e no caminho de volta para casa não falou muita coisa e quando se deu conta, Ramiro lhe acordava para anunciar que chegaram.

Ela agradeceu ao motorista e saiu do carro, assim que passou pela porta de casa seu pai veio de encontro a ela tendo um sorriso otimista nos lábios.

-Oi minha filha... Como foi na escola? – ele perguntou lhe dando um abraço e um beijo na testa antes de se afastar e olhar nos olhos verdes da morena.

Luna respira fundo e cansada antes de responder.

-Foi cansativo, mas valerá a pena no fim. – disse caminhando com seu pai até o meio da antessala.

-Acredito que sim. Mas... – ele da uma pausa vendo que Luna fica séria como se esperasse ele dizer algo que não fosse gostar. – Não me olhe assim. Só quero ter certeza de que é isso que quer. Como foi hoje, experimentou como serão os dias seguintes até alcançar a meta de sua recuperação.

Luna não questiona, mas não se importava com isso.

-Eu sei pai. Fica tranquilo porque vou conseguir. Tem pessoas disposta a me ajudar e com isso não tem como eu desistir.

Vendo o quanto a filha está determinada, Miguel decide não mais questionar.

-Então está bem... Vamos jantar?

Luna faz uma careta.

-Não... Prefiro subir e tomar um banho e depois estudar mais um pouco.

-Negativo... – Miguel fala sério. – Não vai ficar forçando por demais sua mente, porque se fizer isso uma hora vai falhar. Todos precisam de se alimentar bem e descansar. O tempo em que passar na escola se recuperando será o suficiente para se dar bem. Então como seu pai e quero seu bem, digo que irá comigo jantar agora e sem discursão. – ele falou pegando a mochila da filha e colocando em cima de uma cadeira próxima a escada que fica ao lado do telefone residencial. – Sei que se subir, vai acabar dormindo de roupa e tudo. Vai jantar e depois subir, tomar um banho e dormir para descansar a mente, e que manhã esteja mais disposta a enfrentar outro dia cansativo.

Pela primeira vez Luna sorri genuinamente para o seu pai. Ele está certo e mesmo que estivesse usando seus esforços para manter sua mente ocupada, isso poderia atrasa-la e prejudica-la no final de tudo. Então decidiu obedecer seu pai e ir jantar com ele.


Notas Finais


Pois é né gente. Luna se agarrando com unhas e dentes para tentar ocupar sua mente para não pensar e sofrer or Matteo. Ela já chegou a conclusão de que não importa o que ele fez e o que faz seu relação com ele ser impossivel, não muda e não diminui o seu amor por ele. E que esses lelementos não bastaram para acabar com que ela sente por Balsano. E agora? O que será que ela vai fazer além do que já começou a fazer?
Alguém ai reparou numa determinada personagem que enfatisei no capítulo? Pois é minha gente... Quem já sacou pode está certo. A confirmação virá nos sequentes capítulos. Bjs e comentem *--*

Foto da Luíza : http://www1.pictures.zimbio.com/gi/Claudia+Lee+Premiere+Disney+Channel+Radio+kc9QREpQ4Evl.jpg


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...